segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

RIO DE JANEIRO: GREVE NA POLÍCIA MILITAR E NO CORPO DE BOMBEIROS - COMENTÁRIOS.

Carnaval chegando e greve da PMERJ bombando na internet, como acontece quase todo ano, mas nunca se transforma em realidade. O quadro não é diferente no CBMERJ.
A minha opinião sobre greves eu já expressei diversas vezes e não serei repetitivo, mas não posso deixar de comentar o que estamos vivenciando, sem estimular ou desestimular a mobilização que está em curso na grande rede.
Ratifico o que tenho escrito, no sentido de que considero muito difícil os Policiais Militares e/ou os Bombeiros Militares d Rio de Janeiro desenvolverem uma greve como ocorreu em Minas Gerais, na Bahia ou como ocorreu recentemente em estados nordestinos, principalmente no Ceará onde a mobilização reuniu Policiais Militares e Bombeiros Militares, bem como, acabou servindo de estopim para a greve da Polícia Civil.
Extremamente difícil, mas não impossível, portanto, faço alguns comentários, considerando a possibilidade remota de eclosão.
Penso que a primeira preocupação dos idealizadores é saber se o desencadeamento da greve poderá servir para a resolução dos problemas. Em seguida, devem procurar saber se a tropa está disposta a esse tipo de mobilização. Caso as respostas sejam "não", melhor nem começarem. Se as respostas forem "sim", as possibilidades aumentam, embora as dificuldades sejam enormes, isso sem tocar na discussão legal se os militares estaduais podem ou não desenvolverem movimentos de paralisação, tema hoje com diferentes interpretações dos especialistas. 
Eu não usaria o termo greve, ele carrega um estereotipo negativo, implica no entendimento pela população de não prestação do serviço, o que é péssimo para servidores públicos. Paralisação é mais flexível, permite desdobramentos tanto com relação à extensão (parcial ou total), quanto com relação ao tempo de duração (hora(s), dia(s), indeterminado). Isso também permite uma progressão na mobilização no curso das negociações com o governo.
Em apertada síntese, passo a analisar a possibilidade do desenvolvimento de uma paralisação pelos Bombeiros e pelos Policiais Militares.
Os Bombeiros tiveram tudo a seu favor para desenvolverem uma paralisação em 2011, isso logo após reunir quase 30.000 pessoas em Copacabana. A mobilização era fortíssima, a população estava ao lado deles e contra o governo estadual. A hora era aquela, mas os líderes optaram por viagens inócuas para Brasília. O trem da história passou e quando esses mesmos líderes quiseram desencadear a greve recentemente, a tropa não se mobilizou e o movimento se enfraqueceu, embora ainda respire. Penso que o renascimento do movimento passe por uma reestruturação, como já tratei em outros artigos. A constituição de uma comissão gestora é imprescindível e com participação de Oficiais, Praças (ativos e inativos) e familiares. Enquanto isso, a atual liderança pode se dedicar exclusivamente à estruturação da associação, por exemplo, uma importante ferramenta. Atualmente, por mais incrível que possa parecer, penso que a maior chance dos Bombeiros realizarem uma paralisação seja como um desdobramento natural da mobilização dos Policiais Militares, caso ela ocorra.
Destaco que abolir "líderes" e "lideranças" é muito importante, comissões gestores são mais produtivas.
Pior é desenvolver uma paralisação com Policiais Militares, pois para isso é necessária a existência de um grupo mobilizado, o que não ocorre. Na verdade, além dos raros PMs que continuaram na luta iniciada em 2007, apenas na Costa Verde, na Região dos Lagos, surgiram novos mobilizados em número considerável, os quais participaram da mobilização dos Bombeiros.  Dias atrás surgiu uma mobilização em Campos contra a mudança das escalas de serviço, o que pode ser aproveitado. Aliás, os Policiais Militares também perderam o trem da história, pois deveriam ter se incorporado à luta dos heróicos Bombeiros. Se os PMs tivessem aderido, não necessitaríamos realizar paralisações e hoje teríamos corporações fortes, estaríamos resolvendo todos os nossos problemas, começando pela questão salarial. E, para piorar, a expansão incontrolável da banda podre cada vez mais afasta os PMs da luta por melhores salários. O que existe hoje na PMERJ é um grupo diminuto que tem coragem de colocar a cara na rua e lutar por salários e um grupo um pouco maior que só se manifesta na internet e na condição de anônimos.
Isso é o que eu penso.
As chances de Bombeiros e Policiais Militares do Rio de Janeiro desenvolverem paralisações é muito remota, temos que ser realistas, porém não podemos descartar a possibilidade, pois basta quererem para desencadear o processo e nunca podemos esquecer que:
Bombeiros, Policiais Militares e Policiais Civis são heróis na sua essência e não temem a própria morte, arriscam a vida diariamente, portanto, não podem temer mais nada, basta deixarem o coração vibrar para que o idealismo e o destemor promovam todas as ações. Isso ocorreu no Ceará.
Seja como for, eu continuarei lutando, esse é meu dever, pois como Coronel de Polícia tenho que estar ao lado da tropa.
Juntos Somos Fortes!

16 comentários:

Ricardo Oscar vilete Chudo disse...

Torcemos por longo tempo com isso e não podemos desprezar. Há de haver incentivo para as mobilizações que certamente começam a a contecer. Só falta sair das redes sociais e ir para as ruas. Será possivel?

Anônimo disse...

cel paul acho que o que falta é um lider,alguem para organizar,temos alguns deputados que nos apoiariam, não vejo ninguem para estreitar estes vinculos,tiamos que mostrar pra tropa estes apoios,marcar greve pela internet é vago ninguem vai botar a cara.cbpm

Anônimo disse...

cel paul bom dia,os policiais e bombeiros querem mesmo parar,e creio que isso vai acontecer,antes mesmo do carnaval.

Anônimo disse...

cel paul bom dia,os policiais e bombeiros querem mesmo parar,e creio que isso vai acontecer,antes mesmo do carnaval.

Peter Parker disse...

Coronel, como o senhor bem disse, a greve está efervescendo nas redes sociais, mas poucos são os que ainda estão assinando embaixo, mostrando a cara nessa luta travada contra o Governo.

Se somos muitos e a nossa maior característica é mantermo-nos anônimos - já que o poder da caneta é de quem está em cima e o carioca tem aquela mania de se achar mais "ixperto" que o outro e faz o máximo para não ser o "bucha" da estória, o que contribui para o clima de desconfiança e desunião - poderíamos usar isso a nosso favor.

Permita-me dar uma viajada (com a licença da expressão): vi um filme muito interessante uns dias atrás sobre Mitologia Grega - Imortais, ainda em cartaz. Nele havia quatro virgens: uma delas previa o futuro, as demais serviam para confundir as pessoas e proteger a identidade da vidente - era o Oráculo das Virgens.

Estou dando essa volta toda para sugerir que, no dia 10 de fevereiro, todos os militares de serviço e de folga aquartelem-se e se esvaziem (furar é ainda melhor) os pneus de 70% das viaturas, e deixe rodando somente os 30% estipulados em lei. A ideia do aquartelamento serve para proteger o "couro" do pessoal que está de serviço, pois não terá como saber quem fez o quê.

Nos quartéis de bombeiros, alternariam-se viaturas de salvamento e de combate a incêndio com os pneus esvaziados entre as unidades.

É uma ideia.

Anônimo disse...

Cel Paul acho que este comentário do senhor está na hora errada, tem que ter é incentivo, agora que a PMERJ está começando a se organizar o senhor vem com esssas palavras, assim os muitos que temem alguma coisa e estão se encorajando acabam se escondendo temendo que apenas um pequeno nº se manifeste.

Anônimo disse...

CEL PAUL,ANDAM ALARDEANDO NOS BLOGS QUE NOS É VEDADO O DIREITO DE FAZER GREVE.SEGUNDO O ARTIGO 142 DA COSTITUIÇÃO AS FORÇAS ARMADAS SIM,É VEDADO O DIREITO DE GREVE. E JÁ FOI FALADO AQUI E EM OUTROS BLOGS QUE TEMOS O DIREITO DE FAZER GREVE SIM,DESARMADOS, PACIFICOS E POR DIGNIDADE SALARIAL E MANTENDO UM NUMERO DE EFETIVO NOS SERVIÇOS EXENCIAL. POR FAVOR DIVULGUEM ISSO DE UMA MANEIRA CLARA E EM POUCAS "PALAVRAS", PARA QUE POSSAMOS DAR INICIO A NOSSA MOBILIZAÇÃO JUNTOS COM OS BOMBEIROS. PMERJ E CBMRJ JUNTOS E UNIDOS NINGUEM NOS DERROTA!!NÃO AGUENTAMOS MAIS ESSE SALARIO DE FOME! CONTO COM A SUA COLABORAÇÃIO CEL PAUL. DIVULGUE NOSSOS DIREITOS À GREVE.

Anônimo disse...

Infelizmente não existe levante, revolta ou motim sem um mártir. Assim ocorreu em MG(em várias épocas), na BA, no MA, CE, ES e outros estados ainda em curso. "Comitê gestor" é um nome bonito, mas não é próativo, tampouco célere. A situação é mais emergencial que isso. A época de "comissão gestora" ficou lá em 2008; agora é a força bruta, das massas. E é assim que vai ser, independente da sua aprovação ou reprovação.
É pra quebrar o desgoverno do pinóquio mesmo!
JSF

Anônimo disse...

eu não tenho cagaço de enfrentar a pior escória da sociedade, à noite, nos becos e vielas. Por que vou temer um bando de oficiais cagões e barrigudos e uma corja de políticos safados e corruptos? Minha família é o que importa e ela está passando necessidades. Meu Natal foi uma miséria, o Ano Novo foi mais Velho que há 10 anos atrás. Medo do que? De perder 1.200,00? Faz-me rir... ganho mais que isso com uma carrocinha de "podrão" na praça.
JSF

Paulo Ricardo Paúl disse...

Grato pelso comentários.
Leiam os próximos artigos.
Juntos Somos Fortes!

Anônimo disse...

A PM do Rio jamais fará greve!(E o Sr sabe disso)

439 disse...

GREVE NA PMERJ! A Tropa Elegeu o Seu Lider, CB PM Gurgel.

A imagem é forte: um policial militar preso, com as mãos para trás e algemadas. Do outro lado das grades, a família assiste à cena de cabeça baixa. A Polícia Militar começou na sexta-feira a espalhar cartazes pelos 39 quartéis da corporação do estado, com essa foto e a pergunta: “Você quer ser herói ou vergonha de sua família?". Segundo o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Erir Ribeiro da Costa Filho, a finalidade da mensagem é justamente mexer com os brios dos PMS.
Então, já que e para mexer com os brios da TROPA, nada mais justo do que uma GREVE para mexer também com os brios do Governo Estadual.
Faz tempo que eu ouço o clamor da TROPA por uma líder para as PRAÇAS, uma vez que no CBMERJ, tem o Cb. Daciolo, pois bem, na PMERJ também temos um Cb. chamado JOÃO CARLOS GURGEL. Agora esperamos uma atitude da parte das PRAÇAS, pois um líder não lidera uma GREVE sozinho.
Irmãos, companheiros de farda, todos apontam a solução, cada um com um pensamento diferente, mas a realidade é que tudo não passa de postagens por aqui, vamos nos unir verdadeiramente, principalmente BOTANDO A CARA, tem muito fake que vem aqui fala um monte de coisas, todos BRABOS, mas a VERDADE é que nem sabemos se ele é PM. Reunião para decidir os passos a serem adotados, para que nós possamos estar presentes e lá escolhermos a melhor opção, aqui, podemos até dizer que estamos em greve, mas, não passará de uma mera postagem. Dia, hora e local, quem está dentro? Abraços, Cb. Gurgel.

SGT RUFINNO disse...

Concordo com o amigo 439, devemos começar a nos mobilizar e fazermos reuniões e de maneira ordeira e pacifica, e após alegarmos nossa reinvindicações devemos encaminhar a CMT GERAL para que dentro de prazo plausível retorne com uma resposta do Sr. Governador, fazendo a coisa amparada pela constituição federal , e deixarmos de ter medo dos DECRETOS do GOVERNO ou mesmo do RDPM pois a constituição nos assegura o direito de se reunir e manifestar.

Anônimo disse...

TEMOS É QUE COMEÇAR A GREVE!!!
AÍ OS INDECISOS ADEREM E O CALDO ENGROSSA DE VEZ.

Um só faz os levantamentos das necessidades e reivindicações. E prepara um plano B para toda tentativa do governo de nos calar. O plano B resumisse apenas a NÂO ACEITO. Como fizeram os nossos irmão do Ceará. Pra cima deles poliçada!!!

SD PM

Paulo Ricardo Paúl disse...

Grato pelos comentários.
Juntos Somos Fortes!

Anônimo disse...

É difícil sim a PMERJ fazer greve ou qualquer outra manifestação por culpa da corrupção do arrego da submissão a oficiais sem escrúpulos, que que dão um equipamento branco nas mãos de alguns e os fazem recolhedores de propinas Ex.cada moto apreendida retorna R$ 15,00; multiplicado por 50 motos totaliza R$750,00 por dia. Um GAT médio recolhe R$2.000,00 por cabeça semanalmente. As RPs cada um tem seus padrinho. As companhias não fazem nada de gaveta fechada...vai ser difícil,mas eu estarei lá.