segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

O MUNDO SEM POLÍCIA - COMISSÁRIO AURÍLIO NASCIMENTO

JORNAL EXTRA - CASOS DE POLÍCIA:
O mundo sem polícia
Aurílio Nascimento
O canal de TV a cabo “History Channel” exibiu um excelente documentário, com o título “O mundo sem ninguém.” Quais as consequências e os desdobramentos da civilização, se acaso a humanidade desaparecesse? O que iria acontecer em uma hora, em uma semana, em meses, centenas e milhares de anos, caso o homem não mais existisse? O excelente documentário nos leva a reflexão, e por fim, demonstra nossa insignificância perante as forças da natureza. Ao refletir sobre vários episódios, nos quais a polícia é criticada e humilhada, especificamente sobre o mais recente, onde a quase aposentada cantora Rita Lee chama, durante um show em Aracaju, os policiais de “cachorros”, não esquecendo de generalizar a origem materna dos que ali se encontravam para cumprimento da lei, como sendo todos oriundos do baixo meretrício, imaginei como seria, assim como no documentário, um mundo sem polícia. O que aconteceria se, de uma hora para outra, todos os policiais desaparecessem?
Vamos nos ater ao Rio de Janeiro, em um mundo sem policia. Nas primeiras horas, não haveria muita diferença. As pessoas, aos poucos, iriam procurar a certeza de que realmente não mais existia a polícia. Os ricos demonstrariam um pouco de preocupação, ainda sem querer acreditar.
Uma semana sem polícia. Nesta primeira semana, a maioria das pessoas daria início a pequenas transgressões. Os sinais de trânsito não mais seriam respeitados. Os mais afoitos começam a entrar em lojas, restaurantes e supermercados, e de lá sairiam sem pagar. Não agiriam como ladrões, nervosos e correndo. Agiriam com calma e cinismo.
Um mês sem polícia. A Justiça faria uma reunião de emergência. O ponto principal a se discutir seria como viabilizar as decisões dos juízes, sejam prisões, reintegração de posse, ou qualquer cumprimento obrigatório de uma ordem judicial. Não chegaria a nenhuma conclusão, pelo simples fato de que não há mais a polícia para fazer cumprir a lei. Surge um mercado negro efervescente de venda de armas. Todos querem ter uma.
Seis meses sem polícia. Os homicídios multiplicam-se por dez. Os corpos permanecem nas ruas. Não há mais os bombeiros e nem peritos, e nem policiais para investigar. Almas ainda caridosas recolhem os corpos. Os políticos, antes detentores de um imenso poder, são caçados como galinhas gordas, e executados friamente. Alguns oferecem seus bens em troca da vida. Os presídios foram abertos, já que não mais existem guardas, e uma imensa horda de criminosos passa a vagar pelas ruas. As agências bancárias não mais funcionam, face ao grande número de roubos.
Um ano sem polícia. A cidade se torna um caos. Grupos armados passam a dominar ruas e bairros. O dinheiro deixa de circular pela inexistência dos bancos. Os ricos constroem apressadamente bunkers. Não há para onde fugir, pois em todo o mundo não há mais polícia.
Dois anos sem polícia. O comércio como no passado não mais existe. Volta-se ao escambo. A regularidade é o roubo, a extorsão e o homicídio.
Dez anos sem a polícia. A sociedade encontra-se totalmente esfacelada. Todos os sistemas de produção foram dizimados. A população foi reduzida em mais de quarenta por cento, e continua diminuindo face a imensa matança. Mata-se por qualquer motivo, desde uma antiga desavença até mesmo porque não se gostou da forma como o outro nos olhou. Os grupos que se formam tornam-se mais poderosos pela força, expandem seus domínios, e passam a sequestrar e escravizar pessoas, principalmente mulheres. Os homens são obrigados a trabalhos forçados.
Vinte anos sem a polícia. Os limites geográficos antes conhecidos como cidades e bairros não mais existem. Foram reordenados pelos grupos que impuseram seus domínios, e receberam nova denominação. Água, comida e agasalho serão acessíveis apenas aos que possam conseguir pela violência. Os mais fracos mendigam. As mansões e os prédios de luxo foram tomados dos mais ricos. Bandos de vândalos e saqueadores perambulam pela noite, matando, roubando e destruindo. O consumo de drogas é afinal totalmente liberado. A cultura e a produção literária deixaram de existir em dez anos no mundo sem polícia. Os mais novos não aprenderam nem a ler. Aliada aos homicídios generalizados, as doenças matam ainda mais. Não se produz nenhum tipo de remédio, exceto os caseiros. A sociedade como a conhecíamos, com uma policia tentando manter a lei e a ordem, acabou. Prevalece a barbárie, a lei do mais forte. A existência do homem aproxima-se do fim.
No túmulo, a cantora Rita Lee, que dezenas de anos antes chamou os policiais de cachorros e filhos de prostituta, chora ao saber da desgraça, e pede desculpas. Mas agora é tarde. No mundo sem polícia, a sociedade acabou.
Comento:
Excelente!
Juntos Somos Fortes!

16 comentários:

Anônimo disse...

30/01/2012 15:17
EXCLUSIVO! Cabral joga dinheiro público no lixo

Reprodução so site da revista de política internacional Foreign Affairs, dos Estados Unidos, que traz anúncio patrocinado por Cabral

Só o regime diferenciado que existe no Rio de Janeiro e que proporciona a anarquia e a roubalheira generalizada, explica esse absurdo inconcebível. Para quem não sabe a revista norte-americana “Foreign Affairs” é uma publicação mensal que analisa a política internacional. Reparem as manchetes do site que falam da Al Qaeda no Irã e da política externa de Barack Obama. Pois, Cabral torrou uma grana pesada para patrocinar a revista e o site da “Foreign Affairs”. Na edição impressa saiu um anúncio de duas páginas coloridas. E no site pasmem, tem um banner do Governo do Estado que quando se clica nele abre a página da assessoria de comunicação social de Cabral, com o detalhe importantíssimo, em português e sem opção de tradução para o inglês. Qualquer publicitário sabe que isso é um erro primário. É dinheiro jogado na lata do lixo. E não sei quanto custou, mas barato não foi. Para o que serve? Para nada, a não ser algum negócio escuso de Cabral. Só não venha inventar outra historinha e dizer que é para divulgar o Rio de Janeiro, porque isso é impossível de acontecer, afinal poucos americanos falam português.

http://www.blogdogarotinho.com.br/lartigo.aspx?id=10024

Anônimo disse...

Os militares das Forças Armadas não deixaram isso acontecer. "Adsumus"

Anônimo disse...

O teve gente que não entende.
O texto se refere a todo tipo de "agentes da lei", incluído policia, bombeiro e Forças Armadas.


Perfeito texto!

Anônimo disse...

Seria ótimo somente por um motivo: "os políticos seriam caçados como galinhas gordas"!

De Lima disse...

Um texto de excelência, mostra como ficara o Rio com apenas um dia de paralisação.

Anônimo disse...

CONSELHO A CABRAL

Sergio Cabral diante da Prefeitura de Paris - e sem as mãos!
(***)

Por pouco uma tragédia não surpreende o governador Sérgio Cabral fora do Estado ou do país.

Cabral voou a Paris no dia 19, retornando no dia 24, véspera da queda de três prédios no centro do Rio.

A pergunta que não quer calar: por que Cabral viaja tanto ao exterior? E por que a maioria de suas viagens quase sempre é cercada de mistério?

Não, Cabral não tem o dom de abortar tragédias com a sua simples presença. Dele não se cobraria tamanho prodígio.

De resto, manual algum recomenda que o bom governante esteja sempre por perto quando ocorrer uma tragédia. Ou que visite de imediato o local onde ainda há mortos e feridos.

Lula fazia questão de manter distância de desastres de qualquer porte. Não pôs os pés, por exemplo, em São Paulo quando ali se espatifou no dia 17 de julho de 2007 o Airbus A-320 da TAM, matando as 187 pessoas que transportava e mais 12 em solo. Na ocasião, o Comandante da Aeronáutica foi a São Paulo representando Lula.

Eis a questão de fato mais relevante neste momento: em uma democracia, o cidadão tem o direito de saber o que fazem com o seu dinheiro recolhido por meio de impostos.

É uma fatia desse dinheiro que paga os frequentes deslocamentos de Cabral e de sua comitiva. Logo, tudo que tenha a ver com o assunto nos interessa. Ou deveria interessar.

Se Cabral viaja ou viajou de graça à custa de empresários amigos, isso também importa – e como!

É direito de o cidadão conhecer todos os aspectos do comportamento dos seus governantes para poder avaliá-los e fazer suas escolhas. O homem público não tem vida privada, sinto muito. Se quiser ter que abdique da condição de homem público.

A deputada Clarissa Garotinho (PR) pediu à Assembleia Legislativa do Rio que levantasse todas as informações pertinentes às viagens de Cabral. Queria saber quantas vezes ele viajou desde que se elegeu governador; na companhia de quem; se em voo comercial ou particular; e os custos de cada viagem.

O pedido da deputada foi recusado por Paulo Melo (PMDB), presidente da Assembléia e aliado de Cabral, sob o pretexto de que o assunto é da órbita federal.

Então o deputado Garotinho fez pedido idêntico à Câmara dos Deputados. Rose de Freitas (PMDB-ES), vice-presidente, recusou o pedido. Decretou que o assunto é da órbita estadual.

Não é.

Na verdade, quem pode dispor das informações requisitadas por Garotinho filha e pai é a Polícia Federal e a Secretaria de Aviação Civil da presidência da República. À Secretaria se vinculam a Agência Nacional de Aviação Civil e a Infraero, que administra os 66 aeroportos brasileiros.

Garotinho recorreu da decisão de Rose à direção da Câmara, mas perdeu. Apelou à Justiça.

Seu apelo, hoje, repousa empoeirado à sombra de alguma toga.

Uma sugestão: por que Cabral não abre espontaneamente a caixa preta de suas viagens para mostrar que nada de podre se esconde ali?

Somente em uma democracia de fachada - ou uma democracia capenga - um governante pode esconder dos governados informações sobre suas viagens ao exterior e a outros Estados.

Fonte:
http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2012/01/30/conselho-cabral-428970.asp

Anônimo disse...

SEGUNDA-FEIRA, 30 DE JANEIRO DE 2012

ESTAMOS EM LONDRES!! FINANTIAL TIMES!
Rio polícia para FT: estamos "vivendo em crise"

30 de janeiro de 2012 04:29 pm por Jonathan Wheatley

People visiting Rio de Janeiro for its fabulous Carnaval have always had to step carefully to avoid getting their pockets picked, or worse.
This year avoiding trouble will be a lot harder if police officers and fire fighters deliver on a threat to go on strike during the celebrations. In a letter to the FT – prompted by a beyondbrics report last week on the collapse of three buildings – the police union says public security in Rio de Janeiro is “living in crisis”
An estimated 20,000 police officers, fire fighters and their supporters held a rally on Copacabana beach on Sunday to protest what unions say are the lowest police and fire service salaries in the country.

GREVE DA SEGURANÇA PÚBLICA É NOTÍCIA EM SITE INTERNACIONAL
SITE: BEYOUNDBRICS

TRADUÇÃO:

Pessoas que visitam o Rio de Janeiro para a sua fabulosa festa de Carnaval sempre tiveram cuidado para evitar o pior.

Este ano, evitar os problemas será muito mais difícil se os policiais e bombeiros cumprirem a ameaça de entrar em greve durante as celebrações. Em uma carta ao FT - com relatório sobre o colapso de três edifícios- o sindicato da polícia diz que a segurança pública no Rio de Janeiro "está em crise".
...Mais um trecho:
Estima-se que 20 mil policiais, bombeiros e seus simpatizantes realizaram uma manifestação na praia de Copacabana no domingo para protestar contra o que os sindicatos dizem que são os mais baixos salários da polícia e bombeiros no país.
Policiais e bombeiros são os que pedem ajuda, agora. Esses funcionários têm que preencher seu tempo livre com trabalhos extra, para proporcionar melhores condições de vida para suas famílias. Eles ganham os piores saláriosem todo o país, fato ignorado por Sérgio Cabral, atual governador do Rio de Janeiro.

Fonte:
http://www.sosguardavidas.com/2012/01/estamos-em-londres-finantial-times.html

SGT PM 35.000 disse...

RESPOSTA PARA O ANÔNIMO DE 19:23.

QUANDO SE FALA EM POLICIA REFERE-SE A TODA SEGURANÇA DO PAÍS... OU SEJA.

FORÇAS ARMADAS E POLICIA FEDERAL. POLICIAIS MILITARES,POLICIAIS CIVIS, BOMBEIROS E POLICIAIS JUDICIÁRIOS. ENTENDEU.

Anônimo disse...

Amigo, vc escreveu muito bem, mas tudo isso já vimos aqui no complexo do alemão e outros que o cabral diz que pacificou. Todos foram mundos sem polícia, onde o caos se implantou. PORTANTO, ELES SABEM A IMPOTÂNCIA QUE TEMOS, MAS, MESMO ASSIM, nunca nos deram valor. Lamentável!

SD PM KATAKUMBA

Anônimo disse...

Foi uma grande digressão. Pura ficção, apesar de sabermos muito bem as consequências funestas (reais) iniciais da ausência de polícia, como ocorreu na Bahia. A persistir, certamente uma solução seria dada como acima um comentário sugeriu, não sem um grande ônus para a sociedade (alguns irreparáveis). Não se sabe, entretanto, por quanto tempo aguentariam a carga e com que desenvoltura porque, necessário dizer, as pessoas em geral não conhecem 5% do que fazem as polícias e policiais; acham que é fácil, simples e tendem a imaginar que qualquer um pode fazer o serviço e o planejamento deste com meia hora de treinamento.
Aproveito o gancho do artigo para dizer que a Rita Lee exemplificou essa ideia. Não sabe nada de polícia, nada de Lei, tampouco de cidadania e, com o poder de um microfone na mão, demonstrou todo o seu potencial discriminatório, egoísta e insano. Não? Explico: Os policiais não fazem as leis. Numa sociedade democrática, os policiais zelam pelo cumprimento das leis editadas pelos representantes do povo. Ora, não é falta de cidadania, ignorância e egoísmo exigir que policiais não cumpram a lei dado que é o "seu" show?
Que faça então a acusação diretamente às autoridades responsáveis pelas leis, tentando mudá-las, não aos policiais.
Não é discriminação, preconceito, chamar de "cachorros - coitados dos cachorros - e fdp" esses trabalhadores policiais? Por que nunca chamou em sua vida profissional os traficantes disso?
Quem é pernicioso à sociedade, quem é responsável pelas mazelas das cracolândias, policiais ou traficantes?
Na TV hoje a noite disseram que Rita Lee encerrou a carreira da forma como começou: polêmica.
Discordo. Encerrou de forma melancólica. E só não encerrou no meio de pancadaria, presa na frente de sua plateia, pela sensatez dos mesmos policiais que desacatara, do palco de sua insanidade a insuflar a massa contra aqueles que ali estavam não por prazer, mas a serviço.
Infelizmente não terei os mesmos ouvidos, daqui para a frente, quando escutar “Meu doce vampiro”, “Papai me empresta o carro”, “Mania de você”, dentre outras canções sob medida para a cantora. Inevitável será lembrar da boca suja de uma senhora de 67 anos, possivelmente sob efeito do baseado que defendia e incentivava o público a curtir. Tô fora, Rita. Curtam os espertos, esclarecidos ou “cults”, como você.
Quisque canis lambit poterentur

Anônimo disse...

Grand etexto, retrata a mais pura realidade, so irão perceber nosso valor quando não estivermos mais aqui. e esta ........ da rita lee, vai ficar no zero a zero?

Anônimo disse...

ATENÇÃO BRASIL!!! EM VIRTUDE DOS ÚLTIMOS ACONTECIMENTOS OCORRIDOS NO RIO DE JANEIRO QUE ESTÃO NAS PRIMEIRAS PÁGINAS DOS PRINCIPAIS JORNAIS DO MUNDO O PRESIDENTE DA FIFA JOSEPH BLATTER DETERMINOU QUE SEJA FORMADO UM GRUPO DE TRABALHO COM O OBJETIVO DE PLANEJAR A RETIRADA DA COPA 2014 DO BRASIL

Anônimo disse...

CONFIRMADO!!! ATENDENDO DETERMINAÇÃO DO PRESIDENTE DA FIFA JOSEPH BLATTER SERÁ CRIADO UM GRUPO DE TRABALHO PARA RETIRAR DO BRASIL O DIREITO DE SEDIAR A COPA DE 2014 CONSIDERANDO O GRANDE ATRASO DAS OBRAS,A DEFICIENTE INFRAESTRUTURA DO RIO PARA A REALIZAÇÃO DO EVENTO E O COLAPSO TOTAL DA SEGURANÇA PÚBLICA ESTADUAL QUE ESTÁ PARA ACONTECER.

Ricardo Oscar vilete Chudo disse...

O mundo sem polícia é utopia, já que decreta o fim da civilização como conhecemos. Mas deixa uma mensagem das consequencia que podem advir de uma possível greve, principalmente num estado como o Rio de Janeiro.

Anônimo disse...

Esse subsídio que se tem falado entre a liderança deve ser bem esmiuçada e entendida por todos para que não troque-mos 6 por meia dúzia e para que futuramente não tenha-mos decepções . Todos serão beneficiados, inclusive os inativos e as pensionista ? para tratar com essa raposa velha e seus auxiliares ,e um olho no padre e outro na missa . Alguns anos atrás o ex governador Moreira Franco ,no final do seu governo assinou a equiparação salarial com as forças armadas , entrou o governador Brizola na 2ª vez que governou o Estado e disse que não teria como pagar a isonomia e ponto final, quem é mais antigo recorda-se disso ,maior palhaçada foi a divulgação dessa tal isonomia. Por isso todo o cuidado ainda é muito pouco, muta atenção lideranças , não deem espaço para essas raposas astutas ,sentem com especialista nesses assuntos e busquem aquilo que beneficiem a todos, muita atenção.

Anônimo disse...

ACABA COM A PECÚNIA DE TODO MUNDO E NIVELA O SALÁRIO DE TODOS....BOMBEIRO E PM QUE MERECIA PECÚNIA FORAM BOLEADOS PELOS PEIXES....A MAIORIA QUE TEM PECÚNIA NÃO MERECIA...E OS MESMOS NUNCA PARTICIPARAM DOS MOVIMENTOS....ISSO É UMA INJUSTIÇA!!!....MUITOS QUE MERECIAM NÃO GANHARAM PECÚNIA...TIRA A PECÚNIA E NIVELA TODO MUNDO....UM MONTE DE SGT FROUXO GANHANDO IGUAL OU MELHOR QUE CORONEL.....E OFICIAIS GANHANDO O TETO DO GOVERNADOR....SERIA A MELHOR FORMA DE SOLUCIONAR AS DIFERENÇAS (QUE SÃO MUITAS)...MUITOS QUE COMPRARAM DIVISAS, POSTO E GRATIFICAÇÕES E HOJE RECEBEM SALÁRIOS MUITO SUPERIORES A SEUS PARES. AÍ SIM SERÁ FEITO JUSTIÇA...