quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

MARANHÃO: POLICIAIS MILITARES, POLICIAIS CIVIS E BOMBEIROS MILITARES PARADOS.

JORNAL DE HOJE.
O movimento atinge cerca de 40% do efetivo, incluindo policiais e bombeiros. Reivindicam aumento salarial e plano de cargos e carreiras.
Os policiais civis do Maranhão decidiram aderir à greve iniciada na semana passada por bombeiros e policiais militares do Estado. Em assembleia na noite de segunda-feira, o sindicato da categoria decidiu pela paralisação imediata das atividades.
Os policiais civis reivindicam aumento salarial e melhoria no plano de cargos e carreiras. Os policiais militares e bombeiros pararam por tempo indeterminado após assembleia na noite de quarta-feira, dia 23.
O movimento atinge cerca de 40% do efetivo de sete mil pessoas, incluindo policiais e bombeiros, principalmente na região de Imperatriz, no Oeste do Estado. Os militares pleiteiam aumento de 30% no salário, e os delegados de Polícia querem melhorias no plano de cargos e salários.
A Justiça maranhense decidiu que greve de policiais militares é ilegal. O Governo estadual pediu apoio da Força Nacional de Segurança Pública para garantir a proteção da população e tropas estão nas principais cidades do Maranhão.
Em nota divulgada na semana passada, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) estadual informou que “sempre esteve aberta ao diálogo” e que “uma comprovação disso é que durante o processo de conversação com policiais e bombeiros militares, diversos avanços foram obtidos pelas categorias”.
A pasta declarou que “um estudo está sendo concluído objetivando o realinhamento salarial dos servidores públicos estaduais ativos e inativos, contemplando também os policiais militares”.
De acordo com a SSP, o “ PM do Maranhão recebe o sétimo salário no ranking nacional, no valor de R$ 2.028, sendo maior que a remuneração percebida no Rio de Janeiro, que é de R$ 1.137,49; e no Rio Grande do Sul, que é R$ 996.
A Força Nacional já está operando em São Luís e Imperatriz, além de outras cidades do interior do Maranhão. A SSP afirma que estão sendo empregados todos os esforços para garantir que a população não seja penalizada (sic)”, conclui a pasta na nota. (das agências de notícias)
E agora
ENTENDA A NOTÍCIA
Com a decretação da greve a governadora Roseana Sarney (PMDB) conseguiu o reforço de mais mil soldados do Exército, dois blindados Urutu e dois helicópteros Pantera para fazer o policiamento das principais cidades do estado.
Comento:
A pressão exercida por toda área da segurança pública é muito forte no Maranhão.
Destaco que o piso do Maranhão é superior à pretensão salarial dos Bombeiros Militares do Rio de Janeiro (piso = R$ 2 mil) e 50% maior que o salário recebido pelos Soldados da PMERJ e do CBMERJ (R$ 1,2 mil). No Rio, os Bombeiros continuam mobilizados, embora não realizem atos públicos e ameaçam o governo estadual que acusam de ignorá-los, conforme o contido no artigo anterior. Os Policiais Civis continuam realizando a Operação Cumpra-se a Lei, conforme o site do SINDPOL (acesse) e os Policiais Militares, ativos e inativos, Oficiais e Praças, estão plenamente satisfeitos com seus salários, afinal, recebem os piores salários pagaos para a categoria no Brasil, mas isso não tem importância.
Juntos Somos Fortes!

2 comentários:

SGT MARCUS SALDANHA disse...

Claro a PM do RJ não é emprego e sim Bico, por isso esta essa bagunça, o governo finge que paga, o policial finge que trabalha e a corrupção corre solta. Em tempo gostaria de saber por quê o atual Governador que tem como assessor para área de seg.pubblica, ó escritório do ex-prefeito da cidade de NY EUA, não cópia dele a tolerância em todo, inclussive no que tange a REMUNERAÇÃO dos POLICIAIS. pois no mais so cobrança é muito MOLE. Um forte Abraço.

Paulo Ricardo Paúl disse...

Grato pelo comentário.
Juntos Somos Fortes!