quinta-feira, 19 de maio de 2011

BOMBEIROS MILITARES - MOBILIZAÇÃO - CESAR MAIA.

EX-BLOG DO CESAR MAIA
AS RAZÕES DA CRISE NO CORPO DE BOMBEIROS DO ESTADO DO RIO!
1. Ninguém tem dúvida dos problemas de remuneração do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar do Estado do Rio.
A questão remuneratória é básica no conjunto de elementos que a teoria da administração chama de Satisfação.
A Insatisfação é geral.
2. Mas há um vetor matriz que explica a crise no Corpo de Bombeiros núcleo central da Defesa Civil.
Há um desvio de função da própria corporação.
O deslocamento do Corpo de Bombeiros para uma Subsecretaria da Secretaria Estadual de Saúde é algo nunca visto em nenhum lugar do mundo.
3. A decisão, tomada no início dos anos 80, de entregar ao Corpo de Bombeiros os serviços públicos de ambulância relativos aos acidentes de trânsito justificava-se por integrar o escopo da Defesa Civil em áreas públicas de uso coletivo.
Mas a centralidade do Corpo de Bombeiros na Defesa Civil não foi afetada.
Esta foi elevada a condição de Secretaria de Estado.
4. No entanto, a partir do governo do PMDB, em 2007, a extinção da Secretaria de Defesa Civil e a localização do Corpo de Bombeiros como subsecretaria da secretaria de saúde teve como objetivo suprir a falta de pessoal nos postos de saúde - UPAs ... - e até hospitais.
E uso -proibido por lei- em funções administrativas de hospitais.
Suprir com Bombeiros Militares funções ambulatoriais tinha por trás a idéia de que isso reduziria as faltas pela punição prevista no regulamento dos mesmos.
5. Abriram-se concursos e pelo menos 5 mil oficiais e suboficiais, médicos e enfermeiros foram contratados.
Mas o truque não deu certo e a evasão se deu em proporções enormes e crescentes.
Mas o desvio de função corporativa afetou a identidade da própria Corporação.
E a autoestima desabou.
Os 'Combatentes' se sentiram diminuídos.
Para se ter uma idéia da gravidade dos fatos, excluindo o cargo de coronel, praticamente 2/3 dos Oficiais do Corpo de Bombeiros passaram a ser profissionais de saúde no início de 2010.
6. O governo do Estado do Rio oculta os números, como a proporção de oficiais e suboficiais fora da Defesa Civil, e o volume de evasões.
A Instituição de Defesa Civil, como tal, sofreu um desmonte.
E isso afeta suas funções precípuas.
O inchamento da Corporação, ampliando-se fora da Defesa Civil em quase 30% seu efetivo, cria mais inflexibilidades salariais.
7. Por décadas, o Corpo de Bombeiros foi a instituição pública mais apreciada pelos cariocas.
E as pesquisas mostravam isso.
Seu profissionalismo levou os governadores a terem sempre como uma força de pronta ação nas emergências.
Isso está acabando, e por responsabilidade do atual governo do Estado.
8. Há uma solução e imediata.
Começar pelo reestabelecimento da Secretaria de Defesa Civil e transferir o Corpo de Bombeiros da Secretaria de Saúde.
Não há nada mais urgente e fundamental para se começar a enfrentar esta crise.
COMENTO:
Uma análise oportuna e coerente.
A tentativa de resolver os problemas relacionados com os recursos humanos na área da saúde pública, empregando os Bombeiros Militares em evidente desvio funcional, fracassou por completo e ainda se mantém de forma atabalhoada apenas em face da distribuição de excelentes gratificações para os Oficiais médicos, o que subverte a hierarquia, considerando que esses Tenentes ganham mais que Coronéis combatentes.
A crise no Corpo de Bombeiros está muito longe de ser superada, algo que só acontecerá com o atendimento dos pleitos da tropa, que ninguém duvide dessa realaidade.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
PROFESSOR E CORONEL
Ex-CORREGEDOR INTERNO

7 comentários:

Anônimo disse...

Cabral desrespeita a lei

De acordo com o Inciso I do Artigo 92 da Constituição do Estado do Rio de Janeiro, o governante, o administrador público, não pode pagar um SOLDO inferior ao SALÁRIO MÍNIMO vigente aos Militares Estaduais.

Cidadão, que Polícia Militar é essa que desrespeita os direitos básicos de seus homens?

O Salário Mínimo Necessário estipulado pelo DIEESE em Abril/2011 é de R$ 2.255,84 (dois mil, duzentos e cinquenta e cinco reais e oitenta e quatro centavos), conforme preceitua a Carta Magna no Artigo 7º, inciso IV.

http://www.dieese.org.br/rel/rac/salminMenu09-05.xml

Enquanto isso, o SALÁRIO DO SOLDADO DA PMERJ OU CBMERJ é a bagatela de R$ 1.031,38 (mil e trinta e um reais e trinta e oito centavos). Um absurdo!!!


O 202º aniversário da PMERJ transcorreu em silêncio, um 13 de maio mudo, algo aceitável para uma Instituição que amarga a sua pior fase na história bicentenária.

A postura populista de Sérgio Cabral é própria dos políticos sem conteúdo e, acima de tudo, sem realizações, os quais buscam obter votos através do jogo de palavras para agradar grupos numericamente expressivos.

Em mais de quatro anos de (des)governo, Sérgio Cabral não conseguiu nenhum avanço na educação, na saúde e na segurança públicas (áreas essenciais).

O ESTADO DO RIO DE JANEIRO, possuidor do maior PIB per capta da região sudeste e da segunda maior arrecadação de impostos no país, segundo o IBGE, paga aos seus militares o PIOR SALÁRIO DO BRASIL!

Anônimo disse...

Nenhum trabalhador pode receber menos que o salário mínimo

O soldo é o salário do militar, pois é o valor pago como contraprestação dos serviços prestados pelo mesmo.
Remuneração é o conjunto de vantagens habitualmente atribuídas aos empregados, em contrapartida de serviços ao empregador, em quantia suficiente para satisfazer as necessidades próprias e da família.

Equiparação do SOLDO ao Salário Mínimo é obrigação! Com o reajuste do salário mínimo, o SOLDO do militar estadual também precisa ser reajustado, para não ficar ainda mais defasado.

Menor SOLDO deveria ser: R$ 545,00
Em Dólar (valor mínimo): US$ 313.22
Em Euro (aproximadamente): € 233.56
Menor vencimento seria: R$ 2.255,84*

* Salário Necessário (média do período segundo o DIEESE)

Anônimo disse...

Esqueceu de falar que esta bagunça começou no governo do garotinho quando Cel paulo inchou a Corporação com a criação do Programa de Saúde na Escola.
Muitos combatentes se beneficiaram colocando familiares para dentro através da Saúde. Quando Pinochio assumiu o CBMERJ já estava branco.
Agora choram...

Anônimo disse...

PROGRAMA ESTADUAL DE INTEGRAÇÃO NA SEGURANÇA - PROEIS

R$ 150,00 (cento e cinquenta reais) por turno adicional realizado por Praças e Graduados e R$ 175,00 (cento e setenta e cinco reais) por turno adicional realizado por Oficiais é muito pouco! Deveria ser no mínimo o dobro (R$ 300,00 para Praças e Graduados e R$ 350,00 para Oficiais) e com 02 (duas) horas a menos, ou seja, turno adicional de 06 (seis) horas.

A FOLGA É PARA DESCANSAR, NÃO PARA TRABALHAR! SE FOR PARA O PM FAZER HORA EXTRA, O GOVERNO DO ESTADO TEM QUE PAGAR MUITO MAIS!

Paulo Ricardo Paúl disse...

Grato pelos comentários.
Juntos Somos Fortes!

brigadaluz disse...

Essa de BM praça esta se preocupando com qual Secretaria o CBMERj fica e conversa Cel Paúl BM quer é justiça e reconhecimento salários digno, plano de carreira mais justo. Respeito do Governador com a classe. A defesa Civil esta muito bem tem muita gente comendo nesse prato sem fundo seja no estado seja nos município nada mudou com a ida da Secretária para Saúde. O fundo não trocou de mão deu para entender.

brigadaluz disse...

"Mas o desvio de função corporativa afetou a identidade da própria Corporação.
E a autoestima desabou.
Os 'Combatentes' se sentiram diminuídos." Os combatente Oficiais Superiores e alguns abastados subalterno e intermediário. Isso é bravata pura. Com a Saúde foi a maior festa de cargos. Antes era nas prefeituras com a Defesa Civil agora é na Saúde. Tudo conversa o CBMERJ continuou na mesma não cai nesse papo. internamente o Secretário não pia em nada quem atrasou geral os curso as mudanças da lei que dariam vantagem para os praças foi os Cel BM administradores. Pergunta ao Paulo ramos, ao Wagner Monte quem foi la e atrasou o novo Estatuto se foi o Sergios Cortez e Cabral. Quem pisou no freio das vantagens para praças foi o Cmte Geral e chefe do Estado Maior Cel José Paula e o siêncio do Cel Marcos Silva no outro Comando. Atrasavam tudo e os BM ficaram no desespero, muitos foram para reserva prejudicados cansaram de esperar as promoções as melhorias.