sexta-feira, 9 de setembro de 2011

FONTES SEGURAS AFIRMAM QUE PF AMEAÇA INVESTIGAR FIGURÕES DO GOVERNO SE NÃO TIVER AUMENTO DE SALÁRIO.

BLOG DO RVCHUDO:
sexta-feira, 9 de setembro de 2011
Fontes seguras afirmam que PF ameaça investigar figurões do Governo se não tiver aumento de salário.
Sem reajuste à vista , PF ameaça.
Setembro/2010 - CORREIO BRAZILIENSE -
O Ministério do Planejamento encerrou as negociações com delegados e agentes e nenhum reajuste foi proposto. Essa negativa acirrou os ânimos das duas categorias da PF, que estão se sentindo desprestigiadas pelo Palácio do Planalto. Muitos sindicalistas acreditam que uma greve será ineficaz, mas apostam na intensificação das operações contra a corrupção, causando constrangimento a autoridades das 3 esferas de Poder.

Governo rechaça aumentos a policiais federais e categoria pode fazer greve e ações contra integrantes da República - Executivo, Legislativo e Judiciário, principalmente a um governador da região sudeste sabidamente envolvido com corrupção bilionária, macomunado com empreiteiros "trilhardários". Esse tal governadsor está desprestigiado por seu partido político (PMDB) devido às constantes brigas que trava com o funcionalismo público fluminense, devido a salários vis que paga, encabeçando a lista dos insatisfeitos: professores e agentes de saúde, animados pelos Bombeiros-Militares, que acampam a meses na Assembléia Legislativa Estadual, devido ao salário pago ser o mais baixo do Brasil à essa categoria, e após o episódio lamentável de prisão arbitrária sofrida que comoveu o país, com ataque da tropa de elite do governo - o "BOFE" - à mais de 1.000 bombeiros e familiares (esposas e crianças) que manifestavam-se dentro do QG dos "vermelhinhos".
O vigoroso não ao reajuste salarial que os dirigentes das associações de delegados e de agentes da Polícia Federal receberam do Ministério do Planejamento escancarou a crise de comando e de prestígio em que a instituição está mergulhada. Depois de pelo menos cinco reuniões marcadas e canceladas pelo governo (no melhor estilo do vencer pelo cansaço) em um mês, o secretário de Recursos Humanos do Planejamento, Duvanier Ferreira, encerrou as negociações, fechando as portas para qualquer reajuste neste ano e em 2012 para a PF. O atual diretor-geral da PF, Leandro Daiello Coimbra, está em baixa no Palácio do Planalto e sua substituição é questão de tempo.
A avaliação da presidente Dilma Rousseff é de que a instituição está sem controle. Tanto que cogitou nomear um militar para a PF com a missão de botar ordem na casa. Ela expressou esse desejo no auge do desgaste gerado pela Operação Voucher, no início de agosto, que resultou na prisão de 36 pessoas, entre elas, o então secretário executivo do Ministério do Turismo, Frederico Costa da Silva. Pressionados pelos partidos aliados, a presidente e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, ao qual a PF está subordinada, pediram a punição de membros da corporação responsáveis pela exposição à mídia dos presos algemados. Cardozo também reclamou de não ter sido avisado da operação que tinha membros do alto escalão do Turismo na mira.
As ameaças de intervenção de Dilma se amplificaram na PF depois de o Planejamento se negar a conceder reajustes aos servidores. A negativa foi vista como uma falta de prestígio e de descaso do governo com a corporação. Maiores defensores desse ponto de vista, os delegados ameaçam fazer greve, mas a própria categoria avalia que os únicos que realmente podem fazer barulho e chamar a atenção são os agentes, ao parar as atividades nos já caóticos aeroportos brasileiros. Os mais radicais têm sugerido que a PF pressione o governo com o estouro de operações de investigação contra cabeças graúdas da República.
Ânimos exaltados
Em notas, a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) rebateu as críticas do governo ao uso das algemas nos presos da Operação Voucher. A entidade também reclamou dos cortes no orçamento do órgão e da falta de reajuste salarial. Tais posicionamentos só serviram para inflamar os ânimos no Planalto, que não se conforma com a afronta da corporação.
A análise do governo é de que, no meio da batalha declarada pelos servidores da PF, está a eleição para a direção da Associação dos Delegados, marcada para o fim deste ano. Ao não conseguir os reajustes para seus associados, a atual diretoria da entidade ficou sem bandeira para garantir um novo mandato. Depois de muita insistência, o ministro da Justiça recebeu as lideranças sindicais no último dia 29 e prometeu alguns afagos, como a gratificação para a fixação de policiais nas fronteiras e a reestruturação de funções administrativas, de impacto financeiro baixo. O que não agradou nada, pois não beneficiará a toda a PF e a política vil de gratificações que não incorporam aos salários e não se estendem aos inativos.
O Sindicato Nacional dos Delegados da PF (Sindepol) informou que a briga da entidade é pela instituição da Compensação Securitária por exercício de atividade de risco, prevista em proposta de emenda constitucional que tramita no Congresso, com a qual o governo já teria concordado em pagar.
Desprestígio é claro
A falta de interlocução entre a cúpula do governo e o diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Coimbra, não vem de hoje. Em fevereiro último ele tentou e não conseguiu emplacar o delegado Sérgio Menezes para a Diretoria de Administração e Logística Policial, cargo estratégico na organização, pois dá suporte às operações deflagradas no país inteiro. Mas tanto o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, quanto a Casa Civil ignoraram o fato e não deram satisfação. O cargo está vago até hoje.
Concurso à vista
A Polícia Federal deve abrir 500 vagas neste ano por meio de concurso público e outras 500 em 2012. Foi o que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, informou aos líderes sindicais. Ele não disse, porém, quantos postos serão destinados a delegados. A última seleção para a instituição foi em 2004. O curioso é que o ministro ouviu dos dirigentes sindicais que deveria ofertar poucas vagas para valorizar mais o cargo, a exemplo do que ocorre na magistratura e no Ministério Público.
Vem chumbo grosso por aí, porquê é sabido que inventaram a tal crise mundial (que NÃO se comprovou ser verídica em sua dimensão e que muito menos afetará o Brasil) como desculpa para desprestigiar, "com razão", a todas as categorias de funcionalismo público essenciais ao povo brasileiro. Já as autoridades maiores do Executivo, Legislativo e Judiciário se "auto-aumentam" a bel prazer, em índices astronômicos, em deboche aos demais trabalhadores públicos. Mas parece que isso terá um fim. Façam suas apostas. Quem viver verá.
Autor(es): » ANA D'ANGELO
Correio Braziliense - 06/09/2011
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
PROFESSOR E CORONEL
Ex-CORREGEDOR INTERNO

6 comentários:

Anônimo disse...

que bomba!!!!!

BOMBEIRO-MILITAR DO RIO DE JANEIRO disse...

O calendário Maia descreve o ano de 2012 como o fim. Alguns interpretam esse "fim" como o fim do mundo. Porém há os que vêem esse fatalismo como o fim de uma era e início de outra. Penso que o que está ocorrendo no mundo atualmente, é sim o fim de uma era... 2011, esse nosso ano, a população mundial está acordando e tentando dar um basta a todas as formas de ditadores, corrupção e desmandos dos governantes. Penso que em 2012 muita coisa ocorrerá, e nós brasileiros, mesmo que timidamente estamos acordando. Por isso, dia 20 de setembro de 2011 às 18 horas na Cinelândia é o grande dia no Rio de Janeiro para início da GRANDE "REVOLTA" DO POVO HONESTO E TRABALHADOR FLUMINENSE. Fora todos os corruptos das 3 esferas do poder: executivo-legislativo-judiciário (letras minúsculas aos lacaios do erário público). E como disse a repórter do Correio Braziliense - QUEM VIVER VERÁ - FORA AOS CORRUPTOS GOVERNANTES, PARA UMA VIDA DIGNA AOS DO POVO COM SEGURANÇA PÚBLICA, SAÚDE E EDUCAÇÃO DE QUALIDADES. DINHEIRO NÃO FALTA. DIA 20 DE SETEMBRO NOS ENCONTRAMOS ÁS 18 HORAS NOS ENCONTRAMOS NA CINELÂNDIA. FAÇA UM ESFORÇO E COMPAREÇA, POIS "O MAL TRIUNFA, PORQUÊ O BEM É TÍMIDO"

Anônimo disse...

é a hora,não dá mais aguentar calado tanta roubalheira,não é possível que você sofra tanto na pele os efeitos do descaso e da roubalheira e da falta de respeito e humanidade,não é possível que você veio ao mundo só para ser enganado e iludido e ver somente uma parte de "pessoas" egoístas terem o sabor da felicidade mesmo que ilegalmente,não é possível que viemos ao mundo para apanharmos e não reagirmos.Pensem bem,a nossa felicidade fará felizes também aqueles que dependem de nós,nossas famílias,nossas esposas,filhos.CHEGOU A HORA,DIA 20 DE SETEMBRO,VENHA PARTICIPAR DO DIA CONTRA A CORRUPÇÃO,PARA ESSA PÁGINA TRISTE E SUJA VIRAR PRECISAMOS DE VOCÊ.É VOCÊ,CIDADÃO QUE ACORDA CEDO PARA O TRABALHO,VOLTA TARDE CANSADO DE UM DIA DE BATALHA QUE ESTÁ SENDO TOLIDO DE TER DIGNIDADE NA VIDA POR UM SISTEMA TRAPACEIRO E CRUEL,QUE TEM QUE GRITAR E MUDAR A SUA ,A NOSSA HISTÓRIA,DIA 20 NA CINELÂNDIA,JESUS CRISTO ESTARÁ LÁ,OLHANDO POR NÓS,SERÁ O INÍCIO DA NOSSA VITÓRIA EM CRISTO.E FORA CABRAL.

Elmo Força disse...

Amigos do Rio e do Brasil, prestem bem atenção, no Ministério da Defesa, não coloca um Ministro Militar, coloca um Civil que talvez neunca foi Soldado, nunca dormiu em Barraca e bebeu de água de Cantil, não sabe o que é arma de fogo. Na Polícia Federal querem colocar como Diretor Geral, um Militar, que não sabe Investigar; Prender, sabe é atirar, concorda. Eu Elmo da Aeronáutica, sei pois já fui do Exército Brasileiro, em 1971, por 3 anos, e da Aeronáutica, por 25 anos. Tem que ser cada Macaco no seu galho, o que a Presidente Dilma quer mesmo é desprestigiar os Superiores: tanto das Força Armadas; quanto da Policia Federal. Não chega no Rio de Janeiro que o Governador trouxe do Sul um PF, será que no Rio não teria um PF capaz; um Polícia Civil; um Polícia Militar; um Bombeiro Militar. Será que ele sabia de alguma coisa? Concorda. Elmo da Aeronáutica, Secretário do FÓRUM UPPEC.

Marco Aurelio disse...

paul seje correto coloque o meu comentario marco aurelio vou cobrar na frente de pessoas

Paulo Ricardo Paúl disse...

Grato pelos comentários.
Marco Aurelio, por favor, faça o comentário novamente, pois não estou localizando.
Juntos Somos Fortes!