segunda-feira, 31 de maio de 2010

DESCORTINANDO OS VÉUS DE ÍSIS DAS UPAS - A VERDADE.

COMENTÁRIOS POSTADOS:
- 2ºTen BM Maia Santos (QOS - Enfermeiro) disse...
Enfim, o governo é desigual e explora sim os enfermeiros e técnicos de enfermagem. Eles alegam necessidade de serviço, mas como assim necessidade de serviço há mais de 2 anos? E o planejamento? E ainda há o fato de que há inúmeras determinações que mudam completamente de uma hora para outra !
Pois é, as desigualdades são essas:
Oficiais médicos, dentistas e farmacêuticos entram como 1º tenentes. Médicos com carga de 24h semanais.
Oficiais assistentes sociais, psicólogos e ENFERMEIROS entram com um posto menor sem nenhma razão ou justificativa (POR QUE ELA NÃO EXISTE !). Entramos como 2º tenente, ou seja, é desigual com relação aos outros.
Médicos ganham 2100 reais por 12h extras de plantão. Entretanto, médicos da regulação, que não estão na ponta (Ponta leia-se igual a upa e 1º GSE) também ganham
Técnicos de enfermagem, praças, ganham gratificação de 700 reais e são OBRIGADOS A FAZER 24x48 ! UM ABSURDO !
Condutores para fazer a mesma escala ganham 400 reais
Oficiais enfermeiros tem um das escalas mais apertadas 24X72 e NÃO GANHAM NENHUMA GRATIFICAÇÃO! SÓ SE FIZEREM 24X48! É DESUMANO!
Ambulâncias que quebram a todo instante.... sucatas de ambulâncias na TOESA, ambulâncias novas que já foram compradas há semanas... há mais de 2 meses e até agora não chegaram !
Sou Enfermeiro, oficial bombeiro de 2008 e estou cansado !!
31 de maio de 2010 15:26
2ºTen BM Maia Santos (QOS - Enfermeiro) disse...
- 2ºTen BM Maia Santos disse...
Técnicos de enfermagem e oficiais enfermeiros !
Nossa escala está 24X72 também enquanto que a dos médicos é 24h semanais ! Para eles fazerem 12h a mais por semana, ganham R$2100,00
Para oficiais enfermeiros ganharem uma gratificação de R$ 1500,00 precisamos fazer escala de 24X48h...
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

DIA DO COMISSÁRIO DE BORDO - 31 DE MAIO - PROTESTO NO RIO.


JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

VACAREZZA (PT), LÍDER DO GOVERNO NA CÂMARA

Cinelândia - Rio
01 ABR 2008
Príncipe+Roberto+Cleyde Prado+Ricardo Garcia+ Maria Christina

Quem ainda acredita no Vacarezza, que leia.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

O GLOBO NOTICIA QUE EVENTO VIROU CAMPANHA DE SÉRGIO CABRAL (PMDB).

O Globo online noticiou que a inauguração da UPA da Cidade de Deus, nesta segunda-feira, transformou-se em um evento de campanha pró-Cabral (leia). Isso é moda no Brasil dos nossos tristes dias, sobretudo quando Lula está presente, tudo vira campanha política.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

UPA: SEIS HORAS NA FILA.

COMENTÁRIO RECEBIDO:
"A farsa e a exploração dos enfermeiros-bombeiros das UPA's.
Deu no jornal Extra, coluna da Berenice Seara.
O desgovernador Sérgio Cabral vem explorando os enfermeiros-bombeiros que trabalham nas UPA's, conforme denúncia do Sindicato dos Enfermeiros.
Além dos problemas trabalhistas, foi constatado que há pouca gente para atender muitos pacientes, que chegam a esperar seis horas na fila, ou seja, onde está aquela "historinha" do desgovernador Sérgio Cabral de que as UPA's estavam revolucionando o atendimento médico ?
Mais uma vez eu digo, uma coisa é a mentira que o desgovernador Sérgio Cabral mostra ao povo através dessa imprensa vagabunda e vendida, outra, é a realidade, o que o povo vê, e sente nas ruas".
A gratificação das UPAs parece que anda atrasada...
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

POLICIAIS = BOMBAS AMBULANTES.

O GLOBO - CARTA DOS LEITORES:
Tenho avisado que os Policiais Militares são "bombas ambulantes" sujeitas a explodir a qualquer momento. Ninguém consegue TRABALHAR TODO DIA ( PMERJ + bico), sem descanso, sem lazer, sem convivência familiar, etc. O cansaço físico e o estresse emocional impedem o equilíbrio necessário para o desempenho da função, sobretudo, para o uso das armas de guerra (fuzis e pistolas).
A narrativa do cidadão comprova o "estado" do Policial Militar que fez a abordagem.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

A FACE DO DESCUMPRIMENTO DAS PROMESSAS DE SÉRGIO CABRAL: SALÁRIOS MISERÁVEIS.

REVISTA VEJA RIO - LEITORES:
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

ATO NA UERJ - ADIAMENTO.

Lembramos aos leitores que o ato previsto para ser realizado na UERJ, nesta segunda-feira, foi adiado em face da necessidade de comparecer ao Ministério Público e à Comissão de Direitos Humanos da ALERJ, para complementar comunicação feita em 09 FEV 2010, sobre o desrespeito ao previsto no Edital para o concurso do Curso de Formação de Soldados.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

PREZADOS LEITORES, BOM DIA!

"MAIOR QUE A TRISTEZA DE NÃO HAVER VENCIDO
É A VERGONHA DE NÃO TER LUTADO"
( Rui Barbosa )

JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

domingo, 30 de maio de 2010

AS UPPs E O VAZIO DE POLICIAMENTO NAS RUAS.

FOLHA DE SÃO PAULO:
O morador do Rio de Janeiro que circula à noite pelas ruas do Centro, Zona Norte, Zona Oeste e Baixada Fluminense conhece a dificuldade de encontrar o policiamento ostensivo da Polícia Militar distribuído pelas vias públicas.
Um vazio que facilita a prática de crimes.
O quadro publicado pelo jornal Folha de São Paulo, no dia 23 MAI 2010, com base em dados da secretaria de segurança, explica em parte essa anomalia, considerando que os efetivos disponiilizados para as UPPs é proporcionalmente absurdo com relação ao efetivo dos batalhões das áreas onde as UPPs foram implantadas.
Observem o caso do 19o BPM que tem o efetivo menor que o efetivo total das UPPs instaladas em sua área, assim como, o caso do 18o BPM, onde os efetivos são próximos, apesar de apenas uma UPP estar instalada em sua área.

As UPPs são positivas para quem mora nas comunidades atendidas, mas para a população como um todo, são um grande problema.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

RIO DE JANEIRO - SEGUNDA MARCHA DOS PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA PÚBLICA.

JORNAL EXTRA:
21 MAI 2010

Data: 11 JUN 2010.
Horário: 15:00 horas.
Concentração: Rua Irineu Marinho (em frente ao jornal O Globo).
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

RIO DE JANEIRO: A PENÚRIA DOS SERVIDORES DO ESTADO QUE TRABALHAM NA POLÍCIA MILITAR.

Na Polícia Militar trabalham vários funcionários do Estado do Rio de Janeiro, que exercem atividades administrativas em várias Organizações Policiais Militares.
Eu conheço várias funcionárias que trabalham no Quartel General e no Hospital Central da Polícia Militar, por exemplo, que enfrentam muitas dificuldades.
Os salários são vergonhosos, os reajustem inexistem.
O salário bruto é pouco superior a R$ 600,00.
A maioria têm uma série de empréstimos.
Não recebem RioCard e nem vale alimentação.
Parece que trabalhar na Polícia Militar é um martírio para todos e não só para os Policiais Militares.
Temos que lutar também por esses funcionários que tanto ajudam à Polícia Militar a cumprir as suas missões.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

MUSPE - MARCHA PARA O PALÁCIO GUANABARA.


O Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais (MUSPE) está programando uma marcha até o Palácio Guanabara, para o dia 17 de junho de 2010.
Amanhã, às 15:00 horas, será realizada uma reunião no IASERJ - Centro para que sejam acertados todos os detalhes do evento.
Divulguem e compareçam.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORONEL PAÚL

CONSELHO LUZ AZUL - TERCEIRA REUNIÃO - ELEIÇÕES 2010.


O Conselho Luz Azul realizou ontem a sua terceira reunião, dessa vez no auditório das Faculdades Simonsen, em Padre Miguel, Rio de Janeiro.
O objetivo é promover a eleição de Policiais Militares (Praças e Oficiais) para a ALERJ e a Câmara dos Deputados, transformando a corporação em uma força política. Iniciativas idênticas estão sendo desenvolvidas no CBMERJ, com o Projeto Sou Bombeiro, assim como, em vários estados brasileiros.
Vários pré-candidatos compareceram ao evento:
- ALERJ: Cb Gurgel; Sgt Gomes; Sgt Silva Nunes; Sgt Marinaldo Passos; Cap Freitas; Ten Cel Roberto e Cel Rabelo.
- Câmara dos Deputados: Maj Chaves e Cel Paúl.
O próximo encontro deverá ocorrer no dia 12 JUN 2010, em local a ser definido.
O nosso espaço está disponível para que os pré-candidatos que gravaram as suas falas possam divugá-las, bastando enviar o link do youtube.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

PROPAGANDA GOVERNAMENTAL: O NOSSO DINHEIRO JOGADO NO LIXO.

É hora de colocarmos um freio na denominada propaganda governamental. Travestida como uma "prestação de contas", na verdade essas ações são propagandas com fins eleitorais.
Tal prática começou timidamente no Brasil, mas cresceu de forma fantástica e sem nenhum controle. Hoje, os governos federal, estaduais e municipais usam e abusam desse expediente para promover os seus candidatos à reeleição.
No Rio de Janeiro, Cabral e Paes possuem milhões a sua disposição para "falar bem" de suas gestões, por piores que sejam.
Assim, governantes usam e abusam da máquina para a sua manutenção no poder.
Penso que essas propagandas não têm qualquer razão de ser, pois quando o governo é bom, os resultados aparecem naturalmente e o povo, destinatário do serviço, identifica as melhorias.
Proibir essas propagandas constituirá uma grande economia para os cofres públicos, permitindo que o nosso dinheiro possa ser utilizado para o benefício do povo e não para promover campanhas políticas e alimentar o comércio da propaganda, algo muito perigoso, pois diante dos milhões governamentais, parte da mídia perde a isenção.
Proibir é urgente.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

O RIO CADA VEZ MAIS SEGURO DE CABRAL-BELTRAME.

FOLHA DE SÃO PAULO:
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

O MINISTÉRIO PÚBLICO PODE DEIXAR DE EXERCER O CONTROLE EXTERNO DA ATIVIDADE POLICIAL.

"Projeto retira do MP fiscalização da polícia
Extraído de: Associação do Ministério Público do Paraná - 28 de Maio de 2010
Gazeta do Povo - 28/05/2010
Proposta que cria o Conselho Nacional de Polícia causa polêmica ao retirar o poder de fiscalização do Ministério Público sobre a ação das forças policiais
A criação do Conselho Nacional de Polícia, em análise no Congres­so, pode mudar a forma como se fiscaliza a ação policial no país.. A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) põe fim ao controle externo da polícia, hoje uma in­­cumbência do Ministério Público (MP) prevista no inciso 7 do artigo 129 da Constituição Federal. Pelo projeto, a tarefa passaria para um colegiado formado em sua maioria por delegados. Caberá ao novo órgão apurar denúncias contra policiais, abrir processos disciplinares e editar atos que regulamentam a atividade. Os defensores da emenda alegam que a fiscalização aumentará. Mas o argumento não convence os críticos. Para eles, a mudança aumenta o risco de impunidade.
O cabo de guerra põe de um lado os policiais e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), e de outro os integrantes do MP e da Associação Nacional dos Procuradores da República. O presidente da Associação dos Dele­gados de Polícia do Brasil (Adepol), Carlos Eduardo Benito Jorge, diz que a fiscalização a ser feita pelo conselho será mais abrangente porque contará com representantes da sociedade. "A proposta não extingue, mas amplia o controle", diz. Ele não acredita que o conselho seja corporativista só por ser formado na maioria por delegados. "Hoje o que o Ministério Público tenta fazer é uma subordinação das polícias", diz. Já o presidente da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público, César Mattar Júnior, afirma que a mudança aumentará os casos de impunidade porque a polícia não aceita se submeter ao controle de ninguém.
Autor da PEC, o deputado Régis de Oliveira (PSC-SP) afirma que o conselho vai não só ampliar o controle, mas também reprimir os abusos dos delegados de polícia. Na proposta, ele seguiu o modelo do Conselho Nacional de Justiça e do Conselho Nacional do Ministério Público. "Estão dizendo que não vai funcionar. Será então que o conselho do Ministério Público também não funciona?", questiona o presidente da Adepol.
Outro ponto polêmico da PEC é o fato de que ela retira dos governadores o poder sobre as polícias. Segundo o deputado Flávio Dino (PCdoB-MA), a Constituição atribui aos estados o controle sobre as forças policiais. Por isso, a emenda pode ser considerada inconstitucional.
Pela proposta, o conselho será formado por 17 integrantes, dez deles delegados, dois representantes do Judiciário, um do MP, dois advogados e dois cidadãos de notável saber jurídico. (Na verdade, leia:se doze delegados, já que a OAB é parte diretamente interessada na PEC)
Equilíbrio no processo
O presidente nacional da OAB, Ophir Cavalcante, aprova o projeto. Para ele, a PEC que cria o Con­selho Nacional de Polícia equilibra o trâmite do processo e propicia condições ideais para que cada instituição exerça melhor o seu papel. "Cada um tem uma função: a polícia investiga, o Ministério Público acusa, a advocacia defende e o juiz julga. Quebrar essa lógica é desequilibrar por inteiro o processo", diz.
O controle externo da polícia pelo Ministério Público está previsto na Constituição, mas, na avaliação de Ophir, os promotores não conseguiam exercê-lo como deveriam. E quando tentaram fazê-lo, segundo ele, verificou-se que isso seria algo danoso, uma vez que o MP, sendo parte no processo, não poderia ser também o ente a produzir as provas. Foi para atacar esse desequilíbrio que a OAB ajuizou no Supremo Tribunal Federal a Ação Direta de Inconstitucio­nalidade (Adin) 4.220, que aguarda julgamento.
Câmara
A admissibilidade da emenda foi aprovada pela Comissão de Cons­tituição e Justiça (CCJ) da Câmara Federal na última quarta-feira. Mas a PEC ainda terá de passar por uma comissão especial antes de ir a plenário. A análise da emenda gerou discussões acaloradas. Em uma sala tomada por delegados que pressionavam pela aprovação, o deputado Marcelo Itagiba (PSDB-RJ), delegado da Polícia Federal, investiu aos gritos contra o deputado José Genoino (PT-SP), contrário à PEC, mandando-o calar a boca".
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

AERONAUTAS - MANIFESTAÇÃO - AMANHÃ.

EMAIL RECEBIDO:
31 de maio, 11h, manifestação em frente à ANAC - Rio de Janeiro
ATENÇÃO AERONAUTAS - URGENTE

Convocamos a categoria para manifestação Dia 31 de maio de 2010 às 11 horas - Dia Internacional do Comissário de Vôo, em repúdio à redução do número de comissários a bordo das aeronaves civis brasileiras, autorizadas pela ANAC em março deste ano, que resultará no curto e médio prazo na perda de centenas ou milhares de postos de trabalho, estimulando as empresas a trabalharem com padrões mínimos de segurança de vôo em detrimento de padrões mais elevados de segurança operacional.
Vale lembrar que o usuário do transporte aéreo brasileiro ainda paga preços significativos por passagens aéreas e exige em sua grande maioria padrões de segurança aos quais estão já acostumados ao longo de décadas. O SNA vê nesta iniciativa da ANAC um grave retrocesso, prejudicial aos postos de trabalho dos Aeronautas brasileiros, bem como, a redução dos elevados padrões de segurança praticados corretamente ao longo de anos pela aviação comercial brasileira. A categoria reitera seu profundo repúdio à forma como foi encaminhada esta questão pela agência que não permitiu um debate mais profundo a respeito deste assunto tão vital e de interesse de toda a sociedade brasileira.
Conclamamos a presença de toda a categoria e todos os setores da sociedade civil organizada, alertando para o risco da maioria das empresas aéreas por interesses econômicos, adotarem este procedimento.
É preciso reagir imediatamente e reabrir uma profunda discussão para chegarmos ao melhor resultado para os milhões de usuários do transporte aéreo nacional.
Data da Manifestação: 31 de Maio de 2010 - Dia Internacional do Comissário de Vôo
Local: em frente a Sede da ANAC - Av. Presidente Vargas, Nº 850 – Centro - Rio de Janeiro/RJ
Horário: 11 horas
Direção Sindical (do SNA)
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

COMO GASTAM O NOSSO DINHEIRO EM PROPAGANDA NO RIO DE JANEIRO.

JORNAL EXTRA:
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

A VERGONHA DA SAÚDE PÚBLICA NO RIO DE JANEIRO.

JORNAL EXTRA:
"Perguntas do vereador irritam secretário

quinta-feira, 27 de maio de 2010
Extra Online
O vereador Paulo Pinheiro (PPS), que é médico, foi um capítulo à parte hoje, na audiência pública sobre o Plano Plurianual de Saúde do Rio. O vereador encostou o secretário Hans Dohman na parede, ao perguntar por que a prefeitura vem mantendo contratos com empresas ficha-suja.
Tem empresa que presta serviços ao Município do Rio cujo dono é tão honesto que está preso. "Eu não compraria um carro usado de um empresário ficha-suja. Mas a prefeitura assina contratos milionários com essas empresas", disse o vereador.
As perguntas tiraram o sereno Dohman do sério. O secretário explicou que são só acusações e que não houve ainda julgamento definitivo".
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

LULA NO RIO - AMANHÃ - HORA DE PROTESTAR PELA PEC 300.

EMAIL RECEBIDO:
"Boa tarde,
Gostaria de informar a todos PPMM que o PRESIDENTE LULA estará na Cidade de Deus,nesta segunda feira (31/05) as 12:00hs, para inauguração da UPA junto ao prefeito. Seria uma ótima oportunidade para uma manifestação PRO PEC 300, tendo em vista o local a ser inaugurado (principal praca da CDD) na Rua Edgar Werneck. Caso haja alguma comissão de divulgaçao com faixas e cartazes, acho que seria extremamente válido.
Um abraço a todos!
PEC 300 EU ACREDITO!"
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

PREZADOS LEITORES, BOM DIA!

"O SOFRIMENTO É PASSAGEIRO; DESISTIR É PARA SEMPRE".
(Lance Armstrong)

JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

E A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA DO CEARÁ LEVA UM TIRO DE CANHÃO.

JORNAL O POVO DO RIO:
BLOG DO ELIOMAR.
E a política de segurança pública do Ceará leva um tiro de canhão.

“A política de segurança pública do Ceará recebeu um tiro de canhão com a publicação dos resultados de pesquisa da ONU na qual 92,25% da população cearense diz que a violência só fez crescer no Estado, nos últimos anos. O estudo foi encomendado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). Só nestes quatro primeiros meses do ano ocorreu um aumento de 50% no número de homicídios, em relação ao mesmo período do ano passado.
É aceitável a tese de que o crack tem grande responsabilidade no incremento da violência, mas isso não impede de se verificar a existência de grandes falhas na política da segurança pública e de seu carro-chefe: o Ronda do Quarteirão. Não há credibilidade, inclusive, na estrutura administrativa da segurança pública, que tem algumas de suas funções importantes entregues a gente proveniente de uma cultura policial viciada na ditadura.
As críticas, no entanto, esbarram na muralha inamovível dos interesses consolidados. E assim, a sociedade desanima.”
(Coluna Concidadania - O POVO)
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

sábado, 29 de maio de 2010

SEGUNDA CARREATA - RIO DE JANEIRO - DIVULGUEM E PARTICIPEM.


Policiais Militares, Bombeiros Militares, Policiais Civis, ativos, inativos, pensionistas e familiares participem e divulguem a Segunda Carreata dos Profissionais de Segurança Pública do RJ, que será realizada no dia 11 JUN 2010, com concentração às 15:00 horas na Rua Irineu Marinho (O Globo).
Bombeiros de Barra Mansa, Mendes e Paracambi já confirmaram presença na carreata. Faça como eles, organize a sua caravana e venha lutar por cidadania.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

REUNIÃO - POLICIAIS MILITARES - FACULDADES SIMONSEN.

A reunião do Conselho Luz Azul começou com a presença de 60 (sessenta) Policiais Militares (Oficiais e Praças).
Os pré-candidatos poderão apresentar as suas ideias ao final do evento.
Nós estamos esperando você!
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

EXMO GOVERNADOR SÉRGIO CABRAL, O SENHOR SABIA QUE ...


... os jovens Policiais Militares (Concurso de 2008) que concluiram o curso de formação e que deveriam ser classificados nos batalhões dos municípios do interior, conforme as vagas previstas no EDITAL, estão sendo classificados em UPPs na Zona Sul e colocados como adidos em diversos batalhões da capital?
Governador, o senhor sabia que muitos desses Policiais Militares consomem sete horas no deslocamento de casa para o quartel, além disso, eles não tem como pagar as passagens e diante disso estão se apresentando na unidade operacional mais próxima?
Eu já comuniquei isso ao Ministério Público, mas tenho certeza que vossa excelência pode resolver esse caos com uma ligação telefônica. Devemos respeitar os servidores públicos, afinal são eles que servem e proteger a nossa sofrida população.
Telefone, governador, por favor.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

EXMO GOVERNADOR SÉRGIO CABRAL, O SENHOR SABIA QUE ...

... comentam que em alguns batalhões da Polícia Militar não está sendo fácil obter as viaturas reservas previstas no contrato e isso tem feito que guarnições permaneçam aquarteladas em razão da falta de viaturas?
Verdade ou mentira?
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

EXMO GOVERNADOR SÉRGIO CABRAL, O SENHOR SABIA QUE ...

... comentam que uma blazer integrante do contrato de terceirização de viaturas da PMERJ feito pela secretaria de segurança pública teria capotado e que apesar da aparente perda total, ela teria sido recuperada. Logo, teria acontecido um novo acidente com o veículo e, mais uma vez, apesar da aparente perda total, ele foi recuperado. E, sobreveio um terceiro acidente e nova recuperação?
Verdade ou mentira?
Salvo melhor juízo, os Policiais Militares que utilizam esse estão sujeitos ao risco de morte.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

EXMO GOVERNADOR SÉRGIO CABRAL, O SENHOR SABIA QUE ...

... comentam que um gerador teria sido furtado de uma UPA, situada nas cercanias do Complexo do Alemão, para ser utilizado em bailes e que apesar do tempo decorrido, até hoje o gerador não foi recuperado?
Verdade ou mentira?
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

QUEM MATOU AQUELE HOMEM FOI O ESTADO. O POLICIAL FOI SÓ UMA FERRAMENTA.

SITE R7 (Record).
“Já confundi guarda-chuva com fuzil”, diz ex-policial do Bope
.
Estresse pode ter provocado acidente em que policial confundiu furadeira com arma.
Carolina Farias, do R7, no Rio.
Um ex-policial do Bope (Batalhão de Operações Especiais) da Polícia Militar do Rio de Janeiro disse à reportagem do R7 já ter confundido um guarda-chuva com um fuzil durante uma operação. Ele se lembrou do episódio, que quase acabou em tragédia, ao ver nos noticiários que um ex-colega de farda matou na última quarta-feira (19) um morador do Andaraí, na zona norte, após confundir uma furadeira com uma metralhadora.
- Era noite. Cheguei a engatilhar a arma. Foi Deus que não me deixou atirar.
O ex-agente, que pediu para não ser identificado, saiu do Bope há cinco anos e conhece o policial que atirou no fiscal de supermercado Hélio Barreira Ribeiro, de 47 anos. Ele admite que, naquelas circunstâncias, também erraria e atiraria contra o homem.
- Aquilo foi uma fatalidade. Conheço esse policial. Ele é treinadíssimo. A gente não pode julgar. O estresse do trabalho é muito alto.
A vítima estava em sua casa quando o Bope fazia operação para encontrar um ponto de venda de drogas numa vila de classe média da rua Ferreira Pontes, um dos acessos ao morro do Andaraí. O supervisor estava de folga e subiu no terraço, com uma furadeira, para consertar um toldo.
A 40 metros de distância, o PM do Bope achou que Ribeiro estava com uma metralhadora e atirou com seu fuzil. O tiro entrou pelo lado direito do corpo do morador, atravessou a axila esquerda e chegou a furar o telhado. Ele morreu na hora. O policial vai responder por homicídio doloso (quando há intenção de matar) em liberdade.
O ex-policial diz que os PMs do batalhão são submetidos a um nível de estresse muito alto, porque sabem que serão alvos dos criminosos durante as invasões.
- Vocês está esperando o bandido atirar em você. Quando entramos nas favelas, os traficantes soltam fogos avisando que o Bope está na área e que é para dar tiro [nos policiais]. Eles têm atiradores, armamentos melhores que o nosso. A nossa sorte é que eles não têm o treinamento que o Bope tem.
Estresse
Policiais e especialista ouvidos pela reportagem apontam que o erro é justamente consequência dessa rotina desgastante da PM. O nível de estresse é um problema agravado pela jornada dupla por causa dos chamados bicos que os policiais são obrigados a fazer para melhorar a renda, diz o ex-corregedor da PM coronel Paulo Ricardo Paúl, que hoje está na Diretoria Geral de Pessoal.
- O salário de R$ 1.000 obriga o praça, o cabo, a fazer o bico. Ele trabalha na folga. O policial do Bope faz segurança de empresário, que também é um serviço arriscado. Isso sem contar que o serviço do policial por si só é extremamente desgastante, física e emocionalmente. São bombas ambulantes.
Para o coronel, o erro cometido pelo policial do Bope também é resultado da falta de política de segurança do Estado. Ele diz que só o Bope tem treinamento continuado e que os demais batalhões possuem policiais que passaram por treinos somente na academia.
- Quem matou aquele homem foi o Estado. O policial foi só uma ferramenta. Os policiais têm armas, decidem em uma fração de segundo a vida dele, do criminoso ou de um inocente.
Tiro em último caso
O treinamento da Polícia Militar do Rio, que dá enfase ao confronto, deve mudar para evitar situações como a morte do supervisor, defende o coordenador da ONG Viva Rio, Tião Santos. Para ele, o policial deve evitar o tiro e fazer o disparo somente em último caso.
- A lógica da formação seria não responder com o tiro, porque, às vezes, pode responder em situação de estresse, de tensão. O policial tem de fazer o disparo com segurança. Não pode ser essa loucura de hoje, de tudo partir para o tiro. Não falta treinamento, tem é que mudar a concepção.
O governador Sérgio Cabral (PMDB) e o secretário da Segurança Pública, José Mariano Beltrame, pediram desculpas à família de Ribeiro. A família deve receber uma pensão do Estado como forma de reparação. Beltrame admitiu que os policiais, mesmo os mais treinados, como os do Bope, são passíveis de erros.
- Os policiais do Bope são os que mais passam por treinamentos. Eles dão instrução para polícias de todos os Estados e de outros países. Eles são treinados excessivamente, mas a polícia é feita de seres humanos e, infelizmente, seres humanos também erram. Este foi um erro grave, mas não há nada que eu diga que vá reparar a dor que esta família está passando, que vá reparar esse erro.
Por meio de nota, a Secretaria da Segurança Pública informou que o Bope foi ao morro do Andaraí para verificar uma denúncia de que havia tráfico no local e foram recebidos a tiros. A pasta informa que o Bope não ocupa morros, mas que faz operações especiais. O órgão disse que os policiais do batalhão treinam mais que os outros PMs e que recebem uma gratificação de R$ 1.500 para evitar o bico.
A PM informou que, durante as operações, orienta os moradores que estão em casa, que permaneçam na residência enquanto durarem as ações. Caso o morador esteja fora de casa, é recomendado que ele procure um lugar seguro até o fim da operação. Quando o policial observa "conduta inconveniente", diz a nota, ele faz uma “revista pessoal de forma técnica e respeitosa”.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

REUNIÃO - HOJE - POLICIAIS MILITARES ATIVOS, INATIVOS E PENSIONISTAS.

TRAGA UM QUILO DE ALIMENTO NÃO PERECÍVEL.
O Conselho Luz Azul realizará o seu terceiro encontro com a participação de vários Policiais Militares (Oficiais e Praças) pré-candidatos para as próximas eleições.
Compareça e divulgue para todos.
Uma Polícia Militar forte só será possível sendo também uma força política.
Dia 29 Mai 2010 - Sábado - 14:00 horas (quatorze horas).
Local: Auditório das Faculdades Simonsen.
Rua Ubitiuva nº. 151, Padre Miguel.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

E A TAL PARCERIA LULA-CABRAL?

EX-BLOG DO CESAR MAIA:
GOVERNO FEDERAL/MINISTÉRIO DA SAÚDE ACABA COM EMERGÊNCIAS HOSPITALARES NO RIO!
1. Primeiro foi o Hospital do Fundão que fechou a emergência. Depois foi o Hospital Servidores do Estado. Mais recentemente foi o Hospital de Bonsucesso, quase simultaneamente ao fechamento da emergência do Hospital de Ipanema. Agora é a vez do Hospital do Andaraí, que em nome das obras, minimizou a emergência e quando voltar, esta será 'emergência fechada', ou seja, só recebe quem vier com boletim, e via Samu.
2. Quando era subsecretário de saúde da prefeitura do Rio, o atual ministro propôs a "deshospitalização" da rede de saúde municipal. Queria que nenhum médico a mais entrasse na rede e que em novos concursos todos fossem para os postos médicos e de saúde. A falta de médicos, quando entrou a nova prefeitura em 2001, era grande. O prefeito não concordou, abriu concurso para profissionais de saúde, contratou por tempo determinado até o concurso.
3. Simultaneamente, exonerou o secretário e o subsecretário, atual ministro da saúde. Entraram por concurso, entre 2001 e 2004, 14 mil profissionais de saúde, suprindo as necessidades e cobrindo as aposentadorias e saídas voluntárias.
4. Uma vez no ministério da saúde, o ex-subsecretário realiza a tarefa que não pôde realizar na prefeitura do Rio: fechou todas as emergências dos hospitais federais.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

"PRENDEMOS MUITO MAIS DO QUE MATAMOS".

FOLHA DE SÃO PAULO.
"Prendemos muito mais do que matamos", diz novo corregedor da PM

ROGÉRIO PAGNAN
DE SÃO PAULO
O novo corregedor da Polícia Militar de São Paulo, o coronel Admir Gervásio Moreira, vê no aumento de notícias sobre crimes envolvendo policiais uma campanha que inclui a intenção de alguns setores de acabar com as PMs.
Aumento de mortes causadas pela PM de SP não preocupa novo corregedor
Para o policial, o crescimento de 40% da letalidade da PM paulista no primeiro trimestre deste ano, em comparação ao mesmo período do ano passado, não o preocupa. "Nós não estamos mais agressivos. Muito pelo contrário. Nosso oponente é que está muito mais ousado, mais agressivo."
Na entrevista concedida à Folha na tarde desta sexta-feira (28), Gervásio afirmou que a PM é uma das instituições menos racistas do país, pois tem em seus quadros 30% de negros ou descendentes. "O racismo está em cada pessoa."
Disse que, de folga, já foi vistoriado por policiais e foi bem tratado, ao contrário do que já passou na escola.
"É de berço que as pessoas aprendem a ser preconceituosas", afirma o coronel.
Folha - Tem havido mais crimes de policiais militares ou é a divulgação que tem sido maior?
Admir Gervásio Moreira - Não tem acontecido mais casos. Está numa sequência [de divulgação de notícias]. Estão voltando [a divulgar]. Falam um pouquinho, param, depois voltam. É o momento [político]. Não quero falar a palavra [política], você sabe o momento a que estou me referindo. Fica subentendido.
Estamos vivendo uma fase também em que existem grupos que querem falar de desmilitarização. Então vai por aí a fora: "Vamos atacar a Polícia Militar".
Folha - Não se ouvia falar de grupos de extermínio formados por PMs, como "Os Highlanders". Esses casos já existiam e a gente não sabia disso?
Moreira - São casos pontuais. É conduta individual. Não é conduta institucional. Não podemos dizer que dentro da polícia existe isso. Dá uma conotação de que está instituído.
Não concordo. [São] Pessoas, com problemas graves, que não têm nenhum compromisso institucional.
Folha - O sr. acha que os mecanismos da Polícia Militar hoje são suficientes para detectar essas pessoas?
Moreira - Vamos dar uma sugestão para o comando para criarmos um grupo de estudo. O que levou a esse tipo de conduta. E não só detectar, mas tratar também.
Folha - O número de mortes de civis em confrontos com a PM cresceu neste ano. Há uma preocupação quanto a isso?
Moreira - Os marginais estão mais ousados. A ousadia do marginal cresceu de forma violenta, inclusive com armamento. Eles têm um potencial de fogo considerável.
Folha - Essa é uma questão que não preocupa o sr.?
Moreira - Em princípio, não. Estamos equivalentes. De todos os confrontos, por exemplo, em que há quatro indivíduos, um é baleado e três são presos. Nós não estamos mais agressivos. Muito pelo contrário. Nosso oponente é que está muito mais ousado, mais agressivo. Nós estamos prendendo muito mais do que matando.
Folha - A promotora Eliana Passareli [que trabalhou no Tribunal de Justiça Militar] diz que a PM perdeu o comando da tropa. Isso aconteceu?
Moreira - Negativo. Em hipótese alguma. Posso lhe garantir. A instituição jamais perderá o comando da sua tropa.
Folha - A PM é racista?
Moreira - Não concordo piamente. Vamos tirar a figura do policial. Seria hipócrita se dissesse que não há racismo no Brasil. A instituição PM não é racista.
Se verificar o nosso efetivo quase 140 mil homens e mulheres, da ativa e da inatividade, acredito que mais de 30% sejam negros ou têm a raça negra na sua origem. A instituição não é racista. O racismo está em cada pessoa.
Folha - O sr. já foi abordado pela PM estando de folga?
Moreira - Já fui, e o tratamento não foi discriminador. Trataram-me com dignidade. Eu já sofri Já sofri discriminação em colégio, em internato, administrado pela Igreja Católica.
Folha - Ficou com trauma?
Moreira - Não, meu intelecto é muito superior a isso. A minha formação de berço não deixou que eu incurtisse isso. É do berço que as pessoas aprendem a ser preconceituosas.
Folha - Pelo cargo que ocupa, o sr. se protege de forma diferente?
Moreira - Não vejo necessidade. Se tivesse algum temor, não aceitaria o cargo. A grande maioria, 99,99% são bons policiais, honestos, dignos, legalistas, humanistas. Esses me protegerão.
Folha - Qual missão o sr. recebeu?
Moreira - Dar agilidade às investigações, principalmente aquelas que estão em andamento e aquelas que poderão chegar. Chegando, precisam ter uma resposta o mais rápido possível.
Folha - Isso não era feito?
Moreira - Isso sempre foi feito. A Corregedoria sempre trabalhou com o imediatismo. Posso me considerar como filho daquela casa. Antes de ser coronel, eu trabalhei, eu vivenciei aquilo por 17 anos.
Folha - Os policiais violentos, como os que se envolveram nos casos dos motoboys, são oriundos de onde? Da zona leste, zona sul, do interior?
Moreira - Não temos um estatística, um estudo voltado para isso. A Polícia Militar é uma instituição aberta. A seleção é feita naturalmente.
Passam por um processo de seleção, de investigação social, muitas vezes não se detecta qualquer anomalia comportamental do indivíduo que está entrando.
Mas, de repente, quando ele coloca isso daqui [a farda], ele acha que pode tudo. Aí, tem questão de valores. De ética, moral, de berço.
Por que um policial militar as vezes aceita uma propina? Não foi a instituição que ensinou. Isso está incutido no "eu" dele. São os valores que adquiriu de berço. Eu entrei como soldado e, como tal, nunca aceitei nenhum café. Por quê? Por que são valores que eu aprendi no berço, com meu pai, minha mãe.
Folha - O sr. vem com status de "remédio" para a PM. O que fazer para não acontecerem casos como os dos motoboys?
Moreira - Meu principal remédio é o exemplo. Ser exemplo positivo. Ser mais transparentes, ser mais ágeis. Dar uma resposta com mais rapidez.
A todos que carecem de uma resposta, inclusive a própria família da vítima. Por que não? Aquilo que foi apurado precisa ser levado à família da vítima, ou à vítima.
Folha - A Polícia Civil diz que a PM dificultou as investigações em um dos casos dos motoboys, não forneceu fotos...
Moreira - Não é verdade. Não é verdade. De imediato foram presos os envolvidos e tudo está nas mãos da Justiça. Isso não procede. O que pode ter acontecido naquele momento foi uma falha de comunicação. Tenho quase certeza de que foi isso.
Folha - O sr. diz que tem berço e, como policial, nunca aceitou um café. Quando ouve essas notícias, como sr. fica?
Moreira - Isso causa um mal estar. Não foi isso que a instituição ensinou. A instituição não nos preparou para isso. Providências precisam ser tomadas, e contundentes.
Folha - Pretende aumentar o número de policiais da Corregedoria?
Moreira - Tenho total apoio tanto do coronel Camilo, do secretário e do governador. Os claros [vazios] serão preenchidos.
Folha - Já fizeram a comparação do sr. e o corregedor negro [o ator Milton Gonçalves] do seriado policial ["Força Tarefa"] da TV Globo?
Moreira - Vou ser bem diferente. Lá é fantasia, aqui é realidade.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

PREZADOS LEITORES, BOM DIA!

"O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer".
(Albert Einstein)

JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

sexta-feira, 28 de maio de 2010

UNIDADES DE POLÍCIA PACIFICADORA - ATO NA UERJ - ADIAMENTO.

Alojamento de UPP
Diante da necessidade imperiosa de verificar denúncias relacionadas com Unidades de Polícia Pacificadora, na primeira hora da próxima semana, adiei o ato que seria realizado na UERJ, no dia 31 MAI 2010. A nova data será anunciada com a brevidade necessária.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNA

A EDUCAÇÃO É UM CUSTO É O COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR UM CONJUNTO DE DESPESAS.

Na quarta-feira, dia 26 MAI 2010, atendendo convite de mães do Colégio da Polícia Militar, compareci a uma audiência pública na Comissão de Educação da ALERJ (sala 316), para tratar de problemas que estão ocorrendo no referido colégio.
Antes da audiência, conversando com mães de alunos, conheci os principais problemas da unidade de ensino: não existe previsão para o início do ensino médio no colégio; faltam professores; a carga horária diária foi diminuída; não existem rotas suficientes para o transporte de todos os alunos; os uniformes não foram cedidos (apenas a camisa) e existe uma obra de ampliação do colégio que está parada há dois anos.
A audiência foi presidida pelo deputado estadual Comte Bittencourt (PPS), além dele o outro parlamentar presente foi o deputado estadual Paulo Ramos (PDT).
Mário Sérgio foi o primeiro a falar pela Polícia Militar e disse uma grande verdade no sentido de que faltou um planejamento adequado para a implantação do colégio, o que determinou alguns dos problemas atuais, inclusive o problema da certificação para os concludentes do ensino fundamental, tendo em vista que o colégio é direcionado para o ensino médio.
Eu sou testemunha dessa verdade, porém Mário Sérgio quando se candidatou a “síndico”, o fez para resolver os problemas da PMERJ e não apenas para promover a ascensão profissional familiar, afinal está completando um ano de gestão.
O comandante do colégio, Tenente Coronel Neves, apresentou uma série de números para demonstrar os problemas que o colégio acarretam para a instituição.
Finalmente, Carlos Rodrigues, diretor geral de ensino e instrução, sedimentou de forma indiscutível a posição da Polícia Militar: o colégio é um problema.
Infelizmente, embora a audiência fosse pública, não foi dada a oportunidade para os presentes apresentarem questionamentos, só falaram os parlamentares, os Policiais Militares citados, um representante dos pais e representantes da secretaria de educação.
Em conseqüência, entrei mudo e sai calado, mas com a convicção de que o Colégio da Polícia Militar é um problema para a atual gestão da Polícia Militar.
Pobre instituição que vê um colégio apenas como despesa e a educação como um problema.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

O RIO CADA VEZ MAIS SEGURO DE CABRAL-BELTRAME.

JORNAL EXTRA.
BLOG CASOS DE POLÍCIA E SEGURANÇA:

Enviado por José Maurício Costa -
28.5.2010
Policial baleado
Bandidos atiram em PM após rendê-lo no Maracanã
Mais uma manhã de violência na Zona Norte do Rio. Bandidos renderam um policial que dirigia seu carro à paisana no bairro Maracanã, no início da manhã desta sexta-feira. O policial foi levado para a rua Pereira Nunes, na Tijuca, e teria sido baleado depois que os marginais encontraram sua carteira de policial. Ele foi socorrido e levado para o Hospital do Andaraí e ainda não há informações sobre seu estado de saúde.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

CORRUPÇÃO ATIVA E PASSIVA, UMA POSSIBILIDADE.

O governador Sérgio Cabral (PMDB) e o secretário de segurança Beltrame já declararam que a venda de drogas ilícitas não foi erradicada nas comunidades ocupadas pelas Unidades e Polícia Pacificadora (UPP).
Isso é o atestado da ineficácia do projeto, uma vergonha para o governo que satura uma área com Policiais Militares e, ainda assim, drogas são vendidas.
Pior, o problema não pode ser focado apenas na venda de drogas, pois na verdade não se tem qualquer notícia sobre o fim das demais ilicitudes que funcionam nessas comunidades, tais como: jogo dos bichos; gatonet; transporte clandestino (Kombis e motos); venda ilegal de gás; ágios; etc.
Como explicar a presença da polícia e a existência desses ilícitos?
Difícil.
Tal coexistência pacífica pode significar corrupção ativa e passiva, mas isso não tem importância, o que importa são os votos.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

ENFIM, O PLANO NACIONAL CONTRA O CRACK - DELEGADO ARCHIMEDES MARQUES.

Enfim, o Plano Nacional contra o crack.
(Archimedes Marques)

Há alguns anos atrás, quando o crack foi introduzido no Brasil, em especial em São Paulo, seu uso estava praticamente restrito a classe paupérrima da nossa sociedade devido ao seu baixo custo de venda, começando assim a sua trajetória inglória e mortal com os moradores de rua que eram viciados em álcool, maconha ou em cheirar cola e que assim viam naquela nova e poderosa droga mais barata e acessível, a pretensa solução para amenizar os seus problemas sociais.
Na época as autoridades constituídas viviam as ilusões de que esse subproduto da cocaína não sairia do consumo dos mendigos, dos pobres, dos desafortunados e dos desgraçados, por isso pouco se importavam com a problemática, contudo, o seu consumo rompeu esse quadrilátero, conquistou as demais classes sociais, expandindo-se rapidamente, virando uma epidemia nacional e aí, diante do clamor público, o Estado passou a correr atrás do prejuízo, embora de maneira tímida.
O crack saiu arrastando multidões em todos os lugares, fazendo vítimas e mais vitimas em todo canto do País, aumentando a geometricamente a violência aonde se instalou. Nos últimos cinco anos o número de usuários dessa droga em todo o país quase dobrou, passando de 380 mil para 610 mil, apesar das mortes constantes advindas do crack e pelo crack, pois se assim não fosse, por certo já teríamos ultrapassado a casa de um milhão de viciados, devido a sua rápida proliferação e difícil recuperação curativa.
As crackolandias passaram a ser realidade triste e deprimente em vários lugares do Brasil. Em diversas reportagens sentimos até com certo temor e angústia aquele comércio e uso do crack a céu aberto se proliferar sem solução.
A crackolandia paulistana, em especial, mostra para o mundo a sua superioridade negativa superando todas as outras do Brasil, nunca houve tantos usuários zumbis e pequenos traficantes por lá. Técnicos a serviço da prefeitura local estimam que algo como 3 mil a 5 mil pessoas do grupo perambulem dia e noite naquele polígono de 181 mil metros quadrados, bem no centro velho da capital.
Cenário de uma cidade bombardeada, a Crackolandia paulistana de hoje é um território com quarteirões e mais quarteirões, demolidos em 2008 para dar lugar a um projeto de revitalização urbana que nem começou a se materializar. Seus habitantes são meninos e meninas, por vezes grávidas, além dos adultos, dentre os quais deficientes físicos, que envelheceram, apodreceram e se transformaram em lixo humano principalmente pelo uso do crack.
Existe também uma crackolandia em Brasília, a menos de dois quilômetros do Congresso Nacional, assim como tantas outras no Rio de Janeiro e nos grandes centros do país. Uma vergonha nacional que Policia nenhuma dá jeito, pois quando chegam os policiais logo todos dispensam as drogas no meio do lixo existente por toda parte para recolhê-las posteriormente quando das suas saídas.
Correndo contra o tempo o Ministério da Saúde lançou um remédio paliativo, um Programa emergencial infrutífero em junho de 2009 colocando em prática investimentos na ordem de 118 milhões de reais até o fim de 2010, entretanto, agora, de forma mais abrangente o Governo Federal, lançou um Plano mais condizente na tentativa de conter o avanço do crack e as suas conseqüências nefastas.
Depois das muitas alertas colocadas pela imprensa nacional, com matérias e mais matérias nos jornais e revistas escritos ou virtuais e principalmente pelas centenas de reportagens televisivas dando conta do horror do crack em nossa sociedade... Depois das inúmeras campanhas das diversas ONGS ou entidades diversas, a exemplo do Jornal Mais Brasil que ganhou apoio de personalidades importantes como Ivete Sangalo, Claudinha Leite, Roberto Carlos, Zezé di Camargo & Luciano, Pelé, Chitãozinho e Xororó, Vitor & Leo, Xuxa Meneghel, Angélica, Bel Marques, KLB, dentre outros que vestem a camisa e lutam contra as drogas... Depois de muitos artigos escritos por especialistas no problema dando conta da necessidade e da urgência de projetos reais e verdadeiros contra essa droga aniquiladora, aparece enfim, mais do que na hora, o Plano Nacional de Combate ao Crack.
Na verdade o Governo ignorou o problema. Foi negligente. E resolveu se corrigir a sete meses do fim, na boca da urna, se redimindo do seu erro ocorrido durante dois mandatos eletivos seguidos, mas, como diz o velho ditado: “Antes tarde do que nunca”, então precisamos dar todo o crédito possível ao Plano, vez que, acima de tudo, o que está em jogo é a saúde e a felicidade de muitos e a segurança pública de tantos outros.
O Governo quer envolver toda a sociedade na luta contra o crack através de Projeto que investe em prevenção, capacitação de agentes de saúde e duplicação dos leitos do SUS para os dependentes da droga. Nesse sentido, como não há números oficiais divulgados de pessoas à espera por tratamento em seus devidos lugares, tomando por base uma matéria jornalística relativa ao Estado de Alagoas que é um dos menores do Brasil e que possui uma fila de mais de dois mil dependentes do crack à espera de tratamento, podemos muito bem observar que a quantidade de pessoas com o mesmo objetivo em todo o país é imensa, apesar de muitos já terem alcançado o tratamento em Clínicas e Hospitais particulares pagos pelo Governo através de ações e decisões judiciais, pois se entendem ser obrigação estatal tratar assim dos seus drogados.
Aqui no Estado de Sergipe, o menor da Nação, que tem se destacado nas ações repressivas contra o crack, tendo proporcionalmente ficado nas primeiras colocações em termos de apreensão dessa droga e da prisão de traficantes, possui 31 Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) para tratar da saúde mental do usuário, embora o número de leitos do SUS em Hospitais especializados ainda esteja indefinido quanto ao seu alcance, agora também promete investir fundo nas três áreas principais. Na área curativa mental com o aumento substancial do atendimento ao drogado e seus familiares, na área preventiva por via da conscientização social e educação, inclusive com proposta de se colocar em grade curricular matéria específica sobre as drogas, além da divulgação na mídia local, principalmente na imprensa televisiva, mostrando rápidos filmes exemplificativos e emocionantes sobre o usuário do crack, e para completar, continuará com mais rigor ainda com a repressão policial ao tráfico do produto.
O combate, a prevenção e o tratamento dos seus usuários são as três palavras chave que emergiram do Decreto Governamental que instituiu o Plano, assinado pelo chefe da Nação na tarde do último dia 20 de maio de 2010, e que prevê ações entre saúde, educação, assistência social e segurança pública, concomitantemente contra o avanço e conseqüências advindas do crack.
Uma das frases da fala do Presidente Luis Inácio Lula da Silva ao assinar o Decreto, demonstra a sua incerteza quanto a fórmula química do crack que é ainda indefinida: “O crack é uma coisa nebulosa. Nós já sabemos os efeitos que ele causa, já sabemos a dureza para quem utiliza o crack. Mas, cientificamente tem poucos estudos sobre a questão do crack.”
Para muitos o crack é composto somente de cocaína e bicarbonato de sódio, enquanto que para tantos outros estudiosos no assunto, absurdamente são adicionados à borra da cocaína para compor uma fórmula maligna e cruel, a amônia que é usada na fabricação de produtos de limpeza, o ácido sulfúrico que é altamente corrosivo e usado em baterias automotivas, querosene, gasolina ou outro tipo de solvente que é para dar a combustão ao produto e, para render aumentando a sua lucratividade, a cal virgem, ou cal viva que também é tóxica e usada em construções ou plantações, que ao serem misturados e manipulados se transformam numa pasta meio endurecida de cor branca caramelizada onde se concentra mais ou menos 40% a 50% de cocaína que é para dar o efeito alucinógeno ao seu usuário.
Particularmente e principalmente pelo grande mal físico causado ao seu dependente, assim como, pelos diversos depoimentos colhidos em conversa com usuários do crack que foram unânimes em afirmar que há um cheiro de gasolina ou querosene na pedra, e quando da fumaça do produto, um forte cheiro de pneu queimado (a não ser que existam vários tipos de fabricação do produto), fico, portanto com a segunda opção que é a mais grave e contundente, conforme demonstra o caso ser. De todas as minhas pesquisas e estudos sobre o tema, em todos os meus artigos é dessa fórmula que falo e não me canso em afirmar os efeitos nefastos causados pelo crack ao organismo do seu usuário, quais sejam:
O crack causa destruição de neurônios e provoca ao seu usuário a degeneração dos músculos do seu corpo, conhecida na medicina como rabdomiólise, o que dá aquela aparência esquelética ao indivíduo, ou seja, ossos da face salientes, pernas e braços finos e costelas aparentes.
O usuário do crack pode ter convulsão e como conseqüência desse fato, pode levá-lo a uma parada respiratória, coma ou parada cardíaca e enfim, a morte. Além disso, para o debilitado e esquelético sobrevivente seu declínio físico é assolador, como infarto, dano cerebral, doença hepática e pulmonar, hipertensão, acidente vascular cerebral (AVC), câncer de garganta e traquéia, além da perda dos seus dentes, pois o ácido sulfúrico que faz parte da composição química do crack assim trata de furar, corroer e destruir a sua dentição.
A estratégia governamental a ser posta em prática terá de imediato disponibilizados R$ 410 milhões em recursos, dentre os quais, R$ 13 milhões que serão destinados à área curativa com a duplicação dos leitos existentes e construção de novos CAPS. Para a questão da prevenção e repressão ao tráfico de drogas, a pasta do Ministério da Justiça receberá R$ 120 milhões, tendo como uma das metas, a construção de 11 postos de fronteira com policiais especializados em detectar crimes de contrabando e tráfico de drogas, embora tal estratégia se mostre ainda pequena para a quantidade de opções marginais existentes para a entrada de drogas no nosso país a para o abastecimento junto aos traficantes.
Em contrapartida o crime organizado continua investindo pesado do tráfico de drogas. Muita cumplicidade perversa promove e mantém o crack no seio da nossa sociedade. Tudo prolifera e floresce com muito arranjo sinistro. As Polícias Militar, Civil e Federal apesar de todos os esforços empreendidos, com prisões e apreensões diariamente de muitos traficantes e de grandes quantidades de crack, não tem conseguido efetivamente vencer essa guerra.
Aliados a tais medidas governamentais é preciso também da conscientização popular principalmente na área da educação. Dentre as formas de prevenir está a questão de se oferecer atividades escolares extracurriculares que despertem mais atenção dos estudantes, além de um convívio mais profundo e dialogado entre alunos com professores, psicólogos e especialistas, assim como, entre pais e filhos, para enfim, lutarmos com todas as forças possíveis contra essa epidemia.
Não podemos achar que a polícia e a medicina resolverão os problemas, que, muitas vezes, se iniciam nos lares, escolas, festas, shopings center e outros lugares de convivência social, principalmente dos jovens, mais expostos, por vários motivos, à atração do mundo das drogas.
Delegado de Policia. Pós-Graduado em Gestão Estratégica de Segurança Publica pela Universidade Federal de Sergipe)
archimedes-marques@bol.com.br
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

MOBILIZAÇÃO PELA EXTINÇÃO DO FATOR PREVIDENCIÁRIO - DOMINGO - COPACABANA.


Movimento ACORDO JÁ! convida:
Ex-trabalhadores da Varig, Aposentados e Pensionistas AERUS,
Familiares e Amigos:

Domingo, 30 de maio de 2010
10 horas
Pela extinção do Fator Previdenciário
Praia de Copacabana - Posto 5
Rio de Janeiro

JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL

CORONEL DE POLÍCIA

Ex-CORREGEDOR INTERNO

PROGRAMA DELEGACIA LEGAL VAI PARAR NA JUSTIÇA.

JORNAL O DIA:
Justiça bloqueia bens de coordenador do programa Delegacia Legal
Mais 7 réus foram denunciados pelos MPs estadual e federal por improbidade
POR ADRIANA CRUZ
Rio - "O juiz da 5ª Vara de Fazenda Pública, Eduardo Perez Oberg, determinou o bloqueio de bens de oito réus, entre eles, o coordenador do Programa Delegacia Legal, César Campos. O grupo foi denunciado pelos ministérios públicos Estadual e Federal à Justiça por improbidade administrativa. Na ação, os promotores pediram que eles fossem obrigados a devolver pelo menos R$ 4 milhões aos cofres públicos e ficassem oito anos sem trabalhar como servidores.
Segundo a denúncia, houve irregularidades em contrato assinado entre a Secretaria Estadual de Segurança e a Fundação José Pelúcio Ferreira. Em função disso, ano passado, como O DIA publicou, o estado devolveu à União R$ 10.261.003,04. O valor foi referente à verba, acrescida de juros e correção monetária, recebida para a integração dos bancos de dados das polícias Civil e Militar, em 2003.
O convênio firmado entre os governos federal e estadual previa treinamento de pessoal e compra de equipamentos, como 100 microcomputadores. Na época, o Rio recebeu da União R$ 5.507.242,92 e investiu mais R$ 1.376.810,73. Segundo a Secretaria de Segurança, o contrato foi cancelado em 2004, por não ter sido cumprido integralmente, após prestação de contas à Secretaria Nacional de Segurança. Mesmo assim, a Fundação José Pelúcio recebeu R$ 6.884.053,65.
Além de César Campos, ficarão com os bens bloqueados: Ricardo Guimarães, Roberto Falcão, Marcelo de Oliveira, Jéssica de Almeida, Cândisa Ribeiro, Luiz Azevedo e a Fundação José Pelúcio Ferreira".
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

ATO CÍVICO - HOSPITAL ESTADUAL GETÚLIO VARGAS.


Prezados leitores, em virtude do mau tempo, não houve condições de realizar o ato referente a nossa luta por cidadania, em frente ao Hospital Estadual Getúlio Vargas, nessa sexta-feira. Marcarei uma nova data.
Amanhã, compareçam à Faculdade Simonsen, no bairro de Padre Miguel, onde será realizado o terceiro encontro do Conselho Luz Azul, que objetiva fortalecer politicamente a PMERJ, com a eleição de Policiais Militares para a ALERJ e para a Câmara dos Deputados.
Na segunda-feira, estaremos realizando um ato cívico na UERJ.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

PREZADOS LEITORES, BOM DIA!

"(..) Ser policial é algo que nem todos podem entender,
na luta contra o mal (...)"
(Coronel de Polícia Horsae)

JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

quinta-feira, 27 de maio de 2010

CONSELHO LUZ AZUL - PM VOTA EM PM - TERCEIRO ENCONTRO.


O Conselho Luz Azul realizará o seu terceiro encontro com a participação de vários Policiais Militares (Oficiais e Praças) pré-candidatos para as próximas eleições.
Compareça e divulgue para todos.
Uma Polícia Militar forte só será possível sendo também uma força política.
Dia 29 Mai 2010 - Sábado - 14:00 horas (quatorze horas).
Local: Auditório das Faculdades Simonsen.
Rua Ubitiuva nº. 151, Padre Miguel.

JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

FACEBOOK - AMANHÃ - CORONEL PAÚL - FLASH-TALK.


Amanhã estarei conversando no Flash-talk do Facebook (clique), no período das 19:00 às 20:00 horas.
Será um prazer receber as suas perguntas.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

SEPULTAMENTO DE UM POLICIAL ASSASSINADO EM SERVIÇO.

A dor é da família, dos amigos e dos Policiais Militares.
O Sargento Ulisses tinha tempo para ir para a inatividade, mas continuava trabalhando, quando ontem foi assassinado por criminosos covardes e hoje foi sepultado com todas as honras militares.
Sérgio Cabral não compareceu e nem mandou representante.
Beltrame não compareceu e nem mandou representante.
Talvez tenha sido melhor, eles não gostam de nós.
Mário Sérgio não compareceu e foi representado por Millan.
A seguir posto um vídeo do sepultamento e peço atenção especial para o grande número de companheiros que compareceram, para a salva, para a dor transmitida pelo toque da corneta e para a entrega da bandeira nacional aos familiares do Policial Militar.

A dor é nossa.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

TV RECORD: O AGRADECIMENTO DOS POLICIAIS MILITARES, BOMBEIROS MILITARES E POLICIAIS CIVIS.

A TV Record (RJ Record) reproduziu a nossa entrevista no Jardim da Saudade, onde tratamos dos salários famélicos dos heróis sociais, demonstrando a independência com relação ao governo Sérgio Cabral (PMDB), o que infelizmente não é uma regra no Rio.
A imprensa livre é um pressuposto da democracia, um freio nos ditadores.
Parabéns à TV Record e o nosso especial agradecimento a equipe que fez a reportagem.
É a Rede Record rumo ao primeiro lugar, ombreando com a luta dos Bombeiros Militares, Policiais Militares e Policiais Civis que rumam para a conquista de salários dignos e justos.
A reportagem poderá ser repetida em outro telejornal da Record e no Balanço Geral, amanhã.
JUNTOS SOMOS FORTES!

PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

POLÍCIA MILITAR: O SEPULTAMENTO DE UM HERÓI.

Sérgio Cabral não compareceu e nem mandou representante.
Beltrame não compareceu e nem mandou representante.
Mário Sérgio não compareceu e foi representado por Millan.
Eu fui uma das centenas de pessoas que compareceramos ao sepultamento do 2º Sargento da PM Ulisses Alves Correa Filho, do 14o BPM, assassinato covardemente por marginais da lei.
Fiz um protesto silencioso em frente ao cemitério Jardim da Saudade (Sulacap), colocando as duas faixas que ilustram esse breve artigo e registrei imagens para produzir um vídeo sobre esse ato que destrói o coração de todos que amam a Polícia Militar e os Policiaisi Militares.
No vídeo, vocês poderão ver o que a família de um Policial Militar leva para casa, após ter entregue o corpo do seu ente amado para defender a sociedade, uma bandeira nacional, cuidadosamente dobrada.
A viúva do Sargento Ulisses não terá direito:
- Bolsa formação do PRONASCI;
- R$ 350,00 por ser apto;
- Bolsa Copa;
- Bolsa Olimpíada; ou
- Qualquer outra gratificação temporária que Ulisses recebia.
A pensionista terá direito a uma pensão calculada sobre o SALÁRIO MISERÁVEL que ele recebia.
Temos que lutar por SALÁRIOS DIGNOS, a nossa família precisa que cada um de nós aprenda essa verdade.

No Jardim da Saudade dei entrevista para a TV Record, para o jornal O Dia e para o jornal O Povo do Rio.
Infelizmente, amanhã, o Sargento Ulisses só existirá na memória dos seus familiares e amigos, pois para os governantes, ele e todos nós, somos apenas um número.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

POLICIAIS CIVIS, BOMBEIROS MILITARES E POLICIAIS MILITARES, AGEM NA DIREÇÃO DO "JUNTOS SOMOS FORTES!"

Bombeiros Militares, Policiais Militares e Policiais Civis unificaram as mobilizações na luta pela PEC 300 e por salários dignos no Rio de Janeiro.
O primeiro ato em conjunto será uma carreata pelas ruas do Centro do Rio, no dia 11 JUN 2010, com concentração às 15:00 horas, na Rua Irineu Marinho.
São esperadas centenas de veículos particulares.


JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

A RESPOSTA A ESSE ESCÁRNIO ("AUMENTO") NÓS DAREMOS NA CARREATA DO DIA 11 JUN 2010.

EXTRA:
5%, UM ESCÁRNIO!
ALOJAMENTO DOS SOLDADOS DA UPP
DO PAVÃO-PAVÃOZINHO
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

O RIO CADA VEZ MAIS SEGURO DE CABRAL-BELTRAME.

O GLOBO:
O Rio tem a maior taxa de assassinato de policiais do mundo, Cabral -Beltrame rumam para o centéssimo Policial Militar assassinado em serviço.
E ele quer ser reeleito...
JUNTOS SOMOS FORTES!

PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

A ALEGRIA DOS NOVOS HERÓIS DO RIO DE JANEIRO.

O DIA:
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

quarta-feira, 26 de maio de 2010

17 FEV 2008 - DOIS ANOS SE PASSARAM E O VÍDEO É ATUALÍSSIMO.

O vídeo começa com um "Fora Cabral", na forma de "tenha dignidade, peça para sair".
As imagens são de milhares de Policiais Militares e Bombeiros Militares que protestaram contra a exoneração do Coronel de Polícia Ubiratan, Comandante Geral, o último reconhecido pela tropa.
A marcha (segunda, a primeira foi no dia 27 JAN 2008) foi um marco da nossa luta por cidadania.

A nossa luta nunca foi interrompida, pois ela só terá fim com a vitória do BEM.
E, nós somos o BEM!
Hoje marcamos também o início formal de uma campanha contra a reeleição de Sérgio Cabral e de seus aliados.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO