sexta-feira, 26 de agosto de 2011

POLÍCIA MILITAR: PRESSÃO DE BAIXO PARA CIMA - OS RECRUTAS OBRIGAM O COMANDO DA CORPORAÇÃO A PROVIDENCIAR O FARDAMENTO.

Os Praças do Corpo de Bombeiros estão fazendo escvola no Rio de Janeiro, graças ao nosso bom Deus.
A inércia do andar de cima fez com que Praças do Corpo de Bombeiros ganhassem as ruas do Rio de Janeiro na luta por melhores salários e adequadas condições de trabalho.
Inverteram a pirâmide hierárquica e passaram a ser a voz do Corpo de Bombeiros.
Eles criaram o tsunami vermelho que varreu um Comandante Geral, isso até a presente data.
No dia 30 AGO 2011, os Praças do Bombeiros Militares voltarão para a ALERJ e o tsunami poderá iniciar nova varredura.
Felizmente, a ação dos Praças do Corpo de Bombeiros parece estar contagiando os Praças da PMERJ. Infelizmente, um grupo pequeno e especial de Praças, os alunos do Curso de Formação de Soldados.
Lembro que esses novos PMs ainda não foram contagiados pelas beneces da banda podre institucional e esperamos que uma grande parte deles consiga resistir. É importante destacar esse ponto, pois após ingressar na banda podre, o PM passa a a não reclamar mais de nada, não reclama dos salários miseráveis e nem das péssimas condições de trabalho, aliás, só reclama se for impedido de trabalhar nas ruas, sua principal fonte de "renda".
Os novos Soldados da PMERJ, sofrendo uma série de descasos durante meses, resolveram soltar a voz na imprensa e no nosso blog, pressionando a gestão da modernidade a fazer alguma coisa.
Os primeiros resultados começam a aparecer, o que significa que a pressão deve ser contínua para que os resultados sejam alacançados.
Ordeira e pacificamente, lutando por seus direitos, os novos Soldados da PMERJ estão dando uma grande lição aos coronéis.
"JORNAL EXTRA:
Alunos do Cfap vão se formar no próximo dia 6, garante comandante da PM.
Djalma Oliveira
O comandante geral da Polícia Militar do Estado do Rio (PMERJ), coronel Mário Sérgio Duarte, afirmou ontem que a formatura dos cerca de 500 alunos do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cfap) — que aguardam há uma semana pela cerimônia e cuja maioria será destinada à instalação de novas UPPs — acontecerá no dia 6 de setembro. Para isso, diz ele, as fardas que os futuros policiais vão vestir na solenidade foram providenciadas e deverão ser entregues aos alunos a partir de segunda-feira. Desde o início da semana, o EXTRA publica reportagens denunciando a precariedade na formação de soldados da corporação.
— Pelo nosso cronograma, essa turma teria que se formar até o dia 1 de setembro. Mas adiamos para o dia 6 para conciliar as agendas do governador e de outras autoridades — explicou o coronel Mário Sérgio.
Outra reclamação dos alunos é o atraso no pagamento da ajuda de custo mensal. O comandante da PM reconheceu o problema e disse que o repasse será regularizado no próximo mês, mas não informou a data para o acerto dos atrasados. De acordo com o coronel Carlos Eduardo Milagres Pereira, chefe do Estado-Maior Administrativo da PM, o efetivo que cuida da inclusão dos alunos do Cfap na folha de pagamento do estado será reforçado para agilizar o processo e evitar novos atrasos na liberação do dinheiro.
Segundo o coronel Mário Sérgio Duarte, parte dos alunos que vão se formar no dia 6 será lotada na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Mangueira, logo após a formatura. Com a saída desses formandos do Cfap, ficará aberto o espaço para que comece a formação de cerca de 600 outros alunos, que aguardam desde julho pelo início das aulas. Alguns deles até já pediram demissão de seus empregos para ingressar na PM.
Fazer curso externo é ‘jogar dinheiro fora’
Sobre as denúncias feitas por alunos do Cfap de que receberiam recomendações dos instrutores para procurar cursos de qualificação fora da unidade, o coronel Mário Sérgio Duarte garantiu que quem faz isso está “jogando dinheiro fora”:
— Ele está gastando dinheiro para aprender algo que é ensinado dentro da própria polícia. Isso está me parecendo uma espécie de sedução perversa, temos que saber o interesse por trás disso.
Com o objetivo de investigar quem está sugerindo os cursos externos aos alunos, foi aberto um Inquérito Policial Militar (IPM). Os alunos ou os policiais que tiverem denúncias a respeito do Cfap podem fazê-lo, de maneira anônima, pelo site da Corregedoria Interna da corporação: www.cintpm.rj.gov.br.
— Eu quero saber se esse aluno está se sentindo pressionado a fazer esse tipo de curso. Eu recomendo que quem esteja fazendo os cursos pare de fazer — afirmou o comandante".
A Polícia Militar da gestão da modernidade dá um show de incompetência e subserviência política.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
PROFESSOR E CORONEL
Ex-CORREGEDOR INTERNO

2 comentários:

Anônimo disse...

A produção da fábrica está a todo vapor, sai 500 alunos e entrarão 600 alunos para o próximo curso. Será que haverá estrutura física para este 100 alunos a mais? Ou continuará o mesmo descaso no quartel de abrante?

Anônimo disse...

Somente aqui nesta vara criminal, há mais de 50 processos de autos de resistência e em muitos deles há mais de um policial envolvido. Isso é um problema crônico na PM, que pode ser resolvido com uma melhor formação do policial e uma análise psicológica de cada um — disse o juiz....E melhores salários tambémne?.....Só o Cabral não enxerga isso!!!

http://extra.globo.com/noticias/rio/oito-policiais-sao-suspeitos-de-envolvimento-no-assassinato-de-juiza-em-niteroi-2528018.html