domingo, 21 de agosto de 2011

AMANHÃ - REUNIÕES - OS BOMBEIROS MILITARES DO RIO DE JANEIRO VENCERÃO!

Nos anos de 2007 e 2008 cresceu no seio da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro o embrião das mobilizações organizadas na luta por melhores salários e por adequadas condições de trabalho, isso faz parte da história das duas corporações e parte dessa luta está inserida no meu primeiro livro impresso, Cabral contra Paúl - A Polícia Militar de joelhos, que será lançado na próxima quinta-feira, dia 25 de agosto de 2011.
O embrião continuou crescendo através da insistência de um pequeno grupo em permanecer lutando nas ruas e hoje podemos afirmar que a nossa luta é por cidadania plena e pela construção do militarismo cidadão, pondo fim a nossa condição de cidadãos de segunda classe ou meio cidadãos, com restrição inexplicável de nossos direitos constitucionais.
Nesse cenário de mudanças surgiu o maior movimento de militares ocorrido no Brasil em todos os tempos, isso em termos numéricos, a mobilização dos Praças do Corpo de Bombeiros Militares, que chegou a reunir quase 30.000 pessoas na Praia de Copacabana. A mobilização conquistou uma força tão poderosa que contagiou a população e o apoio aos mobilizados passou a ser muito grande, enquanto isso, o algoz desses heróis, o governador Sérgio Cabral (PMDB), alcançava uma rejeição quase que completa, em face do seu péssimo governo.
O escrito até esse momento faz parte da história, nada pode ser negado, uma história que não seria considerada crível por quem não conhecesse o movimeto e comparecesse nesse domingo no Aterro do Flamengo, no intuito de acompanhar a mobilização dos SOS BOMBEIROS na Meia Maratona do Rio.
O grupamento de Bombeiros deu um show, mostrando que a ideia da participação no evento foi excelente, entretanto, apenas cerca de 30 BMs e familiares compareceram para apoiar os participantes.
A convocação feita no site oficial não foi atendida pela tropa, essa é a realidade.
O que isso significa?
Difícil precisar.
Todos nós que temos participado dessas páginas gloriosas escritas pelos Praças do CBMERJ, usando o nosso ferramental mental, podemos produzir inúmeras interpretações.
Quem estará certo ou errado ao final?
Difícil determinar, todavia, penso que na maioria das interpretações surgirá uma opinião comum no sentido de que a mobilização está se enfraquecendo. Aliás, não creio que qualquer Bombeiro ou familiar conclua na direção contrária, ou seja, que a mobilização está em fase de crescimento.
Os que concordam que estamos em um processo de diminuição da mobilização estão preocupados, certamente, considerando que todos nós queremos que os Bombeiros vençam e alcancem todos os seus objetivos:
- Salário líquido de R$ 2.000,00.
- Auxílio-transporte.
- Fim das gratificações.
- EPIs em perfeitas condições.
Nesse ponto, devo dirigir-me aos companheiros que estão preocupados, como eu estou, considerando que os que consideram que tudo está correndo bem não precisam das minhas opiniões.
Prezados Bombeiros e familiares, nada está perdido, vocês vencerão!
Eu continuo fazendo essa afirmação escudado na forma de mobilização dos Praças, algo impressionante.
Obviamente, o caminho para a vitória passa por reestruturações. É indispensável um planejamento muito bem feito, que minimize esforços físicos e mentais, diminua o gasto de dinheiro, além de proteger a tropa contra os riscos desnecessários. Entretanto, não basta apenas entender que planejar é preciso. Antes de começarmos a planejar temos que adotar uma série de decisões, algumas duras, pois sem o estabelecimento desses parâmetros, os quais nortearão o planejamento, corremos o risco de planejarmos na direção errada.
A título de colaboração cito algumas questões que ainda não foram pensadas, discutidas e votadas democraticamente, as quais considero como as mais importantes:
- Queremos que a mobilização seja de todo CBMERJ com Oficiais e Praças unidos?
- Acreditamos que o governador Sergio Cabral (PMDB) atenderá às solicitações?
- A forma como está sendo conduzida a mobilização pela comissão organizadora está sendo a melhor?
- Nós precisamos de uma nova associação?
- A mobilização deve ser laica?
- Devemos aceitar a participação de políticos nos nossos atos?
- Devemos investir seriamente na convocação dos Policiais Militares?
Respondidos esses questionamentos, poderemos nos sentar e planejarmos juntos as reestruturações necessárias para que a vitória seja alcançada.
Penso que sem essa avaliação e sem essas decisões, a vitória será muito mais difícil de ser alcançada.
É hora de reconhecer erros e acertos, antes que a insatisfação se transforme em um grande obstáculo para a vitória.
É preciso se mexer!
Em tal direção, hoje soube no Aterro do Flamengo, que alguns companheiros pretendem se reunir na ALERJ, amanhã, às 14:00 horas, para conversarem sobre a mobilização, o que considero apropriado e oportuno.
E, antes de alguém sugira que planejam um golpe contra a comissão, que eles (as) estão pretendendo derrubar alguém ou dividir a mobilização, lembro que os reunidos estarão no exercício dos seus direitos e melhor ainda será se levarem as suas propostas para a reunião que se realizará às 19:00 horas, no SINDSPREV, amanhã, com a comissão e os representantes das OBMs.
Por derradeiro, alguém viu algum político apoiando os Bombeiros no Aterro do Flamengo, nesse domingo?
Não dei sorte, não vi nenhum.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
PROFESSOR E CORONEL
Ex-CORREGEDOR INTERNO

9 comentários:

Anônimo disse...

CEL ESSA É HORA!!JÁ CONSEGUIMOS MINAR O MOVIMENTO,A ASSOCIAÇÃO E A LIDERANÇA.AGORA VAMOS INICIAR O NOSSO MOVIMENTO,UM MOVIMENTO REALMENTE DEMOCRÁTICO,QUE,CERTAMENTE,REVOLUCIONARÁ O RJ.
CONTAMOS COM SENHOR PARA LIDERAR O NOVO E VERDADEIRO MOVIMENTO DE VALORIZAÇÃO DA SEGURANÇA PÚBLICA.

Anônimo disse...

Já estou contactando o pessoal e amanhã às 14 h estarei lá.Vamos jogar a pá de cal!!!kkkkk...

Anônimo disse...

21/08/2011 / Direto ao Ponto

O BILIONÁRIO ACASALAMENTO DE CABRAIS E CAVENDISHS IRRIGA OS CANTEIROS DE OBRAS

Depois de deixar eventuais explicações por conta da assessoria de imprensa, Sérgio Cabral saiu de seus cuidados para comentar a descoberta de que o governo do Rio acabou de beneficiar a Delta Construções, pertencente ao empresário Fernando Cavendish, com outro lote de “contratos para obras emergenciais” ─ sem licitação, naturalmente ─ que somam R$ 37,6 milhões. “Eu tomei conhecimento com a imprensa, não estava nem sabendo”, desconversou Cabral.

Com apenas 10 palavras, o declarante conseguiu, simultaneamente, agredir a língua portuguesa, atropelar a verdade, menosprezar a inteligência alheia, zombar da polícia, do Ministério Público e da Justiça ─ e deixar claro que se trata de um reincidente patológico. Ele prometera criar juízo ao emergir do período de luto decretado em 17 de julho pela queda de um helicóptero no litoral da Bahia. Pelo jeito, piorou.

Só no primeiro semestre deste ano, Cabral irrigou com R$ 58,7 milhões os canteiros de obras sem licitação da Delta. Abalroado pelo acidente que escancarou as relações mais que promíscuas que o ligam à família do amigo, anfitrião, patrocinador, agente de viagens e contraparente Fernando Cavendish, encomendou um código de conduta para vigiar-se. A nova safra de negócios malandros confirma que a encomenda foi mais um monumento ao cinismo.

Os contratos foram assinados por Luiz Fernando Pesão, secretário de Obras, vice-governador e candidato à sucessão do chefe e amigo. Um porta-voz da secretaria lembrou que as obras “têm alta complexidade” e que parte do dinheiro vem do governo federal. Uma nota da Delta engrossou o discurso sobre o nada: “A motivação para a escolha da Delta para obras emergenciais é o fato da empresa ter capacidade e agilidade para atender a essas demandas”.

Deve ser a única no mundo. Nos últimos quatro anos e sete meses, a empresa Cavendish faturou, em contratos com o governo do Rio, R$ 1,3 bilhão. A coisa fica mais espantosa quando exposta pela procissão de zeros à direita: 1.300.000.000. O bilionário acasalamento de cabrais e cavendishs não é caso para código de conduta. É coisa para o Código Penal.

Fonte:
http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/direto-ao-ponto/o-bilionario-acasalamento-de-cabrais-e-cavendishs-irriga-os-canteiros-de-obras/

Anônimo disse...

21/08/2011 21:15
Cabral desafia os limites da impunidade

http://www.blogdogarotinho.com.br/lartigo.aspx?id=8723

Anônimo disse...

Cel Paúl,porque o Senhor não forma uma associação de Militares Estaduais,seria muito bom,pense bem nobre valente Coronel.PMs e BMs no local

Anônimo disse...

"Com apenas 10 palavras, o declarante conseguiu, simultaneamente, agredir a língua portuguesa, atropelar a verdade, menosprezar a inteligência alheia, ZOMBAR DA POLÍCIA, DO MINISTÉRIO PÚBLICO E DA JUSTIÇA ─ e deixar claro que se trata de um reincidente patológico."
*****
SOMENTE UM COMENTÁRIO: VERGONHA!

Anônimo disse...

Cel. Paúl é com grande tristeza que presenciei ontem a resposta de uma corporação que disse basta ao movimento dizendo não:
a) A fundação de uma Associação que todos sabemos para que é.
b) A política de arrogância dos líderes em seus Blogs.
c) A política dos líderes ditadores que toman decisões sem escutar e consultar a TROPA.
d) A política de aceitar apoio de políticos que só querem divulgação.
e) A política de usar a religião no movimento.
f) A política em dizer que já houve várias conquistas quando na realidade conquista nenhuma foi alcançada.
g) A política do toma lá da cá.
h) A política de se ajoelharem a políticos em função de uma anistia.
Ontem presenciamos nesta tal maratona (A qual foi cobrados setenta e poucos reais mais a camisa para poder correr) e que foi divulgada durante dias, meia dúzia de bombeiros entre parentes, em um mundo de milhares de bombeiros da ativa e da reserva que disseram NÃO a política do movimento em não comparecer.
Onde estavam os 439 bombeiros que se humilharam, passaram fome, se afastaram de seus lares em função das prisões, mancharam seus nomes em um processo penal, sonhando com um movimento que não se curvasse a políticos e empresários?
Pois 82% dos 439 mandaram um recado de NÃO a política adotada DITATORIAL, imposta por DACIOLO, LÉO, SARDELLE e outros líderes.
O movimento acabou coronel Paúl. Pois esta evidenciado que os parlamentares em Brasília depois da fatídica reunião, silenciaram, calaram e impuseram ao movimento o basta de ferir seus partidos em troca da anistia.
Na realidade Marco Maia Presidente do Congresso Nacional disse ao MOVIMENTO o seguinte:
Ao invés de dizer “”” NA MARRA A PEC 300 NÃO IRÁ PARA PAUTA ““, ELE DISSE: SE CONTINUAREM NA MARRA A DESMORALIZAR NOSSOS PARTIDOS A ANISTÍA NÃO SERÁ ASSINADA “”” De lá para cá o movimento começo a sucumbir, e para finalizar com um tiro de misericórdia após o encontro de representante do Palácio Guanabara esfriou de fato o movimento, parando todas as manifestações.
Vamos para as Ruas, TVs, Jornais, revistas e continuar mostrando ao Brasil e ao mundo quem é o PT e o PMDB.

Apoio o anônimo - 21 de agosto de 2011 20h58min em suas palavras em outro movimento liderado pela tropa, por inativos, e pensionistas e não por meia dúzia de Bombeiros que estão se achando Coronéis e donos do CBMERJ.
Pois não podemos ficar reféns de líderes medrosos que se curvaram a políticos e a empresários.
MOVIMENTAÇÃO JÁ, ALERJ JÁ, RUAS JÁ, MOVIMENTO NOS BAIRROS JÁ, MOVIMENTO NOS MUNICÍPIOS JÁ. A NOSSA LUTA É AQUI NO RJ E NÃO CHORARMOS EM BRASÍLIA E PARALIZARMOS UM MOVIMENTO EM FUNÇÃO DE UMA ANISTÍA.

Para onde foi o nosso grito """ “NENHUM PASSO DAREMOS ATRÁS” “" Estamos andando para trás sim, alias senhores líderes do SOS Bombeiros, e do Bombeiros do Brasil.
O movimento SUCUMBIU, ACABOU e ontem foi dada a resposta a política que vocês adotaram.
DESABAFO DE UM BOMBEIRO

Anônimo disse...

Coronel Paúl. invista nesse movimento já.
Pois não podemos ficar presenciando a inércia do SOS. Bombeiros, e do Bombeiros do Brasil.
MOVIMENTO DE VALORIZAÇÃO DA SEGURANÇA PÚBLICA
ALERJ RAPIDAMENTE.

Anônimo disse...

POR MAIS DO QUE DERRADEIRO, PAÚL, PORQUE NÃO HAVIA NINGUÉM NA ALERJ HOJE, INCOMPETÊNCIA SUA OU DO TENENTE BANDEIRA...