sábado, 27 de agosto de 2011

POLÍCIA MILITAR - GESTÃO DA MODERNIDADE - AS CADEIRAS E OS COQUETÉIS.

A gestão da modernidade realizou uma autêntica dança das cadeiras, mais uma, nos comandos da Polícia Militar.
A simples análise que se segue já foi feita por mim em danças anteriores, mas sou forçado a voltar ao tema na busca de uma explicação plausível que ainda não recebi de ninguém.
As nomeações e as exonerações de Comandantes, Chefes e Diretores são atribuições do comandante geral da Polícia Militar, portanto, ele é o responsável por todas elas.
Não preciso elencar as boas qualidades que levam um comandante geral a nomear um Oficial para uma função de comando, chefia ou direção, mas gostaria de citar alguns dos principais motivos que podem levar a exoneração:
1) O Oficial solicita a exoneração.
Não é comum, mas acontece. Na maioria das vezes ocorre em face de problemas na vida pessoal.
2) A necessidade de nomear o Oficial para uma função superior.
O Oficial tem se destacado tão positivamente que é recomendável atribuir a ele maiores responsabilidades para atender ao interesse público. Exemplificando, ocorre quando um Comandante de Batalhão é elevado a um Comando Intermediário (Comando de Policiamento de Área) que coordena vários batalhões.
3) O mau desempenho no exercício da função.
Não alcança os resultados esperados.
4) O Oficial está sendo investigado por desvio de conduta.
Ocorre, via de regra, quando explode na imprensa uma denúncia.
Em apertada síntese, esses são os mais frequentes.
A seguir transcrevo a relação das mudanças feitas pela gestão da modernidade, começando pelas nomeações:
NOMEAR
No cargo de Cmt do 2° BPM, o Cel PM RG 40.549 JOSE DA SILVA MACEDO JUNIOR
No cargo de Cmt do 6º BPM, o Cel PM RG 40.521 JOSÉ ARTUR SAMAHA DE CARVALHO
No cargo de Cmt do 7° BPM, o Cel PM RG 43.559 DJALMA JOSÉ BELTRAMI TEIXEIRA
No cargo de Cmt do 12° BPM, o Cel PM RG 43.592 SERGIO LUIZ MENDES AFONSO
No cargo de Cmt do 14º BPM, o Cel PM RG 46.709 ANTONIO HENRIQUE DA SILVA OLIVEIRA
No cargo de Cmt do 15° BPM, o Ten Cel PM RG 54.591 MARCELO MOREIRA MALHEIROS
No cargo de Cmt do 16° BPM, o Ten Cel PM RG 49.268 GLÁUCIO MOREIRA DA SILVA
No cargo de Cmt do 17° BPM, o Cel PM RG 39.109 WOLNEY DIAS FERREIRA
No cargo de Cmt do 19° BPM, o Ten Cel PM RG 52.827 CLAUDIO COSTA DE OLIVEIRA
No cargo de Cmt do 20° BPM, o Ten Cel PM RG 43.579 PAULO HENRIQUE AZEVEDO MORAES
No cargo de Cmt do 21° BPM, o Ten Cel PM RG 53.516 CLAUDIA DE MELO LOVAIN DE MENEZES CARDOSO
No cargo de Cmt do 22º BPM, o Ten Cel PM RG 43.594 CLAUDIO LUIZ SILVA DE OLIVEIRA
No cargo de Cmt do 27° BPM, o Cel PM RG 40.534 ALVARO SÉRGIO ALVES DE MOURA
No cargo de Cmt do 31º BPM, o Ten Cel PM RG 53.600 LUIZ OCTAVIO LOPES DA ROCHA LIMA
No cargo de Cmt do 34° BPM, o Ten Cel PM RG 36.249 CÉLIA GONÇALVES RODRIGUES
No cargo de Cmt do 35° BPM, o Cel PM RG 49.263 DANILO NASCIMENTO DA SILVA
No cargo de Cmt do 39° BPM, o Ten Cel PM RG 50.936 ANTÔNIO MARCOS NETTO DOS SANTOS
No cargo de Cmt do BPChq/GEPE, o Ten Cel PM RG 54.580 JOÃO FIORENTINI GUIMARÃES
No cargo de Cmt do BPTur, o Ten Cel PM RG 53.590 AZIZA DA CUNHA RAMALHO COSTA
No cargo de Cmt do CQPS, o Cel PM RG 39.116 JOÃO SILVESTRE DE ARAUJO
No cargo de Diretor da DGP/DAS, o Ten Cel PM RG 39.148 BERNARDETE CAMPBELL DE FREITAS DOS SANTOS
No cargo de Cmt do RCECS, o Cel PM RG 40.254 CRISTIANO LUIZ GASPAR
No cargo de Cmt da UP/PMERJ, o Ten Cel PM RG 50.948 RICARDO ARLEM DE GOUVEA MATTOS
(Ref. Memo. nº. 0571/2551, de 26 Ago 2011, do EMG)
OBS: Devem ser rigorosamente observados os prazos determinados na nota nº. 075, de 18 Mar 99 do EMG, republicada em Bol PM nº. 073, de 26 Jul 2002.
(Tomem conhecimento todas as OPMs envolvidas)
Nesse ponto da análise destaco que para o comande geral os nomeados possuem as boas qualidades necessárias que motive as suas nomeações.
Vamos agora verificar a lista das exonerações, não esquecendo os motivos elencados anteriormente e que devem ser os motivos prováveis das exonerações.
EXONERAR
Do cargo de Cmt do 2º BPM, o Cel PM RG 46.709 ANTONIO HENRIQUE DA SILVA OLIVEIRA (14o BPM).
Do cargo de Cmt do 6º BPM, o Ten Cel PM RG 53.600 LUIZ OCTAVIO LOPES DA ROCHA LIMA (31o BPM).
Do cargo de Cmt do 7º BPM, o Ten Cel PM RG 43.594 CLAUDIO LUIZ SILVA DE OLIVEIRA (220 BPM).
Do cargo de Cmt do 12° BPM, o Ten Cel PM RG 43.579 PAULO HENRIQUE AZEVEDO MORAES (20o BPM).
Do cargo de Cmt do 14° BPM, o Cel PM RG 43.559 DJALMA JOSÉ BELTRAMI TEIXEIRA (7o BPM).
Do cargo de Cmt do 15° BPM, o Cel PM RG 40.534 ALVARO SÉRGIO ALVES DE MOURA (27o BPM).
Do cargo de Cmt do 16° BPM, o Cel PM RG 40.549 JOSE DA SILVA MACEDO JUNIOR (2o BPM).
Do cargo de Cmt do 17° BPM, o Ten Cel PM RG 50.936 ANTÔNIO MARCOS NETTO DOS SANTOS (39o BPM).
Do cargo de Cmt do 19° BPM, o Ten Cel PM RG 53.516 CLAUDIA DE MELO LOVAIN DE MENEZES CARDOSO (21o BPM).
Do cargo de Cmt do 20° BPM, o Cel PM RG 43.592 SERGIO LUIZ MENDES AFONSO (12o BPM).
Do cargo de Cmt do 21° BPM, o Ten Cel PM RG 50.948 RICARDO ARLEM DE GOUVEA MATTOS (UP/PMERJ).
Do cargo de Cmt do 22° BPM, o Ten Cel PM RG 49.268 GLÁUCIO MOREIRA DA SILVA (16o BPM).
Do cargo de Cmt do 27° BPM, o Cel PM RG 49.263 DANILO NASCIMENTO DA SILVA (35o BPM).
Do cargo de Cmt do 31° BPM, o Cel PM RG 40.254 CRISTIANO LUIZ GASPAR (RCECS).
Do cargo de Cmt do 34° BPM, o Ten Cel PM RG 39.148 BERNARDETE CAMPBELL DE FREITAS DOS SANTOS (DGP/DAS).
Do cargo de Cmt do 35° BPM, o Cel PM RG 39.117 CEZAR AUGUSTO TANNER DE LIMA ALVES.
Do cargo de Cmt do 39° BPM, o Cel PM RG 39.116 JOÃO SILVESTRE DE ARAUJO (CQPS).
Do cargo de Cmt do BPTur, o Ten Cel PM RG 52.827 CLAUDIO COSTA DE OLIVEIRA (19o BPM).
Do cargo de Diretor da DGP/DAS, o Ten Cel PM RG 53.590 AZIZA DA CUNHA RAMALHO COSTA
Do cargo de Cmt do RCECS, o Cel PM RG 40.521 JOSÉ ARTUR SAMAHA DE CARVALHO (6o BPM).
Do cargo de Cmt do CQPS, o Ten Cel PM RG 36.249 CÉLIA GONÇALVES RODRIGUES.
Do cargo de Cmt da UP/PMERJ, o Cel PM RG 39.109 WOLNEY DIAS FERREIRA.
Do cargo de Cmt do BPChq/GEPE, o Ten Cel PM RG 54.591 MARCELO MOREIRA MALHEIROS (15o BPM).
Prezados leitores, eu destaquei os que foram exonerados de Comandos de Batalhões e foram nomeados para comandar outros batalhões, ou seja, permaneceram no mesmo nível funcional, exercendo idêntica função, apenas trocando de cadeira e de sede.
Vamos contar...
Quinze!
Dos vinte comandantes de batalhão nomeados, quinze vieram de outro batalhão.
Por que foram exonerados desses comandos?
1) O Oficial solicita a exoneração - NÃO!
2) A necessidade de nomear o Oficial para uma função superior - NÃO! Todos ficaram no mesmo nível funcional.
3) O mau desempenho no exercício da função. NÃO! Nesse caso não seriam automaticamente nomeados.
4) O Oficial está sendo investigado por desvio de conduta. NÃO! Nesse caso não seriam automaticamente nomeados.
Qual a motivação para as exonerações?
Um mero capricho da gestão da modernidade?
Pode ser, afinal isso demonstra poder e afaga a vaidade que existe em todos nós.

O certo é que essas mudanças provocaram gastos do dinheiro público nos coquetéis de passagem e de assunção dos comando, além de uma série enorme de transferências de Oficiais, pois cada comandante deslocará seus Oficiais fiéis do antigo para o novo comando.
Só não vale levar a cadeira do comandante, pois se isso ocorrer, aí mesmo que nada mudará.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
PROFESSOR E CORONEL
Ex-CORREGEDOR INTERNO

10 comentários:

Ricardo Oscar vilete Chudo disse...

A maquina administrativa não consegue implantar os novos policiais na folha de pagamento, mas, na "modernidade", uma série de implicações administrativas são cumpridas com excelência.

Anônimo disse...

Dia 30: ALERJ!!! GOVERNO CONTINUA MENTINDO // VÁRIOS VÍDEOS DOS BMs NA LUTA POR DIGNIDADE CONVOCANDO PARA ALERJ // Primeiros ônibus confirmados!!
Senhores, dia 30 ainda nem chegou e o governo do estado continua mentindo.... Por isso, na quinta-feira divulgou com grande festa o vale transporte (clique aqui), sempre mentindo sobre a real remuneração dos BOMBEIROS e requentando na imprensa a gratificação miserável de R$ 350, que será concedida mediante cursos. Gratificação que desde o início combatemos e que o Governo do Estado requenta na imprensa desde junho!


POR ISSO, SENHORES, MAIS DO QUE NUNCA: DIA 30, ALERJ, 16H, É O BOMBEIRO NO LOCAL! SE VOCÊ BUSCA DIGNIDADE PARA SUA FAMÍLIA, VEM! TRAGAM SEUS FAMILIARES.

Tcel Roberto RG 36.161 disse...

Caríssimo Coronel,
A troca de seis se faz por meia dúzia. Nada mudará, pq não tinha o que mudar. Aos Oficiais Comandantes tinham que dar autonomia administrativa e operacional, para que ele pudesse operar o sistema e não ficar sob o jugo de outros interesses que não o trabalho Policial Militar, qdo "comandado" por terceira pessoa.
Infelizmente a prática se renova e é fruto de antigas cartilhas que nunca deram certo. Alguns estão indo para "solo fértil" e enfrentarão, ou não, o poder das "bandas podres". Outros estarão voltando aos "ninhos" onde foram criados e conhecem todos os caminhos.
Mais uma vez a decepção por esta gestão me assola o coração.
Abçs e JSF!!!!!

Anônimo disse...

UMA CIDADE OLÍMPICA: A ENXADA, A ORDEM UNIDA, O MARACANÃ E A JUÍZA ACCIOLI; O ÔNIBUS ALVEJADO E A CORRUPÇÃO. A POLÍCIA (AINDA MILITAR) DO FALIDO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. E NÃO HAVERÁ VOLTA.

Quem é sabe: os termos acima possuem íntima e perigosa ligação: falta de recursos de um lado, resultados trágicos do outro. Mas somente com o assassinato da juíza é que as coisas começaram a tomar forma (somente quando os “do alto” forem ameaçados e atacados seremos respeitados).

As grades do condomínio não trazem mais proteção, como diz a letra da música. Aliás, nunca trouxeram. Somente os separaram da realidade vividas por nós, pobres mortais. Deste lado, do lado real, o nosso real, vive-se o dia-a-dia, pós-dia, à noite, na guerra, da ida ao trabalho e a volta para casa, “3 pra ir 5 pra voltar”. Quem vive o real sabe.

A enxada caleja as mãos. A pele torna-se grossa. Áspera. E nos ensina, num aperto mútuo, separando o “real nosso do real deles”. Andamos juntos no treinamento, mas somos separados na batalha. Cada um por si. Eu estou bem. Está bom. “Tá ruim, mas tá bom”, ensinam alguns aos desavisados. Ordeiramente unidos no campo de ensino; desordenadamente separados no campo de batalha.

Depois de “formados” no tiro-porrada-e-bomba, os civis fardados, ordeiramente bem treinados e instruídos no campo de ensino, vão à guerra, como todo bom militar – vive-se uma guerra – a polícia é militar – combater o cidadão criminoso, rebelde. 5 horas pra voltar? Não. Não há volta. O tiro-porrada-e-bomba aprendido no campo de ensino interrompe a volta do rebelde trabalhador desgraçado. Sim. Não há mais volta. As horas de serviço externo em dias de jogos de futebol no Maracanã e no Engenhão me ensinaram a não ter volta. Só chegada. Já diz a nossa escala de serviço, em letras garrafais: “De 08:00 ao término”. Não. Não há término. Não há volta.

Não houve volta para “aquela” juíza, a Accioli. (Sou brasileiro e já me falha a memória...). Seu martelo pesado contra o sistema corrupto deu cabo à sua vida. Uma andorinha, como nome pomposo de “Estado-juiz”, voou sozinha ao destino previamente estabelecido no campo de ensino. Os assassinos bem treinados e ordeiramente unidos num sistema altamente qualificado de seleção lhe tiraram a volta.

Mais policiamento, diz o cidadão. Mais policiamento, determina o CMT Geral. Usam-se todos. Até nós, do escritório, do burocrático. Do “serviço interno”. É normal. São sete anos sem uma reciclagem sequer. Anos sem treinamento adequado. Anos e anos longe da atividade-fim. Mas vamos às ruas “proteger o cidadão”. Não haverá volta.

A cidade é olímpica. É o Rio de Janeiro. O “legado” servirá para amenizar as mortes dos cidadão inocentes. Nos lembraremos. Da juíza, de... do... bem, nos lembraremos.

Mais homens, diz Cabral. Mais homens então são “recrutados”. UPP. Círculo de segurança. Olimpíadas. Copa.

Mais mortes (de inocentes), vê a população. Mais homens então são excluídos. UP/PMERJ. Sem segurança. Sem saúde. Sem educação.

Domingo tem FLAxVAS, no Engenhão...

...E não haverá volta.
Postado por Oliveira SD PM às Sábado, Agosto 27, 2011 0 comentários Links para esta postagem
Reações:

Anônimo disse...

Boa tarde Cel Paul!

Tenho ouvido na imprensa e hoje eu ouvi também na TV um praça do BOPE falar durante um evento de lutas, patrocinada pelo CMD da Corporação, envolvendo praças do BOPE, que "ELE IRIA LUTAR PELO BOPE E TAMBÉM PELA POLÍCIA MILITAR", essa distinção tem sido feita pela imprensa e também pelo comando da corporação que discrimina quem não é do BOPE e separa BOPE do RESTO.

Analisando o tratamento dispensado pelo Cel Mário Sérgio,governo e imprensa com os PM, eu que nunca fui do BOPE olho para o meu salário e deveria achar que sou o resto mas ao contrário do que eles pensam, Polícia Militar é Polícia Militar os resto é o resto.

Quem patrulha as ruas e está no dia a dia com a população somos nós policiais militares, não o resto que vem dar tiros pro alto e fazer pirotecnia e ainda recebe mais por isso.

Major PM.

Anônimo disse...

sábado, 27 de agosto de 2011

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DE CABRAL REVOGOU A LEI FEDERAL 8.666, QUE EXIGE LICITAÇÃO PARA OBRAS.

Carlos Newton

O governador Sérgio Cabral não toma jeito. É tão ocupado que ainda nem teve tempo de ler o Código de Conduta Ética, que ele mesmo criou, para enfim saber o que é certo ou errado na administração pública. Segue fazendo contratações sem licitação, com as que beneficiaram semana passada a Delta Construções, de seu amigo Fernando Cavendish. No mesmo pacote de obras, contratou – também sem licitação – A EMPREITEIRA DO DEPUTADO PAULO MELLO, do PMDB, presidente da Assembléia Legislativa, só por coincidência, é claro.

Entre as 18 obras “emergenciais” contratadas pelo governo, quatro contratos favorecem a Oriente Construção Civil, que vai receber R$ 11,4 milhões. Diretor e filho de uma das donas da construtora, o empresário Geraldo André de Miranda Santos formou, em abril, uma outra sociedade em parceria com o deputado estadual: a PMGA Incorporação e Construção Ltda., que tem R$ 4,5 milhões de capital social e cotas divididas em partes iguais entre Santos e Melo. A empreiteira vai receber R$ 11,4 milhões, vejam a que ponto chegamos.

Os quatro contratos da Oriente são para obras na Região dos Lagos, base eleitoral do parlamentar: duas em Saquarema (reduto do deputado), uma em Maricá e outra em Araruama, onde fica a sede da construtora. Paulo Melo, também por coincidência, é casado com a prefeita de Saquarema, Franciane Motta. Nessa cidade, as intervenções da Oriente vão custar R$ 5,1 milhões ao Estado.

Na composição de capital da PMGA, Melo registrou R$ 1,95 milhão a partir de um terreno em Saquarema. Santos fez o mesmo, mas distribuiu os valores em cinco lotes. Pelo menos um dos terrenos fica próximo às obras. Como o jornal Estado de S. Paulo revelou, as 18 obras com dispensa de licitação somam R$ 96,3 milhões, e a maior parte do dinheiro vai para a Delta Construções, de Fernando Cavendish, o amigo íntimo de Cabral, o que também é apenas coincidência .

***
PREFEITO IMITA CABRAL

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, também está se especializando em obras sem licitação. A mais recente acaba de ter sua autorização publicada no Diário Oficial da Prefeitura do Rio e se refere a obras para os Jogos Olímpicos de 2016, mas em caráter emergencial, sem licitação, como se a Olimpíada fosse acontecer mês que vem.

O objeto do contrato com a Tibouchina Empreendimentos S/A são “despesas com aquisição de terreno para assentamento das famílias de Vila Autódromo”, sem licitação de acordo com o art. 24, Inciso X da Lei 8.666/93 e suas alterações. O valor é de R$ 19,9 milhões.

Fonte:
http://www.tribunadaimprensa.com.br/?p=22595

Anônimo disse...

O mais importante a Polícia Militar do Rio de Janeiro não tem, salário digno. Com soldos inferiores ao salário mínimo em vigor, não há como oferecer um serviço de qualidade à população. O PM trabalha cansado, pois precisa fazer "bico" na folga para complementar a falta de salário.

O 2º Sgt, o 3º Sgt, o Cb e o Sd recebem soldos inferiores ao salário mínimo!

Anônimo disse...

A tragédia ocorrida em Santa Teresa demonstra que o Rio de Janeiro não está preparado para sediar a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos, pois não há segurança para os turistas. Receber os estrangeiros é uma responsabilidade muito grande e o Brasil não tem condições de garantir a integridade física dos mesmos.

Anônimo disse...

O mais importante da PM é ter um comandante geral digno, não esse Mauricinho que não faz nada, é mais uma marionete. Vc tira pelos comandos de batalhões, antigamente vc qd chegava a tenente coronel, vc era sub comandante de batalhão, agora vc vai direto comandar sem nunca ter entrado num batalhão, como pode? E os comandantes ficam do lado de fora aguardando comandos...

Anônimo disse...

O absurdo está tão generalizado,que já tem subtenente trabalhando em cabine na linha vermelha.
Cadê os soldados,Cel Paul por favor diga que é mentira,diga que a PM não acabou !!!...