terça-feira, 2 de agosto de 2011

03 DE JUNHO DE 2011 - TOMADA DO QG DO CBMERJ - PRISÃO ILEGAL.

Amanhã se completa o segundo mês após o dia que um grupo de Bombeiros Militares, desarmados, em trajes civis e acompanhados de familiares, saíram da ALERJ e caminharam até a Praça da República (Campo de Santana), onde tomaram o Quartel General do Corpo de Bombeiros, em face da facilitação e do incitamento para essa ação por parte do governo Sérgio Cabral (PMDB). Logo após esses fatos, por volta das 21:00 horas, ocorreu a minha prisão ilegal, naquela sexta-feira.
Os Bombeiros Militares resolveram voltar para as ruas exatamente nesse dia, 03 AGO 11, dois meses depois da prisão de 439 Bombeiros e 2 Policiais Militares por terem se amotinado e ocupado o Quartel General.
Uma ótima notícia, as ruas voltarão a ficar vermelhas.
A data para mim também terá um significado especial, marcará uma nova fase na minha luta pela apuração de responsabilitades sobre a criminosa omissão governamental, sobre a ilegalidade da minha prisão e de outros constrangimentos praticados contra mim.
Os nossos leitores sabem que eu comuniquei esses ilícitos em diversos órgãos dos governos federal e estadual, além de comunicar à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/RJ) e à Associação Brasileira de Imprensa (ABI).
Amanhã, eu começo a solicitar informações sobre as providências adotadas por cada uma das autoridades que recebeu a documentação, considerando que mais de um mês já se passou das minhas comunicações.
É meu direito, eu quero saber o que cada autoridade fez a partir das graves denúncias protocoladas.
No âmbito estadual, por exemplo:
O que fez o Procurador Geral de Justiça?
O que fez o Presidente do Tribunal de Justiça?
O que fez o Presidente da ALERJ?
O que fez o Corregedor Geral Unificado?
O que fez o Secretário de Segurança?
O que fez o Juízo da Auditoria de Justiça Militar?
Eu quero saber o que cada autoridade fez.
Até a presente data apenas a Presidência da República, a Presidência do Supremo Tribunal Federal, a Presidência do Senado Federal e a Presidência da ABI responderam aos comunicados feitos por mim.
O Comando da Polícia Militar, por sua vez, extraiu contra mim um Documento de Razões de Defesa (DRD), o qual respondi solicitando providências para que possa exercer o contraditório e a ampla defesa.
Na PMERJ, a vítima, passou a ser o acusado.
Amanhã, eu recomeço a peregrinação pelos órgãos públicos.
Toda resposta obtida eu publicarei no nosso espaço democrático.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
PROFESSOR E CORONEL
Ex-CORREGEDOR INTERNO

3 comentários:

Anônimo disse...

Presidente da Câmara diz que PEC 300 não será votada em agosto


'Será um semestre de muitas emoções', diz presidente da Câmara

Na volta dos trabalhos do Legislativo após o recesso, o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), afirmou nesta segunda-feira (1º) que o semestre será de "muitas emoções" no Congresso, tanto por causa dos debates políticos e embates entre base e oposição, quanto por propostas polêmicas a serem votadas.

O presidente da Casa também disse que ministros do governo Dilma Rousseff envolvidos em suspeitas de corrupção devem dar explicações no Congresso, mas ressalvou que isso não pode ser transformado meramente em debates políticos. "Não vejo problema em os ministros virem ao Congresso prestar esclarecimentos, mas também não podemos criar um clima de denuncismo", afirmou.

A oposição deve apresentar nesta semana requerimento de convocação de cinco ministros: Agricultura (Wagner Rossi), Transportes (Paulo Passos), Minas e Energia (Edison Lobão), Desenvolvimento Agrário (Afonso Florence) e Cidades (Mário Negromonte).

A ofensiva acontece tanto no Senado quanto na Câmara. Além disso, o PSDB tenta realizar audiência pública com pessoas que representem os órgãos de fiscalização.

"Não estou dizendo que será um semestre fácil, será um semestre de muitas emoções", afirmou.

Sobre as pautas que podem trazer problemas na Câmara, Maia citou a emenda 29, que regulamenta o dinheiro a ser investido na saúde, e a PEC 300, proposta que cria um piso salarial para policiais de todo o país. O presidente da Câmara ressaltou que nenhum desses pontos deve ser votado em agosto. "Precisamos achar um acordo entre Estados, municípios e governos", disse, referindo-se à emenda 29.

Maia deve fazer reunião de líderes amanhã para decidir sobre a pauta da semana. Ele ressaltou, no entanto, que a ideia é votar o projeto que amplia o teto para as empresas entrarem no Supersimples.

Após reunião com a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais), o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), apontou como prioridades as medidas de contenção da crise internacional e a política industrial. Esse tema, segundo Marco Maia, deve ser votado no final do semestre. "Temos um contingente de matérias do semestre passado", explicou.

Vaccarezza lembrou que a Câmara terá que analisar nove medidas provisórias. Os petistas participam nesta segunda-feira de um seminário da legenda sobre prioridades dos filiados para o semestre no Legislativo

Papo De Bombeiro disse...

Qual quer tipo de Fator RH!!!
Lauro Botto
Caros amigas e amigas,
Um grande amigo, Tenente Wagner Meirelles, precisa de nossa ajuda!
Foi diagnosticada leucemia e ele necessita com urgência de doadores de sangue tipo A negativo. Ele segue internado no Barra D'or, em observação.
Servimos juntos no 2º GBM - Méier, onde pude conquistar sua amizade e perceber o quão camarada e profissional esse jovem e promissor oficial BOMBEIRO ele é. Contamos com sua ajuda!

Seguem as informações para doação de sangue do Ten BM Wagner Meirelles:
A coleta pode ser feita na Hematologistas Associados S/C Ltda.
Rua Conde de Irajá, nº 183 - Botafogo - RJ
Tel: (21) 2537-7440
Fax: (21) 25277300
ou
Na Rua Santa Luzia, nº206 - Castelo - RJ

De segunda a sexta-feira: das 7:30 às 13:00.
Sábado: 8:00 à 12:00.

Avise que é para o Carlos Wagner dos Santos Meirelles de Andrade, hospital Barra Dor e solicite a contagem de plaquetas.

E vamos rezar e torcer para que nosso irmão supere esse obstáculo o quanto antes!

JUNTOS SOMOS FORTES!

Anônimo disse...

Só basta dizer que as medidas provisórias do governo é que serão votadas, só elas. Um abraço.
"só se toma atitudes políticas para beneficiar a pobre neste país, quando elas não podem ser adiadas" GREVE JÁ'