quinta-feira, 30 de setembro de 2010

O GLOBO DESMORALIZA A DUPLA CABRAL-BELTRAME.

O GLOBO
A intenção não era esta, O Globo guarda uma ótima relação com a dupla Cabral-Beltrame, sobretudo quando o tema são as UPPs, todavia, a leitura do editorial "VIGILÂNCIA PERMAMENTE" feita por quem tem um mínimo conhecimento sobre o tema segurança pública, revela que o texto desmoralizou por completo a gestão Sérgio Cabral (PMDB).
O texto é cruel logo nas primeiras palavras: "ERA PREVISÍVEL".
Cidadão, sempre que algo não desejável ERA PREVISÍVEL e acaba acontecendo, via de regra, ocorreu um erro de planejamento, pelo menos para minimizar os efeitos.
Nada mais natural, falta de planejamento, em uma gestão amadora e centrada nos interesses políticos. Beltrame, o gestor, não é especialista em policiamento ostensivo, muito menos em preservação da ordem pública, ele é investigador, portanto, falta munição técnica para a guerra do Rio. Ele percorre a rotina do ensaio e erro, tendo como alicerce o politicamente correto. Promoveu batalhas memoráveis, assessorado por Mário Sérgio e Roberto Sá, como no caso da Batalha do Alemão, com dezenas de mortos. Hoje o Alemão é terra proibida para as polícias, falam em 1.000 fuzis na comunidade, as mortes foram em vão, inclusive a de umPM do BOPE. A partir do meio de 2008, Beltrame descobriu a "pacificação" e seus votos, aí foi distribuir lanches, andar de bicicleta e dançar em bailinhos nas comunidades "pacificadas".
O editorial NÃO CITA A TRANSFERÊNCIA DOS TRAFICANTES, nem trata da NÃO PRISÃO DOS TRAFICANTES das comunidades "pacificadas" e da NÃO APREENSÃO DOS FUZIS que eles usam, mas tais realidades são de domínio público.
O jornal cita os arrastões e as milícias como consequências das UPPs, mas erra, salvo melhor juízo, ao pedir PACIÊNCIA.
Como paciência?
As pessoas estão morrendo em face deste amadorismo da dupla Cabral-Beltrame, as ruas estão virando um inferno e as polícias batem cabeça, inteiramente desorientadas, como eu pude presenciar ontem, quando sacrifiquei um dia de campanha, na reta final, para acompanhar as ações contra os arrastões.
Foi muito triste presenciar o caos que estamos vivenciando, viaturas e policiais sendo baseados, expostos a toda sorte de risco e sem a mínima infraestrutura. Ontem, Policiais Militares que assumiram o serviço às 06:00 horas, estavam sem almoço até às 16:00 horas. Operações sem um mínimo de planejamento, sem a indispensável segurança, realizadas por meia dúzia de policiais.
O governo deve pensar: Danem-se, são só PMs!
Policiais Militares que foram retirados de suas áreas de atuação e colocados em áreas que não conhecem, sobretudo, não conhecem a rotina dos criminosos da região, o que aumenta sobremaneira o risco de morte.
Ouvi que em algumas áreas os delitos teriam aumentado em face destes deslocamentos, algo a ser apurado.
É amadorismo completo.
É politicagem pura.
A gestão da segurança pública no Rio parece uma galinha sem cabeça se debatendo na cozinha, após a cozinheira ter cortado a sua cabeça e a deixado escapar.
Os resultados: agonia, morte e sangue por todo lado.
O edital prega de forma resignada e errada que "AGORA, é planejar operações policiais para sufocar a bandidagem também nestas modalidades de crime".
Agora? Cara pálida!
O Globo deve estar brincando, uma brincadeira mórbida.
Tal previsão deveria estar no planejamento inicial, antes da implantação da primeira UPP, tendo como foco principal a prisão dos criminosos da comunidade e a apreensão das armas, nunca AVISANDO ANTES e PERMITINDO A TRANSFERÊNCIA PARA OUTRAS COMUNIDADES.
E, por favor, não me venham falar em evitar confrontos nas comunidades, porque se a desculpa for esta, além de estúpida a estratégia passa a ser elitista, ou seja, estará adiando os confrontos inevitáveis para as áreas menos nobres do Rio, onde um tiro vale menos que um tapa em Copacabana.
Sugiro ao jornal O Globo que acompanhe as atuais "operações", converse com os Policiais Militares, em "off" eles falam, assim o jornal conhecerá a completa incapacidade da atual gestão da segurança pública.
Aliás, hoje a dupla Cabral-Beltrame inaugurará mais uma UPP. Por favor, perguntem para onde foram os traficantes, seus fuzis, suas granadas e suas pistolas?
Afinal, ninguém foi preso, nada foi apreendido.
Será que foram para o Leblon, para a Barra da Tijuca ou para a Costa Verde?
Ontem, eu assisti a pior operação policial do universo, ela ocorreu na parte da tarde no viaduto que dá acesso ao túnel Noel Rosa, mas ela será tema para o próximo artigo.
Só Deus para nos salvar e nos livrar de tanta incompetência.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

O RIO EM PÂNICO: SOCORRO! ALGUÉM FAÇA ALGUMA COISA...

A população do Rio de Janeiro está em pânico, o resultado da falta de uma política séria para a área da segurança pública.
O Rio parece uma ZONA DE GUERRA, fuzis e granadas são colocadas na cara da população.


O GLOBO

O jornal O Globo noticiou este novo arrastão (leia).
SOCORRO!
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

AS ORGANIZAÇÕES GLOBO E A NOSSA CANDIDATURA ( I V ).

O DIA
Prezados leitores, a nossa candidatura deve ter sido uma das mais baratas entre os candidatos a deputado federal do Rio de Janeiro. Os recursos próprios investidos foram os permitidos pela minha contabilidade doméstica, portanto, mínimos. Por isso, não canso de agradecer ao DEMOCRATAS e ao candidato à reeleição, deputado estadual Rodrigo Dantas (DEM), pelo apoio na forma de material de campanha. Além deste apoio partidário, devo agradecer muito a todos que participam da divulgação da nossa candidatura, consumindo recursos próprios e tempo precioso.
Eis a verdade.
Diante desta realidade, qualquer espaço na mídia tratando da nossa candidatura é muito importante, como o concedido pelo jornal O Dia, no artigo que ilustra este artigo. Agradeço aos responsáveis pela publicação.
Não tive a mesma sorte nos jornais O Globo e Extra, mas também agradeço, afinal, falem (escrevam) mal, mas falem (escrevam) de mim.
Como pode ser comprovado nos três artigos anteriores, primeiro, o jornal Extra deu uma nota onde eu, o Coronel Ubiratan (candidato a deputado estadual), o Coronel Menezes (Corregedor Interno) e os Coronéis Barbonos fomos referenciados de forma "não positiva", podemos escrever assim.
Nesta semana decisiva, O Globo nos colocou próximo de candidaturas "pitorescas", podemos escrever assim. O colunista, Artur Xexéo, nos prejudicou confundindo os eleitores nos identificando como sendo candidato a deputado estadual e pelo PR. Reclamamos por email, ele retificou.
Vida que segue.
Eu gostaria de ser um dos escolhidos para ser divulgado na coluna diária do jornal O Globo, "Conheça os Candidatos", pois seria uma ótima divulgação, . Não conheço os critérios utilizados para a escolha dos candidatos, mas sei que a divulgação tem grande força para os beneficiados, que ganham um "plus" de visibilidade positiva, o que não foi o nosso caso,
porém, pelo menos escreveram sobre a nossa candidatura.
A nossa candidatura pode não ser vitoriosa, mas incomodou muita gente, afinal, quantos querem um CORREGEDOR na política brasileira?
E, se for vitoriosa, subverterá a verdade de que para eleger um deputado federal são necessários MILHÕES DE REAIS e fará nascer a força das candidaturas corporativas no serviço público fluminense.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

AS ORGANIZAÇÕES GLOBO E A NOSSA CANDIDATURA ( III ).

EXTRA
Berenice Seara

"O que fazia mais barulho, então Corregedor,
Paulo Ricardo Paúl, é candidato a deputado federal"

JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

AS ORGANIZAÇÕES GLOBO E A NOSSA CANDIDATURA ( II ).

O GLOBO
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

AS ORGANIZAÇÕES GLOBO E A NOSSA CANDIDATURA ( I ).

O GLOBO

JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

PREZADOS LEITORES, BOM DIA!

"TODO HOMEM QUE SE VENDE
RECEBE MUITO MAIS DO QUE VALE"
(Barão de Itararé)

JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

SÉRGIO CABRAL (PMDB) ZOMBA DO POVO FLUMINENSE.


ESTADÃO.COM.BR
"Cabral relaciona onda de arrastões no Rio à eleição.

ALFREDO JUNQUEIRA E BRUNO BOGHOSSIAN - Agência Estado
O governador Sérgio Cabral Filho (PMDB), candidato à reeleição, resolveu politizar a série de arrastões ocorridos no Rio de Janeiro nos últimos dias. Segundo ele, a ocorrência desses crimes a poucos dias das eleições é "estranhíssimo" e que trata-se de uma tentativa de desestabilizar o processo e causar medo na população. No entanto, Cabral não disse se havia informações de inteligência relacionando os arrastões às eleições nem a quem interessaria a instabilidade no pleito.
"Evidente que essas manifestações são muito estranhas às vésperas das eleições. Uma sequência atrás da outra em alguns lugares da cidade e do Estado", disse Cabral. "Não pensem eles que vão ficar por aí colocando susto, medo e pavor. É um instrumento dos marginais desesperados com a vitória dessa política de segurança que está acuando", afirmou o governador.
Em 36 horas, bandidos armados fecharam cinco ruas de diferentes regiões da capital do Estado e da Baixada Fluminense para assaltar motoristas e roubar carros. Hoje pela manhã, criminosos com pistolas e uma granada bloquearam a passagem de uma rua residencial do Jardim Botânico, na zona sul da capital fluminense, e levaram os pertences dos motoristas antes de fugir.
Ontem, 15 homens armados roubaram quatro carros no Jacaré e três em Anchieta, dois bairros da zona norte da capital. No mesmo dia, bandidos levaram dois carros em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, e mantiveram um aposentado de 67 anos refém por cerca de uma hora. Na noite de segunda-feira, motoristas de quatro carros foram parados em um trecho pouco iluminado de uma via de São Conrado, na zona sul, e roubados por bandidos que seriam da Favela da Rocinha (...)".
Penso que Sérgio Cabral (PMDB) deveria encerrar a sua milionária campanha com uma carreata, em carro aberto, sem BLINDAGEM e sem ESCOLTA, por toda a Zona Norte, Zona Oeste, Baixada Fluminense e São Gonçalo, no horário das 20:00 às 06:00 horas de sexta-feira ou sábado. Assim, desmentiria todos os boatos sobre a completa insegurança vivenciada pela população fluminense. Vamos lá, governador, mostre que todos os arrastões são golpes políticos...
O Rio está pacificado, governador, venha ser abraçado pelo povo fluminense, afinal, o povo ama vossa excelência.

JUNTOS SOMOS FORTES!

PAULO RICARDO PAÚL

CORONEL DE POLÍCIA

Ex-CORREGEDOR INTERNO

BANDA SINFÔNICA DA PMERJ - MAIS UM SHOW.


Big Band 190.
O solista é o Sargento de Polícia Claudio.

A música é superstation.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

LIVRO O CHEFE - IVO PATARRA - LEIA NA INTERNET.


Prezados leitores, o livro O CHEFE (Ivo Patarra) está disponível na internet.
Vou ler e penso que vocês deviam fazer o mesmo (leia).
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

NOSSO BLOG: A VOZ DOS LEITORES.

EMAIL RECEBIDO:
Bem Cel.
Como nós relatamos por diversas vezes, a fábrica de PM do Beltrame e de Cabral, sob a assustadora conveniência de MS e sua turma começa a dar resultado. Os jornais de hoje relatam casos de policiais "recrutas" envolvidos com diversos delitos. Não que esse fato não aconteça com a tropa mais antiga. Mais, a PMERJ, não pode facilitar. Alterar editais, dar chance aos candidatos reprovados, tornar superficial a pesquisa social, intimidar o setor de psicologia, mudar a grade de matérias do processo de seleção, etc. Tudo para facilitar o acesso e atender os anseios políticos de Cabral e Beltrame e os anseios de poder de Mario Sergio e seu grupo. Por sinal, esse grupo de MS sempre esteve perto do poder, mais parece que não aprenderam nada. De nosso Comandante Geral não podemos falar muito, pois foram vários anos se dedicando a outra atividade, algo muito louvável, mais esqueceu de conhecer a sua Corporação.
Quem será responsabilizado por essa covardia?
Não sabemos.
Sabemos que pagará por isso.
A POPULAÇÃO E A CORPORAÇÃO.
"O DITO E CANTADO FUTURO REPETE OS ERROS DO PASSADO E SE TORNA UM PRESENTE SEM FUTURO"
Abs e boa sorte em sua nova etapa.
Anônimo
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

DIREITOS DOS POLICIAIS MILITARES: CARGA HORÁRIA SEMANAL E PAGAMENTO DE HORAS EXTRAS.

EMAIL RECEBIDO:
Tribunal Determina que a carga horária da PM não pode passar de 40 horas semanais, e caso isso ocorra o Governo terá de pagar horas extras aos PMs e BMs.
Um militar cansado de tanto trabalhar e não ser remunerado por isso, e da omissão do Governo Rio Grande do Norte de Regulamentar a carga horária dos Militares daquele Estado, ingressou com um Mandado de Injunção, solicitando que o TJRN, determinasse o Governo do RN, que enquanto o governo não mandasse um lei regularizando a carga horária dos militares daquele Estado fosse cumprida um lei daquele estado que determina ser de 40 horas para funcionários civis, o TJRN acatou o pedido por unanimidade, logo o que ultrapassar de 40 horas o governo terá de pagar horas extras aos militares daquele estado. O TJRN também deu um prazo de 150 dias para que o Governo do Rio Grande do Norte envie projeto a Assembléia daquele Estado regulamentando a carga horária dos Militares daquele Esstado. Veja a Sentença.
TJRN determina que a carga horária do pm e bm será de 40 horas semanais
Dica do Rodrigo Brugnole.
Nota: Informo que já estamos preparando um mandado de injunção para ser impetrado aqui, no Estado do Rio de Janeiro. Os processos, além da carga horária de 40hs semanais, abrangerão a remuneração de horas-extras e a aposentadoria especial (20 anos). Interessados me procurem por aqui, ou enviem e-mail para sardellastutz@gmail.com .
Postagem original do site Bombeiros do Brasil.
Policiais Militares, Bombeiros Militares e Policiais Civis precisamos aprender a exigir os nossos direitos.
EXIGIR, esta é a palavra.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

RIO: A IRRESPONSABILIDADE DAS UPPs E OS ARRASTÕES.


A grande pergunta da população sobre a instalação das UPPs tem sido:
- Se era tão fácil, por que não foi feito antes?
Cidadão, podemos até perguntar para a dupla Cabral-Beltrame:
- Se era tão fácil, por que não começou a ser feito em 2007, no início do governo?
O questionamento é lógico diante da realidade que estamos assistindo, considerando que áreas que eram dominadas por traficantes de drogas fortemente armados e dispostos a defender seus territórios a qualquer preço, repentinamente são "tomadas" pela Polícia Militar, mediante AVISO PRÉVIO, sem um único disparo, sem qualquer prisão ou apreensão de fuzis e ocupadas por centenas de jovens Policiais Militares.
A situação parece tão simples que Sérgio Cabral (PMDB) declarou no debate de ontem, novamente, que ocupará todas as comunidades dominadas pelo tráfico de drogas.
- Se era tão fácil, por que não foi feito antes?
A resposta é muito simples:
Os governos anteriores, inclusive do partido do governador Sérgio Cabral (PMDB), não foram tão irresponsáveis a tal ponto.
As UPPs são uma falsa solução para a criminalidade como um TODO no Rio de Janeiro, sobretudo por não prender os criminosos, apenas os transfere.
O "projeto" é vendido como uma panacéia, festejada em bailinhos de debutantes e na distribuição de doces, empurrando os traficantes de drogas para as outras regiões do Rio, regiões "MENOS NOBRES", nas quais tiros de fuzis repercutem menos que um tapa na Zona Sul.
As UPPs são um absurdo técnico e um sucesso eleitoreiro.
A relação número de policiais x número de moradores é a maior do mundo.
A desorganização administrativa é total.
Existem as mais diferentes escalas nas UPPs, apesar do serviço ser idêntico em todas elas.
Uns recebem RioCard, outros não.
Uns recebem gratificação, outros não.
Uma zona!
Faltam água potável, alojamentos dignos, cadeiras, equipamentos de proteção adequados, entre outras coisas.
Alguns PMs comem em pé, comida fria servida em quentinhas.
Falta vergonha na cara!
Os Policiais Militares que fizeram concurso para trabalharem por oito anos no interior estão sendo obrigados a permanecerem no município do Rio, tanto nas UPPs, quanto nos batalhões da capital, para que Cabral possa se reeleger.
Dane-se o edital!
Há poucos minutos, a TV Globo, anunciou a ocorrência de um novo arrastão, o quarto ou quinto em menos de 24 horas, o Rio vive o caos da insegurança.
A solução encontrada por Beltrame é colocar viaturas estacionadas por 24 horas, ao longo das vias onde ocorrem com frequências os arrastões, retirando o policiamento de outras áreas, pois quase 2.000 Policiais Militares estão imobilizados nas UPPs, isso sem falar nos "milhares" que estão fora da Polícia Militar, trabalhando para outros senhores. Os últimos dados que obtive davam conta que cerca de 2.000 Policiais Militares não trabalhavam na PMERJ.
Cidadão, obviamente, as ruas estão vazias de policiamento e as comunidades onde instalaram UPPs estão repletas de policiamento. O problema é que os criminosos com seus fuzis estão nas ruas, embora alguns continuem vendendo drogas nas áreas onde foram instaladas as UPPs, como a mídia já comprovou, mas estes não precisam mais usar fuzis, pistolas e granadas, tudo foi transferido para o asfalto. A comunidade está "pacificada", as outras facções não podem mais invadir.
Os arrastões são uma das decorrências da TRANSFERÊNCIA DOS TRAFICANTES promovida na instalação de cada UPP. Os criminosos migram para outras comunidades dominadas pela sua facção, levando suas armas de guerra (fuzis). São acolhidos, todavia não podem ser empregados na venda de drogas, o "mercado" não permite, assim sendo, precisam praticar outros crimes e invadem a "pista" com seus fuzis, praticando arrastões.
Tal consequência é natural, absolutamente previsível.
Fica claro que isso não foi feito antes por que é um grande erro.
Amanhã, Cabral inaugurará uma nova UPP, utilizando Policiais Militares que moram no interior, alguns consumiram mais de 6 horas para no trajeto casa-quartel, pois a distância é superior a 400 quilômetros.
Dane-se a regulamentação que diz que o PM deve trabalhar até a 100 quilômetros de sua residência.
Cabral quer, a Polícia Militar de joelhos obedece.
O que está sendo feito no Rio de Janeiro é uma irresponsabilidade, um desrespeito a maioria da população fluminense, que sobrevive nas áreas "MENOS NOBRES" do Rio.
E, no meio dos bailinhos e da distribuição de doces, você, cidadão, com um fuzil na cara tendo que sair correndo do seu carro, arrastando seus entes queridos e torcendo para não levarem um tiro de fuzil.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

TEMOS QUE SALVAR A POLÍCIA MILITAR.

JORNAL O DIA:
1) PMs suspeitos de roubar carros
Lotados na UPP do Andaraí, dois soldados são presos com armas adulteradas. Vítima de assalto reconhece um deles
Rio - Dois soldados lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Andaraí, inaugurada há dois meses, foram presos ontem de madrugada, em Itaboraí, após serem flagrados por policiais do 35º BPM (Itaboraí) com quatro armas adulteradas. Um outro homem que estava com dupla também foi detido. Ao chegar à 71ª DP (Itaboraí), o soldado Renato Vieira Luiz, 28 anos, foi reconhecido por casal que registrava o roubo de EcoSport, horas antes, em Magé.
Com o trio, foram apreendidas três pistolas e um revólver com numeração raspada. Ao tomar conhecimento do caso, o comandante das UPPs, coronel Robson Rodrigues, abriu Processo Administrativo Disciplinar para apurar o caso. Se ficar comprovado o envolvimento dos PMs com quadrilha de assaltantes de carros ou com qualquer outro tipo de crime, os dois soldados serão excluídos da corporação.
Ironicamente, os soldados Renato e Geandro Minervino de Farias, ambos de 28 anos, completaram um ano na PM ontem, mesmo dia em que foram levados para o Batalhão Especial Prisional. O outro preso, Cleber Luiz de Farias, 30, é primo de Renato. Quando foram abordados, eles ocupavam um Uno e um Ford Courier, que tinha vários pneus na carroceria. Os veículos pertencem aos PMs. Em depoimento, eles não explicaram porque transportavam tantos pneus e qual a origem das armas.
O EcoSport roubado foi encontrado logo depois, próximo ao local da abordagem. Na noite anterior, outra vítima registrou queixa na 71ª DP sobre o roubo de um Space Fox, encontrado no bairro Apolo, em Itaboraí. Os três presos ontem também seriam suspeitos. A vítima relatou ainda que os assaltantes estavam com uma mulher.
Em nota, a PM informou que não vai tolerar desvios de conduta. “As estatísticas das expulsões de 2007 até hoje vão aumentar para 769 casos, se somarmos estes dois policiais militares”.
Novo comandante quer regime militar em Batalhão Prisional
Os policiais presos no Batalhão Especial Prisional (BEP) começarão a viver em regime militar dentro unidade, informou o tenente-coronel Wolney Dias, que assumiu o comando do BEP ontem. Ele substitui o colega de patente Carlos Eduardo Ribeiro e Souza, afastado após a fuga de dois ex-PMs no dia 9.
“Como toda instituição militar, a PM segue os rituais de alvorada, formação em pátio, marcha, execução dos hinos Nacional e da instituição. Os presos ainda terão aulas de comportamento moral e cívico”, garantiu o oficial, frisando que quer implantar uma Divisão de Regimes e Estágios. “Trabalhando, eles se sentirão mais úteis e terão a pena reduzida, de acordo com a LEP (Lei de Execuções Penais, que prevê um dia de pena reduzida a cada três dias trabalhados)".
De janeiro a setembro deste ano, 204 PMs foram presos — há 254 acautelados no BEP.
“Nem todos estão respondendo por homicídios, extorsão ou desvio de conduta. Muitos estão aqui até mesmo por brigas familiares”, disse o corregedor-interno da PM, coronel Ronaldo Menezes. “A troca se fez necessária para uma investigação com isenção e imparcialidade sobre a fuga dos ex-policiais”, explicou.
Reportagem de Isabel Boechat e Maria Mazzei
2) PMs são presos acusados de participar de tentativa de furto a caixas eletrônicos
Um deles monitorava a frequência do 21º BPM e teria oferecido R$ 5 mil de suborno
POR MARCELLO VICTOR
Rio - Dois policiais militares do 13º BPM (Praça Tiradentes) foram presos em flagrante na madrugada desta quarta-feira, acusados de participar de uma tentativa de arrombamento a caixas eletrônicos de um banco em Vilar dos Teles, São João de Meriti, na Baixada Fluminense. De acordo com a polícia, um deles utilizava um rádio de comunicação da própria Polícia Militar na frequência do batalhão da área para monitorar a movimentação das viaturas e agilizar a ação. Ele também é acusado de oferecer suborno de R$ 5 mil aos colegas para escapar.
Segundo policias do 21º BPM (São João de Meriti), os soldados Haller Monken, de 27 anos, e Rafael Cordeiro do Nascimento, de 28, davam cobertura do lado de fora, à paisana e armados em carros particulares, ao mecânico de refrigeração Alexandre Laskosky, 36, que atuava dentro da agência, fazendo o corte de três caixas eletrônicos. Nada foi levado. Um terceiro veículo também foi visto na região.
De acordo com o cabo Lessa, por volta de 1h20 ele participava de um patrulhamento na Rua Jacatirão, no Centro de Vilar dos Teles, quando os policiais desconfiaram da movimentação e da fumaça no interior da agência do Banco Itaú, além da presença do Peugeot preto placa LOG-4578 estacionado na porta. Ao ser abordado dentro do veículo, o soldado Haller se identificou. No carro foi encontrado um botijão de gás.
Ainda com Haller, os policiais encontraram um rádio móvel de comunicação utilizado apenas pela PM. O aparelho, segundo os militares, é usado apenas em serviço para comunicação na frequência do batalhão da área. O aparelho estava sintonizado na faixa do 21º BPM, responsável pelo policiamento no município. A polícia acredita que ele monitorava o deslocamento dos veículos as ocorrências em andamento para evitar que o grupo fosse surpreendido.
Navalha na carne
Segundo o tenente Jean Silva Santos, Haller confessou sua participação no crime e a tentativa de suborno aos policiais. Ainda de acordo com o oficial, ele ofereceu R$ 5 mil aos PMs do 21º BPM para se livrar do flagrante.
"É como se navalhassemos a própria carne, mas temos como missão servir a sociedade. A PM não abraça esses desvios de conduta de policiais", disse indignado o tenente Jean.
O mecânico Alexandre foi preso quando saía agência. No estabelecimento foram encontrados um pé-decabra, um maçarico, um botijão de gás e um alicate. A poucos metros do local, o soldado Rafael também foi detido no Honda Civic prata, placa LQV-1887. Ele teria negado participação no crime e contado que tinha saído para fazer um lanche e iria para a casa da namorada.
Os PMs que atuaram nas prisões contaram ainda que um Gol branco também foi visto nas imediações do banco, mas eles não conseguiram abordar o motorista. Os policiais acreditam que o veículo também dava cobertura a ação dentro da agência. Uma pistola 9mm e um revólver calibre 38, os dois veículos e dois telefones celulares foram apreendidos.
O caso está sendo registrado na 54ª DP (Belford Roxo), central de flagrantes da região. Após prestarem depoimento, os PMs serão levados para o Batalhão Especial Prisional (BEP), em Benfica, e o mecâncio de refrigeração para a Polinter.
PMs suspeitos de roubar carros
A prisão dos PMs Haller e Rafael aconteceu 24 horas após outra ocorrência envolvendo policiais militares. Também soldados, Renato Vieira Luiz e Geandro Minervino de Farias, ambos de 28 anos, foram presos na madrugada de terça-feira, em Itaboraí, Região Metropolitana do Rio. Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro do Andaraí, na Zona Norte do Rio, eles são investigados por envolvimento com uma quadrilha de roubo de carros.
O primo de Renato, Cleber Luiz de Farias, 30, também foi preso. Com o trio foram encontradas três pistolas e um revólver com numeração raspada. Na 71ª DP (Itaboraí), Renato foi reconhecido por um casal que registrava o roubo de um EcoSport, horas antes, em Magé, na Baixada Fluminense.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

UM CORONEL INCOMODA MUITA GENTE, UM CORONEL DEPUTADO FEDERAL INCOMODARÁ MUITO MAIS.

A nossa candidatura parece estar incomodando muita gente, apesar de todas as dificuldades que enfrentamos para a concretização deste sonho corporativo, eleger um deputado federal da PMERJ.
Alguns fatos que estão ocorrendo sinalizam nesta direção, mas prefiro falar sobre eles no tempo adequado, após as eleições.
Hoje mandei um email para um jornalista do jornal O Globo, aguardarei a resposta.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

UPPs: ATENÇÃO MÍDIA.

Policiais Militares que estão sendo empregados na UPP da Cidade estão há cinco meses sem receberem a gratificação paga pela prefeitura do Rio de Janeiro.
Basta que um repórter compareça na UPP e pergunte a um dos Policiais Militares para confirmar esta situação.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

DEBATE PARA O GOVERNO DO RIO DE JANEIRO.

O debate acabou sem ter um vencedor, mas teve um perdedor: Sérgio Cabral (PMDB).
A sua atuação foi pífia, destacando a insistência em citar as emendas do deputado federal Fernando Gabeira (PV), na tentativa de macular a sua atuação, logo ele, que teria faltado a mais de 170 sessões do Senado Federal, conforme os profissionais de saúde exibem em faixas nos atos Fora Cabral.
Outra tecla insistentemente acionada por Cabral foi tentar parecer que caiu de pára-quedas no Rio quando assumiu o governo em 2007, alegando décadas de descaso, esquecendo que ele fazia parte da gestão como presidente da ALERJ.
Gabeira foi bem, poderia ter ido melhor. Foi o primeiro a comentar publicamente o abuso de autoridade que está sendo praticado contra os Policiais Militares que residem no interior e que estão obrigados a ficar no Rio para serem empregados nas UPPs, um tema que trato com freqüência no nosso blog.
Peregrino (PR) colocou Sérgio Cabral (PMDB) várias vezes nas cordas e Cabral se esquivou sem responder as perguntas.
Alguns escândalos da gestão Cabral foram citados, outros foram esquecidos, como a terceirização das viaturas da Polícia Militar.
As parcerias com milicianos foram lembradas, mas a parceria com Álvaro Lins (PMDB) foi esquecida.
O tom cônico ficou com Peregrino (PR) que plantará milhões de árvores e que citou as UPAs como Unidades de Péssimo Atendimento.
Os jornais desta quarta-feira não deverão retratar a verdade do debate, mas se o fizerem, as chances de um segundo turno aumentarão.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

PREZADOS LEITORES, BOM DIA!

NINGUÉM IGNORA TUDO, NINGUÉM SABE TUDO.
POR ISSO APRENDEMOS SEMPRE.
(Paulo Freire)

JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

terça-feira, 28 de setembro de 2010

CIDADÃO, ASSISTA O VÍDEO, ANTES DE VOTAR.


JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

RIO: A FALTA DE UMA POLÍTICA DE SEGURANÇA LEVA O CAOS AO RIO, VIOLÊNCIA POR TODA PARTE.

SITE G1:
Carros são roubados após via ser fechada por assaltantes no Rio, diz PM
Segundo a polícia, roubos aconteceram no Jacaré, no subúrbio da capital.
Ladrões atravessaram carro em via e levaram dois veículos que vinham atrás.
Motoristas do Rio sofreram com mais um ataque de assaltantes na noite desta terça-feira (28). Segundo a Polícia MIlitar, criminosos fecharam uma via no Jacaré, no subúrbio da cidade, com um carro e roubaram dois veículos que vinham atrás.
Ainda de acordo com a PM, um deles foi recuperado a cerca de 300 metros do local e o outro seguiu em direção à Favela do Jacaré. O caso está sendo registrado na 25ª DP (Engenho Novo).
Vários assaltos a motoristas em 24 horas
Em menos de 24 horas, uma série de roubos semelhantes foram registrados no Rio e Grande Rio. Nesta terça, em Anchieta, no subúrbio, três carros foram roubados. Na Pavuna, também no subúrbio, um PM reagiu a uma tentativa de assalto e matou um dos assaltantes.
Em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, criminosos fecharam uma saída para a Via Dutra. Segundo a polícia, quatro homens armados em um carro roubaram dois veículos na Rua Pensilvânia, no bairro Jardim Esplanada.
'Ele só queria saber de matar', diz vítima
Um homem, de 67 anos, foi levado pelos suspeitos, e contou os momentos de tensão que viveu durante a fuga dos criminosos. “Eles só queriam saber de matar, matar e matar”, contou. “Eu disse a eles: ‘Não faz isso. Eu tenho neto, tenho família’”, disse o idoso, que só foi libertado mais de uma hora depois do arrastão, na Pavuna.
Policiais do 20º BPM atenderam a ocorrência e, quando chegaram ao local do crime, os ladrões tinha fugido. Na fuga, eles bateram com um dos veículos e passaram para outro carro roubado.
E num outro arrastão, na noite de segunda-feira (27), quatro pessoas foram assaltadas na Estrada do Joá, entre a Barra da Tijuca, na Zona Oeste, e São Conrado, na Zona Sul do Rio. A Polícia Civil informou que os bandidos seriam da Rocinha.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

INFORMATIVO 192 SAMU - ESCLARECIMENTO.

Prezado Blogueiro,
Esse comunicado não é oficial do SAMU/192 - Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. Não há nenhuma orientação por parte do Ministério da Saúde sobre esse informativo que circula na internet e e-mails orientando as pessoas a colocar em seus celulares contatos de parentes que devam ser localizados em caso de emergência.
O SAMU atende os casos cardio-respiratórios, trabalhos de parto, crises hipertensivas, acidentes quando houver vítimas e transferência de doentes de uma unidade hospitalar para outra.
A ligação é atendida por técnicos na Central de Regulação Médica que identificam a urgência e, imediatamente, transferem o telefonema para o médico regulador. Esse profissional faz o primeiro diagnóstico da situação iniciando o atendimento com orientações sobre as primeiras ações ao paciente, ou à pessoa que realizou a chamada.
Ao mesmo tempo, o médico regulador avalia qual o melhor procedimento para o paciente: orienta a pessoa a procurar um serviço de saúde adequado à solicitação; designa uma ambulância de suporte básico de vida, com auxiliar de enfermagem e socorrista para o atendimento no local; ou, de acordo com a gravidade do caso, envia uma ambulância com médico e enfermeiro, equipada com todo suporte de atendimento intensivo.
O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU 192 funciona 24 horas por dia e é acionado com uma chamada gratuita para o número de acesso universal 192.
Conheça mais sobre o serviço aqui: http://bit.ly/99hETM
Atenciosamente,
Ministério da Saúde
Para mais informações: comunicacao@saude.gov.br
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

NOSSO BLOG: A VOZ DOS LEITORES.

1) A denúncia foi feita no blog de Roberto Moraes. Viram só? Um quilômetro de estrada feito por Cabral custa R$ 1.322.604 a mais que um quilômetro feito pelo governo federal no mesmo tipo de obra.
Como as obras de restauração na RJ – 196 atingem 15,6 km chegamos à conta superfaturada de R$ 11,9 milhões.
Cabral passou dois anos e meio sem fazer nada pelo interior. Em cima da hora resolveu fazer meia-dúzia de obras eleitoreiras. Mass vejam que tristeza: só na recuperação de 16,5 quilômetros de estarada estão saindo pelo ralo quase R$ 12 milhões. Com o detalhe de que esse cálculo leva em consideração o preço pago pelo governo federal, que não sei também se é o preço justo ou tem algum superfaturamento. Se tiver, aí Cabral estará superfaturando essa obra em mais de R$ 20 milhões. É um mar de lama que não tem fim. A cada hora surge mais um escândalo.
Alô Ministério Público! Trata-se de dinheiro público. Vai ficar por isso mesmo?
Anônimo
2) Três arrastões em menos de 12 horas levam pânico a motoristas e transeuntes no Rio.
Anônimo
3) SOU UM DESSES POLICIAIS DO SALGUEIRO,SOU DE BARRA DO PIRAÍ,E MAIS DA METADE DE LÁ É DO INTERIOR. QUERIA PERGUNTAR POR QUE O GOVERNADOR INSISTE EM NOS DEIXAR TRABALHANDO MUITO LONGE DE CASA? POIS TEMOS QUE PEGAR ÔNIBUS UMAS CINCO HORAS ANTES DE RENDERMOS O SERVIÇO E QUANDO CHEGAMOS, JÁ CHEGAMOS CANSADOS DEVIDO A VIAGEM, PERDEMOS BOA PARTE DE NOSSAS FOLGAS DENTRO DE UM ÕNIBUS E TREM. CONFESSO QUE TODOS TRABALHAM DESMOTIVADOS, POIS NÃO NOS DÃO MOTIVO PARA FAZER O MELHOR, DEVIDO ESSA DISTÂNCIA DE CASA. SERÁ QUE O GOVERNADOR ESTÁ CIENTE DA NOSSA SITUAÇÃO OU ELE NÃO ESTA NEM AI MESMO?
Anônimo
4) Isso sem contar o numero de pedidos de baixas de médicos por semana!
Anônimo
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

A BATERIA, OS PNEUS, A ANDORINHA, A AGUIA E A POLÍTICA.

Nas minhas conversas políticas com a população tenho vivenciado momentos muito interessantes que permitem a formação de opinião sobre como a população enxerga a política e os políticos.
A maior constatação é que o povo não acredita nos políticos, o que leva a não existir qualquer interesse sobre o tema eleições. Até as pessoas que estão interessadas no direito (dever) de votar, como forma de mudança, não se interessam ao ponto de tentarem conhecer verdadeiramente seus candidatos, votam por afinidade com um tema ou uma pessoa.
Isso explica, por exemplo, campanhas baseadas no Presidente do Lula, Governador do Lula, Senador do Lula e Deputado do Lula, pois o que importa é ser do Lula, o presidente
popular. As virtudes dos candidatos não são relevantes, nem eles se preocupam em destacá-las, o importante é ser do Lula. Na TV assistimos candidatos abraçando e beijando a mão do Lula, o semideus da política brasileira, o papa político do Brasil de José Sarney (PMDB).
Outro aspecto marcante é a quase completa falta de candidatos escolhidos, a quase totalidade dos eleitores ainda não decidiu em quem vai votar, sobretudo para o Senado, a Câmara dos Deputados e a ALERJ. Aceitam sugestões.
Isso explica as milhares de placas jogadas sobre o Rio de Janeiro, uma quase sobre as outras, considerando que os políticos sabem que muitos eleitores escolhem em quem irão votar no caminho para o local de votação, portanto, uma placa no lugar certo pode significar muitos votos.
A boca de urna, a bilionária boca de urna, constitui outra decorrência da falta de escolha dos eleitores, o que faz com que muitos acabem votando no papelzinho mais bonito que recebem no caminho até a urna.Eu fui perguntado várias vezes se contrataria boca de urna, o que demonstra que o mercado é promissor.
Não contratarei, mas sei que muitos e elegerão com ela.
Vivi momentos pitorescos, como ocorreu no domingo, quando um eleitor sugeriu que estava precisando de uma bateria para o seu carro. Além dele, um outro disse que tinha rompido com um assessor de um político que não tinha dado os dois pneus prometidos.
Prezados leitores, esta é a realidade no Rio de Janeiro, a antiga capital cultural do Brasil e que hoje ocupa o penúltimo lugar na avaliação do ensino médio.
No campo do ouvi dizer, vivenciei uma experiência que colocou a minha candidatura no campo das impossibilidades. Ouvi de um eleitor que um candidato (nome não declinado) estaria gastando R$ 6 milhões na campanha para deputado federal.
Diante de tantos zeros, como enfrentá-lo?
O que tenho a oferecer?
- Honestidade, competência e disposição para lutar contra os maus políticos, tudo comprovado através de dezenas de atos cívicos nas ruas do Rio, da minha participação no grupo dos Coronéis Barbonos, no enfrentamento ao péssimo governo Cabral (PMDB) e do exercício da função de Corregedor Interno da PMERJ por quase três anos.
Isso deve ser pouquíssimo, diante dos zeros.
Por derradeiro, cito a resposta que dei a um eleitor que se declarando analfabeto, afirmando que votaria em mim pelo que soube de um PM, perguntou se caso eu fosse eleito, como faria para que uma só andorinha pudesse mudar a política:
- Não pode ser uma andorinha, deve ser uma águia do bem, um predador da corrupção.

JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

A CORRRUPÇÃO POLICIAL E OS PÉSSIMOS SALÁRIOS.

Eu fui "fritado" pelas Organizações Globo quando escrevi neste espaço que os baixos salários recebidos pelos Policiais Militares os transformavam em presas fáceis para os corruptos ativos de cada esquina. Eles deram uma interpretação no sentido de que eu estava justificando um desvio de conduta dos policiais em face dos baixos salários, algo inimaginável para um corregedor. O leitor do texto logo verificava que eu não tinha escrito tal barbaridade, porém na época eu era Corregedor Interno, já escrevia neste espaço e minha queda (exoneração) interessava ao governo, mas faltavam motivos, portanto, criaram um.
Não deu certo, outros também não deram. Eu cai de pé, marchando nas ruas do Rio de Janeiro, lutando por salários dignos e por adequadas condições de trabalho.
Eu continuei Corregedor Interno, o noticiário não surtiu o efeito desejado e o blog seguiu em frente apesar das "ordens governamentais" para que eu parasse com o blog, uma ordem absurda que não acatei.
Obviamente, o salário não forja o caráter de ninguém, pois se assim fosse, no meio policial, Delegados e Coronéis não praticariam desvios de conduta (crimes e transgressões). Todavia, o fato de um policial receber um salário miserável, como ocorre no Rio de Janeiro, somado ao fato de que existe um batalhão de corruptos ativos tentando comprá-lo a cada dia (tráfico de drogas, jogo dos bichos, transportes clandestinos, táxis piratas, clínicas de aborto, venda ilegal de gás, gatonet, milícias, etc); temperado com a falta de exemplo de cima, sobretudo dos políticos, que ganham muito bem; sem dúvida, são fatores que favorecem a cooptação dos miseráveis.
Ontem, mais um escândalo envolveu policiais do Rio com o crime, os quais possuem o direito da ampla defesa, que deve ser respeitado. Comprovado o noticiado, os baixos salários não foram determinantes para a prática criminosa, certamente, mas sim a vontade de enriquecer ilicitamente, pois constituiram uma quadrilha para a prática criminosa.
Tais verdades, entretanto, não podem nos cegar ao ponto de aceitarmos que os fiscais das leis nas ruas, os policiais, possam receber salários miseráveis, vivendo imersos em uma sociedade onde o crime pode ser encontrado em cada esquina.
Urge que os policiais recebam salários dignos que garantam os direitos básicos aos seus familiares, isso diminuirá a criminalidade como um todo, dentro e fora das polícias, com a ação de corregedorias fortes.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

CABRAL CONTRA PAÚL - OS BASTIDORES DA SEGURANÇA PÚBLICA.


Prezados leitores, ontem estive na editora acertando os detalhes para o lançamento do livro "Cabral contra Paúl - Os bastidores da segurança pública", que deverá ocorrer no mês de novembro. Anunciarei, a data, o local e o horário com a necessária antecedência.
Enquanto isto, vocês poderão ler os 30 capítulos da primeira parte do livro, que estão disponíveis no blog:
http://govcabralcelpaul.blogspot.com
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

RIO DE JANEIRO: DEBATE PARA O GOVERNO.


Hoje acontecerá mais um debate entre os candidatos ao governo do Rio de Janeiro, desta feita será na TV Globo, às 22:00 horas. Novamente assistiremos ao duelo entre o Rio real (oposição) e o Rio que só existe na propaganda do governador Sérgio Cabral (PMDB).
As UPAs inauguradas contra a falta de pediatras nas UPAs, os remédios que estragaram e as compras superfaturadas de insumos hospitalares. As UPPs que pacificam contra o aviso, a não prisão e a transferência de criminosos para áreas menos "nobres" do Rio. A terceirização das viaturas da Polícia Militar contra o inquérito civil público instaurado pelo MP para investigar o referido contrato, em face dos valores elevadíssimos.
Cidadão, você vive no mundo real, não esqueça desta verdade.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

EFEITOS UPP: A TRANSFERÊNCIA DE CRIMINOSOS E O RISCO DE MORTE.

JORNAL O DIA:
"Tiroteio em Santa Cruz deixa um morto, um ferido e 1.200 estudantes sem aulas
Dois postos médicos também fecham devido a confronto na Favela do Rola
Rio - Moradores da Favela do Rola, em Santa Cruz, Zona Oeste do Rio, tiveram mais uma vez a rotina interrompida por causa de intensa troca de tiros entre traficantes e policiais militares — um suspeito morreu e outro ficou ferido. Dessa vez, duas escolas e duas creches vizinhas à comunidade não abriram, prejudicando 1.200 crianças e adolescentes, segundo a Secretaria Municipal de Educação. Dois postos médicos do Programa Saúde da Família também não funcionaram. A Secretaria Municipal de Saúde alegou que as unidades fecharam por “medida de segurança”.
Na sexta-feira, as unidades também não abriram por causa dos confrontos. Uma universidade cancelou as aulas no campus próximo à comunidade, na Rua Felipe Cardoso, também alegando “motivo de segurança”.
A situação é tensa na região há duas semanas, quando traficantes da Favela do Aço, apoiados por bandidos de Senador Camará, começaram a tentar retomar o ponto de venda de drogas no local. Mas, desde a última sexta-feira, os tiroteios ficaram mais intensos, segundo moradores.
No confronto de ontem, um homem morreu e outro acabou ferido. De acordo com os PMs do 27º BPM (Santa Cruz), Douglas Rodrigues da Silva e Adriano Machado teriam atirado na direção do carro da polícia que fazia patrulhamento naquela região.
Após a troca de tiros, os dois foram levados para o Hospital Pedro II, em Santa Cruz, mas Douglas, baleado no peito, não resistiu ao ferimento. Adriano foi operado e seu quadro é considerado grave. Com eles, os PMs disseram que apreenderam duas pistolas, dois carregadores e pequena quantidade de cocaína e crack".
Cidadão fluminense, você que mora nas áreas menos "nobres" do Rio, na visão do governo, deve se mudar, pois só assim poderá viver em um Rio "pacificado".
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

ZOMBANDO DO POVO: SÉRGIO CABRAL (PMDB) FAZ PROPAGANDA DE UPA ONDE FALTAM PEDIATRAS.

"RJ: programa de Cabral mostra UPA em que faltam pediatras
A propaganda eleitoral do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, candidato à reeleição pelo PMDB, ressaltou, nesta segunda-feira (27), a construção da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) 24 horas da Rocinha, onde, há 15 dias, seu adversário, Fernando Gabeira (PV)...
Terra - João Pequeno
terra.com.br
A propaganda eleitoral do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, candidato à reeleição pelo PMDB, ressaltou, nesta segunda-feira (27), a construção da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) 24 horas da Rocinha, onde, há 15 dias, seu adversário, Fernando Gabeira (PV), encontrou mães que reclamavam da falta de pediatra. A UPA foi citada entre outros empreendimentos na favela da Zona Sul, como obras de urbanização e um complexo esportivo. No dia 12 de setembro, Gabeira fazia campanha pela Rocinha, quando, ao passar pela UPA, ouviu reclamações de duas mães que lavaram os filhos, mas não encontraram pediatra no local. "Fizeram para ter emergência, mas não tem o que a gente precisa. É bonito por fora, mas falta médico", protestou ao <>bTerra a dona de casa Silmara Lisboa, 18 anos, mãe de um menino de um ano e nove anos, que precisou ser levado ao Hospital Municipal Miguel Couto, no Leblon, também na zona Sul. A mesma queixa foi dada pela vendedora Fernanda Melo, 20 anos, mãe de um bebê de oito meses. "Deveria servir para desafogar o (hospital municipal) Miguel Couto (no Leblon), mas elas acabam tendo que ir para lá por não ter médico em determinada especialidade", criticou o pediatra e candidato a deputado estadual Paulo Pinheiro (PPS), que acompanhava Gabeira. Adversário diz que Governo se move suas após denúncias Em seu programa, Gabeira afirmou que o governo Cabral iniciou obras após ele ter denunciado asfalto esburacado na Estrada de Madureira, em Nova Iguaçu (Baixada Fluminense) - recapeado em seguida pelo DER (Departamento de Estradas de Rodagem) - e uma reforma parada, segundo ele, há três anos, em uma escola de Belford Roxo, também na Baixada. Além disso, anunciou um projeto de saneamento básico de R$ 177 milhões para o Jardim Catarina, em São Gonçalo (Grande Niterói), onde havia mostrado valões de esgoto a céu aberto".
Cidadão fluminense, estão querendo fazer você de otário.
As UPAs não funcionam adequadamente, para conhecer esta verdade basta perguntar a um funcionário público da área da saúde.
As UPPs são uma farsa em termos de pacificação, pois transferem os criminosos para áreas menos "nobres", para conhecer esta verdade basta perguntar a um policial que não ganhe gratificações de comando, chefia ou direção.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

A IMPRENSA IDEAL DOS PETISTAS - FÁBIO PORTELA.

REVISTA VEJA:
A imprensa ideal dos petistas
Desacorçoados com a revelação pela imprensa de evidências irrefutáveis de corrupção no Palácio do Planalto, Lula e seu partido sacam do autoritarismo e atiram na imprensa, que acusam de ser golpista e de inventar histórias. Eles querem um jornalismo melhor? Não. Querem jornalismo nenhum.
Fábio Portela
Os reflexos da sucessão de escândalos que fizeram a lama subir até o gabinete mais próximo da Presidência da República e derrubaram até agora sete funcionários do governo fizeram-se sentir pela primeira vez nas pesquisas eleitorais divulgadas na semana passada. Segundo o instituto Datafolha, a diferença entre os votos da petista Dilma Rousseff e a soma de seus concorrentes caiu 5 pontos porcentuais em sete dias. A queda provocou uma violenta reação do governo. Não contra os acusados de malfeitorias e corrupção na Casa Civil, de onde emanaram os episódios mais cabeludos, mas contra quem os denunciou. Em uma série de comícios e entrevistas, o presidente Lula dedicou a semana a desferir ataques contra a imprensa com uma virulência inédita. Afirmou que os veículos de comunicação “inventam” coisas e torcem “para o Lula fracassar”. Vociferou contra jornais e revistas que destilariam “ódio” e prometeu “derrotar” aqueles que “se comportam como se fosse um partido político”. Foi um passo perigoso.
Nos países democráticos, a liberdade de imprensa não é um assunto discutível, mas um dado da realidade. E nem eventuais opiniões divergentes, exageros e mesmo erros passíveis de arbitragem e punição cometidos por jornalistas podem pôr em risco o direito de informar, o dever de fiscalizar e de alertar para os abusos perpetrados por quem está no poder. Quando um presidente da República tenta enxovalhar a imprensa que o critica e ameaça “derrotá-la” significa que acaba de adentrar no temível pântano da censura - e pouca coisa pode ser mais deletéria do que isso para uma democracia. Ao sujar suas botas nesse lodo, Lula se aproxima do que há de pior na política da América Latina. Trilha o caminho dos caudilhos e ombreia-se com tiranetes do porte de Hugo Chávez, o presidente venezuelano que, para não ver suas próprias contradições expostas, solapou jornais, emissoras de rádio e chegou a fechar o principal canal de TV da Venezuela, a RCTV.
Os ataques de Lula contra a imprensa levaram o jornal carioca Extra, das Organizações Globo, a estampar na sua capa uma crítica tão bem-humorada quanto precisa. Na sexta-feira, o jornal circulou com uma carta de baralho em que Lula aparecia como o Rei. Sobre a extremidade superior da carta, a manchete dizia: “Lula é bonito - Essa é a manchete para quem acha que o papel da imprensa é bajular os donos do poder e, por isso, deve publicar apenas notícias positivas do governo. Denúncias de falcatruas são um abuso, uma forma de conspiração". Na outra extremidade do baralho, escrito de ponta-cabeça, vinha a contraposição: “Bonito, hein, Lula.... - Essa é a manchete para os que acham que o papel da imprensa é fiscalizar os atos de qualquer governo, denunciando os desvios e lembrando que eles não estão acima do bem e do mal”.
A estratégia de tentar controlar a imprensa está no DNA do PT. A primeira investida em larga escala contra o que o partido chama de “mídia” se deu em 2004. Naquele ano, Luiz Gushiken, então secretário de Comunicação do governo, levou a cabo uma tentativa frustrada de criar o Conselho Nacional de Jornalismo - um nome pomposo para esconder uma tentação totalitária. A realizar-se o desejo do PT, o conselho iria “orientar, disciplinar e fiscalizar” os jornalistas. A ideia naufragou assim que foi revelada pela imprensa, mas não morreu nem foi enterrada. Em diversas oportunidades, o PT e o governo petista tentaram relançá-la - repaginada, recauchutada ou disfarçada de “conselhos” - aqueles órgãos que seriam formados por uma certa “sociedade civil” que ninguém jamais conseguiu enxergar fora do arco de alianças do partido e que teriam como função, por exemplo, interferir na programação das emissoras de TV.
Na semana passada, num movimento concertado com os ataques presidenciais, o PT organizou uma manifestação contra o que chamou de “golpismo midiático”. Anunciado no site oficial do partido, o ato convocava os filiados a enfrentar “a onda de baixarias que visa forçar a ida de José Serra ao segundo turno”. A “onda de baixarias”, bem entendido, eram as reportagens que revelaram, entre outros descalabros, que petistas violaram o sigilo de pessoas próximas ao candidato do PSDB, José Serra, e que a família de Erenice Guerra, ex-ministra da Casa Civil e ex-braço direito de Dilma Rousseff, operava um balcão de negócios na soleira da porta do gabinete presidencial. A nota irônica do episódio ficou por conta da atual diretoria do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, que se ofereceu para abrigar a manifestação petista contra... os jornalistas. Talvez tenha sido a forma encontrada por seus diretores de movimentar a desolada sede da entidade, esvaziada por sua irrelevância e falta de representatividade. Entre brados contra a “conspiração da imprensa” disparados pelo presidente do PC do B, Renato Rabello, e discursos em defesa do “controle social da mídia”, feito pela deputada Luiz Erundina, do PSB, chegou-se a uma conclusão que deixou exultantes os participantes: Lula não avançou o quanto poderia no controle da imprensa. Dilma, se eleita, deverá fazê-lo.
Em contrapartida à investida do governo e do PT, um grupo de notáveis se organizou para repudiar os ataques contra a liberdade de imprensa. O grupo incluía, além de representantes históricos da esquerda, como o jurista Hélio Bicudo, um dos fundadores do PT, nomes como o do arcebispo emérito de São Paulo, Dom Paulo Evaristo Arns, e dos ex-ministros da Justiça Paulo Brossard, Miguel Reale Junior, José Carlos Dias e José Gregori. Reunido no centro de São Paulo, no Largo São Francisco, em frente à Faculdade de Direito, o grupo presenciou a leitura de um manifesto em defesa da democracia lido por Hélio Bicudo. Colocado na internet, o manifesto contava com mais de 30.000 adesões até sexta-feira. No Rio de Janeiro, a concentração se deu no Clube Militar, onde 500 pessoas se reuniram para discutir os ataques à imprensa - estiveram lá os colunistas Reinaldo Azevedo, de VEJA, e Merval Pereira, de O Globo.
Os principais candidatos a presidente da República também repudiaram o cerco aos veículos de comunicação. O tucano José Serra, em campanha no Mato Grosso, afirmou: “O que está incomodando este pessoal é o fato de que a imprensa está apresentando notícias que mostram abusos, desvios de dinheiro, nepotismo, maracutaia com dinheiro público, e esta imprensa incomoda os donos do poder. É somente isso. Não há país democrático no mundo sem imprensa livre”. A senadora Marina Siva, do PV, tratou do assunto em uma entrevista coletiva em São Paulo: “O presidente fez uma crítica à imprensa que é contraditória com toda a sua trajetória. Considero fundamental a cobertura da imprensa”. A petista Dilma Roussef apresentou-se bem mais comedida do que seus companheiros de partido: “A imprensa pode falar o que bem entender. Eu, o máximo que vou fazer quando achar que devo, é protestar dizendo: está errado o que disseram por isso, por isso e por isso. Usando uma coisa fundamental que é o argumento”. Dilma também rechaçou a mais explosiva das propostas do seu partido: “O único controle social da mídia que eu aceito é o controle remoto na mão do telespectador”. Se Dilma está sendo sincera em suas afirmações, não se sabe. Mas a ela, que nunca teve a oportunidade de exercer um cargo eletivo, cabe o benefício da dúvida. Já em relação a certos representantes do alto-petismo restam apenas certezas, incluindo a de que, em um eventual governo Dilma, o partido insistirá na estratégia autoritária.
O principal defensor deste projeto é Franklin Martins, ex-sequestrador, ex-jornalista e atual ministro da Comunicação Social de Lula. Franklin é o idealizador da estratégia de consumir o dinheiro público na compra do apoio - disfarçado de anúncio publicitário - de pequenos jornais, rádios do interior, revistas e blogs de alcance semelhante. Caso Dilma vença, seu próximo projeto será cuidar da reforma do arcabouço jurídico que regula o funcionamento das TVs abertas e fechadas, das rádios, dos provedores de internet e das empresas de telecomunicações no Brasil. Franklin pretende criar uma superagência reguladora para o setor. Ela seria responsável pelos aspectos técnicos do setor, mas também - e aqui mora o perigo - teria ascendência sobre os “conteúdos” que ele produz. Eis o pensamento vivo e franco do ministro a respeito do assunto: “Acham que regulação é um atentado à democracia, mas é o contrário: é parte da garantia de competição, de igualdade de direitos, da capacidade de inovação, da massificação dos serviços e do direito da sociedade à informação", embaralha.
Recentemente, Franklin Martins foi autorizado por Lula a viajar para a Europa, tão logo acabem as eleições, para convidar para um seminário representantes de instituições reguladoras da comunicação social da Inglaterra e da Bélgica. Não que o ministro deseje ouvir a opinião de alguém. Ele apenas espera que a presença de representantes de outros países legitime a conferência que tentará, mais uma vez, aprovar o velho programa petista de controle da mídia. O contrapeso à corrente de Franklin dentro do partido é liderado pelo ex-ministro da Fazenda, Antonio Palocci, coordenador da campanha de Dilma. Em 2003, ele fez parte da campanha de Lula e foi o fiador da estabilidade econômica no governo. Espera-se que, em um eventual novo governo petista, seja também um fiador da estabilidade democrática.
Ao contrário do que Lula e seu partido querem fazer crer, a liberdade de imprensa não constitui um fim em si mesmo nem visa a preservar a liberdade de expressão para jornalistas ou proprietários de empresas de comunicação. A liberdade de imprensa vai além disso: é um meio para garantir a perpetuação das sociedades livres e democráticas. E não por outra razão é quase sempre a primeira vítima das tiranias de todas as colorações.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

PREZADOS LEITORES, BOM DIA!

"SE EM VOCÊ A MUDANÇA
QUE QUER PARA O MUNDO"

(Ghandi)

JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

RIO: POLICIAIS CIVIS PRESOS.

SITE G1:
'São piores que bandido', diz chefe de polícia do Rio sobre agentes presos
Eles são suspeitos de pertencer à quadrilha que clonava cartões.
Segundo a polícia, agentes também alertavam traficantes sobre ações policiais.
A prisão de dois policiais civis durante uma operação para desarticular uma quadrilha suspeita de clonar cartões de crédito no estado do Rio, nesta segunda-feira (27), causou revolta na corporação, segundo informou o chefe de Polícia Civil, Allan Turnowski. Além dos dois agentes presos, mais um foi detido e outro está sendo ouvido na Corregedoria. Segundo a polícia, ao todo, seis pessoas foram presas.
"Tenho que externar esse sentimento de revolta de todos os policiais. Eles são piores do que qualquer bandido. Nas gravações (escutas, com autorização da Justiça), eles chegam a dar boa sorte à quadrilha. Um deles chamava a mulher de um marginal de patroa”, disse Turnowski, durante entrevista coletiva, quando apresentou todo o aparato usado pelos criminosos para clonar cartões de clientes bancários (leia).
A população brasileira está sendo envolvida cada vez mais pela criminalidade nas suas mais diferentes matizes. O crime é algo habitual, portanto, notícias sobre policiais envolvidos em atividades criminosas não chocam mais ninguém. No tocante à política estamos anestesiados e consideramos que é normal político roubar, o que faz com que não levemos a sério as eleições, esquecendo que a única forma de mudar a política é mudando os políticos, o que se faz através do voto.
Urge que mudemos o nosso comportamento permissivo com a criminalidade dos pés descalços e dos ternos finamente recortados, caso contrário, o crime fará parte da vida de cada um de nós.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

MÉDICOS SEM FRONTEIRA.



JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL

CORONEL DE POLÍCIA

Ex-CORREGEDOR INTERNO

A CRISE NA SAÚDE PÚBLICA DO RIO COLOCA EM RISCO DE MORTE A POPULAÇÃO.

Os hospitais de emergência do Rio de Janeiro não conseguem resolver a demanda, em face de suas carências. Os leitos estão ocupados e os pacientes amontoados em corredores, como todos sabem.
As UPAs são um completo fracasso.
Hoje, presenciei mais um problema que atesta o caos da saúde pública. Os Bombeiros que trabalham nas ambulâncias do SAMU quando entregam os pacientes nas emergências, acabam tendo que deixar as suas macas, em razão da falta de leitos, isso inviabiliza que a equipe continue prestando socorro, pois não podem trabalhar sem as macas.
A saúde pública no Rio é uma grande lástima.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

NOVA UPP, MAIS POLICIAIS MILITARES "ESCRAVIZADOS".

Tudo indica que a PMERJ irá inaugurar a UPP do Turano, na quinta-feira, dia 30 SET 2010.
Um novo templo da pacificação e do sofrimento dos Policiais Militares.
O efetivo da UPP será composto por Policiais Militares que residem nos municípios do interior, aumentando o sofrimento destes profissionais de segurança pública.
A covardia continua, assim como, o tratamento desumano destinado aos Policiais Militares.
E a festa eleitoreira continuará seguindo em frente.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORRGEDEOR INTERNO

O RIO VIVE UMA GUERRA NA ZONA OESTE.

EX-BLOG DO CESAR MAIA:
MORADORES DE SANTA CRUZ PEDEM SOCORRO: GUERRA ENTRE FACÇÕES QUE JÁ LEVA 7 DIAS!
Pedimos encarecidamente através deste e-mail, atenção para o bairro que moramos Santa Cruz, pois estamos passando por um momento muito difícil, que está sendo oculto pelo atual governo estadual e minimizado pela imprensa, pois mais de uma semana estamos sendo ameaçados por traficantes terroristas que dão ordem de toque de recolher, que matam pessoas inocentes a luz do dia, todas as noite escuto muitas rajadas de tiros, a população está em desespero, a faculdade cancelou as provas, colégios fecharam, perdemos nosso direito de ir e vir, viramos prisioneiros dentro de nossos lares. Pedimos socorro por todos neste bairro.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

INFORMATIVO SAMU 192.

JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

BOLSA OLÍMPICA DE APENAS R$ 443,00.

O DIA:
Bolsa Olímpica cai de R$ 1,2 mil para R$ 443
Governo muda valor para todos os servidores da Segurança Pública do estado receberem
MARIA INEZ MAGALHÃES
Rio - Embora estipulada por decreto em R$ 1,2 mil, a Bolsa Olímpica para servidores da Segurança Pública do estado será de R$ 443 e vai chegar a, no máximo, R$ 900 em junho de 2012. Segundo o Ministério da Justiça, o valor diminuiu a pedido do Governo do estado para que todos os servidores possam receber o benefício, antes restrito a profissionais com salário bruto de até R$ 3,2 mil.
A Bolsa Olímpica começará a ser paga no final de dezembro — quase um ano após sua criação. Serão beneficiados policiais civis e militares, agentes penitenciários, bombeiros e guardas municipais, desde que não tenham sido condenados nem respondido a processos administrativos ou penais nos últimos cinco anos. Para receberem a gratificação, os servidores deverão ainda concluir com êxito os cursos da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). Se aprovados, os 32.906 profissionais inscritos serão os primeiros contemplados. Serão 17.206 PMs, 4.805 policiais civis, 8.026 bombeiros, 268 agentes penitenciários e 2.601 guardas municipais.
O valor de R$ 443 será pago até maio de 2011. Em junho, ele aumenta para R$ 800 e em junho de 2012, passa para R$ 900 e não sofrerá mais ajustes. “A demora no pagamento se deveu à dificuldade em negociar um valor com o governo do estado para poder atender a todo mundo. Não daria para pagar R$ 1,2 mil para todos”, explicou a diretora de Pesquisa Educacional e Valorização Profissional da Senasp, Juliana Barroso. A inscrição para o próximo ciclo de cursos abre em janeiro.
Pois é...
Ainda tem gente que acredita nesta turma.
Enquanto isso, os inativos e as pensionistas não recebem nada. Cabral decretou o fim da paridade entre ativos e inativos no Rio.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

RIO: OS POLICIAIS MILITARES TERÃO DIREITO DE VOTAR NOS SEUS REPRESENTANTES?


Os nossos leitores conhecem os inúmeros infortúnios que estão sendo vivenciados pelos Policiais Militares que residem no interior e que estão obrigados a trabalharem no município do Rio de Janeiro, nas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) e como adidos aos batalhões trabalhando no policiamento à pé.
A semana se inicia com a possibilidade destes Policiais Militares terem mais um direito violado: o direito de escolherem seus representantes, o direito de votar.
Caso eles sejam obrigados a assumirem o serviço no domingo, dia 03 OUT 2010, muitos não terão como votar, pois o turno de serviço é de 12 horas em pé (07:00 às 19:00 horas). Tal situação não poderá ser solucionada nem os liberando na metade do serviço, pois alguns gastariam mais de seis horas no deslocamento do quartel para os seus locais de votação. A única saída que garantirá o seu direito de votar é permitir que primeiro eles votem e só depois assumam o serviço. Tal medida deve ter o cuidado de providenciar também a liberação dos que estão saindo de serviço no domingo e que também residem nos municípios do interior.
Na verdade, tal organização é simples, mas foi muito prejudicada em face da manutenção dos Policiais Militares que residem no interior no município do Rio.
Temo que possa acontecer o pior.
Será que nem o direito de votar dos Policiais Militares será respeitado?
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

FIM DO COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR?

Eu recebi notícias aterradoras que sinalizam para a possibilidade da gestão da modernidade acabar com o Colégio da Polícia Militar, uma conquista dos Policiais Militares.
Não posso crer.
Colégios não podem ser extintos, não podemos matar o futuro.
Caso exista uma mínima possibilidade de alguém estar pensando no fim do colégio, merece todo o nosso repúdio.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

FUNCIONALISMO PÚBLICO: HORA DE DECIDIR O FUTURO.

Na próxima segunda-feira, dia 04 OUT 2010, todos os cidadãos fluminenses acordarão conhecendo os novos deputados federais e estaduais que nos representarão nos próximos quatro anos (2011 – 2014), conduzindo os nossos destinos, verdadeiros senhores do futuro do Rio de Janeiro.
No dia anterior, diante da urna eletrônica, será o instante derradeiro para votar por um futuro melhor para o Rio e para a sua população, na direção de serviços públicos de qualidade, desenvolvidos por servidores públicos motivados, valorizados e com as condições de trabalho adequadas. Os últimos quatro anos foram de grande sofrimento para o funcionalismo fluminense, que pode mudar o seu destino, lutando pela não reeleição do atual governante, considerando que ele nos dará mais do mesmo, salário aviltantes.
As áreas da saúde, segurança e educação devem se unir para enfrentar o inimigo comum, a batalha derradeira ocorrerá nos próximos dias, cada minuto deve ser usado para conscientizar os companheiros e, acima de tudo, a população fluminense. Os funcionários são formadores de opinião e devem exercer tal capacidade na direção de um Rio melhor, onde o povo e o funcionalismo sejam os principais focos e o interesse público supere os interesses pessoais dos políticos.
Quem anda pelas ruas, quem conversa com o povo, sabe que as pesquisas divulgadas não estão representando o retrato fiel da opinião pública, portanto, as urnas podem revelar uma realidade que as pesquisas não indicam. A possibilidade de segundo turno no Rio e no Brasil são reais, acreditem.
É hora de agir, buscar cada voto, multiplicar os nossos votos.
Funcionários Públicos, Policiais Militares, Bombeiros Militares e Policiais Civis vocês têm seis dias para decidirem se terão representantes na ALERJ e na Câmara dos Deputados, lutando pelos seus interesses.
Caso não lutem pela eleição dos seus, nos próximos quatro anos, terão mais do mesmo.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO

GESTÃO DA MODERNIDADE USA FÓRMULA ANTIGA: DEU ERRADO, EXONERA O COMANDANTE.

Mário Sérgio, o gestor da modernidade, segue a fórmula antiga da PMERJ: deu errado, exonera o Comandante.
Na Polícia Militar chamamos essa covardia de "SEGURO".
Tal tática é uma autoproteção, ele encerrou a responsabilidade no nível inferior, no andar de baixo, evitando que a responsabilidade alcance o andar de cima e chegue até o seu gabinete.
Na verdade, o Comandante não tinha a sua disposição as condições adequadas para prover a segurança do BEP, considerando que nem Oficiais suficientes para compor uma escala de OFICIAL de Dia, ele possuía. Cidadão, embora estejam cautelados Oficiais no BEP, após o expediente e nos dias não utéis, quem comanda o quartel são PRAÇAS.
Penso que o Ministério Público da AJMERJ deva buscar uma explicação do Comando Geral para tal absurdo, PRAÇAS acautelarem OFICIAIS.
No mais, a gestão da modernidade é um fracasso completo, nem água potável consegue disponibilizar nas UPPs para os Policiais Militares, quanto mais organizar uma Unidade Prisional.
JORNAL O DIA:
Comandante do BEP é exonerado
Queda do cargo está relacionada à fuga de dois ex-PMs mês passado
Rio - O comandante-geral da PM, Mário Sérgio Duarte, exonerou o comandante do Batalhão Especial Prisional (BEP), tenente-coronel Carlos Eduardo Ribeiro e Souza. O oficial será substituído pelo tenente-coronel Wolney Dias Ferreira, que assume o cargo amanhã. A mudança de comando, publicada no Boletim Interno de sexta-feira, é reflexo da fuga dos ex-PMs Wellington Vaz de Oliveira, de 37 anos, e José Carlos da Silva, de 42. “O nosso objetivo é garantir o máximo de isenção nas investigações”, analisou o comandante-geral (leia).
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
Ex-CORREGEDOR INTERNO