sexta-feira, 31 de julho de 2009

RIOCARD - PODEMOS REQUERER?

REVISTA DA POLÍCIA MILITAR
Na revista da Polícia Militar do mês de dezembro de 2008 foi publicado o artigo acima sobre a entrega do RioCard para Policiais Militares.
Nele conhecemos que os Policiais Militares dos Batalhões da Zona Sul foram os primeiros a receberem o benefício, precisamos agora saber a partir de quando e qual é o valor pago a cada Policial Militar. No caso de valores diferenciados, trabalharemos com o valor médio.
Salvo melhor juízo, com a data do início do pagamento e com o valor (médio), os que ainda não recebem poderão requerer administrativamente:
1. o imediato recebimento; e
2. o ressarcimento dos valores não recebidos a partir do início do pagamento.
É pacífico que se um Policial Militar que trabalha na Zona Sul passou a receber, TODOS os outros deveriam ter começado a receber.
Obviamente, mesmo quem passou a receber na 2a, 3a, 4a etapas, poderá requerer a diferença referente ao início do pagamento (1a etapa).
Portanto, vamos em frente, na busca da data e do valor.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

CORRUPÇÃO - WAGNER MEDEIROS.

É controvertida, como se sabe, mesmo entre especialistas, a origem do comportamento corrupto: se congênito, como maldição pré-natal, ou fruto do meio ambiente, social, cultural e familiar. Fico com a segunda teoria, segundo a qual as condições em que se forjou a educação e as adjacências da ambiência do homem (não falo de pobreza e/ou riqueza ou de classes salariais) irão determinar sua pré-disposição a contrair essa doença. Por isso, julgo boa a notícia de fazer parte da estratégia do atual Comando-Geral da PMERJ a abordagem, com participação de renomados especialistas, do tema corrupção e suas implicações nas atividades da Corporação, pelos seus efeitos sobre a eficiência da segurança pública. Parabenizo, também, o Cel. Paúl por ser o primeiro a levantar o tema, pelo menos para aqueles que, como eu, não têm acesso, como não faz sentido ter, a boletins internos da Corporação.
Ocorre que só pela iniciativa do autor desse Blog é que, agora, sabemos que a PM já estaria agindo no mesmo sentido. Fato é que vivemos momento em que, não só pela liberdade da imprensa e velocidade da informação, mas pela crescente percepção de impunidade, aparecem situações, com exponencial freqüência, em todas as esferas e níveis de Governo, que mostram transfigurado o conceito da ética e banalizado o exercício da corrupção, em suas mais diversas formas.
Por isso, é sempre auspicioso que se discuta o assunto sob a visão do quanto esta prática, imposta por, igualmente criminosos, agentes ativos (o corruptos) e agentes passivos (o corrompidos), afronta a sociedade, subtrai recurso dos orçamentos, induz à ineficiência dos serviços públicos e contamina a saúde moral do povo.
Dentre os malefícios da prática da corrupção, sem forte ação corretiva do Estado para estes agentes, sem dúvida se pode alinhar a desesperança e o desestímulo que acabam chegando àqueles que, com reservas moral e ética, lutam como formiginhas, diuturnamente, independentemente de suas funções e posições hierárquicas, por mudanças comportamentais e estruturais que auxiliem no combate ao que se assemelha a uma pandemia.
Seja, ou não, restrita a audiência para os programados ciclos de palestras, considero importante que os mesmos sejam divulgados para a população, bem com as abordagens expostas pelos palestrantes, pois entendo ser um assunto de interessa de toda a sociedade, sobretudo do ponto de vista da perspectiva de que a iniciativa alcance os objetivos visados.
WAGNER MEDEIROS
31 de Julho de 2009 19:45.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

RIO DE JANEIRO: SALÁRIOS, BOATOS E GRATIFICAÇÕES.

IQUE

Os profissionais de segurança pública do Estado do Rio de Janeiro padecem a pior crise dos últimos anos no que diz respeito à questão salarial, considerando que os salários alcançaram os mais baixos valores de todo o Brasil.
Tal realidade faz com que boatos surjam em todo momento, uns otimistas e outros pessimistas, resultando em momentos de esperança e de frustração.
A mais nova notícia que circula é o surgimento de uma nova gratificação que seria paga para alguns em detrimento da maioria – essa é a regra de tais benefícios -, que oscilaria entre R$ 250,00 e R$ 350,00. A gratificação seria paga aos Policiais Militares que não estiverem licenciados em razão de problemas de saúde. Assim, os que estiverem aptos para o policiamento receberão a referida gratificação, mais uma.
Policiais Militares, Policiais Civis e Bombeiros Militares, o que vocês pensam a respeito dessas diferenças salariais?
Será que elas têm amparo constitucional (legalidade)?
Por que uns recebem e outros não recebem?
Por que em razão dessas gratificações, alguns recebem muito mais que outros?
Os exemplos dessas gratificações são vários, citamos algumas dessas distorções:
- Pecúnia (gratificação faroeste), que provoca as maiores diferenças; delegacias legais; BOPE; Unidade de Polícia Pacificadora; pilotos de aeronaves; cursos da SENASP; SAMU; GSE; RioCard; e agora, a gratificação dos aptos.
Avançando um pouco mais nessa análise, vamos considerar apenas o RioCard, que a maioria dos Policiais Militares ainda não recebeu.
Imaginem quanto recebeu a mais um Policial Militar que recebe o benefício há mais de um ano, enquanto a maioria ainda não recebe?
Isso é justo?
Isso é legal?
Obviamente, não.
Assim sendo, precisamos analisar essas distorções, tendo em vista que não pode existir essa diferenciação salarial entre servidores públicos que exercem a mesma função.
Servidores públicos que recebem salários famélicos e que merecem respeito dos governantes não, gratificações do tipo “cala boca”.
Afinal, quem sabe não poderemos todos nós requerermos administrativamente o pagamento dessas diferenças salariais?
Recentemente, a justiça do trabalho reconheceu vínculo empregatício na atividade de segurança desempenhada por alguns Policiais Militares, portanto, devemos analisar cada gratificação (benefício) detalhadamente.
Por que um Policial Civil que trabalha em uma Delegacia Legal ganha mais que um que faz o mesmo serviço em uma Delegacia ainda não incluída no programa?
Essa não inclusão é culpa dos Policiais Civis que trabalham nessas delegacias?
Claro que não.
É o Estado beneficiando uns e deixando de beneficiar outros, em razão da sua própria ineficiência.
Em conseqüência, solicitamos aos profissionais de segurança pública que encaminhem através de comentários ou através de emails (
celprpaul@yahoo.com.br), os valores dessas gratificações (benefícios), bem como, a data do início do pagamento de tais benefícios.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

O EXCLUÍDO FARDADO NO MÉIER (RUA DIAS DA CRUZ).





JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

EX-BLOG DO CESAR MAIA - 31 DE JULHO DE 2009.

- LIBEROU GERAL PARA AS DITAS "OSs"!
Antes, decreto da Prefeitura do Rio dava prazo de 10 dias para apresentar documentação. Agora é qualquer prazo. Privatização a fórceps.DECRETO Nº 30916 DE 29 DE JULHO DE 2009 - Altera o Decreto nº 30.780, de 2 de junho de 2009 e dá outras providências.1. ANTES. § 5.º Ocorrendo a hipótese prevista no inciso III do § 4º deste artigo, a Comissão competente poderá conceder à requerente o prazo de até 10 (dez) dias para a complementação dos documentos exigidos.2. AGORA. § 5.° Caso a entidade apresente a documentação discriminada no artigo 2º deste decreto de forma incompleta, a Comissão competente poderá colocaro pedido em diligência para a complementação dos documentos exigidos, sob pena de indeferimento do pedido.”
- AMIGOS, AMIGOS... PESQUISAS A PARTE!
(ESP, 31/07) A mudança de discurso do presidente Lula em relação ao presidente do Senado, José Sarney, começou a ser ensaiada na semana passada, quando o Palácio do Planalto recebeu uma pesquisa mostrando os efeitos da crise política sobre o governo. A consulta revelou que a blindagem de Sarney não era bem assimilada pela opinião pública e, pior, estava "pegando mal" tanto para Lula como para a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à Presidência, em 2010.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

REVISTA VEJA - O FILTRO - JULIANO MACHADO.

Política:
- Lula muda discurso.
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva mudou o discurso sobre o caso do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Depois de sucessivas declarações a favor à permanência de Sarney no cargo, mesmo após as inúmeras denúncias feitas contra o senador, Lula mostrou que não vai mais sair publicamente em seu apoio, como vinha acontecendo. “Não é problema meu, não votei no Sarney para ser presidente do Senado (…) Quem tem que decidir se ele fica na presidência é o Senado, e não eu”, disse Lula, conforme mostra O Estado de S. Paulo. O jornal afirma que o novo posicionamento de Lula começou a ser ensaiado na semana passada, depois que o Palácio do Planalto recebeu uma pesquisa sobre os efeitos da crise política sobre o governo. A pesquisa comprovou o óbvio: a defesa de Sarney estava “pegando mal” diante da opinião pública tanto para Lula quanto para Dilma Rousseff, ministra da Casa Civil e pré-candidata à presidência. O jornal afirma que Lula já marcou uma reunião na segunda-feira com Sarney, que se diz deprimido com a avalanche de denúncias contra ele e sua família, para avaliar a renúncia. Lula negou o encontro.
- Limpeza completa?
A situação do presidente do senado, José Sarney (PMDB-AP), se complicou nos últimos dias, com o acúmulo de denúncias pela imprensa e com 11 pedidos de investigação acumulados no Conselho de Ética. Sua renúncia ao cargo pode até estar mais perto agora, mas vale a pergunta: a suposta saída de Sarney vai acabar com a crise política no Senado? Ou melhor: vai acabar com a falta de decoro dos parlamentares? PSDB e PMDB estão em guerra declarada, depois que o partido aliado do governo, em represália às diversas representações apresentadas pelo PSDB contra Sarney no Conselho de Ética, anunciou que vai entrar com representações contra o líder dos tucanos na Casa, senador Arthur Virgílio (AM), por falta de decoro parlamentar, informa O Estado de S. Paulo. Virgílio confessou, entre outras irregularidades, ter mantido um funcionário fantasma em seu gabinete. Por sua vez, Virgílio estuda entrar com uma nova representação, desta vez contra Renan Calheiros (AL), líder do PMDB no Senado, também por falta de decoro, pela ameaça de denunciá-lo ao Conselho caso a pressão sobre Sarney continuasse. O próprio Conselho de Ética, que virou o palco da disputa entre governo e oposição, sofre com denúncias de irregularidades de seus membros, e nada garante, ainda, que as denúncias apresentadas ao Conselho sejam de fato investigadas, como mostra O Globo. Enfim, é esperar para ver a briga da semana que vem, quando acaba o recesso do Senado.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

POLÍTICA FLUMINENSE - RECORDAR É VIVER - ELEIÇÕES 2006.

ELEIÇÕES 2006 - CANDIDATOS:
1) Sérgio Cabral.
2) Francisco Dornelles.
3) Álvaro Lins.
4) Marcelo Itagiba.O "JUNTOS SOMOS FORTES!" DO JEITO DELES...
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

VISITA AOS QUARTÉIS DA POLÍCIA MILITAR - 31 DE JULHO DE 2009.

Hoje, após o ato cívico na Rua Dias da Cruz, nos deslocamos para o 3o BPM, onde almoçamos no rancho de Oficiais na companhia do Comandante e do Subcomandante da Unidade Operacional, respectivamente os Tenentes Coronéis Marco Alexandre e Moraes.
Marco Alexandre transmitiu uma excelente notícia para todos nós que residimos no grande Méier, a diminuição de vários crimes violentos, dentre eles o roubo de veículos.
A aplicação de um efetivo maior no policiamento ostensivo à pé foi outra conquista da comunidade.
Parabéns!
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

PROPOSTA SOBRE REALIZAÇÃO DE PALESTRAS - INDEFERIMENTO.

Boletim da PMERJ, número 017, de 30 de julho de 2009 (página 67):
(...)
23. PROPOSTA PARA REALIZAÇÃO DE PALESTRA SOBRE CORRUPÇÃO POLICIAL – PUBLICAÇÃO.
O Comandante Geral, em resposta ao CEL PM RG 29.297 Paulo Ricardo Paúl, referente à palestra sobre Corrupção Policial e outros temas correlatos, decide:
1. Ciente;
2. Não obstante a inequívoca demonstração de camaradagem e senso de dever do Coronel PM Paulo Ricardo Paúl, propondo realizar palestras “sem ônus para a Corporação (Estado)
[sic] sobre Corrupção Policial e outros temas correlatos”, agradecendo a manifestação do ilustre oficial superior da PMERJ, mas, atento a tais questões e verificando que não há registro recente de tais palestras em nossa instituição, este Comando Geral determinou a elaboração de calendário para eventos dessa natureza, para os quais já foram convidados próceres no tema.
(Nota nº 1347 – 30 Jul 2009 - GCG)
O organizador desse espaço democrático agradece a resposta dada pelo comando da PMERJ, a respeito da proposta sobre a realização de palestras sobre corrupção policial, percebendo pelo texto que a idéia já tinha sido implementada, o que é excelente, e que já tinham sido convidados próceres no tema (corrupção policial) para a condução das palestras.
E, para facilitar o entendimento de todos devemos esclarecer que "prócere" significa pessoa que se destaca (pessoa importante) e que [sic] é uma palavra latina que "indica que a frase ou palavra foi originalmente escrita desta forma.”
Diante do exposto, o organizador desse espaço aguardará a divulgação do calendário no boletim da PMERJ, para postular a sua participação como ouvinte nas citadas palestras, afinal, elas serão proferidas por próceres no tema.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

VISITA AOS QUARTÉIS DA POLÍCIA MILITAR - 30 DE JULHO DE 2009.


Em prosseguimento a nossa proposta de divulgar os objetivos do "Movimento Cívico Juntos Somos Fortes!", ontem comparecemos ao Quartel General da PMERJ, ao 13o BPM, ao BPChq, ao 1o BPM e ao 4o BPM.
Tivemos a oportunidade de interagir com vários Policiais Militares, Oficiais e Praças, bem como, com os Comandantes: Tenentes Coronéis Bonfadini, Robson, Mendes e Solange.
A todos desejamos sucesso na difícil missão de comandar.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL D POLÍCIA
CORONEL BARBONO

TERCEIRIZAÇÃO DE VIATURAS DA POLÍCIA MILITAR - CÓPIA DE CONTRATO COM O GRUPO JÚLIO SIMÕES - SOLICITAÇÃO.

Prezados leitores, solicitamos uma cópia dos contratos de terceirização das viaturas da PMERJ, celebrado pela Secretaria de Segurança Pública com o Grupo Júlio Simões (Minas Gerais), no intuito de apensar as cópias a outros documentos e encaminhar ao Ministério Público.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

quinta-feira, 30 de julho de 2009

A RELAÇÃO ENTRE A POLÍTICA ELEITORAL DE SÉRGIO CABRAL (PMDB) E O CENTRO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DA PMERJ.

O gravíssimo momento vivenciado pela gloriosa e heróica Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, na gestão Sérgio Cabral (PMDB), produziu um único efeito positivo, a crescente união dos Oficiais e dos Praças que amam a Instituição.
A interação tem crescido muito no nosso espaço democrático, todos atentos a cada publicação no boletim da PMERJ, a cada notícia transmitida pela mídia, como guardiões da Corporação.
Nos últimos dias, o que causou maior preocupação foi a exoneração da Tenente Coronel de Polícia Siciliano da Chefia do Centro de Recrutamento e Seleção de Pessoal (CRSP), diante da política eleitoreira de Cabral que usa e usará as Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) como grande projeto de segurança pública.
Nesse espaço já explicamos que as UPP não são nada mais que um Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) com um enorme efetivo, algo que a Polícia Militar nunca fez antes por um motivo óbvio, ou seja, a diminuição em muito do efetivo aplicado nas ruas no policiamento ostensivo, fragilizando ainda mais o aspecto preventivo do policiamento. Inclusive, tal efeito ocorreu logo após a implantação das UPPs, o que teria determinado a ordem do atual Comandante Geral de colocar tudo o que for possível nas ruas para diminuir esse efeito.
Um erro sempre puxa outros, quando não é corrigido.
Tudo um projeto político, nem uma vírgula a mais.
Isso significa que para criar várias UPPs até o período eleitoral, Cabral precisa de milhares de novos Policiais Militares para colocar nas UPPs, pois não irá retirar os mais de 2.000 que continuam fora da Polícia Militar, servindo a outros senhores e não ao povo fluminense.
Diante dessa realidade, surge a preocupação, pois Siciliano é “politicamente incorreta”, não aceita pedidos políticos e nem abre mão de qualquer limite determinado no edital, o que seria um grande obstáculo para uma entrada mais facilitada e mais rápida de soldados na PMERJ.
Cabral precisa encher a Polícia Militar de soldados e para isso precisa de portas mais largas e de olhos menos atentos.
Assim sendo, o que podemos esperar:
- provas intelectuais mais fáceis ou até mesmo a diminuição da média de 5,0 para 4,0, como critério de aprovação, permitindo um maior número de aprovados para os exames seguintes;
- exames médicos (inclusive psicológicos) menos rigorosos, feitos em regime de urgência;

- exames físicos com menor exigência, possivelmente também feitos à toque de caixa;
- pesquisas sociais feitas com maior velocidade, prejudicando a avaliação dos candidatos.
Diante do exposto, o Ministério Público deve ficar atento, sobretudo no tocante à média de aprovação e no tempo destinado à realização dos exames, pois não podemos esperar muito da mídia fluminense no tocante a noticiar qualquer facilidade.
Só nos resta torcer para que o jovem Tenente Coronel de Polícia Frederico, novo Chefe do CRSP, não se deixe dobrar e tente ser tão “politicamente incorreto” quanto a Tenente Coronel de Polícia Siciliano, que sempre foi uma garantia de exames rigorosos e sem interferência da vontade dos políticos.
Embora, talvez nos estejamos exigindo muito de Frederico, considerando que a Polícia Militar nunca esteve tão dominada pelos políticos, superando o governo Rosinha Garotinho em muito.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

LABIRINTO OU TECIDO? - MARIA ANGÉLICA MENDES PORTUGAL.

Segunda-feira, 10 de setembro de 2001, o Jornal do Brasil publica editorial Os Fios da Meada, dando conta do imperfeito controle interno da polícia pela sua Corregedoria, o que agrava a violência urbana. Talvez dez por cento da corporação estão sob suspeição, sujeitos a investigação, etc.
Pois me interessam os outros noventa por cento, a parte sadia. Eu confio na nossa Polícia. Essa confiança se faz obviamente acompanhar, diuturnamente, por supervisão pessoal que mantenho sobre Agenda Comunitária posta à disposição do policiamento ostensivo na malha prevento-repressiva, função constitucional da Polícia Militar em todos os Estados da União.
Eu não sabia da existência da PMERJ até o momento em que aqui foi implantada uma Agenda Comunitária. Por acaso, da ruazinha pequena e sem saída em que resido, fui a única moradora presente a reunião de moradores com um tenente do nosso Batalhão de Polícia Militar e a agenda veio em meu nome.
À primeira ronda da rádio patrulha, começaram as surpresas. Primeiro, com a reação dos meus vizinhos, desconfiados. Em seguida, a cada constatação da cordialidade, profissionalismo, a abnegação dos policiais encarregados de nos ‘servir e proteger’.
Nós dispomos de uma Polícia excepcional e não sabemos. Somos quatorze milhões de habitantes neste Estado. Protegem-nos talvez trinta mil policiais militares. Damos o nosso ‘reforço’ – cívico ou continuaremos perdendo na luta contra a violência urbana principalmente nesta metrópole, o Grande Rio, onde habitamos doze milhões de pessoas. Moro em um bairro ‘rico’, a Lagoa, na zona sul da cidade. É também aqui que podemos praticar uma inédita co-operação modelar e exemplar para toda a Cidade.
Os dez por cento, a banda podre, são um assustador minotauro nada mitológico, de fato e real. Labiríntico o lento controle e supressão de bandidos com carteira e arma, nos interessa no entanto o tecido e qual Ariadne, enquanto não nos chega a redenção à miséria - a mais virulenta forma da desordem - , vamos nós ‘torear’ minotauros, gastando nossos fios e nossas meadas nos subterrâneos do labirinto da desesperança, conseqüência da inacreditável inapetência nacional, claro motivo de se fiar na impunidade e no anonimato.
Qual Penélope, confiando e retribuindo à Polícia o apoio e a proteção que dela somos o objeto, temos uma escolha: a de tecermos bela e forte tela social. Só isso. O Cidadão, o Sujeito da República, é ativo e é sujeito porque nós cidadãos somos os mandantes na República, sempre que obedientes à Lei.
A Polícia é nossa, igualmente uma coleção de Sujeitos, articulados em corpo institucional e, pecado seria, por preconceito desperdiçarmos uma força da República, justamente aquela que previne e que faz cumprir a defesa de direitos nossos, indisponíveis. Vida, liberdade, segurança. Aquela que, junto com o Poder Público Municipal está mais perto do cidadão, da sua moradia, na sua rua e vizinhança, ordenando, servindo e protegendo, combatendo a anomia tão presente quanto danosa, muito difundida prática até mesmo entre nós, os sacrossantos cidadãos de bem. Basta um automóvel mal estacionado, sobre uma calçada destinada a pedestres olhe em volta e constate o motorista proprietário do bem móvel é ele mesmo um cidadão de bem, móvel o seu conjunto de valores ...em franca e quotidi ana quebra da Lei. Somos co-responsáveis e a escolha é nossa, de cada um, o Indivíduo. Deixar de escolher nos faz coniventes e assim omissos, estaríamos permitindo serem os nossos direitos tornados em esfarrapados retalhos, por obra dos sofismas e mistificações desarticuladamente praticados pelos poderes da República também nas três instâncias, federal, estadual, municipal.
Confiar na nossa Polícia é cobrar a excelência que têm os homens e mulheres que a compõem, cada indivíduo. Não cobrar por não confiar é aderir, é abdicar do direito de cada um, os nossos e os dos policiais, é aceitarmos não ser O Indivíduo reconhecido como instituto. É aderir à geléia geral, enfim. Fundamental é sabermos que temos, sim, uma escolha pessoal. Supervisionando a segurança pública, o que é nosso dever, também estaremos ativamente oferecendo o nosso reforço cívico. Eu não abro mão do meu direito, e responsabilidade, à Segurança Pública em casa, na "minha" rua, na quadra, no bairro, na Cidade.
MARIA ANGÉLICA MENDES PORTUGAL
Voluntária e moradora na Fonte da Saudade, Lagoa.
MUITO OBRIGADO PELA DEMONSTRAÇÃO DE AMOR À POLÍCIA MILITAR.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

REVISTA VEJA - O FILTRO - JULIANO MACHADO.

Política
- Dinheiro da Eletrobrás em contas dos Sarney:
Mais uma denúncia contra a família Sarney: o Instituto Mirante, presidido por Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), recebeu R$ 220 mil da Eletrobrás para financiar projetos culturais no Maranhão e parte desse dinheiro foi parar nas contas de empresas da família, informa O Globo. O instituto é um dos alvos das investigações da Polícia Federal. Ao analisar as notas fiscais que constam no processo, a reportagem constatou que as empresas da família justificam mais da metade do dinheiro.
- MP vai intervir na Fundação José Sarney:
Depois de analisar e reprovar as contas da Fundação José Sarney, o Ministério Público Estadual do Maranhão decidiu intervir na administração da entidade, que tem como presidente vitalício o senador José Sarney (PMDB-AP). A auditoria feita pelo MP descobriu, entre outras irregularidades, que parte da verba repassada à fundação pela Petrobras foi parar em aplicações bancárias, informa O Estado de S. Paulo. As investigações duraram quase um mês e se debruçaram no desvio de recursos recebidos de empresas. No caso da Petrobras, conforme o jornal, R$ 500 mil dos R$ 1,3 milhão referentes a um contrato de patrocínio foram parar em contas fantasmas ou de empresas da família Sarney. A auditoria incluiu ainda recursos que a fundação recebeu da Secretaria de Cultura do Maranhão e, indiretamente, da Companhia Vale do Rio Doce. O MP vai indicar novos membros para o conselho curador e para a diretoria executiva da entidade.
Economia
- Contas do governo não fecham:
As contas do governo federal tiveram seu pior resultado da gestão de Luiz Inácio Lula da Silva. O superávit primário – que é quanto o governo economiza para pagar os juros da dívida pública – do primeiro semestre caiu 70% em relação ao mesmo período do ano passado. Foi de R$ 61 bilhões para R$ 18 bilhões. A culpa é dela, sempre ela: a crise econômica mundial. A conta é simples. Houve queda na arrecadação do governo (de 1,8%, já descontadas as restituições, os incentivos fiscais e os repasses para Estados e municípios) e aumento dos gastos (de 17%). Em junho, pela primeira vez desde 1998, foi registrado déficit primário. É o quinto resultado negativo desde o ápice da crise mundial (setembro de 2008), informa a Folha de S.Paulo (para assinantes).
A COISA TÁ FEIA...
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONL BARBONO

EX-BLOG DO CESAR MAIA: ELEIÇÕES 2010.

- ELEIÇÃO PARA GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO-2010!
1. Mais um imbróglio. Quando tudo parecia caminhar para um painel de quatro candidatos a governador do Estado do Rio em 2010 -Gabeira, Cabral, Garotinho, Lindbergh- eis que surge outro nome. Pelo menos em pesquisa. Com Ciro Gomes sempre na frente de Dilma no Estado do Rio para presidente, um instituto de pesquisa testou seu nome para Governador.
2. Nem tão surpreendentemente, em função do resultado de 2002, Ciro aparece embolado em primeiro lugar. Diz o técnico que informou (com reserva de fonte) a este Ex-Blog: - No caso dele, nem será preciso falsificar o domicílio eleitoral, como terá que fazê-lo em SP. No Rio ele já tem a residência de sua esposa que também é domicílio eleitoral dele. Basta registrar.
3. A informação não foi dada só a este Ex-Blog. Um dirigente do PDT se animou e reagiu: - E ele ainda poderá ter o Wagner Montes puxando a chapa de deputado estadual.
- ATENÇÃO CANDIDATOS -2010- QUE QUEREM USAR A INTERNET!
Entrevista ao Estado de SP, 27/07, de Ben Self (Blue State Digital), peça importante na equipe que criou a campanha Obama na internet. Começou com Howard Dean em 2004 (referência que acompanhamos em 2004, para aprimorarmos (nosso site e rede de e-mails, e lançarmos o Ex-Blog em 2005). Começamos em 1997 com internet. Trechos da entrevista.
1. Não diria que a internet pode fazer ou derrubar o candidato. Obviamente, é muito importante e traz muitas vantagens, mas não foi só a internet que fez o senador Obama presidente, foi uma série de fatores conjuntos. Acho que a grande diferença na forma como a campanha de Obama usou a internet, em relação ao que os outros fizeram no passado, é que ela entendeu como usar a rede para ajudar a conectar voluntários dando a eles ações, que realmente fizeram a diferença na campanha. Então essa foi a grande mudança. Sempre haverá candidatos que se recusarão a abraçar a novas tecnologias. Essa é uma ferramenta importante para falar com eleitores e também para motivá-los. Qualquer candidato que vire as costas para isso está perdendo uma oportunidade-chave e uma grande vantagem.
2. (Qual ferramenta indispensável que uma campanha online deve ter?) Um website dinâmico e interessante que traga pessoas para a campanha e permita que elas façam parte dela. E tem de ter um mailing poderoso, que contenha milhares, milhões de pessoas nele. É provavelmente a peça mais importante de qualquer campanha online. É mais importante, de certa forma, que um bom website. Os sites de relacionamento não são mais importantes que o website, nem que o e-mail, de jeito nenhum. É muito difícil ganhar a eleição "twittando". Você precisa motivar as pessoas, isso ajuda a ganhar eleição. Isso significa falar com os eleitores, amigos, doar dinheiro. Se você tem um website que fala de você e no qual os seus apoiadores opinam, mas que não motiva seus eleitores para nenhuma ação, você não vai a lugar nenhum.
Caros leitores, aproveitamos o tema eleições 2010 para esclarecermos um artigo anterior e responder a um questionamento.
Lula (PT), encaminhando a candidatura de Lindberg (PT) ao governo do Estado do Rio de Janeiro, garante três palanques para Dilma:
- Na capital, no palanque de Sérgio Cabral (PMDB);
- Na baixada, no palanque de Lindberg Faria (PT); e
- No interior, no palanque do Garotinho (PR).
Agora, sobre quem é o candidato preferido de Lula?
Na nossa opinião: o PMDB.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

COMANDANTE GERAL DA PMERJ ACABA COM CERCEAMENTO DA LIBERDADE EM PENAS DISCIPLINARES.

Boletim da PMERJ número 16 - 29 de julho de 2009.
Punições Disciplinares - Normas gerais para o cumprimento - Determinação.
O regulamento disciplinar da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro é um instrumento da administração pública, para uso pedagógico sobre seus integrantes, de qualquer posto ou graduação.
Visa, principalmente, buscar corrigir os desviantes das obrigações civis e militares que se distraem dos seus compromissos prestados junto ao pavilhão nacional, seja cometendo, por ação ou omissão, transgressões de natureza leve, média ou grave, que acarretam prejuízos internos e para a população a qual se voluntariaram e obrigaram a servir.
Todavia, nos dias hodiernos em que uma clara compreensão do papel moral da punição deve prevalecer sobre intenções de castigo ou vingança institucional, contra quem se pretende corrigir, somos impulsionados a repensar o encarceramento do corpo como forma de corretivo disciplinar.
Assim, por considerar que a justiça vem desenvolvendo formas alternativas de pena até para crimes que, originalmente, prevêem privação da liberdade, este Comandante Geral, seguindo as tendências da modernidade nesse campo e considerando a necessidade de trazer para a PMERJ um modelo mais adequado e humano de justiça disciplinar, até que se adote novo RDPM RESOLVE:
1. Determinar que as punições disciplinares de detenção e prisão aplicadas por Comandantes, Chefes e Diretores das OPM, ocorram sem a retenção do Policial Militar tanto para os serviços
quanto para seu repouso de folga.
2. Após a publicação em Boletim, o punido deverá assinar o Termo de Ciência de Recebimento da Punição, que será transcrito para o Boletim Disciplinar.
3. A contagem para equivalência das punições seguirá o que regula o RDPM, bem como a classificação do comportamento.
4. Na imperiosa necessidade de recolhimento de Policial Militar sem nota de culpa com base no
RDPM, os Comandantes, Chefes e Diretores deverão mandar providenciar, de imediato, a tomada a termo e outras providencias como inquirição de testemunhas e colhimento de provas
dos motivos que possam determinar tais prisões.
5. Convêm lembrar que tais medidas não objetivam, em hipótese alguma, promover um desvirtuamento ou afrouxamento dos sagrados valores militares que cultuamos em nossa corporação, mas, tão somente, inaugurar um novo tempo em que a equidade seja o valor síntese para a promoção da justiça disciplinar em nossa amada Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro.
A presente disposição entrará em vigor por Resolução do Comandante Geral, que será publicada
até 15 de Agosto de 2009, e que se encontra em fase de formulação.
MÁRIO SÉRGIO DE BRITO DUARTE
CORONEL DE POLÍCIA
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

SE SÉRGIO CABRAL (PMDB) PROMETER ALGO, ESQUEÇA, ELE NÃO CUMPRE O PROMETIDO, MESMO QUE A PROMESSA TENHA SIDO GRAVADA.

Sérgio Cabral + Eduardo Paes + Jorge Picciani
O PMDB do Rio de Janeiro
Transcrição do discurso de Sérgio Cabral (PMDB), em 2006, durante a campanha eleitoral, na AME/RJ (o discurso foi gravado):
(...) portanto o meu compromisso com os senhores é um compromisso franco de quem vai combater o mau gasto para ter a oportunidade de oferecer aos senhores um salário de qualidade, um salário digno, reconhecer a perdas salariais (em 2006, mais de 50%), esses dados eu já tinha e quero ratificar aqui esse compromisso da reposição dessa perdas salariais, assumo aqui esse compromisso, eu não vou dizer... eu não vou dizer... que vou pagar em um mês, dois meses, três meses, quatro meses, cinco meses, mas nós vamos estabelecer um calendário e os senhores controlarão comigo a gestão pública por que um das razões que me levam a ser muito otimista é que analisando o quadro de gasto do Estado eu verifico que o Estado tem o orçamento anual de 33 bilhões de reais, gasta mais ou menos 2 bilhões e meio com investimentos diretos, paga 3 bilhões e meio de DC pela dívida com a união, paga um bilhão de receita de , perdão , de dívida internacional, banco mundial, banco interamericano , banco japonês, repassa mais ou menos 4 bilhões para os municípios, a chamada quarta parte do ICMS, gasta com custeio quase 6 bilhões e meio de reais e gasta com folha de pagamento, com os senhores, com os inativos, com os ativos, com os pensionistas 13 bilhões de reais, ora, 13 bilhões de reais em 33, não é o servidor público o vilão dessa história, não é o servidor público o responsável pela incapacidade de investimento do Estado, (...) esse é o nosso compromisso e eu posso garantir aos senhores, que com esses compromissos, vai sobrar dinheiro pra pagar bem ao servidor público, eu não vou prometer o paraíso aos senhores, eu vou prometer, me comprometer de ser um governador ao lado dos senhores não só na questão salarial, e aqui estou assumindo esse compromisso, e espero que esteja sendo gravado para que os senhores me cobrem, e trabalhamos juntos positivamente nessa reposição, mas não serão apenas ações corporativas, a manutenção do regime próprio previdenciário que é absolutamente justo, é uma carreira especial, assim como os militares federais conseguiram manter essa conquista, mesmo naquele momento de barbaridade em que o governo federal, contra o meu voto, aprovou desconto contra aposentados e pensionistas, e tentava mudar o sistema do regime previdenciário militar. A questão da legislação eu concordo com o senhor tem que ser adaptada, tem que ser atualizada, que faltou aqui...eu vou chegar depois na institucional, a revisão do regulamento militar, eu aí tenho que me debruçar sobre isso eu não vou dar nenhuma opinião sobre esse assunto, sem antes ouvir as pessoas que eu vou escolher pra trabalhar ao meu lado, e junto com os senhores que eu me comprometo, é canal aberto pra fazer a revisão no que for possível, será feito por que evidentemente, civil que se mete a dar palpite no sistema militar sem ouvir o militar faz bobagem, então eu vou ouvir e juntos vamos, quero ouvir as críticas do que é hoje e quais são as propostas do que deve ser mantido e o que não deve ser mantido, pois fique certo coronel (presidente da AME/RJ) que o senhor será ouvido, os senhores e as demais entidades, a manutenção do regime próprio eu já me referi, o restabelecimento imediato do gabinete militar eu acho que isso é uma função é institucional, presidência da república tem, os governos estaduais tem, absolutamente legítimo assumo aqui esse compromisso. Eu queria assumir aqui um compromisso com os senhores, não vai ter política na nomeação de comandante de batalhão, não vai ter política na nomeação de ninguém, eu quero aqui assumir esse compromisso com vocês (...).
Policial Militar, Oficial e Praça, essas foram as PROMESSAS DE CAMPANHA do então candidato Sérgio Cabral (PMDB). Como podemos constatar nenhuma delas foi cumprida, NENHUMA!
Diante dessa total enganação temos que dar a resposta devida, contar para cada cidadão fluminense quem é Sérgio Cabral, basta que falemos a verdade, pois a verdade será mais que suficiente para retirá-lo da política fluminense para todo o sempre.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

NOVO COMANDO GERAL - TUDO NOVO DE NOVO!

O Boletim Interno da PMERJ número 001, publicou a nomeação do Tenente Coronel de Polícia Carlos Mendes Gomes de Oliveira como Diretor Interino da DGAL e o Boletim Interno da PMERJ número 014, publicou a sua exoneração da função e a sua nomeação como Comandante do 35o BPM.
Interessante, o Oficial exerceu por poucos dias a função para a qual tinha sido escolhido pelo Comandante Geral, saiu de um cargo de Direção Geral e foi comandar uma unidade operacional.
E, para não mudar a rotina da dança das cadeiras:
- O Comandante exonerado do 35o BPM, substituído pelo ex-DGAL, foi nomeado comandante do 14o BPM;
- O Comandante exonerado do 14o BPM, substituído pelo ex-Comandante do 35o BPM, foi para a DGP (sem função). Ele é Aspirante do ano de 1978, muito mais antigo que o Comandante Geral; e
- O ex-Chefe da 1a DPJM, exonerado recentemente, foi nomeado para a função de Diretor Interino da DGAL.
TUDO NOVO DE NOVO!
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

O TIRO, PORRADA E BOMBA CONTRA O TELEFONE DE EMERGÊNCIA 190.

O Major de Polícia Wanderby não é uma pessoa comum, no sentido inverso da conotação dada a essa expressão pelo presidente Lula (PT), ao se referir ao seu atual amigo (antigo inimigo) José Sarney (PMDB).
Wanderby é um servidor público honesto, competente, voltado para o interesse público e que busca exercer plenamente a sua cidadania.
Ele é um exemplo.
Wanderby escreveu um artigo no qual relata a sua experiência como uma pessoa comum, tentando buscar auxílio da Polícia Militar através do número de emergência 190.
Um triste relato.
Uma clara demonstração do quanto a Polícia Militar está desviada de suas missões constitucionais, o SERVIR e PROTEGER o cidadão.
Enquanto o povo sonha com a Polícia que quer e que merece, o governo insiste em transformar o Policial Militar e o Polícia Civil em guerrilheiros urbanos, uma tropa de assalto, pronta para MATAR ou MORRER, incursionando em comunidades carentes, o território inimigo.
O resultado dessa insanidade, que ocorre com o beneplácito dos poderes legislativo e judiciário, são milhares de corpos espalhados pelo Estado, dentre eles dezenas de corpos de Policiais Militares.
Cidadão fluminense, a POLÍCIA não é um EXÉRCITO DE INVASÃO, na luta pela retomada de territórios dominados por inimigos.
Por favor, governantes, cumpram os mandamentos constitucionais e permitam que a Polícia Militar e a Polícia Civil protejam e sirvam à sociedade fluminense, afastando as instituições da busca pelo confronto armado. Afinal, quem tem a missão de prevenir e de reprimir o tráfico de drogas e o contrabando de armas (fuzis, metralhadoras, pistolas, etc) é a Polícia Federal (artigo 144 da Constituição Federal) e ela não atua como se fosse um exército invasor, prefere ter às mãos limpas!
O povo fluminense clama no sentido de que o telefone 190 funcione em seu auxílio e que quando for vítima de um crime, espera que ele seja devidamente investigado.
Mudando o foco do COMBATE para o SERVIR e PROTEGER, quando uma pessoa ligar para o 190, receberá a resposta que merece, a presença da Polícia Militar.
Leiam o artigo do Major de Polícia Wanderby (clique e leia), ele não é uma pessoa comum.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

FUNCIONALISMO PÚBLICO ABANDONARÁ SÉRGIO CABRAL (PMDB).

Prezados leitores, leiam excelente artigo publicado no blog Muriqui FM, a respeito do fato de Sérgio Cabral (PMDB) ter perdido o seu maior cabo eleitoral (clique e leia).
Nós concordamos plenamente.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

A CONDENAÇÃO TOTAL DA INSEGURANÇA NO RIO DE JANEIRO.

Julgamento vira palco de críticas à segurança no Rio
Por Marina Ito
A política de segurança pública do Rio de Janeiro sentou no banco dos réus na tarde desta terça-feira (28/7). No incomum julgamento do policial militar Willian de Paula, acusado de matar o menino João Roberto, teve de tudo: desde juiz falando mal de policial até promotor dando a entender que faria justiça com as próprias mãos.
A 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, por maioria, decidiu anular a decisão do 2º Tribunal do Júri do Rio que absolveu o policial pelo crime de homicídio e o condenou por lesão corporal. Os desembargadores entenderam que a decisão que o absolveu foi contrária às provas dos autos e deu provimento ao recurso do Ministério Público.
O julgamento teve todos os ingredientes que casos de repercussão costumam ter. Os pais do menino, parentes e amigos estavam na pequena sala de julgamentos. Também havia dois seguranças do tribunal, advogados, repórteres e câmeras de TV. Todos apertados e à flor da pele.
O advogado de defesa do policial dispensou o uso da palavra. Já o procurador Francisco Eduardo Marcondes Nabuco não apenas usou o tempo regulamentar como pediu mais, o que foi concedido pelo presidente da Câmara, desembargador Maurílio Passos Braga.
O procurador fez duras críticas à polícia. “A PM apodreceu”, disse. Ele se perguntou se a criminalidade na cidade do Rio não diminuiria se a polícia fosse extinta. “Gente ruim tem em todo lugar, mas na PM e em Brasília...”, disse em tom irônico. Também chamou o policial de assassino, afirmando que há nele um hábito e vício de matar, já que, diz, há na ficha do policial, cinco ou seis anotações de abordagem com troca de tiros em que mataram todos. Depois de dizer que não há dia em que a PM fica fora dos jornais por abusos cometidos pelos próprios policiais, disse que foi informado que o comando está lutando para melhorar. "A quatro dias, um PM é expulso", afirmou.
O menino foi morto no dia 6 de julho de 2008 quando estava com a mãe e o irmão de nove meses dentro do carro da família e passava por uma rua onde ocorria uma perseguição policial. O cabo Willian de Paula e o soldado Elias da Costa Neto seguiam um outro carro e disseram ter havido troca de tiros. O carro da família de João Roberto foi alvejado com 17 tiros.
O desembargador Siro Darlan, que votou pela anulação da decisão do Júri, também aproveitou o julgamento para demonstrar sua indignação. Disse aos pais do menino que esperava que o julgamento representasse uma bandeira contra a política do estado que, segundo ele, atira primeiro para depois ver quem é. Para Darlan, o caso do menino João Roberto foi resultado da política de segurança pública. “É muito fácil a Polícia entrar em comunidades carentes, atirar e, no outro dia, dizer à imprensa, que eram traficantes”, disse.
Mas foi justamente no manual da Polícia que o desembargador fundamentou seu voto. Segundo Darlan, o policial não obedeceu ao manual, que estabelece os procedimentos a serem adotados para a abordagem. O desembargador entendeu que o Júri, manifestamente, equivocou-se.
O desembargador Alexandre Varella, relator do recurso, entendeu que as provas dos autos demonstram o despreparo dos policiais. Para o desembargador, as provas também não comprovam a tese defendida pelos policiais de que estavam no estrito cumprimento do dever legal. Citando parecer do Ministério Público, Varella disse que a conduta dos policiais não se relaciona à hipótese de cumprimento do dever, pois ninguém tem direito nem dever de matar. Ele também afirmou que, mesmo o desempenho de obrigação imposta por lei, tem limite.
Já o desembargador Maurílio Passos Braga, revisor do recurso, entendeu que não há provas nos autos de que o tiro que matou o menino tenha sido disparado pelo policial William de Paula. O desembargador explicou que o policial confessou que deu dois tiros e que competia ao MP provar que os outros tiros que atingiram o carro foram disparados pelo policial, já que, diz Braga, a perícia não faz tal afirmação. Para o desembargador, se o MP diz que o policial agiu com vontade de matar, tem de provar.
O voto de Braga levou o próprio procurador a se manifestar novamente. O desembargador iniciou seu voto afirmando que não leu o mesmo processo que o procurador. Não se sabe se o procurador, indignado com o voto ou com a insistência de Braga para que mostrasse onde estavam as provas no processo, o procurador Nabuco desabafou. Disse que se fosse com o filho dele, o caso nem estaria sendo julgado, pois haveria extinção da punibilidade, dando a entender que faria justiça com as próprias mãos. Ele deixou claro que falava como cidadão, não como procurador.
Os pais e amigos da família também ficaram revoltados com o voto do desembargador. Mas o Braga não hesitou. Explicou que sabe o que é ser pai, mas que os julgados têm de ser técnicos, sob pena de ser desnecessário o Judiciário. “Se eu, técnico, não consigo ver decisão contrária às provas, como os jurados, que são leigos, poderiam ver”, completou. O julgamento ainda teve outra cenaincomum. O pai do menino João Roberto também interrompeu o julgamento após Braga proferir seu voto. Da tribuna, reconheceu que não podia sustentar, mas perguntou: “Quem matou o meu filho?”.
Com base no voto divergente, a defesa do policial pretende recorrer ao próprio tribunal através de embargos infringentes.
Processo 2009.050.00757
Marina Ito é correspondente da Consultor Jurídico no Rio de Janeiro.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

quarta-feira, 29 de julho de 2009

PROFISSIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA, O QUE VOCÊ ESPERA DE QUEM ESTÁ NO TOPO DE SUA INSTITUIÇÃO?

Hoje, reiniciando a nossa caminhada no sentido de comparecer nas Organizações Policiais Militares para conversar com os Oficiais e os Praças, intercalando com os atos cívicos com o Excluído Fardado, estivemos no Quartel General, onde almoçamos no rancho dos Coronéis.
No Quartel General, identificamos a mesma desilusão que encontramos nos Policiais Militares que trabalham nas ruas, uma completa falta de esperança em dias melhores e apenas, uma tênue expectativa com relação à aprovação da PEC 300/2008.
Isso é muito triste, uma tropa que se sente abandonada à própria sorte e sem qualquer alento.
Certamente, os Bombeiros Militares, os Policiais Civis e os Guardas Municipais do Município do Rio de Janeiro, padecem dos mesmos males.
E, desse quadro tenebroso, surge um questionamento, considerando que o organizador desse blog tem sido "criticado" em razão de suas ações, que muitos consideram impróprias para um CORONEL DE POLÍCIA:
- O que os profissionais de segurança pública esperam de seus "líderes" diante desse esfacelamento das Instituições?
Assim sendo:
- O que os Policiais Civis esperam que os Delegados façam?
- O que os Guardas Municipais esperam que os seus superiores façam?
- O que os Policiais Militares esperam que os Coronéis façam?
- O que os Bombeiros Militares esperam que os Coronéis façam?
Por favor, solicitamos que encaminhem respostas, não esquecendo que o organizador desse blog, antes de agir como poderão assistir no vídeo que se segue, adotou os seguintes procedimentos:
- reuniu-se com um grupo de Coronéis de Polícia;
- participou da elaboração da Carta dos Coronéis Barbonos;
- participou de reuniões com o Comandante Geral, com o Secretário de Segurança e com o Governador e sua equipe;
- participou de reuniões na AME/RJ;
- participou de duas Marchas Democráticas; e
- participou (e participa) de dezenas de atos cívicos.
As suas respostas poderão redirecionar as nossas ações, pois o objetivo central da nossa mobilização é ser pragmática, focada na conquista de resultados.
Agora, assistam a mais um "escandaloso" vídeo (ato cívico na ALERJ):
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

A MARCHA DA PEC 300/2008 - UMA GRANDE INICIATIVA.

EMAIL RECEBIDO:
"Marcha em prol da PEC 300 leva milhares às ruas de Campina Grande.
As ruas da cidade foram tomadas por uma grande manifestação popular. Mais de duas mil pessoas participaram do evento.
A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 300, de autoria do deputado federal, Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), propõe equiparar os vencimentos das Policias e Bombeiros Militares de todas as unidades da Federação com os praticados no Distrito Federal. A PEC 300 já foi aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Federal, e agora será debatida em uma Comissão Especial.
O deputado federal paraibano Major Fábio (DEM), organizador do Marcha, destacou a importância do movimento. “A caminhada em Campina Grande faz parte da grande mobilização nacional que estamos propondo na Câmara. É muito importante o debate da PEC 300, já que atende diretamente cerca de 700 mil pessoas entre Policiais e Bombeiros Militares, além dos ativos e inativos em todo o Brasil que estão mobilizadas acompanhando a sua tramitação”, comemorou o Major.
A Marcha em defesa da PEC 300, teve início em frente ao 2º Batalhão da Polícia em Campina Grande, unidos e com muita emoção, os participantes percorreram as ruas do centro da cidade com faixas e cartazes. A manifestação foi encerrada com os pronunciamentos dos parlamentares na Praça da Bandeira.
Atendendo convite do deputado Major Fábio, participaram do encontro os deputados federais; Capitão Assumção (PSBES),Mendonça Prado (DEM-SE), Ilderlei Cordeiro (PPS-AC) e os paraibanos Rômulo Gouveia (PSDB) e Damião Feliciano (PDT), além do deputado estadual por Pernambuco, Soldado Moisés.
Todos ressaltaram a luta do Major Fábio em defesa da aprovação da PEC 300. "
SITE do deputado federal Arnaldo Faria de Sá:
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

GAROTINHO (PR) ACUSA SÉRGIO CABRAL (PMDB) DE FUGIR DO PROTESTO DO FUNCIONALISMO PÚBLICO NO DIA 13 DE AGOSTO DE 2009.

BLOG DO GAROTINHO
No dia 13 de agosto de 2009, o Excluído Fardado estará OMBREANDO COM OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS no Palácio Guanabara, com ou sem Sérgio Cabral (PMDB), denunciando os salários de fome dos Policiais Militares, Bombeiros Militares e Policiais Civis.
Estaremos pedindo o impeachment do governador, o pior que o Rio de Janeiro já conheceu, alguém que não deve continuar no exercício do mandato, agravando a crise na segurança pública, na saúde pública e na educação pública.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

CORRUPÇÃO SISTÊMICA - COMO ENFRENTÁ-LA? - CORONEL DE POLÍCIA ROSETTE.

A corrupção policial é uma ameaça real ao sistema de segurança pública no Rio de Janeiro. O enfrentamento a este problema, até então, tem-se mostrado ineficaz pois, embora a Polícia Militar tenha expurgado de seu meio policiais corruptos, a corrupção como um todo não diminui.
A observação dessa realidade deveria levar o poder público a reflexões de outra ordem, como por exemplo que a corrupção é muito mais uma questão societária que um problema moral-individual. Também seu enfrentamento, hodiernamente feito através de ações isoladas contra os corruptos (teoria da eliminação das maçãs podres), nada mais demonstra o reduzido alcance que uma política meramente penalista tem sobre o problema.
Considerando a corrupção como um fenômeno arraigado em nossa sociedade, onde ter é mais importante do que ser , onde “todos querem levar vantagem em tudo”, pode-se afirmar que a estratégia está enviesada, carecendo portanto de novos rumos para sua minimização (devemos entender que a erradicação total é utópica).
Em resumo exsurge a adoção de uma política pública focada em medidas mais abrangentes e que enfrentem o problema na sua real dimensão e em todos os seus vetores, sendo portanto de se esperar resultados diversos dos atuais. Dentre tais medidas destacam-se:
- a mensuração da corrupção sistêmica através de pesquisa interna (não se pode combater aquilo que não se conhece);
- criação de mecanismos internos de controle que inviabilizem a prática de determinadas condutas desviantes (evolução tecnológica);
- criação de um sistema de controle externo, com a participação da sociedade, independente organicamente da Polícia e com poderes de auditoria (o cliente deve opinar sobre o produto que está recebendo);
- reformulação dos currículos de formação, especialização e extensão de policiais, direcionando o ensino para a reflexão, o estudo de caso, os debates em grupo que viabilizem a formação de um ethos contra a corrupção;
- modernizar a estrutura da polícia, ajustando-a a um modelo empresarial competitivo e compatível com as demandas do mercado, reduzindo os níveis de decisão e tornando todos os seus integrantes individualmente responsáveis pelo todo, perante a própria organização e a sociedade;
- elaboração de um programa de valorização profissional e motivacional, a ser realizado ciclicamente, a par da adoção de remuneração digna e melhoria dos ambientes de trabalho dos policiais.
Tais medidas têm de ser reguladas a partir da pesquisa inicial e, através de DIRETRIZES, serem implantadas seqüencial e cumulativamente.
Em paralelo deve-se MONITORAR os resultados obtidos periodicamente, repetindo a pesquisa de mensuração, viabilizando eventuais correções que se façam necessárias para o atingimento dos OBJETIVOS.
Isto é, em síntese, uma POLÍTICA PÚBLICA.
ALEXANDRE CARVALHAES ROSETTE
CORONEL DE POLÍCIA
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

A VERDADEIRA POLÍTICA BRASILEIRA.

EMAIL RECEBIDO:
*DISCURSO ANTES DA POSSE*
Nosso partido cumpre o que promete.
Só os tolos podem crer que não lutaremos contra a corrupção.
Porque, se há algo certo para nós, é que
A honestidade e a transparência são fundamentais.
Para alcançar nossos ideais
Mostraremos que é grande estupidez crer que
As máfias continuarão no governo, como sempre.
Asseguramos sem dúvida que
A justiça social será o alvo de nossa ação.
Apesar disso, há idiotas que imaginam que
Se possa governar com as manchas da velha política.
Quando assumirmos o poder, faremos tudo para que
Se termine com os marajás e as negociatas.
Não permitiremos de nenhum modo que
Nossas crianças morram de fome.
Cumpriremos nossos propósitos mesmo que
Os recursos econômicos do país se esgotem.
Exerceremos o poder até que
Compreendam que
Somos a nova política.
*DISCURSO DEPOIS DA POSSE*
Basta ler o mesmo texto acima, DE BAIXO PARA CIMA.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

CESAR MAIA (DEM) PARECE ESTAR TIRANDO O SONO DE SÉRGIO CABRAL (PMDB) E DE RÉGIS FICHTNER.


JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

COMENTÁRIO LIDO E NÃO POSTADO - PARABÉNS PELO IDEALISMO.

Em nome da reconstrução da nossa amada e heróica Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, temos o dever de parabenizar o grupo de Oficiais que resolveu resistir aos ventos desviantes que querem impor a sua força destruidora através da prática de graves desvios de conduta.
Atendendo ao solicitado o comentário foi lido e deletado.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

A BLOGOSFERA DA SEGURANÇA PÚBLICA TAMBÉM ESTARIA CENSURADA NAS DELEGACIAS LEGAIS DA POLÍCIA CIVIL.

Mais uma má notícia a respeito da censura dos blogs e sites da blogosfera da Segurança Pública, recebemos um comentário esclarecendo que nas Delegacias Legais da PCERJ também está vetado o acesso à nossa blogosfera.
Sinceramente, não conseguimos "ver com bons olhos" esse tipo de censura, sobretudo quando a UNESCO patrocina pesquisa sobre essa blogosfera, esse canal democrático e livre para a discussão de temas relacionados com a segurança pública, um dos maiores flagelos da sociedade brasileira.
Por favor, solicitamos aos Policiais Civis que nos confirmem essa informação.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARFDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

O ATO DE IDEALISMO E DESTEMOR DOS TENENTES DE POLÍCIA E A NOSSA INCOMPETÊNCIA.

Em recente artigo postamos uma fotografia que recebemos através de email, na qual aparecem vários Tenentes de Polícia em forma no pátio do Quartel General da PMERJ.
Uma foto histórica, uma demonstração clara de idealismo e destemor, sentimentos próprios dos militares de Polícia.
Em seguida, recebemos e postamos um comentário anônimo que solicita que citemos alguns fatos relacionados a esse momento ímpar de grandeza da oficialidade da PMERJ, porém, somos incompetentes para tal postagem, pois não participamos do ato.
Assim sendo, para que a história da Instituição seja preservada e que essa foto não fique perdida em uma página de um jornal antigo ou vagando pela internet, solicitamos que os Tenentes de Polícia da época encaminhem artigos contando essa ação que deve orgulhar a todos os participantes e a todos nós que amamos a Polícia Militar.
Não podemos permitir que atos dignos se percam na poeira do tempo, inclusive, para que isso não ocorra com a nossa mobilização, escrevemos um livro a ser lançado em 2010 e estamos avaliando a possibilidade de lançarmos ainda neste ano uma prévia do livro (síntese) com os principais fatos.
Mãos à obra a história aguarda por vocês, bravos Tenentes de Polícia.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

NO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO A BLOGOSFERA DA SEGURANÇA PÚBLICA AINDA ESTARIA CENSURADA.

Acabamos de postar um comentário que informa que a blogosfera da segurança pública continua censurada nos computadores do CBMERJ, o que lamentamos, considerando que salvo melhor juízo isso constitui um cerceamento à informação, uma restrição à liberdade de expressão.
Devemos destacar que o controle do acesso à internet é fundamental no serviço público e na iniciativa privada, bem como, concordamos que exista uma censura com relação a sites ou blogs anônimos, nos quais se escreve qualquer coisa e se acusa qualquer um, indiscriminadamente e sem qualquer compromisso com a verdade dos fatos. Todavia, não podemos concordar que blogs de autores plenamente identificados sejam censurados e o acesso a eles impedido, nos horários de folga ou após o expediente.
Em face desse quadro, encaminharemos documento ao Diretor Geral de Pessoal sobre essa censura, solicitando o encaminhamento ao Ministério Público para avaliação.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

BOA NOTÍCIA, O NOSSO ESPAÇO DEMOCRÁTICO NÃO ESTÁ CENSURADO NO QUARTEL GENERAL DA PMERJ.

Nessa quarta-feira, constatamos que diferentemente do que nos foi comunicado, o nosso espaço democrático (blog) não está censurado no Quartel General, o que agradecemos, pois permite a participação de todos nas nossas discussões sobre segurança pública.
Infelizmente, não houve tempo para verificarmos se algum outro blog da blogosfera policial se encontra censurado.
E no Corpo de Bombeiros Militar, ainda existe censura ao nosso blog?
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

NO RIO DE JANEIRO VALE TUDO...

EMAIL RECEBIDO:



Hoje pela manhã um veículo do Ministério de Minas e Energia (Eletróbras) estava estacionado na Rua do Resende, sob uma placa de proibido parar ou estacionar.
O Rio de Janeiro é assim mesmo...
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

SERÁ QUE O TRÁFICO DE DROGAS "HERDOU" OS DPOs E OS PPCs?

O nosso espaço democrático tem alcançado um dos seus principais objetivos, ou seja, tornar-se um espaço de referência para discussão de temas relacionados à segurança pública no Brasil. Um espaço que permite a participação de Policiais Militares, Policiais Civis, Policiais Federais, Soldados, Jornalistas, Delegados, estudiosos do tema, Coronéis, Inspetores, representantes da sociedade civil e dos anônimos de todas as origens, ideologias e interesses.
Assim sendo, os temas abordados são sempre de grande relevância e retratam a nossa dura realidade vivenciada no Estado do Rio de Janeiro, o Rio de Janeiro dos milhares de corpos espalhados em avenidas, becos, ruas, vielas, cemitérios clandestinos, etc. O Rio de Janeiro dos milhares de "desaparecidos" a cada ano, uma média macabra que supera os 400 "desaparecimentos" por ano.
Hoje, o jornal O Globo publia na página 12, uma matéria que retrata como o nosso espaço está sempre atualizado. A matéria tem como título:
"TRÁFICO USARIA POSTOS DA PM EM FAVELAS
Polícia (Militar) investiga se bandidos ocuparam bases em unidades desativadas".
A matéria é de Ronado Braga e cita a possiblidades das instalações dos DPOs e PPCs desativados terem sido ocupadas criminosos.
Os nossos leitores sabem que essa foi uma das nossas preocupações, quando soubemos da desativação desses postos, pois perguntamos o que seria feito dessas instalações, pois deixá-las para trás, sem dúvida, permitiria a sua utilização pelo crime.
Tais instalações deveriam ter sido repassadas oficialmente para a comunidade, onde poderiam ser instalados pelo poder público inúmeros projetos educacionais - projetos de prevenção ou de formação profissional - nas áreas da saúde, da educação, da sustentabilidade, etc.
Um projeto de prevenção à gravidez precoce ou ao uso de drogas legais e ilegais seria uma ótima idéia, bem como, um projeto de inclusão digital ou de reciclagem dos resíduos domésticos.
Infelizmente, parece que a Polícia Militar continuar resistente ao planejamento, "tocando de ouvido", agindo e vendo no que dá depois!
Isso é péssimo, empresta aos administradores da Polícia Militar um condenável amadorismo, o mesmo amadorismo daqueles que esquecem que a missão do Policial Militar é SERVIR e PROTEGER, insistindo em transformar os nossos homens e mulheres em "guerreiros".
Todos nós, cidadãos fluminenses e Policiais Militares, ganharíamos muito se os que defendem essa belicosidade, resolvessem se alistar em um dos exércitos de mercenários espalhados pelo mundo, guerreando por amor à guerra e ao dinheiro, nos permitindo voltar à nossa missão constitucional, da qual estamos cada vez mais afastados.
JUNTOS SOMOS FORTES!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO