terça-feira, 31 de março de 2009

31 DE MARÇO DE 1964, QUARENTA E CINCO ANOS DEPOIS!


Uns festejam, outros condenam.
Governo Militar ou Ditadura Militar?
Palavras e expressões marcam estes quarenta e cinco anos, divididos em dois períodos (1964-1982 e 1982-2009), algumas se repetindo ano após ano:
Política, corrupção, comunismo, LIESA, anistia geral, liberalismo, prisões, desaparecidos, exilados, mortos, atos institucionais, militares, civis simpatizantes, bolsa família, sindicalismo, civis, jogos dos bichos, carnaval, anistia ampla, futebol, Copa do Mundo, MDB, bolsa ditadura, ARENA, seqüestros, roubos a bancos, ordem, neoliberalismo, bombas, progresso, povo, extremismos, democracia, abertura política, estudantes, crimes, se há dois anos trás, Rio Centro, passeatas, atos cívicos, UNE, PSDB, PMDB, PT, corrupção política generalizada, somando forças, PMDB, Jogos Pan-americanos, forças armadas, Olimpíadas, Coronéis Barbonos, 40 da Evaristo, anistia irrestrita, OAB, MST, assistencialismo, ruralistas, fardas, grampos telefônicos, desordem urbana, Marcola, MLST, Fernandinho Beira Mar, crimes hediondos, cuecas, anões, mensalões, horas extras nas férias, Cuba, URSS, tráfico de drogas, direitos humanos, EUA, Polícia Federal, capitalismo, CV, PC, caça-níqueis, milícias, 70% de analfabetismo funcional, assassinatos, PCB, PSOL, congresso fechado, PC do B, PCC, congresso aberto, ADA, fuzis, crimes de congressistas, nunca antes na história deste país, políticos bandidos, marolinha, olhos azuis, por que não te calas, desemprego, crise, escândalos políticos, etc.
Quarenta e cinco anos depois de 31 de março de 1964, ainda não conseguimos unir democracia, ordem e progresso.
O crime nas suas mais variadas versões, bem como, os criminosos, são nossos companheiros de viagem neste trem da alegria chamado Brasil.
Os heróis viraram vilões, o dinheiro público é a “geni” de onde todos querem mamar.
As canções que iluminaram a reabertura política, nunca foram tão reais como em nossos tristes dias.
Apesar de você, amanhã há de ser, outro dia.
O simples fato de votarmos não significa que vivemos em uma democracia, o voto é apenas um componente, sobretudo porque os feudos, antes fruto do coronelismo nordestimo, agora existem nas grandes metrópoles.
O “voto de cabresto” nunca esteve tão presente.
O autoritarismo político é exercido abertamente, como ocorreu no Rio de Janeiro, onde o poder político – apartado dos princípios democráticos – mudou leis, com apoio da ALERJ, para prejudicar Coronéis que queriam salvar a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros Militar.
“Eles” não querem que o bem prevaleça!
“Eles” SOMAM FORÇAS, só não sabemos com quem, certamente não com os servidores públicos.
Democracia sem ordem e sem progresso, não é democracia é autoritarismo.
Cidadão brasileiro, embora a maioria esteja excluída da cidadania, precisamos nos unir e cobrar mudanças políticas imediatamente.
Caso contrário, logo não teremos mais a opção da solução ordeira.
Pai, afasta de mim esse cálice, repleto de sangue das pessoas que morrem em decorrência da violência urbana, das crianças dos sinais - maltrapilhos malabaristas -, e das famílias que vivem sob marquises.
Se continuarmos adormecidos em berço esplêndido, teremos que mudar a frase inscrita no pavilhão nacional.
Talvez:
- “SALVE-SE QUEM PUDER!”
Brava gente brasileira.
Não tenha o temor servil.
Do universo entre as nações precisa resplandecer a do Brasil!
O pátria amada, idolatrada, salve salve, mãe gentil.
Filhos deste solo não fujam à luta!
Seus filhos merecem ORDEM E PROGRESSO.

PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

AS BATALHAS DO ALEMÃO E DOS TABAJARAS - PROMESSAS POLÍTICAS NÃO CUMPRIDAS.


A cidade partida.
A Batalha do Alemão e a Batalha dos Tabajaras.
Mortes sob investigação.
Laudos cadavéricos podem ser a resposta.
Anistia Internacional condena Batalha do Alemão.
A cidade partida.
Tiros de fuzil no Complexo do Alemão são rotina, na Zona Sul um escândalo internacional.
Secretário de Segurança aplaudido publicamente pelo Alemão, criticado pelos Tabajaras.
Até quando morreremos todo dia?
Onde está o modelo de segurança pública para todo o Brasil que seria construído no Rio de Janeiro, conforme promessa do Presidente Lula?
Lembram?
Nunca antes na história deste país tantas promessas políticas não foram cumpridas e impunemente.
Vamos implantar o "recall político" na decantada "reforma política" e vamos avaliar cada governante eleito no meio do mandato, expurgando os que só fazem promessas.
E a valorização do Policial Militar e do Policial Civil prometidas pelo Governador Sérgio Cabral?
Já se passaram 27 (vinte sete) meses e nada...
Não existe projeto de segurança pública que possa ser eficaz sem a valorização do profissional de segurança pública - o Policial.
O Policial que arrisca a própria vida por pouco mais de R$ 30,00 por dia!
O valor do seu risco compra dois lanches em lojas de fastfood...
O Policial que está condenado a fazer o "bico" para tentar "honestamente" dar dignidade aos seus familiares.
O Policial que em razão do desgaste no "bico" está nas ruas cansado, estressado e portando um fuzil, uma arma de guerra, que tem a finalidade de ferir o maior número possível de "inimigos".
Promessas políticas não cumpridas na cidade partida.
E você e a sua família no meio desta realidade, podendo ser personagem a cada segundo, cidadão fluminense.
Fique sentado, não faça nada, concorde com tudo e aplauda a morte de meliantes, quando os tiros não passarem sobre a sua cabeça, fazendo você ouvir além dos estampidos, o zunido...
Continue achando que "bandido bom é bandido morto", desde que ele não morra ao seu lado.
É hora, já passa da hora, de você vencer esta inércia macabra e unir-se aos que querem mudar a tragédia da segurança pública no Rio de Janeiro.
Não deixe para encontrar amigos e familiares em enterros, antes, reúna a família, os amigos e levante a nossa bandeira, uma Polícia Cidadã, formada por Cidadãos.
Basta de promessas políticas não cumpridas, vamos responsabilizá-los.
"Eles" ainda querem aumentar o efetivo das Polícias, mais Policiais remunerados indignamente, mais Policiais cansados e estressados, portando fuzis ao lado dos seus filhos.
Essa é a solução?
Isso sem falar no aumento da corrupção policial.
E chega de dizer que salários famélicos não facilitam a corrupção policial, isso é balela, claro que facilitam, um Policial tem várias oportunidades de se corromper por dia, temos que evitar que ele tenha a vontade de se corromper, o que não conseguimos com os salários miseráveis, pelo menos não conseguimos com relação à parte significativa de todas as Polícias.
A culpa deste estado de coisas é nossa, a nossa maldita inércia, a nossa maneira de viver no "nosso quadrado", como se estivéssemos protegidos por um "quadrado blindado".
Cidadão vá às ruas, mobilize as Associações de Moradores, façam grandes passeatas pacíficas, ordeiras, mas cobrem os seus direitos.
Unam a cidade partida, unam por segurança, saúde e educação públicas de qualidade.
Cobrem as promessas políticas, cobrem a saída dos políticos, isso é Democracia.
É o governo do povo.
O povo pode ter votado errado, porém não precisa conviver com os efeitos do voto equivocado por 4 (quatro) anos.
Encerrando, eu não postei a foto que ilustra a reportagem do jornal O Globo e não achei qualquer referência à matéria no Globo online.

"JUNTOS SOMOS FORTES!"



PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

RIO DE JANEIRO - NOTÍCIAS POLICIAIS.

O GLOBO:
TRAÍDO PELA VAIDADE.
PRESO É FOTOGRAFADO ARMADO E VESTIDO COM BLUSA DO BOPE DENTRO DA CADEIA.
RIO – Desde que foi parar no Presídio João Carlos da Silva, em Japeri, o detento Victor Theodoro Fraga, condenado a mais de 37 anos por extorsão mediante seqüestro com morte, passou a ter regalias que excedem a sua condição de preso. (clique e leia).


NOVO IML DEVE SER INAUGURADO EM JUNHO, DIZ CABRAL.
Simone Cândida.
RIO – O Governador Sérgio Cabral disse esta manhã que novo prédio do IML, na Avenida Francisco Bicalho, previsto para ser inaugurado em fevereiro desta ano, será aberto em junho. (clique e leia).

EXTRA:
PM INVESTIGA PARTICIPAÇÃO DE POLICIAIS EM GRUPOS DE MILICIANOS NA REGIÃO DOS LAGOS.
Fernando Torres.
RIO – Segurança privada irregular, serviço clandestino de TV a cabo e ameaças de morte. Esta é a lista de crimes supostamente cometidos por policiais militares – entre eles, oficiais – na Região dos Lagos. (clique e leia).

O DIA:
BRIGA DE FAMÍLIA MOTIVOU TENTATIVA DE HOMICÍDIO CONTRA CORONEL NO CAJU.
Bartolomeu Brito.
RIO – Uma briga de família, devido a uma rixa antiga com o tenente-coronel Luís Carlos Leal Pontes, de 46 anos, foi o motivo principal do atentado que o chefe interino do Serviço Secreto da Polícia Militar, sofreu, na madrugada de sábado, no Caju, quando foi baleado juntamente com seu irmão Cláudio Luis Leal Pontes, de 44 anos. (clique e leia).



PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

ELEIÇÕES NA AME/RJ - 2009.


Segunda-feira, 30 de março de 2009.
NOVAS IDÉIAS E ANTIGOS IDEAIS.

"O título parece referência a um anitigo slogan de banco. Mas na verdade é como eu batizo desde agora a mais recente união de oficiais surgida no Rio de Janeiro, com o objetivo de vencer as eleições na Associação de Militares Estaduais.
Trata-se da união do major Wanderby Braga de Medeiros, candidato à presidência da AME, com o coronel Emir Larangeira, escritor e ex-deputado estadual. Com Larangeira, centenas de policiais "treme-terra" apoiando incondicionalmente o major Wanderby.
Do outro lado, a chapa do Coronel Anaide, que tenta reeleição, e a do Coronel Erir Ribeiro Costa Filho.
Creio que com o apoio de Emir a Wanderby, as chances deles ficaram reduzidas".
GUSTAVO DE ALMEIDA

Pelo que sei, o Coronel UBIRATAN, ex-comandante-geral e o Tenente-Coronel PRÍNCIPE, ex-comandante do BOPE, dentre outros, fazem parte da chapa do Major Wanderby.

O blog está aberto a todos os candidatos.

PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

segunda-feira, 30 de março de 2009

A VIDA POR R$ 30,00...


Cidadão brasileiro, você deixaria o seu filho arriscar a vida diariamente, recebendo pouco mais de R$ 30,00 (trinta reais) por dia?
Não?
Então, una-se a nós na luta pela cidadania do Policial Militar e do Bombeiro Militar do Estado do Rio de Janeiro, através da concessão de salários dignos e de adequadas condições de trabalho.
Eles arriscam a vida em defesa da sociedade fluminense.
Clique no link da barra direita e conheça a BLOGOSFERA POLICIAL.


JUNTOS SOMOS FORTES!

PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

DEZ MIL MARCHAM CONTRA A CRISE EM SÃO PAULO.

O GLOBO/CBN:

ENTIDADES SOCIAIS E SINDICALISTAS FAZEM MANIFESTAÇÃO NA AVENIDA PAULISTA CONTRA A CRISE E DEMISSÕES.

SÃO PAULO - Um protesto em reivindicação ao "Dia Internacional de luta contra a crise e demissões" esperar reunir 10 mil pessoas na Avenida Paulista. (clique e leia).



PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

PROFESSORES CONFIRMAM PARALISAÇÃO - SIDNEY REZENDE.


BLOG DO SIDNEY REZENDE:

PROFESSORES CONFIRMAM PARALISAÇÃO.

"Apesar da ameaça do desconto do dia de trabalho, o sindicato dos professores confirma a paralisação dos profissionais tanto da rede estadual quanto da rede municipal, nesta segunda-feira. (clique e leia).


PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

A MILITARIZAÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO RIO DE JANEIRO.

Ao jornal O DIA:
Sra. Redatora:
Conforme entrevista do Sr. Sergio Côrtes sobre o assunto, o Sr. Governador até poderia estar iluminado quando juntou o melhor (o Corpo de Bombeiros) ao pior, no caso a Saúde estadual; somente esqueceram que "militarizar" a saúde é um grande êrro estratégico e fere as Constituições Federal e Estadual, nos artigos que definem a subordinação dos Corpos de Bombeiros Militares. Agride, além da lei, o bom senso.
Atendimento médico com sucesso começa por se pagar dignamente os médicos e profissionais de saúde, e disso o Sr. Sérgio Côrtes não falou.
JOSÉ CARLOS DIAS
CORONEL BOMBEIRO MILITAR
(assinante)
kayodias@hotmail.com


PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

POR UMA IMPRENSA LIVRE E SOBERANA.


Dacio Malta e Eucimar de Oliveira deixam O Dia

"Dacio Malta, titular da coluna “Informe do Dia”, e Eucimar de Oliveira, diretor editorial de mídia impressa do Grupo O Dia, foram oficialmente demitidos na sexta-feira (25/05). No entanto, os dois jornalistas sabiam desde o dia anterior que seriam desligados da empresa, conforme foi comunicado, por e-mail, pela presidente do grupo, Gigi Carvalho. E acham que o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, pode ser o motivo da demissão.
“Ainda não fui demitido. Quem tinha que me demitir era o Eucimar, que não fez isso. E como meu acesso aos e-mails foi bloqueado, não vi o comunicado da direção do grupo”, brinca Dacio.
Ele se refere ao breve texto de Gigi destribuído a toda a redação na sexta-feira (25/05), comunicando o desligamento dos dois jornalistas e que o editor-chefe do Dia, Alexandre Freeland, assumirá o cargo de Eucimar. Também informa, sabendo que “boatos surgem”, que o jornal não está sendo vendido.
Na quinta-feira (24/05), Eucimar de Oliveira recebeu um e-mail da presidente pedindo a demissão de Dacio. O então diretor editorial foi contra a decisão, e não a acatou. Acabou sendo demitido também. “Não se pode interferir no conteúdo de colunas como a do Dacio, e eu nunca fiz isso. Não ia fazer isso agora”, conta Eucimar, que estava há dois anos na função, e foi o idealizador do Meia Hora e da
recém-lançada TV O Dia Online, que estreou com uma entrevista com Sérgio Cabral.
“Já demiti gente pra burro. Tem maneiras e maneiras, e cada um é cada um, mas acho que faltou civilidade em uma demissão por e-mail”, comenta Dacio. Antes de voltar a ser colunista do Dia, Dacio foi editor-chefe do jornal, e já dirigiu o Jornal do Brasil, a sucursal de Brasília do Globo e foi editor-assistente de Veja.
CabralA suspeita de que Sérgio Cabral seja a razão para a demissão de Dacio se baseia nas várias críticas feitas ao governador pelo colunista, sobretudo de suas viagens. Em sua última coluna, publicada na quinta-feira (24/05), Dacio escreveu uma nota anunciando a festa de aniversário do pai do governador, o jornalista e homônimo Sérgio Cabral, intitulada “Sérgio Cabral, o Bom”.
“Ironicamente, a última coluna que escrevi e que seria publicada no domingo falava do aniversário do Sérgio Cabral, pai. Pressões sempre existiram por parte de governadores, mas eu não conhecia história de sujeito demitido por causa de pressão política”, diz Dacio.
Eucimar de Oliveira é mais direto: “A Gigi fazia veementemente pedidos para não abordar o governador. Tenho tudo documentado em e-mails”.
Em nota, a assessoria de imprensa de Cabral rechaça qualquer intervenção em questões internas de empresas jornalísticas. “O governador Sérgio Cabral, jornalista por formação e defensor ferrenho da liberdade de expressão, abomina qualquer prática nesse sentido”, afirma o texto.
GigiA presidente do Grupo O Dia, Gigi Carvalho, também se manifestou por nota. Garantindo que não haverá mais demissões e reafirmando a intenção de não vender o veículo, ela atribuiu a saída de Dacio Malta a questões editoriais. Sobre Eucimar, diz que o jornalista “é uma pessoa brilhante e com grande visão editorial e de negócios, porém muito centralizadora, o que vinha desgastando sua relação de trabalho com os demais funcionários”. Completa informando que Alexandre Freeland assumirá seu cargo.
“Ela está certa: Freeland é uma pessoa pouco centralizadora, pouco brilhante e que não vai desgastar as relações de trabalho”, diz Eucimar. “Qualquer outra dúvida pode ser perguntada ao Governo do Estado”, completa.
Desde a demissão de Dacio, a coluna “Informe do Dia” está a cargo de Tiana Ellwanger e Daniella Cadavez, que já a escreviam com o antigo titular".


PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

OPERAÇÃO CASTELO DE AREIA - BLOG DO REINALDO AZEVEDO.



Desembargadora solta presos da Castelo de Areia; vejam o que ela disse e o que disse este blog.
Por José Alberto Bombig e Fernando Barros de Mello:

"A Justiça Federal decidiu ontem à tarde libertar os dez presos pela Polícia Federal durante a Operação Castelo de Areia, deflagrada na última quarta-feira, em São Paulo, e que teve a construtura Camargo Corrêa como principal alvo.Foram beneficiados pelos habeas corpus concedidos pela desembargadora Cecilia Mello, do TRF (Tribunal Regional Federal) da 3ª Região, os diretores da Camargo Corrêa Pietro Francesco Giavina Bianchi, Fernando Dias Gomes, Dárcio Brunato e Raggi Badra Neto, as secretárias da empreiteira Darcy Flores Alvarenga e Marisa Berti Iaquinto, e os supostos doleiros José Diney Matos, Jadair Fernandes de Almeida, Kurt Paul Pickel e Maristela Sum Doherty.
A desembargadora concedeu habeas corpus diferentes para as sete pessoas que foram presas temporariamente (com prazo determinado) e preventivamente. Em uma das decisões, ela afirma que as palavras e expressões utilizadas para justificar a "custódia cautelar" revelam "meras conjecturas":
"Observo que as palavras mais referidas no despacho impugnado [decisão de De Sanctis] revelam meras conjecturas. A título exemplificativo são elas: "teriam sido; supostas; poderia estar havendo, poderia, suposto, eventual'", escreveu.
A prisão dos acusados, que deflagrou a operação, foi decretada pelo juiz Fausto Martin De Sanctis. O juiz é o mesmo da Operação Satiagraha, que chegou a prender o banqueiro Daniel Dantas no ano passado.Em outro trecho, a desembargadora Cecilia Mello afirma:
"(...) afigura-se patente a ilegalidade do decreto de prisão preventiva e o constrangimento em sua manutenção".
Ela também cita jurisprudências e "entendimentos" do STF (Supremo Tribunal Federal) e do STJ (Superior Tribunal de Justiça) para embasar os habeas corpus que libertaram todos os dez presos.
Assinante lê mais
aqui
Comento:
Saúdo a desembargadora Cecília Mello. E não porque ela mandou soltar gente que nem conheço e que não sei se cometeu ou não os referidos crimes. Mas porque o ordenamento legal de um país não pode conviver com certos procedimentos. Reproduzo trecho do primeiro post que escrevi sobre este particular:
A íntegra da decisão do juiz Fausto De Sanctis (...) está (...) INTEGRALMENTE REDIGIDA COM VERBOS NO FUTURO DO PRETÉRITO. As pessoas foram presas com base em coisas que teriam acontecido. “A investigação criminal teria apurado que Kurt se ligaria a diretores da Camargo Corrêa (...) que, em tese, seria diretor da aludida construtora (...) bem como com a sua secretaria, que agendaria alguns encontros (...) que também integraria a diretoria...”
O parágrafo de onde extraio esse trecho tem sete linhas e cinco verbos indicando suposições.
Quando o juiz fala da Fiesp, a passagem exagera na rarefação:
“Os supostos intermediários da Camargo Corrêa seriam pessoas eventualmente vinculadas à Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, que estariam encarregadas de distribuir o dinheiro para funcionários públicos que ocupam cargos relevantes em Brasília".
Os intermediários são "supostos", e as pessoas são "eventualmente ligadas" e "estariam" encarregadas...
Voltei.
Sei o que apanhei por ter escrito o que vai acima. Alguns rábulas nervosinhos me escreveram: "Vai estudar direito primeiro..." Pois é... Cecília Mello deve ter estudado. Sabem por que este blog faz sucesso? Porque tem norte e princípios".
REINALDO AZEVEDO


PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

UMA FOTO QUE RETRATA UMA DURA REALIDADE.

Fotografar é uma arte.
Uma foto pode exibir o belo ou o horrível, o melhor ou o pior da espécie humana.
O fotógrafo precisa encontrar o momento certo que permita explicitar toda a realidade de um fato.
Sem palavras, a fotografia deve nos reportar para o local do acontecimento, experimentando as sensações vivenciadas pelos presentes.
A foto precisa representar o real, o estado das coisas, dos personagens e do fato.
Recebi através de email algumas fotos, sem indicação de autoria e dentre elas a foto que encerra este artigo.
Brasileiros, percebam como o fotógrafo foi primoroso.
Ele conseguiu representar o caos do Rio de Janeiro, com uma única foto.
A comunidade carente, a criminalidade, a polícia, o armamento, a tensão, a política e a religião.
Interpretem.
Temos que nos unir para mudar esse quadro, pois:
"JUNTOS SOMOS FORTES!"
Caso contrário, se cada um viver só no "seu quadrado", tudo estará perdido.
Só nos restará buscar a ajuda de Deus, só Ele poderá nos salvar!
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

APRENDA A CHAMAR A POLÍCIA - LUÍS FERNANDO VERÍSSIMO.

EMAIL RECEBIDO:
Aprenda a chamar a polícia... Falando em desarmamento. ..
Autor: Luís Fernando Veríssimo.
"Eu tenho o sono muito leve, e numa noite dessas notei que havia havia alguém andando sorrateiramente no quintal de casa.
Levantei em silêncio e fiquei acompanhando os leves ruídos que vinham lá de fora, até ver uma silhueta passando pela janela do banheiro.
Como minha casa era muito segura, com grades nas janelas e trancas internasnas portas, não fiquei muito preocupado mas era claro que eu não ia deixar um ladrão ali, espiando tranqüilamente.
Liguei baixinho para a polícia informei a situação e o meu endereço.
Perguntaram- me se o ladrão estava armado ou se já estava no interior da casa.
Esclareci que não e disseram-me que não havia nenhuma viatura por perto para ajudar, mas que iriam mandar alguém assim que fosse possível.
Um minuto depois liguei de novo e disse com a voz calma:
Oi, eu liguei há pouco porque tinha alguém no meu quintal.
Não precisa mais ter pressa.
Eu já matei o ladrão com um tiro da escopeta calibre 12, que tenho guardado em casa para estas situações.
O tiro fez um estrago danado no cara!
Passados menos de três minutos, estavam na minha rua cinco carros da polícia, um helicóptero, uma unidade do resgate, uma equipe de TV e a turma dos direitos humanos, que não perderiam isso por nada neste mundo.
Eles prenderam o ladrão em flagrante, que ficava olhando tudo com cara de assombrado.
Talvez ele estivesse pensando que aquela era a casa do Comandante daPolícia.
No meio do tumulto, um tenente se aproximou de mim e disse:
Pensei que tivesse dito que tinha matado o ladrão.
Eu respondi:
Pensei que tivesse dito que não havia ninguém disponível".


PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

RIO DE JANEIRO - NOTÍCIAS POLICIAIS.

O GLOBO:
ESTUDANTE É ASSASSINADA NA FRENTE DOS PAIS DURANTE ASSALTO NO CENTRO.
RIO - Eles voltavam da igreja quando foram abordados. Ela foi morta porque pediu para bandidos não levarem crachá de estágio. (clique e leia).
O DIA:
MILICIANOS EXPULSAM IGREJA.
Indiciado pela CPI das Milícias, presidente da associação de moradores de Rio das Pedras despeja pastoral de prédio em que eram realizados trabalhos comunitários e serviços gratuitos na comunidade. (clique e leia).

JORNAL DO BRASIL:
DROGAS: TEMPOS DE VIOLÊNCIA E DE CULPAS.
RIO - A responsabilidade de quem compra drogas ilícitas com o problema da violência do tráfico voltou a ser comentada na semana passada por duas personalidades públicas, diametralmente opóstas, mas com análises parecidas sobre o propblema do consumo ilegal. (clique e leia).



PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

domingo, 29 de março de 2009

SNI ACUSOU BRIZOLA E CÉSAR MAIA DE RECEBEREM PROPINA.


O GLOBO:
RELATÓRIOS DO SNI ACUSAM BRIZOLA E CÉSAR MAIA DE RECEBEREM PROPINA DE EMPRESAS DE ÔNIBUS.

BRASÍLIA – Em plena abertura política a ditadura militar acionou seus esquemas de espionagem para vigiar o primeiro governo de Leonel Brizola (PDT) no Rio, eleito em 1982. Os relatórios do extinto Serviço Nacional de Informações (SNI) acusam o pedetista de corrupção e dizem que havia “caixinhas” pagas pelas empresas de ônibus e pelos bicheiros.
De acordo com informe de 1985 da Marinha, a propina paga pelas empresas de ônibus chegou a Cr$ 500 milhões – R$ 980 mil em valores de hoje – e era administrada pelo então Secretário de Fazenda César Maia, como informa a reportagem de Bernardo Mello Franco, publicada na edição de O Globo deste domingo. (clique e leia).


Brasileiros, mais uma vez, recebemos notícias sobre as famosas “caixinhas” envolvendo a política e o crime.
A contravenção do denominado “jogo dos bichos” não saí da mídia neste início de ano. A primeira referência foi feita por ocasião dos desfiles do sambódromo, quando o Estado, através do Secretário de Segurança José Mariano Beltrame, afirmou que o envolvimento da Liga das Escolas de Samba (LIESA) com os contraventores do “jogo dos bichos” era histórico.
Eu concordo com o Secretário Beltrame, porém, lamento que apesar do Estado conhecer tal realidade, o Presidente Lula, o Governador Sérgio Cabral, o Prefeito Eduardo Paes e respectivos familiares (esposas, pelo menos) usufruíram das mordomias de um camarote no sambódromo, possivelmente patrocinado pela LIESA.
Isso precisa ser esclarecido com urgência, inclusive com a apresentação de documentos, comprovando que não foi a LIESA que alugou o camarote, que pagou pela alimentação servida e pela decoração.
O silêncio do Estado é assustador, considerando que quem cala consente, como ensina o dito popular.
Pode ser lido como um sinal de envolvimento do PODER POLÍTICO com o CRIME!
Além deste fato, também precisa ser esclarecido com quem a Rede Globo de Televisão celebrou o contrato para a transmissão dos mesmos desfiles, considerando que as Organizações Globo sabiam do envolvimento da LIESA com os contraventores, como O Globo publicou através de uma reportagem de Sérgio Ramalho.
O silêncio das Organizações Globo pode indicar um envolvimento com a LIESA, com quem teria celebrado o contrato.
Brasileiro, precisamos cobrar tais respostas!
E voltando a matéria.
Nós que estamos no serviço público há mais de 33 (trinta e três) anos já ouvimos muito falar em “caixinhas” e em “malas pretas”, ambas relacionadas com a corrupção política e a corrupção policial.
Nas décadas de setenta e oitenta ouvíamos sobre as “malas” do “jogo dos bichos”, das "empresas de ônibus", basicamente.
A propina estaria relacionada com a NÃO REPRESSÃO.
O tempo passou e começamos a ouvir sobre “malas” mais modernas, como: a dos caça-níqueis, do tráfico de drogas, do transporte clandestino, e mais recentemente, das milícias.
Tais “boatos” sempre existiram, bem como, a alegação a respeito do destino das maiores malas: o Palácio Guanabara, a ALERJ, a Câmara de Vereadores, poder judiciário, partidos políticos, a cúpula da Segurança Pública, a cúpula da Polícia Militar e a cúpula da Polícia Civil, eram os destinos mais citados.
O “homem da mala”, diziam, passearia por vários gabinetes, bebendo o uísque mais caro.
Certa feita, ouvimos que as “malas” precisavam ser entregues, pois causava problemas quando uma “autoridade” não aceitava receber, isso era como romper um grande acordo, desafiar uma grande máfia.
Cabeças teriam rolado diante de negativas no recebimento.
Obviamente, as “folclóricas malas” seriam entregues com todo cuidado e sempre com a intermediação de terceiros (homem da mala), para não expor diretamente a “autoridade” beneficiada.
Brasileiros, isso é tudo fantasia, não passam de folclore, as malas do “jogo dos bichos”, das maquininhas, do tráfico de drogas, do transporte clandestino, das empresas de ônibus e das milícias.
A propina paga aos fiscais de toda natureza também é lero-lero.
A corrupção não está institucionalizada no Brasil, não se preocupem.
Uma prova é a repressão ao “jogo dos bichos”, no estado do Rio de Janeiro, onde não existe um “ponto de bicho” em cada esquina.
As nossas ruas não estão ocupadas totalmente pelo “transporte clandestino”.
As milícias não dominam vários territórios do estado do Rio de Janeiro.
As “maquininhas” não estão instaladas nos quatro cantos do estado.
Os ônibus são multados, quando cometem infrações de trânsito, em cada cruzamento do estado, como o leitor já deve ter presenciado incontáveis vezes.
Brasileiro, tais denúncias não passam de boatos.
Assim sendo, talvez não seja mesmo necessário esclarecer quem pagou as mordomias do Presidente Lula, do Governador Sérgio Cabral, do Prefeito Eduardo Paes e respectivos familiares no sambódromo.
Certamente, não foi a LIESA.
Nem foi a LIESA que celebrou contrato com as Organizações Globo.
Fico por aqui, feliz, por viver em um país onde a corrupção, a política e o poder público não convivem na mesma mesa.
E por falar em mesa, vou almoçar, na companhia do papai noel e do coelhinho da páscoa.


PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

O MST RECEBE MILHÕES DO GOVERNO FEDERAL.


O DIA:
ONGs LIGADAS AO MST LIDERAM ARRECADAÇÃO DE VERBA FEDERAL.
Terra.
SÃO PAULO – Entidades ligadas ao Movimento dos Sem-Terra (MST) são as que mais recebem verbas federais, segundo informou a edição deste domingo do jornal, Folha de São Paulo. No governo do presidente, Luiz Inácio da Silva, ONGs ligadas aos sem terra já teriam recebido R$ 152 milhões. (clique e leia).


Por que no Brasil as Organizações Não Governamentais são sustentadas pelo Governo?
A idéia primordial das ONGs não era promover o voluntariado?
Não seria melhor contratar servidores públicos, através de concurso, para realizar as tarefas das ONGs, permitindo maior controle do Governo sobre a utilização do nosso dinheiro?
Ou não?
E a saúde pública?
E a educação pública?
E a segurança pública?
- Direitos constitucionais que o povo brasileiro não consegue receber do estado brasileiro!




PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

A LEI SECA E A JUSTIÇA.



EXTRA:
LEI SECA: PARA TODOS?
FAMÍLIA DE DESEMBARGADORA TEM TRATAMENTO ESPECIAL EM BLITZ (PM) DA LEI SECA.
Marco Antônio Martins.
Nesta madrugada, foi registrado o primeiro caso em que uma pessoa acabou liberada, ainda no local da blitz, após se recusar a fazer o teste do bafômetro. (
clique e leia).



PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

POLÍTICA E CRIME.


EXTRA:
DETRAN INVESTIGA FRAUDE ENVOLVENDO DEPUTADO ESTADUAL MARCOS ABRAHÃO (PSL).
Marco Antônio Martins e Marcos Nunes.
RIO – Ao concluir as investigações sobre irregularidades na Ciretran de Rio Bonito, a Corregedoria do Detran revela a proximidade entre crimes praticados pela atual administração do posto no município e o deputado estadual Marcos Abrão. (clique e leia).

PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

RIO DE JANEIRO: UMA CIDADE PARA CORAÇÕES FORTES.

JORNAL DO BRASIL:
RIO DE JANEIRO: UMA CIDADE PARA CORAÇÕES FORTES.
Bruna Talarico.
RIO – Há pouco mais de seis anos, a jovem Gabriela Prado, 14 anos, levou um tiro no peito ao ter ficado no fogo cruzado de policiais e bandidos na estação do metrô São Francisco Xavier, na Tijuca. E cinco anos após a morte de sua filha – durante os quais lutou contra a violência que matou Gabriela, intensificou o fumo e não cuidou da saúde – a psicóloga Cleide Prado foi vítima fatal de um acidente vascular cerebral (AVC), decorrente de problemas cardíacos e de pressão acentuados após a tragédia.
A história de Cleide ilustra a de outras centenas de mães e famílias que, vítimas de eventos violentos, desenvolvem hipertensão e problemas cardíacos, como exemplifica a pesquisa Correlação entre transtornos de estresse pós-traumático (TEPT), luto materno e distúrbios cardiológicos, da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro. (clique e leia).


PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

CONSELHO REAL!

(Jornal do Brasil - Ique)




PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

sábado, 28 de março de 2009

VOAR PELOS ARES - CRISTINA REIS.


JORNAL DO BRASIL
SOCIEDADE ABERTA
VOAR PELOS ARES - CRISTINA REIS.
Estilista.

Como moradora, cidadã e presidente de uma associação de moradores, vejo com vergonha o triste cenário de disputa entre as facções criminosas rivais em Copacabana. Mas podemos citar outros tipos de violência: a desordem urbana, a favelização desenfreada, o abandono dos menores de rua, a mendicância e a informalidade do trabalho. Vou mais além: a baixa escolaridade, os baixos salários, a poluição ambiental e a eterna omissão da elite e dos políticos.
O principal e o mais grave desses problemas e a falta de conhecimento histórico da importância de Copacabana, cantada, decantada e declarada em prosa e verso. Sai a Princesinha do Mar e entram os donos das bocas. Saem as turmas do chope na esquina e entram as engajadas com as siglas criminosas.
A população do Rio assiste desde os anos 70 a ausência de investimentos nas áreas carentes. Assistiu a incompetência administrativa das autoridades, que hoje querem colocar a culpa na classe média. Essa mesma classe média refém, encurralada e enjaulada em cima de barris de pólvora. Basta uma fagulha e tudo sobe pelos ares.
Os senhores eleitos pelos cariocas e fluminenses para nos representar estão mais empenhados em alavancar projetos políticos, pessoais e econômicos do que em enfrentar os problemas que o bairro tem sofrido por conta exatamente dos atos imperativos, impositivos e abusivos das autoridades, com total desrespeito à comunidade.
A meu ver não há, em curto e médio prazos, perspectivas de melhoria nos graves problemas dos cidadãos, com a polícia sujeita a desenvoltura diária das facções que põem em xeque a segurança.
Dizem-nos que a Ladeira dos Tabajaras está sem comando, pois Ronaldinho, do Comando Vermelho, está em penitenciária federal e as outras facções tentam tomar
a boca: Isso já aconteceu no Pavão-Pavaozinho e no Cantagalo, e, recentemente, no Leme/Chapéu Mangueira e no Babilônia. Estamos cascudos de ver que o Brasil ainda não tem realmente uma política nacional de segurança.Outros falam que a policia tem reprimido muito o tráfico, prendendo e matando, dificultando o trabalho deles; daí os desesperados donos de bocas inventam
de invadir morros, praticar assaltos a residências etc e tal.
Então, pergunto: se os cardeais da segurança sabem que existe tráfico na área, por que não desempenham a função de inteligência policial com competência para dominar o
local? E o governo do estado e a prefeitura, por que não investem em políticas publicas genuínas, como educação, saúde, saneamento, habitação popular, esporte e lazer?
Há 0 PAC, mas será o suficiente? Precisamos de mais, e quanta mais urgente melhor. Antes que todos voemos pelos ares.

Cristina Reis é presidente da Associação dos Moradores de Copacabana.


PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

RIO QUE FERVILHA - MARCOS ESPÍNOLA - ADVOGADO CRIMINALISTA.


O DIA:
MARCOS ESPÍNOLA: RIO QUE FERVILHA.

"Com 200 anos de existência, a Polícia Militar tem um potencial imensurável, mas falta interesse político dos governantes e até do povo para que a segurança pública não seja moeda de troca, principalmente por VOTO, e para que haja investimento na instituição, transformando-a numa potência ainda maior, apta para trazer de volta a paz no Rio de Janeiro". (clique e leia).


PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

O MAJOR DE POLÍCIA WANDERBY AINDA NÃO SABE QUEM ATRIBUIU AS NOTAS NA CPO.

BLOG DO MAJOR DE POLÍCIA WANDERBY BRAGA DE MEDEIROS:


Uma nova certidão foi emitida, mas eu continuo sem saber quem e com qual motivação fática deu cada nota. Nem nos tribunais isso pode acontecer!

(camisa usada na mobilização cívica - PMERJ - CBMERJ)


A Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro precisa se democratizar, revendo a sua normatização e os seus procedimentos, pois tudo deve estar em conformidade com a Constituição Federal e com o estado democrático de direito.

Nós somos Militares de Polícia, ou seja, somos uma instituição policial organizada militarmente, com a missão precípua de servir e proteger o cidadão. Precisamos aprender que "caixas-pretas" só servem para esconder o que não pode ser visto, pois não sobreviveria aos mandamentos constitucionais. Temos que aceitar o controle externo feito pela sociedade civil, aliás, todas as instituições públicas, todos os poderes, precisam aceitar tal controle.

O cidadão - patrocinador do Estado - tem esse direito e precisa aprender a exigir que o seu dinheiro seja aplicado em benefício de todos.

Isso é um exercício de cidadania.
No caso específico, não encontro qualquer impedimento que justifique a não identificação do autor de cada nota, a não ser que alguém esteja com receio de ser acionado judicialmente, considerando que a exclusão do Major de Polícia Wanderby, acarreta prejuízos na carreira e inclusive prejuízos financeiros.
Urge que o bom senso prevaleça, pior será o recebimento de uma determinação judicial para permitir a identificação do autor de cada nota.
Uma Polícia Cidadã precisa nascer, que interna corporis respeite a cidadania de cada Policial Militar, assim sendo, mais fácil será que o Policial Militar respeite a cidadania alheia quando estiver nas ruas do Rio de Janeiro.
Quem é tratado só com deveres, sem direitos, aprende a não respeitar o direito dos outros.
O Policial Militar precisa de cidadania, que só será obtida com salários justos e com adequadas condições de trabalho.
E por esta cidadania, lutam os Coronéis Barbonos e os 40 da Evaristos, uma luta que ainda não terminou e que, talvez, nunca termine, considerando que a nossa fraqueza é a força dos que não ombreiam conosco.
Não podemos continuar morrendo por R$ 30,00 por dia!
O governo estadual insiste no aumento do efetivo, priorizando a quantidade em detrimento da qualidade.
Aumenta o efetivo e alega que não pode conceder salários dignos e justos, incorporando mais descontentes, apartados da cidadania e quem sofre é o povo fluminense.
O impacto na folha de pagamento é o lugar comum, que justifica a não concessão de reajustes e que nos escraviza ao "bico" e a prestação de um serviço de má qualidade para os clientes - população fluminense.
A Polícia Militar precisa se democratizar.
O Governo Estadual precisa se democratizar, promover a cidadania dos servidores públicos.
Policiais, médicos e professores não podem continuar recebendo salários baixíssimos, os piores do Brasil. O povo fluminense não merece ser atendido por profissionais desmotivados, estressados, cansados pelo segundo emprego e descrentes do poder político.
Os funcionários públicos precisam se unir, cobrar os seus direitos e mostrar a sua força na eleição de 2010.
No Rio de Janeiro, somos centenas de milhares, com centenas de milhares de dependentes e um número incalculável de familiares e amigos.
Unidos colocaremos quem nós desejarmos no Palácio Guanabara e na ALERJ.
Funcionário público acredite nisso.
Sindicatos e associações de classe promovam isso.
Cidadão Fluminense invista nisso.
Esse é o caminho, a salvação do Rio de Janeiro de São Sebastião!



PAULO RICARDO PAÚL

CORONEL DE POLÍCIA

CORONEL BARBONO

SITE DA SACRALIDADE - CONHEÇA.



O artigo "DIA MUNDIAL DO CIRCO, CHAMEM OS PALHAÇOS" foi publicado no site da SACRALIDADE.

Clique e conheça o site.

PAULO RICARDO PAÚL

CORONEL DE POLÍCIA

CORONEL BARBONO

COLIFORMES MENTAIS - MARIA LUCIA VICTOR BARBOSA.

COLIFORMES MENTAIS
Maria Lucia Victor Barbosa
28/03/2009

Dia 26 deste, durante entrevista coletiva que encerrou o encontro oficial de Lula da Silva com o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, o presidente brasileiro mais uma vez contaminou a platéia com seus coliformes mentais. Deitando falatório pelos cotovelos como se estivesse num daqueles comícios em que leva a mãe do PAC a tiracolo, ele sapecou diante da delegação inglesa a seguinte “preciosidade”, referindo-se à crise mundial: “É uma crise causada por comportamentos irracionais de gente branca de olhos azuis que antes da crise parecia que sabia tudo e agora demonstra não saber nada”.
Deixemos de condescendências. Não foi uma gafe, como se costuma dizer para atenuar os desastrados gracejos do presidente da República. Foi uma estupidez. Pior. Foi crime de racismo, coroado pela gabação xenófoba de que aquela gente branca, irracional, de olhos azuis são uns ignorantes que não sabem nada. Lula da Silva deve achar que só ele entende das coisas, como seu alter ego, Hugo Chávez, igualmente populista e chibante.
Questionado por um repórter britânico se sua declaração tinha viés ideológico, o presidente titubeou, engasgou e se saiu como mais uma idiotice: disse não conhecer nenhum banqueiro negro ou índio.
Acontece que existem banqueiros negros, como Stan O’Neil, ex-presidente do Merryll Lynch, um dos bancos norte-americanos que teve que ser vendido por causa das perdas bilionárias com as hipotecas subprime. E o negro Frank Raines, ex-presidente da Fannie Mae, instituição financeira que ajudou a desencadear o colapso de Wall Street.
Mas Lula da Silva sabe que ao associar raça e classe, como se todos os brancos de olhos azuis fossem capitalistas exploradores de negros e índios, joga bonito para platéia brasileira e mesmo latino-americana. Afinal, não somos todos de esquerda nessas plagas? Se formos temos que levar adiante a luta de classes como fiéis seguidores de Karl Marx. Mas nem esse chegou a tanto, pois teorizou sobre burguesia e proletariado e não sobre brancos de olhos azuis e negros de olhos escuros.
Vai assim Lula da Silva como porta-voz das garbosas esquerdas brasileiras fomentando ódio e preconceito. Em nome do PT ele veio para desagregar e não para agregar a nação. Como um Chacrinha de auditório propositalmente confunde a mente dos incautos que enxergam nele o defensor dos pobres e oprimidos, quer dizer, dos índios e negros, vítimas dos brancos irracionais de olhos azuis.
Diante desse despautério a impressão que se tem é que o presidente da República quer se portar como um Hitler subdesenvolvido ás avessas. Ele não gosta de gente branca de olhos azuis, como se existisse pureza racial. E se quis referir aos países desenvolvidos, especialmente aos Estados Unidos, esqueceu que no Brasil existe gente branca de olhos azuis. São descendentes dos europeus que para aqui vindo deram uma substancial colaboração para o progresso que o país hoje desfruta.
Além do mais, alguém conte para o presidente que brancos de olhos azuis, aqui, na Europa ou nos Estados Unidos, não são intrinsecamente maus ou ignorantes e nem sempre são ricos. No Brasil muitos se casaram com negras, com índias, e seus descendentes compõem nossa sociedade multirracial. Como resultado dessa miscigenação não temos um tipo racial específico.
O bestialógico de Lula da Silva deve ter soado no mínimo inusitado aos ouvidos dos ingleses. Mas o presidente deu mais vexame. Segundo o Estado de S. Paulo (27/03/2009), ele “se expressou com pouca familiaridade sobre questões que estarão em debate no encontro de cúpula do G-20, em Londres, no próximo dia 2” .
Naturalmente, nesse encontro, o presidente da República defenderá os pobres e oprimidos e clamará contra o protecionismo daquela gente branca de olhos azuis. Curiosamente, matéria do jornal citado dá conta de que o Brasil dobrou barreiras em 2008. Yes, nós somos fortemente protecionistas e nossos principais alvos foram a China, a Europa e os Estados Unidos.
Outra incoerência que se observa em nossa política externa diz respeito à generosidade de um presidente que, se por um lado defende negros e índios, por outro permite que seu governo, do qual é o principal responsável, se recuse no Conselho de Direitos Humanos da ONU a aprovar resolução que condena duramente as “graves violações de direitos humanos na Coréia do Norte. As atrocidades cometidas na tirania comunista norte-coreana incluem a fome, a tortura e a perseguição política. Horrores que existem em Cuba, também vigorosamente apoiada por Lula da Silva e seu governo. O Itamaraty tampouco condena regimes acusados de violações graves como os do Sudão e do Congo. Mas endossa fortes críticas contra Israel.
Os coliformes mentais de Lula da Silva foram lançados para inglês ver, sendo que nesta enorme Sucupira em que vai se transformando o Brasil são tidos como lampejos de genialidade. Em todo caso, nossos brancos irracionais de olhos azuis que se cuidem. E se Lula cismar de mandá-los para aqueles chuveiros de onde não se volta?
Maria Lucia Victor Barbosa é socióloga.
mlucia@sercomtel.com.br
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

ONG CONTAS ABERTAS - EX-PRESIDENTES CUSTAM R$ 3 MILHÕES POR ANO.

Ex-presidentes do Brasil custam R$ 3 milhões por ano à União
SÃO PAULO - Enquanto governo e oposição se articulam para as eleições de 2010, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva já se prepara para desfrutar dos benefícios a que todo ex-presidente da República tem direito: o forte aparato em torno dos ex-chefes da nação, uma prerrogativa constitucional. Em fevereiro deste ano, o próprio presidente Lula assinou decreto aumentando essas regalias. Ampliou de seis para oito o número de servidores disponíveis para segurança aos ex-presidentes, além de estender a proteção a bens e direitos, fato inédito na História do país.
De acordo com a ONG Contas Abertas, um ex-presidente custa aos cofres públicos R$ 63.438,53 por mês. Este valor inclui despesas com servidores (R$ 41.284,38), a contribuição ao INSS (R$ 10.733, 94) e o salário que cada ex-ocupante do Palácio do Planalto tem direito (R$ 11.420,21).
Se somados os gastos com os dois veículos oficiais que estão à disposição de cada um, a despesa individual sobe para R$ 69.076,03, segundo estimativas da ONG. Anualmente, isso representa um gasto de R$ 828.912,35. Ou seja, os presidentes eleitos desde a redemocratização (José Sarney, Fernando Collor, Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso) custam à União R$ 3.315.649,38 por ano – esse valor equivaleria ao pagamento do Bolsa Família a 16,4 mil famílias, levando-se em conta o teto de R$ 182.
Em 2011, quando o presidente Lula deixar o cargo, essa quantia crescerá para R$ 4.114.561,73.
– É justo que ex-presidentes tenham certa proteção do Estado. Até porque tomam decisões que desagradam muitas pessoas. O que se pode questionar é a quantidade de funcionários à serviço dos presidentes – afirma Gil Castelo Branco, consultor da Contas Abertas. Já o advogado tributarista Ives Gandra Martins considera “exagerado” a quantidade de servidores responsáveis pela segurança. Mesmo assim, não enxerga o decreto como um casuísmo autêntico. – Todos os presidentes têm o mesmo direito. Agora, Lula apenas utiliza mais do que FH as mordomias do cargo – avalia Ives Gandra. O advogado André Carlos Magalhães, especialista nas áreas de direito administrativo/público, consumidor, financeiro e bancário, lembra que o aumento do número de servidores à disposição dos ex-presidentes já fazia parte de medida provisória editada pelo governo de FH (1995-2003), quando o tucano instituiu o gabinete de transição.
Justificativas.
A Casa Civil explicou que o governo Lula apenas regulamentou a Lei 10.609, de 2002, que alterou a Lei 7.474, de 1986. Os dois novos cargos comissionados são do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores (DAS de nível 5) no valor de R$ 8.400. Os ex-presidentes dispõem também de dois funcionários DAS-1 (com remuneração de R$ 1.977,31 cada), dois DAS-2 (R$ 2.518,42) e dois DAS-4 (R$ 6.396,04).
Segundo a Casa Civil, no primeiro semestre de 2008, Sarney, Collor, Itamar e FH mantiveram preenchidos os oito cargos.
Como senador, Sarney recebe R$ 12.700 de salário, R$ 3.800 de auxílio-moradia, R$ 15 mil de verba indenizatória e até R$ 80 mil para contratar funcionários comissionados. Também senador, Collor terá direito aos mesmos benefícios, em janeiro de 2009, quando promete retornar da licença de 120 dias.
– A grande novidade entre o decreto de Lula e os anteriores é a destinação de servidores para a proteção patrimonial de ex-presidentes. Nenhum outro decreto – nem mesmo a Lei originária – tratava de proteção de bens e direitos – analisa Magalhães. O decreto é um avanço na medida em que a residência de um ex-presidente é um depósito de informações da História.
– O que parece um retrocesso na verdade pode representar um avanço, já que as memórias, cartas e mensagens recebidas durante as campanhas, as anotações particulares, depoimentos, biblioteca, honrarias e títulos outorgados ao presidente da República compõem um acervo histórico que não é guardado em bancos, mas em casa. Embora pertença ao ex-presidente, faz parte da História do país e merece proteção – justifica Magalhães Fernando Taquari Ribeiro, Jornal do Brasil.
http://contasabertas.uol.com.br/midia/detalhes_noticias.asp?auto=875


PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

O GLOBO - MORADORES ACUSAM PMs DE EXECUÇÃO.

O GLOBO:
OAB PEDE PROTEÇÃO À FAMÍLIA DE JOVEM MORTO NA PROVIDÊNCIA.
RIO – A presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil no Rio de Janeiro, Margarida Pressburger, solicitou nesta sexta-feira à Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República, proteção para a família de José Carlos Barbosa, de 22 anos. Parentes e moradores do Morro da Providência denunciaram a comissão que o rapaz, desarmado e sem chance de defesa, foi assassinado por policiais militares do 5º Batalhão. (clique e leia).


PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

BRASILEIRO NÃO TEM MEMÓRIA - JORNAL EXTRA - REPUBLICAÇÃO.



PAULO RICARDO PAÚL

CORONEL DE POLÍCIA

CORONEL BARBONO

O JEITO PMDB DE GOVERNAR O RIO DE JANEIRO.


O GLOBO:
NHENHENHÉM.
Jorge Bastos Moreno – Brasília.

DENÚNCIA: O GLOBO VETA ENTREVISTA COM CABRAL.
- Governador, vou falar rápido porque o jornal não quer mais que eu o entreviste.
- Ué, voltamos à época da censura política?
- O Tarso e o Jobim bem que tentam, mas ainda não conseguiram. É que o jornal, na crise, quer economizar no DDI.
- Então fala rápido porque estou no meio de uma nevasca aqui em Denver.
- Liguei para falar da festa do GLOBO. Se o senhor tivesse estivesse aqui, teria ganhado o Faz Diferença pela presença. Resultado, a tucanada toda baixou no Rio.
- As presenças do Serra e do Aécio aí não me assustam. O Serra perdeu eleição de prefeito em BH, o Aécio perdeu em SP e os dois perderam no Rio.
- Mas o Pezão estava com eles na festa. Aliás, cá entre nós dois, achei uma injustiça ele não ter recebido o Faz Diferença: é o único vice que de fato é o titular. Quando voltas?
- Ao exterior? Na próxima quarta. Chego aí no sábado e em seguida vou para Londres encontrar com o Lula.
- Definitivamente, assim não dá!
- Concordo, tanto que estou pensando até em criar um escritório de representação no Rio, para quando eu estiver em trânsito pelo Brasil.
JORGE BASTOS MORENO.


PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

HOJE - A HORA DO PLANETA - PARTICIPE!

O WWF-Brasil participa pela primeira vez da Hora do Planeta, um ato simbólico, que será realizado no dia 28 de março de 2009, às 20h30, no qual governos, empresas e a população de todo o mundo são convidados a apagar as luzes para demonstrar sua preocupação com o aquecimento global.
Participe! É simples. Apague as luzes de sua sala por uma hora. (clique e leia).


PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

RIO DE JANEIRO - NOTÍCIAS POLICIAIS.

O GLOBO:
VIOLÊNCIA.
TENENTE-CORONEL É BALEADO NO CAJU.
NA SEXTA, TRÊS POLICIAIS FORAM MORTOS EM CAMPO GRANDE.
Renato Grandelle.
RIO – A Polícia Militar reforçou o patrulhamento nas proximidades da Praça do Mar, no Caju, onde o Tenente-Coronel Luiz Carlos Leal Gomes foi baleado quando estava com o seu irmão Cláudio Luiz Leal Gomes. (clique e leia).

O DIA:
CAMPO GRANDE.
TIROTEIO MATA TRÊS POLICIAIS.
MILICIANOS SÃO SUSPEITOS DE ATIRAR EM UM AGENTE E DOIS PMs durante confronto no camelódromo.
RIO – Um tiroteio deixou três policiais mortos – dois militares e um civil – e um ferido, por volta das 16h30 de ontem, no camelódromo de Campo Grande. Informações da polícia apontam que grupo ligado ao ex-PM Ricardo Cruz Teixeira, o Batman – chefe da milícia Liga da Justiça – teria atacado os três PMs. (clique e leia).

MORRO DO TURANO.
TRÁFICO: ORDENS NO RIO COMPRIDO.
COMÉRCIO FECHOU NO INÍCIO DA NOITE DE ONTEM POR DETERMINAÇÃO DE TRAFICANTES DA FAVELA.
RIO – O comércio próximo ao Morro do Turano, no Rio Comprido, fechou no início da noite de ontem por determinação dos traficantes da favela. Até uma faculdade particular foi obrigada a suspender as aulas. O motivo da ordem seria a morte de um homem, no início da manhã, durante operação da Polícia Civil. Tiros foram ouvidos à noite, mas ninguém ficou ferido. (clique e leia).

JORNAL DO BRASIL:
POLICIAIS FAZEM APREENSÃO NA FAVELA PARQUE UNIÃO.
RIO – Policiais do 22º BPM (Maré) apreenderam 14 galões de cheirinho da loló, quatro escopetas, uma carabina, munição, maconha e uma moto roubada em uma operação na Favela Parque União, no Complexo da Maré, em Bonsucesso. (clique e leia).


PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

sexta-feira, 27 de março de 2009

UM NOVO TEMPO PARA A POLÍCIA MILITAR E PARA O CORPO DE BOMBEIROS MILITAR.


Vivemos tristes dias, apesar de lutarmos pela democracia, acabamos subjulgados por uma oligarquia de políticos.
O poder político nos oprime com a arbitrariedade própria dos que pensam ser senhores do poder.
Eles protagonizam escândalos cada vez de maiores dimensões e fazem da corrupção a sua companheira inseparável.
Nós fomos às ruas, pintamos a cara, fizemos piraça, tudo por um novo tempo.
Tudo pela democracia, que nos escapa entre os dedos.
O autoritarismo político, somado ao poder do dinheiro e ao amor pelo dinheiro, desviam a pátria dos seus objetivos primordiais.
No Rio de Janeiro, Oficiais e Praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar, democraticamente, foram às ruas da cidade, ordeira e pacificamente, clamar pelo apoio popular aos nossos objetivos de conseguirmos salários dignos e adequadas condições de trabalho.
Nós estávamos em trajes civis, de folga e desarmados, exercitando a nossa cidadania.
Os Coronéis Barbonos e os 40 da Evaristo personificam a Polícia Militar, digna, honesta e competente.
Fomos e ainda somos, "perseguidos" politicamente e o povo do Rio de Janeiro é que foi castigado.
A nossa amada Polícia Militar vive uma crise, desencadeada após a exoneração do nosso Comandante Geral, o Coronel de Polícia Ubiratan de Oliveira Angelo, um oficial digno, competente e que foi exonerado por ser um democrata.
Os democratas correm riscos e estão sujeitos a castigos nos regimes oligárquicos.
Porém, não desistimos, apesar dos perigos.
Apesar da força mais bruta, estamos na luta.
Para que a democracia sobreviva.
Para que a Polícia Militar sobreviva.
Para que o Corpo de Bombeiros Militar sobreviva.
Lutamos para que nossa esperança seja mais que vingança, que seja um caminho que se deixa de herança para as futuras gerações de Policiais Militares e Bombeiros Militares.
Os Coronéis Barbonos e os 40 da Evaristo representam um novo tempo.
E continuaremos na luta, apesar de toda fadiga e de toda injustiça.
A música de Ivan Lins retrada bem o nosso momento atual, tempo de luta contra a oliguarquia da corrupção.

NOVO TEMPO.
Ivan Lins.

No novo tempo, apesar dos castigos
Estamos crescidos, estamos atentos, estamos mais vivos
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
No novo tempo, apesar dos perigos
Da força mais bruta, da noite que assusta, estamos na luta
Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver
Pra que nossa esperança seja mais que a vingança
Seja sempre um caminho que se deixa de herança
No novo tempo, apesar dos castigos
De toda fadiga, de toda injustiça, estamos na briga
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
No novo tempo, apesar dos perigos
De todos os pecados, de todos enganos, estamos marcados
Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver
No novo tempo, apesar dos castigos
Estamos em cena, estamos nas ruas, quebrando as algemas
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
No novo tempo, apesar dos perigos
A gente se encontra cantando na praça, fazendo pirraça
Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver


PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

O MAJOR DE POLÍCIA WANDERBY NÃO FOI AUTORIZADO A COMPARECER AO FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA.

PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO

PUNIÇÃO DE CORONEL BARBONO - REPERCUSSÃO NA MÍDIA ( 28 ).

CORONEL PRESO AO EXIGIR MELHORES SALÁRIOS.
CRISE NA PM.
Daniel Santin.
daniel.santini@folhauniversal.com.br

“A situação da Polícia Militar é gravíssima em diversos estados, problema que se reflete nos baixos salários da tropa. A questão é, especialmente, delicada no Rio de Janeiro, onde o expediente de empregos extras, nas folgas, se institucionalizou e, em meio ao suposto descaso com o trabalho público, grupos privados de segurança, as milícias, ganharam espaço e o controle de parte do território.
É neste contexto que o Coronel Ronaldo Antônio de Menezes, um oficial de 54 anos, vindo de uma família de policiais, escreveu artigo cobrando providências do governo. Fundamentou as críticas em uma cuidadosa análise sobre os problemas do estado e procurou demonstrar como a questão dos salários está diretamente relacionada ao desinteresse da tropa no serviço público, e, desta forma, ao surgimento de grupos paramilitares privados. Escreveu que soldados sobrecarregados e mal valorizados são um risco para a sociedade, cobrou o retorno às ruas dos 2.300 policiais que estão à disposição de outros órgãos e alertou para o perigo de a população terminar refém das milícias formadas em substituição ao Estado.
O texto foi publicado no blog do Coronel Paulo Ricardo Paul, ex-corregedor da corporação, em 15 de maio de 2008.
O Coronel Menezes acabou preso, na semana retrasada, sob acusação de ter “transgredido a disciplina militar”. A tentativa de reprimir o protesto revelou-se desastrada. Em vez de silenciar as críticas, a atitude fez com que os problemas voltassem a ganhar destaque nos jornais e agravou o clima de insatisfação, desencadeando mais uma dezena de artigos de oficiais.
A pressão por mais salários vem desde abril de 2007, quando o grupo de coronéis conhecidos como Barbonos, referência ao antigo nome da rua onde está o quartel-general da PM, passou a criticar publicamente o governador Sérgio Cabral (PMDB).
Na ocasião, por não calar os insatisfeitos, o Coronel Ubiratan de Oliveira Ângelo, então comandante-geral, acabou afastado. Hoje, secretário municipal de ordem pública de Búzios, o oficial demonstra indignação ao falar da prisão do colega. “Ele foi preso dias antes de completar 35 anos de PM sem nunca ter tido punições. É um policial respeitado, filho de capitão da PM e pai de um tenente e um aspirante. A família ama, respira a PM”.
A punição causou comoção nacional. A questão deixou de ser interna. O Coronel manifestou um pensamento com dignidade e não faltou com a verdade.
Os policiais, hoje, buscam completar o salário para dar um padrão de vida razoável para a família (...). Em termos de salários para soldados iniciantes, aliás, o Rio de Janeiro só fica à frente do Rio Grande do Sul, no Brasil todo.
De acordo com levantamento da Associação Beneficente Antônio Mendes Filho (Abamf), entidade que representa os policiais da Brigada Militar, a PM do Rio Grande do Sul, enquanto um policial carioca novato ganha R$ 1.037,49, um gaúcho fica com R$ 966,20. “É exatamente como no Rio. Cerca de 90% dos sargentos, cabos e soldados fazem bicos. O pessoal tem dois ou três empregos, acaba passando mais tempo em atividades paralelas, do que na corporação. E não fica só nos praças, os veteranos também trabalham e todos os comandantes sabem”, diz Ricardo Agra, diretor da Abamf, que considera absurda a prisão do coronel carioca.
“Ele não deveria ser punido. É uma afronta à democracia. As polícias militares têm que entender que estamos em um novo contexto político e social no País. Punir uma pessoa porque ela disse a verdade é um descaso com a democracia. A instituição precisa se modernizar, não pode mais ficar arcaica”, completa Agra".
Fonte:
http://www.folhauniversal.com.br/integra.jspcodcanal=9985&cod=144071&edicao=885


PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CORONEL BARBONO