sábado, 31 de maio de 2008

DISCURSO DA DEPUTADA ESTADUAL CIDINHA CAMPOS.

BLOG DO JORNALISTA GUSTAVO DE ALMEIDA - SANTA BÁRBARA E REBOUÇAS:
Trecho do artigo "NA ALERJ":
Discurso da deputada Cidinha Campos (PDT):
"Sr. Presidente, Sra. e Srs. Deputados, o que eu tenho a dizer não é tão grande que eu não pudesse usar um aparte para fazê-lo, mas eu achei que seria tirar o tempo do debate que está se ouvindo aqui, porque tem sido muito bonito, e eu quero cumprimentar o Deputado Paulo Ramos - não é sempre que eu faço isso, não é, deputado? - pelo seu discurso desta tribuna.
Falou-se muito aqui, Sr. Presidente, sobre estado de direito. Acho que do estado de direito já se falou demais. Nós temos que falar do Estado direito. O Estado direito é aquele em que o deputado trabalha, vive com o seu salário, não rouba de ninguém, não tira dinheiro da escola de criança. Esse é o Estado direito!
Não vou fazer nenhuma análise jurídica. Eu vejo com espanto que na hora de defender um deputado, vão procurar na Constituição o amparo para livrá-lo de uma punição. Mas esse deputado, que foi Chefe da Polícia deste Estado do Rio, não respeitou nem o Código Penal, nem o Código Civil. Nada! Na hora de se defender, todos buscam a legalidade ideal: a Constituição Federal, que ninguém respeita.
Esta Casa, é claro, tem competência para tirá-lo do xadrez, mas não tem legitimidade. Sabe por que, Sr. Presidente? Porque 40% desta Casa estão envolvidos com a marginalidade: 40% de uma casa política envolvidos com bolsa-escola, máfia dos combustíveis, assassinato, grupo de extermínio, extorsão, milícia e tráfico. Que legitimidade tem esta Casa para dizer que ele tem que sair da prisão? Estão votando em causa própria! “É ele hoje, sou eu amanhã” – como já disseram aqui uma vez.
Então, qualquer que seja esse resultado, e eu já sei qual será, como sabia que ele ia ser preso – e V. Exa. é testemunha que eu sabia que ele ia ser preso - como sei que outros serão. Serão presos e nós nos vamos enfraquecendo a cada passo. As argolas que querem tirar do pé do Álvaro Lins já estão chegando aos nossos pés, porque nós estamos implantando no Poder Legislativo do Estado do Rio de Janeiro o poder da bandidagem, da falcatrua, da falta de respeito à população e ao direito do Estado, ao Estado direito.
Sr. Presidente, eu trouxe documentos aqui. Tem gravação. Eu tenho a degravação completa da investigação da Poeira no Asfalto. O chefe do gabinete do Dr. Álvaro Lins tratando da falcatrua que ia fazer naquele direito especial do imposto do ICMS que o Garotinho ia botar. Ele não está sendo julgado por isso, mas também será e nós vamos perder o bonde da história, porque ele é o principal envolvido na máfia dos combustíveis. Mas como é que vai votar esta Casa? Dos oito presos, um é funcionário daqui. A mulher do Sr. Álvaro Lins, a ex, é funcionária da Casa, e os outros, os demais, todos foram homenageados pela Casa, todos os bandidos receberam moção desta Casa, alguns receberam três ou quatro. Mas que moral tem um Deputado que dá moção para esses bandidos? E eu não estou nem falando do Álvaro Lins, que recebeu a Medalha Tiradentes e outras coisas, estou falando dos “inhos” todos. Bandidos pés-de-chinelo que receberam moção, medalha de diversos Deputados, a maioria de Deputados também envolvidos em outras denúncias de corrupção.
Eu acho, Sr. Presidente, que é um discurso perdido. Quando a gente se opõe ao sistema, porque isso virou um sistema, chega a ser perda de tempo. Mas o que estou fazendo aqui se eu não fico pelo menos indignada com o que está acontecendo? Então, eu sei que ele vai sair por aquela porta, vai usar os instrumentos que tem, como disse bem o Sr. Deputado Paulo Ramos, como ex-Secretário de Segurança Pública, para desvirtuar a investigação. E não é só ele, são dois ex-Secretários, ele e o Ricardo Hallack, que é outro bandido de primeira classe muito homenageado nesta Casa. É um discurso vazio. É um discurso que não vai dar em nada.
Pode sair, Sr. Deputado Álvaro Lins!
A Casa é sua!"

EXTRA ONLINE - 31/05/2008 - SAIBA COMO CADA DEPUTADO VOTOU A PROPOSTA QUE REVOGOU A PRISÃO DE ÁLVARO LINS

CANETA E PAPEL NA MÃO!


EXTRA ONLINE
Saiba como cada deputado votou a proposta que revogou a prisão de Álvaro Lins.

RIO - Quarenta deputados estaduais votaram a favor do decreto legislativo que determinou a imediata revogação da prisão do deputado Álvaro Lins (PMDB), acusado, na operação Segurança Pública S/A, de chefiar um esquema de corrupção em delegacias. Outros 15 parlamentares votaram não, contra a medida.
Saiba como cada deputado votou na Alerj:
VOTARAM SIM (a favor da revogação da prisão):
ALESSANDRO CALAZANS (PMN)
ANABAL (PHS)
APARECIDA GAMA (PMDB)
ÁTILA NUNES (DEM)
AUDIR SANTANA (PSC)
BEATRIZ SANTOS (PRB)
CHIQUINHO DA MANGUEIRA (PMDB)
CORONEL JAIRO (PSC)
DÉLIO LEAL (PMDB)
DIONÍSIO LINS (PP)
DOMINGOS BRAZÃO (PMDB)
DR. WILSON CABRAL (PSB)
ÉDINO FONSECA (Prona)
EDSON ALBERTASSI (PMDB)
FÁBIO SILVA (PMDB)
GERALDO MOREIRA (PMN)
GERSON BERGHER (PSDB)
GLAUCO LOPES (PSDB)
GRAÇA MATOS (PMDB)
IRANILDO CAMPOS (PTB)
JOÃO PEDRO (DEM)
JOÃO PEIXOTO (PSDC)
JORGE BABU (PT)
JORGE PICCIANI (PMDB)
LUIZ PAULO (PSDB)
MARCELO SIMÃO (PHS)
MARCO FIGUEIREDO (PSC)
MARCUS VINICIUS (PTB)
MÁRIO MARQUES (PSDB)
NATALINO (DEM)
PAULO MELO (PMDB)
PEDRO PAULO (PSDB)
RAFAEL ALOISIO FREITAS (DEM)
ROGÉRIO CABRAL (PSB)
RONALDO MEDEIROS (PSB)
SHEILA GAMA (PDT)
SULA DO CARMO (PMDB)
TUCALO (PSC)
WALDETH BRASIEL (PL)
WILSON CABRAL (PSB)
VOTARAM NÃO (contra a revogação):
ALESSANDRO MOLON (PT)
CIDINHA CAMPOS (PDT)
COMTE BITTENCOURT (PPS)
DR. ALCIDES ROLIM (PT)
FERNANDO GUSMÃO (PCdoB)
FLÁVIO BOLSONARO (PP)
GILBERTO PALMARES (PT)
INÊS PANDELÓ (PT)
MARCELO FREIXO (PSOL)
NILTON SALOMÃO (PMDB)
OLNEY BOTELHO (PDT)
PAULO RAMOS (PDT)
RODRIGO NEVES (PT)
SABINO (PSC)
WAGNER MONTES (PDT)
FALTARAM:
*ÁLVARO LINS (PMDB) - o acusado
ALAIR CORRÊA (PMDB)
ALTINEU CORTES (PT)
ANDRÉ CORRÊA (PPS)
ANDRÉ DO PV (PV)
ARMANDO JOSÉ (PSB)
GRAÇA PEREIRA (DEM)
JODENIR SOARES (PTdoB)
JOSÉ NADER (PTB)
JOSÉ TÁVORA (DEM)
MARCOS ABRAHÃO (PSL)
NELSON GONÇALVES (PMDB)
PEDRO AUGUSTO (PMDB)
ROBERTO DINAMITE (PMDB)
ZITO (PSDB)

A VERGONHA DO BRASIL É A ELITE - DANIEL BRAMATI

ESTADÃO.COM.BR

''A vergonha do Brasil é a elite''
Para pesquisador, exposição freqüente de casos de desvios responde a uma demanda da sociedade
Daniel Bramatti

"As operações da Polícia Federal, que atingem até integrantes da elite política do País, provocam "uma sensação de perplexidade positiva", afirma o antropólogo Roberto DaMatta, cuja vida acadêmica de quase cinco décadas tem como ponto central a tentativa de decifrar o Brasil e os brasileiros.
Para o autor de Carnavais, Malandros e Heróis, "nunca houve uma demanda tão grande por transparência", já que é cada vez mais evidente o custo da corrupção para todas as camadas sociais.
A seguir, entrevista concedida ontem, por telefone:
- A casa do ex-governador Anthony Garotinho, que concorreu à Presidência da República, foi alvo de uma busca da Polícia Federal. No ano passado, o mesmo ocorreu com um irmão do presidente Lula. O deputado Paulinho é acusado de desvios. Qual é o efeito social dessa exposição contínua de políticos envolvidos em corrupção?
Temos um efeito duplo. O primeiro, seguindo o pensamento mais tradicional, é confirmar que os políticos são corruptos. O segundo efeito é o contrário, é sentir que alguma coisa está acontecendo. A sociedade quer punição quando há ofensa às leis, ainda mais quando se trata de um político, um sujeito que nos representa, um gerente público. Hoje todas as camadas sociais têm uma noção clara do custo da corrupção, de quanto essas pessoas roubam. E há uma polícia que está agindo. Há uma sensação de perplexidade positiva.
- Mas a sociedade, ao mesmo tempo em que quer a punição dos corruptos, não é tolerante ao eleger pessoas com antecedentes de corrupção?
Existe essa ambigüidade. A política fica colocada, para a maioria da população, como uma certa aventura. A impressão é de que só um aventureiro vai entrar nessa profissão, para ser colega de tanta gente que não presta. Mas, por outro lado, nunca houve demanda tão grande por transparência.
- Num artigo recente o senhor questiona: "Se acabamos com a inflação por meio da negociação política, por que não podemos liquidar a criminalidade, a corrupção e a ignorância?" O senhor acha que a corrupção é um fenômeno superável no País?
O que está enlouquecendo a gente no Brasil é que tem um nível de tolerância que ultrapassa o normal e, em determinados momentos, dá a impressão de que a corrupção é um valor, é um projeto. E isso não pode. Nós conseguimos superar a inflação, e se dizia que nem na administração de Deus isso seria possível. Se temos essa experiência de vitória, por que não fazemos um plano semelhante em relação à educação, por exemplo?
- O brasileiro tem uma relação de resistência ao aparato legal, existe a questão do "jeitinho", a noção de que a lei é para os outros. Essa nossa corrupção tão arraigada e tão corriqueira não está ligada diretamente a isso?
Sem dúvida. O problema passa por uma relação, que sempre foi complicada, entre a sociedade e o Estado. A tradição brasileira das relações é que o Estado seria o corretor, o compensador da sociedade. Então a sociedade fica a reboque do Estado, o sujeito limpa a calçada e joga na rua. Hoje estamos começando a trazer para o debate, para a crítica, o nosso próprio comportamento. Se ele não for modificado, não vamos transformar o Brasil na direção de ser uma sociedade mais igualitária. Chegamos a um patamar de competência e de excelência econômica, financeira e tecnológica, estamos competindo no mercado internacional e temos um mercado interno pujante. O que está para trás hoje no Brasil é a política. A vergonha do Brasil é a elite."

CLIQUE E LEIA

GLOBO ONLINE.
Álvaro Lins é solto após ter prisão revogada pelo plenário da ALERJ.
Waleska Borges e Fábio Vasconcellos.
http://oglobo.globo.com/rio/mat/2008/05/30/alvaro_lins_solto_apos_ter_prisao_revogada_pelo_plenario_da_alerj-546580115.asp

O DIA ONLINE.
Uma delegacia de R$ 50 mil.
Delegado preso desembolsou quantia para pagar gastos de campanha de ex-chefe de Polícia.
Adriana Cruz, Bartolomeu Brito, Christina Nascimento, Francisco Édson Alves, Gustavo de Almeida, Leslie Leitão, Márcia Brasil, Maria Inez Magalhães,Maria Mazzei e Ricardo Villa Verde.
http://odia.terra.com.br/rio/htm/uma_delegacia_de_r_50_mil_174871.asp
Orientações para esconder o patrimônio.
Advogado disse para Álvaro colocar imóvel em nome de parente morto.
http://odia.terra.com.br/rio/htm/orientacoes_para_esconder_o_patrimonio_174870.asp
Alerj decide soltar Álvaro Lins.
Por 40 votos a 15, deputados revogam prisão de parlamentar acusado de lavagem de dinheiro no governo do estado.
http://odia.terra.com.br/rio/htm/alerj_decide_soltar_alvaro_lins_174868.asp

JORNAL DO BRASIL ONLINE.
Alerj absolve e Lins sai da cadeia.
Em sessão extraordinária, 40 deputados votaram pela soltura do ex-chefe da polícia Civil.
Fernanda Thurler.
http://jbonline.terra.com.br/sitehtml/papel/rio/papel/2008/05/31/rio20080531000.html

FOLHA DE SÃO PAULO ONLINE.
Alerj aprova resolução que manda soltar deputado Álvaro Lins.
http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u407214.shtml
OAB chama possível revogação da prisão de Álvaro Lins por Alerj de "coleguismo inoportuno".
http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u407173.shtml

ESTADÃO.COM.BR.
Para juristas, decisão indica ''coleguismo''.
OAB vê açodamento da Assembléia e desrespeito a decisão judicial.
Silvia Amorim.
http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20080531/not_imp181636,0.php

REVISTA ÉPOCA.
Ex-chefe da Polícia Civil do Rio é solto.
O plenário da Assembléia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou a resolução de um decreto para a revogação imediata da prisão do deputado Álvaro Lins (PMDB), acusado de chefiar um esquema de corrupção da polícia civil fluminense.
Nelito Fernandes.
http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI4955-15223,00-EXCHEFE+DA+POLICIA+CIVIL+DO+RIO+E+SOLTO.html

sexta-feira, 30 de maio de 2008

COMUNICADO AOS LEITORES.

O "Contador de Visitas" do blog não está funcionado, tendo interrompido a contagem no número 141.395, isso há mais de vinte e quatro horas.

JORNAL ESTADÃO - "SITUAÇÃO DE GUERRA" LEVA CRUZ VERMELHA AO RIO.

ESTADÃO.COM.BR

''Situação de guerra'' leva Cruz Vermelha ao Rio.
Entidade treinou voluntários para atender vítimas de confrontos; PM matou 1.548 pessoas em 14 meses.
Jamil Chade e Felipe Werneck.

"Voluntários da Cruz Vermelha vão atuar em favelas do Rio a partir de junho. A decisão foi anunciada pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), que considera o número de vítimas na capital fluminense equivalente ao de locais onde há guerra declarada. "A violência urbana é um sério desafio com o qual precisamos lidar", disse ao Estado o presidente do CICV, Jakob Kellenberger.
A Polícia Militar do Rio matou oficialmente 1.548 pessoas em 14 meses do governo Sérgio Cabral Filho (PMDB) - de janeiro de 2007 a fevereiro deste ano, último dado divulgado pelo Instituto de Segurança Pública (ISP).
Registradas como autos de resistência, as mortes em supostos confrontos são contabilizadas há dez anos no Rio, e atingiram sua maior marca no governo Cabral: 110 por mês, em média. Foram 1.330 mortes em 2007 - aumento de 25,11% em relação a 2006 - e 218 em janeiro e fevereiro deste ano, ante 207 no mesmo período de 2007 (5,31%). Para efeito de comparação, foram mortos por armas de fogo em confrontos 14.235 pessoas no Iraque em 2007.
A Cruz Vermelha tem como uma de suas principais missões agir, em caso de guerra, em favor de vítimas civis e militares. Um acordo para atuar no Brasil foi assinado em 2007.
Anteontem, em Genebra, Kellenberger evitou dar detalhes sobre o programa. No Rio, a filial da Cruz Vermelha informou que equipes já foram treinadas - inclusive na Argentina - e que o trabalho deverá começar na segunda quinzena de junho, com pelo menos 30 "socorristas" voluntários. "É a primeira vez que ocorre um trabalho com esse perfil no Brasil, e a filial do Rio foi escolhida", informou a entidade. O porta-voz da entidade para a América Latina, Marçal Izard, explicou que o programa também deverá apoiar presidiários, diante das acusações de maus-tratos em centros de detenção, além de moradores de favelas. Para a Cruz Vermelha, a decisão de atuar em temas de violência urbana demonstra uma mudança no perfil do comitê. Com sede em Genebra, a entidade atuou na Guerra do Chaco (entre Bolívia e Paraguai, de 1932 a 1935), na 1ª Guerra Mundial (1914-1918), na 2ª Guerra Mundial (1939-1945), e está espalhada em conflitos no mundo. O CICV auxilia a identificação de prisioneiros em locais de conflito - só no Iraque, atende 20 mil pessoas por ano nas cadeias mantidas pelos EUA. Num primeiro momento, porém, o foco de atenção será "a capacitação de socorristas residentes nas zonas mais vulneráveis à violência no Rio". Isso permitirá que a organização possibilite "maior acesso dos moradores aos primeiros socorros, já nos primeiros momentos em que essa assistência é necessária".

CLIQUE E LEIA - OPERAÇÃO SEGURANÇA PÚBLICA SA.

O DIA ONLINE.
OPERAÇÃO SEGURANÇA PÚBLICA S/A.
Polícia Federal: esquema envolvia pagamento mensal de propina
Todos os homens do delegado.
Segundo a PF, relações entre delegacias e chefias envolviam pagamentos mensais de propinas.
Adriana Cruz, Andréia Lopes, Bartolomeu Brito, Christina Nascimento, Francisco Édson Alves, João Antonio Barros, Leslie Leitão, Mahomed Saigg, Márcia Brasil, Maria Mazzei, Michel Alecrim, Ricardo Villa Verde, Thiago Prado e Vania Cunha.
http://odia.terra.com.br/rio/htm/todos_os_homens_do_delegado_174597.asp
http://odia.terra.com.br/rio/htm/escuta_nao_quer_participar_fica_sem_nada__174594.asp
http://odia.terra.com.br/rio/htm/alexandre_neto_nao_e_so_no_morro_que_existe_crime__174592.asp

GLOBO ONLINE.
MPF afirma que há provas suficientes sobre o envolvimento de Garotino.
http://oglobo.globo.com/rio/mat/2008/05/29/mpf_afirma_que_ha_provas_suficientes_sobre_envolvimento_de_garotinho-546569604.asp

EXTRA ONLINE.
MPF afirma que há provas suficientes sobre envolvimento de Garotinho.
http://extra.globo.com/rio/materias/2008/05/29/mpf_afirma_que_ha_provas_suficientes_sobre_envolvimento_de_garotinho-546570371.asp

JORNAL DO BRASIL ONLINE.
Polícia Federal prende 5 pessoas na Operação Segurança SA.
http://jbonline.terra.com.br/extra/2008/05/29/e290523239.html

FOLHA DE SÃO PAULO ONLINE.
Operação Segurança Pública S/A.
Deputados do Rio decidem nesta sexta destino de parlamentar preso.
O deputado e ex-chefe da Polícia Civil do Rio Álvaro Lins é um dos presos em operação realizada nesta quinta (29).
http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u406922.shtml
Denunciados terão 15 dias para se defender.
http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u406934.shtml
Garotinho era espécie de chefe político, diz MPF.
http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u406836.shtml
Lins, Garotinho e mais 14 são denunciados.
http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u406677.shtml

ESTADÃO.COM.BR.
PF prende deputado e acusa Garotinho de integrar quadrilha.
Segundo denúncia, ex-governador mantinha Lins à frente da polícia, mesmo sabendo de suas ligações criminosas.
Felipe Werneck e Marcelo Auler, RIO.
http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20080530/not_imp180811,0.php
Assembléia do RJ se mobiliza para tirar Lins da cadeia.
Pedro Dantas - Agência Estado.
http://www.estadao.com.br/nacional/not_nac180632,0.htm

quinta-feira, 29 de maio de 2008

NOTA DO PRESIDENTE DA AME/RJ - TEN CEL DILSON ANAÍDE

Nota recebida por email:
"MOVIMENTO SALARIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS/RJ"

"Está em curso, no nosso Estado, um gigantesco movimento unificado dos servidores das áreas de Saúde, Educação e Segurança com o objetivo de forçar o Governador Sérgio Cabral a retomar as negociações sobre o aumento salarial para todos os servidores públicos. Diferentemente de outras vezes, quando cada categoria buscou solução isolada, agora os principais Sindicatos dos seguimentos civis e das Associações dos militares estaduais estão firmes e coesos na luta pelos direitos coletivos.

Na última reunião, realizada dia 26 de maio/08, na sede do Sindicato dos Médicos, na Av. Churchill 97, com 42 entidades presentes, na pauta estavam os seguintes assuntos:

1. eleição de comissão mista provisória para condução dos trabalhos;
2. marcação de Assembléia Geral; e,
3. deliberações diversas.

Por unanimidade, foram eleitos 15 membros para compor a comissão (5 de cada área), cabendo ao Presidente da AME/RJ representar os oficiais da PMERJ e CBMERJ.

Também por unanimidade ficou marcada a Assembléia Geral conjunta para as 10.00 h, do dia 13 de junho/08, no Clube Municipal e, desde já, o dia 19 de junho como o da consolidação do movimento, com manifesto na escadaria de ALERJ.

Para a Assembléia Geral já há uma agenda mínima, a saber: reajuste igual já; fixação de data-base para o aumento do funcionalismo; não à terceirização do serviço público; e, plano de carreira e de salários! (...).

Tenho a convicção de que o movimento será bastante vigoroso e barulhento, pois percebi sinceridade e disposição nos dirigentes sindicais. Admito até ser possível não se obter o aumento desejado (algo em torno de 65%), mas que o Governador enfrentará sérios problemas, disto não tenho dúvida.

De nossa parte, por enquanto, cabe divulgar o que se está fazendo e convocar os PMs e BMs de folga para os atos públicos dos dias 13 e 19 de junho.

Ajude-nos a divulgar e vamos participar!!!!

Dilson Anaide – Presidente da AME/RJ

JORNAL O DIA - BLOG DA SEGURANÇA - 28/05/2008 - GUSTAVO DE ALMEIDA

RUMO À TRANSPARÊNCIA ZERO.
"UPDATE: A PM decidiu manter a forma anterior de consulta aos boletins. As senhas, no entanto, continuam restritas, ao alcance apenas de policiais que têm acesso às seções em cada batalhão. Muitos praças são excluídos do processo. Mas pelo menos a PM ainda manteve acesso para muitos policiais de fora.
Por Gustavo de Almeida.
A PM continua caminhando a passos largos para trás, talvez tentando voltar 200 anos no tempo. Depois de restringir o acesso ao boletim ostensivo, agora utiliza o recurso máximo da arapongagem que é sistematizar o mesmo de modo a saber quem está lendo e de onde. É uma espécie de Big Brother. Com todos os erros políticos cometidos pela sua gestão, deve-se reconhecer que o coronel Ubiratan Angelo, antecessor, pelo menos defendia uma maior aproximação e abertura da corporação.O processo agora foi revertido.
Talvez seja para evitar que pessoas não-acostumadas se deparem com tantas "dispensas de licitação" (Apolo Serviços Gerais, mais de 200 mil reais?), ou "inexigibilidade de licitação" ou mesmo apurações de denúncias anônimas que levam dois anos e são arquivadas porque "o denunciante não se apresentou".
Fato é que os policiais me enviaram mensagens questionando a imagem abaixo:
Curioso é que não se vê o mesmo empenho na PMERJ em ter controle sobre ações de seus agentes - os mesmos têm liberdade total para andar de moto pela cidade cumprindo o dever de verificar quem pagou ou não pagou o IPVA, como acontece no Aterro do Flamengo.
Enquanto isso, os requerimentos de informações feitos pelos deputados da Comissão de Segurança Pública (que têm como presidente Wagner Montes e como vice Flavio Bolsonaro) continuam sendo sumariamente ignorados.
É curioso o modelo de Polícia Militar aprovado pela Secretaria de Segurança Pública.
Transparência, correição, salário, todos são temas tabus. Nesta terça-feira, na Câmara dos Deputados em Brasília, o delegado Gilberto Ribeiro, chefe de Polícia Civil, defendeu melhores salários para seus chefiados. O mesmo não fez o comandante-geral da PM, também presente (diga-se de passagem, graças à série sobre o Chapéu Mangueira publicada por O DIA).
Será que é isso mesmo que quer a Secretaria de Segurança?
O comandante-geral disse ontem na Câmara que há "mais policiamento ostensivo" e que a PM teve "748 enfrentamentos este ano". As estatísticas de assaltos só aumentam. E nesta terça-feira, o crime mostrou sua brutalidade: foi morto, aos 86 anos, Ulrich Rosenzweig, pai de uma das figuras mais queridas da Zona Sul do Rio, a Evelyn Rosenzweig.
Só podemos rezar. Por Evelyn, por Ulrich, por todos nós".

CLIQUE E LEIA.

GLOBO ON LINE.
Álvaro Lins preso pela Polícia Federal. Garotinho denunciado.
http://oglobo.globo.com/rio/mat/2008/05/29/alvaro_lins_preso_pela_policia_federal_garotinho_denunciado-546553989.asp

O DIA ONLINE.
PF prende Álvaro Lins.
http://odia.terra.com.br/rio/htm/pf_prende_alvaro_lins_174304.asp

GLOBO ONLINE.
Violência.
Anistia e Cabral discordam sobre confrontos.
Ana Claudia Costa e Soraya Aggege.
http://oglobo.globo.com/rio/mat/2008/05/28/anistia_cabral_discordam_sobre_confrontos-546549775.asp

O DIA ONLINE.
Relatório critica polícia do Rio.
Anistia Internacional chama de ‘draconiana e belicosa’ política de segurança do governo do estado.
Alex Martins, Christina Nascimento e Francisco Édson Alves.
http://odia.terra.com.br/rio/htm/relatorio_critica_policia_do_rio_174302.asp
GLOBO ONLINE.
Jovem Baleada.
Seqüestro de médico acaba em tiroteio em Botafogo.
Marcelo Dutra e Jorge Martins.
http://oglobo.globo.com/rio/mat/2008/05/29/sequestro_de_medico_acaba_em_tiroteio_em_botafogo-546553846.asp

GLOBO ONLINE.
Patrulha perfurada a tiros de fuzil na linha vermelha.
Jorge Martins.
http://oglobo.globo.com/rio/mat/2008/05/29/patrulha_perfurada_tiros_de_fuzil_na_linha_vermelha-546553866.asp

DISCURSO DO DEPUTADO FEDERAL JAIR BOLSONARO

No discurso o Deputado Federal Jair Bolsonaro cita a segurança pública no Rio de Janeiro:

EX-BLOG DO CESAR MAIA - ZIG ZAG NAS AÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA NO RIO!

Email recebido:
28 de maio de 2008
"1. No início do governo estadual em 1999 adotou-se a linha preconizada por um vetor de sociólogos que entendia como caminho para redução da violência o estabelecimento de um pacto -informal- e às vezes formal, onde a polícia só reprimiria as bocas de fumo onde ocorressem confrontos entre gangs. Logo em seguida abandonada, as ações se tornaram reativas ao noticiário, buscando opinião pública. No governo seguinte -a partir de 2003 a 2006- as ações hierarquizaram a repressão nas áreas de bocas de fumo instáveis. Isso gerou certa previsibilidade e de certa maneira arrefeceu a percepção de violência.
2. No atual governo -sob o comando de policiais da área de "inteligência" vindos da PF, a prioridade passou a focalizar o estouro de paióis e depósitos de drogas e a eliminação de bandidos como forma de desarticular o narcovarejo. Para isso o fator surpresa passou a ser a coluna vertebral destas ações. Só que o fator surpresa e a imprevisibilidade que trouxe, colocou todas as bocas de fumo em posição de alerta para o confronto. Ao menor sinal -mesmo que ilusório- a ação dos bandidos começava, colocando em pânico e risco as comunidades.
3. O resultado é hoje o pior dos últimos anos. Não há política de segurança pública, mas ações de desmonte de paióis e depósitos. Só que as armas não estão há muito tempo em paióis e são de guarda individual em residências rotativas e até em igrejas. Os depósitos de cocaína nunca são em quantidade significativa e são mais endoladores para distribuição rápida dos papelotes. E a eliminação dos bandidos gera uma substituição automática que segundo a DRE uns dois anos atrás, com potencial de dois novos para cada um eliminado.
4. O resultado do fator surpresa e da imprevisibilidade não produz resultados. É -de fato- o aumento da violência e do número de confrontos, com trocas de tiros diárias para um resultado pífio e nenhuma desarticulação do narcovarejo. A população das comunidades em pânico permanente e crescente aumenta sua taxa de rejeição às ações da segurança pública. O uso da expressão estresse para denotar um cerco crescente aos bandidos, na verdade se aplica muito melhor a SSP-RJ. Esta sim está estressada com o fracasso precoce.
5. Melhor seria fazer com rapidez a revisão do que ocorre e com cabeça fria reabrir o debate com especialistas dando caráter público, e buscar definir uma Política de Segurança Pública para os últimos 2 anos e meio de governo que possa ter seqüência no governo seguinte. Essas ações de segurança pública fracassaram. Agravaram a situação nas comunidades e no asfalto, onde os roubos e furtos não param de crescer, inclusive com agressões violentas e mortes.
6. Lembrando o conselho de Peter Drucker aos gestores: “Se você está fazendo algo errado, não tente fazer melhor: pare de fazê-lo e comece de novo". Seria o melhor caminho enquanto é tempo. Chegamos ao pior momento com menos de 2% dos casos de homicídios elucidados e quase todos por flagrante ou auto-entrega, o que só reforça a certeza da impunidade. O jeito é começar de novo".
Para receber o ex-blog do Prefeito César Maia cadastre-se:

A JUSTIÇA QUE TEMOS E A QUE QUEREMOS

Terça-feira, 27 de maio de 2008
Carlos Nicodemos
Advogado, professor da Unigranrio, coordenador da ODH - Projeto Legal, membro do Conselho Estadual da Criança do Rio de Janeiro e da Comissão de Direitos Humanos da OAB-RJ.
"O ano de 2008 é sem sombra de dúvida um momento importante para comemorarmos a democracia brasileira, elemento chave do Estado de Direito Republicano.
Primeiro que neste ano comemoramos o vigésimo aniversário da Constituição brasileira, Carta Política tida como ponto de partida para a consolidação de uma sociedade justa,fraterna e igualitária.
Neste mesmo ano, comemoramos os 60anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU, instrumento jurídico cosmopolita que reordenou as relações internacionais dos Estados em torno ao respeito à dignidade da pessoa humana.
Ainda em 2008, comemoramos os 18anos do Estatuto da Criança e do Adolescente , Lei 8.069/90, que, em termos de direitos humanos e democracia, é considerada a maior e mais elaborada resposta que o Estado brasileiro deu para um segmento social na denominada Era dos Direitos dos Direitos nos anos 90.
Este trio de valores jurídicos e políticos, Constituição Federal de 1988, a Declaração de Direitos Humanos de 1948 e o Estatuto da Criança e do Adolescente de 1990, nos permitem ter uma idéia da Justiça que queremos e a Justiça que pretendemos ter.
Neste sentido é importante esclarecer que o Direito ao acesso à Justiça não pode ser confundido ou mesmo reduzido, como pretendem alguns, ao acesso ao Poder Judiciário .
Isto porque, quando tratamos deste segundo, temos verificado na história republicana a insistente orientação da superestrutura jurídica e política do Estado brasileiro, em conduzir pelas portas dos fundos dos Tribunais de Justiça , algemados, negros, pobres e grupos em situação de vulnerabilidade, num evidente controle social punitivo.
Por outro lado, os detentores e representantes dos interesses patrimoniais, quando da necessidade de proteção de seus bens, têm tido acesso privilegiado pela porta da frente dos mesmos Tribunais de Justiça, sob o conforto da certeza da tutela que lhe será prestada cada vez mais por um Estado marcado por profundas cicatrizes da desigualdade social.
Este conceito de acesso ao Judiciário deve ser alterado, sob pena de comprometermos os valores que aqui sinalizamos, quais sejam: democracia e direitos humanos.
O caminho para a ruptura deste modelo controlador punitivo passa pela necessidade de alçarmos este debate ao patamar de discussão sobre o Direito ao Acesso à Justiça.
Este direito, deve contemplar a condição dos cidadãos como pessoas dotadas de direitos fundamentais, pró-ativas no exercício reivindicante de suas dignidades.
Para isso, é preciso cada vez mais garantir o direito à assistência judiciária, através de uma Defensoria Pública fortalecida, que possa verdadeiramente garantir o ingresso dos grupos em situação de vulnerabilidade pela porta principal dos Tribunais de Justiça.
No mesmo norte, esperamos do Ministério Público uma intervenção, além da condição de propulsor judicializante do processo de criminalização da pobreza, conforme se verifica nas pilhas dos milhares de processos judiciais em curso.
Como advogado da sociedade, aguardamos ansiosamente do Ministério Público uma atuação pautada no interesse da coletividade, especialmente dos excluídos, como os adolescentes autores de ato infracional, sujeitos de direitos do comemorado Estatuto da Criança e do Adolescente, aqui anunciado.
Assim, é preciso reconhecer que a igualdade, enquanto uma garantia humana, proclamada na aniversariante Constituição Republicana, deve ser transformada do campo formal para um patamar substancial, em que, os iguais devam ser tratados igualmente e os desiguais considerados desigualmente.
Assim, a Justiça que queremos passa fundamentalmente pela negação ao processo de criminalização da pobreza vigente, além de assegurar no plano da tutela jurisdicional, as medidas compensatórias para os grupos historicamente excluídos, como os negros,os carentes, as mulheres e as crianças.
Somente assim será possível comemorarmos os aniversários dos documentos jurídicos aqui anunciados, pois finalmente eles serão considerados ponte de ouro para um verdadeiro acesso à Justiça ,uma Justiça Social em que o Tribunal Jurisdicional seja a casa da cidadania de todas e todos.

A MÃO GRANDE DO PODER EXECUTIVO - MARIA LUCIA VICTOR BARBOSA

23/05/2008.

"Nosso Executivo sempre prevaleceu sobre o Legislativo e o Judiciário e isso é fácil de demonstrar revendo um pouco da nossa história:
O Estado brasileiro foi organizado através do projeto constitucional elaborado pela Assembléia Constituinte de 1823. Entretanto, os choques de poder entre Dom Pedro I e os parlamentares, notadamente os Andrada, levariam o imperador a dissolver a Assembléia Constituinte em 11 de novembro de 1823. Dom Pedro, então, nomeia um grupo de dez notáveis para redigir um projeto constitucional, em tudo parecido com o anterior, exceto por um detalhe: ao lado dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, surge um quarto, o Poder Moderador, capaz de facultar ao Imperador atribuições, entre as quais, escolha de senadores, livre nomeação de ministros, vetos dos atos do Legislativo. Até 1826 o imperador governará de forma absoluta apoiado pelo partido português.
Diante do que se passava, o povo, em sua quase totalidade, se quedava indiferente, distante anos luz dos bastidores do poder e achando muito natural os cargos públicos preenchidos por apaniguados, enquanto o governo abertamente favorecia os interesses que representava e o partido português manejava o poder a seu gosto.
Como se nota nosso Executivo já nasceu forte e assim permaneceu até hoje, apesar de que a “felicidade geral” e a “justa liberdade dos povos” sempre deixaram a desejar. Tal realidade, contudo, jamais ensejou atitudes revolucionárias contra os poderes constituídos e o povo brasileiro seguiu pelos séculos de sua história demonstrando uma passividade raiando à submissão.
A explicação dessa passividade deve ser buscada em nossas origens, pois como bem enfatizou Sérgio Buarque de Holanda em Raízes do Brasil:
“Entre nós, o domínio europeu foi, em geral, brando e mole, menos obediente a regras e dispositivos do que à lei da natureza”. “A vida parece ter sido aqui incomparavelmente mais suave, mais acolhedora das dissonâncias sociais, raciais e morais”. “Nossos colonizadores eram, antes de tudo, homens que sabiam repetir o que estava feito ou o que lhes ensinara a rotina”.
No entanto, é importante compreender que, por detrás da aparente brandura brasileira, da amenidade no trato social, esconde-se a violência que pode brotar a qualquer momento. Ressalvando-se, porém, as organizações criminosas que aterrorizam a vida urbana e os ditos movimentos sociais, como o MST que faz o que bem entende sob a complacência e o estímulo governamentais, a violência do brasileiro é geralmente individualizada, desordenada, desorientada, originando-se da frustração, do desespero, do rancor, e não de uma consciência popular que exija seus direitos ou atitudes coerentes por parte do poder.
O fato é que desde os primórdios do Estado brasileiro, até hoje, nossa mentalidade não mudou. No momento o Executivo concentra um enorme poder e a seu reboque seguem, como sempre, o Legislativo e o Judiciário.
Indiferente aos jogos da ambição política, aos escândalos que sucedem com tal velocidade que os mais recentes fazem esquecer rapidamente os anteriores, a malversação dos recursos públicos, ao ônus que representa a pesada máquina burocrática governamental, ao peso da corrupção que impede nosso progresso, o povo se inclina ao paternalismo estatal sempre em busca de um líder magnânimo, de um salvador que lhe provoque reações emocionais.
Não importa se a mão grande do Executivo toma de forma exorbitante as migalhas dadas. Com indiferença a população aceita que tenhamos os impostos mais altos do mundo, que a nefasta CPMF em breve ressuscite, que a arrecadação federal tenha atingido novo recorde em abril, ou seja, R$ 59,7 bilhões, 11,4% a mais do que o mesmo mês de 2007. Nem a inflação que já acelera, especialmente, para os mais pobres, incomoda. E quando a mão grande do Executivo se fecha sobre entidades sociais que funcionam exemplarmente como o Sesc, o Sesi, o Senac e o Senai, entidades mantidas pelo empresariado, para surrupiar seus recursos, ninguém toma conhecimento. Tão pouco não há reação quando a mão grande do Executivo interfere nos planos de saúde para atrapalhá-los. Afinal, toda vez que a enorme mão do Leviatã, através do Executivo, aparece, acaba danificando o que funciona.
Por isso termino esse pequeno artigo fazendo minhas as palavras de H. L. Mencken:
“O governo ideal de qualquer pessoa dada à reflexão, de Aristóteles em diante, é aquele que deixe o indivíduo em paz – um governo que praticamente passe despercebido”. “Este ideal, acredito, se concretizará no mundo cerca de vinte ou trinta séculos depois de eu ter partido”.

Maria Lucia Victor Barbosa é socióloga, professora e escritora.
mlucia@sercomtel.com.br

quarta-feira, 28 de maio de 2008

RIO DE PAZ - ATO CÍVICO

A VIDA DO REI HENRIQUE V, ATO IV, CENA III - SHAKESPEARE

O discurso do dia de São Crispim

A cena ocorre no acampamento inglês no dia da batalha de Azincourt (25 de outubro de 1415). O rei Henrique V faz a revista em suas tropas. Os ingleses tem dez mil soldados para opor-se aos 60 mil franceses que os aguardam nas planícies de Azincourt quando é abordado pelo conde de Westmoreland (*).
O conde de Westmoreland, primo do rei, lamenta a falta de mais homens para pelo menos tentar equilibrar um pouco a enorme diferença dos efetivos de combatentes. O rei toma a palavra então:
Quem expressa esse desejo? Meu primo Westmoreland? Não, meu simpático primo; se estamos destinados a morrer, nosso país não tem necessidade de perder mais homens do que nós temos aqui; e, se devemos viver, quanto menor é o nosso número, maior será para cada um de nós a parte da honra. Pela vontade de Deus! Não desejes nenhum um homem a mais, te rogo! Por Júpiter! Não sou avaro de ouro, e pouco me importo se vivem às minhas expensas: sinto pouco que outros usem minhas roupas: essas coisas externas não encontram abrigo entre as minhas preocupações; mas se ambicionar a honra é pecado, sou a alma mais pecadora que existe.
Não, por fé, não desejeis nenhum homem mais da Inglaterra. Paz de Deus! Não quereria, pela melhor das esperanças, expor-me a perder uma honra tão grande, que um homem a mais poderia quiçá compartir comigo. Oh! Não ansieis por nenhum homem a mais! Proclama antes, através do meu exército, Westmoreland, que aquele que não for com coração à luta poderá se retirar: lhe daremos um passaporte e poremos na sua mochila uns escudos para a viagem; não queremos morrer na companhia de um homem que teme morrer como companheiro nosso.
O dia de São Crispim: este dia é o da festa de São Crispim; aquele que sobreviver esse dia voltará são e salvo ao seu lar e se colocará na ponta dos pés quando se mencionará esta data, ele crescerá sobre si mesmo ante o nome de São Crispim. Aquele que sobrevier esse dia e chegar a velhice, a cada ano, na véspera desta festa, convidará os amigos e lhes dirá: "Amanhã é São Crispim". E então, arregaçando as mangas, ao mostrar-lhes as cicatrizes, dirá: "Recebi estas feridas no dia de São Crispim."
Os velhos esquecerão; mas, aqueles que não esquecem de tudo, se lembrarão todavia com satisfação das proezas que levaram a cabo naquele dia. E então nossos nomes serão tão familiares nas suas bocas com os nomes dos seus parentes: o rei Harry, Bedford, Exeter, Warwick e Talbot, Salisbury e Gloucester serão ressuscitados pela recordação viva e saudados com o estalar dos copos.
O bom homem ensinará esta história ao seu filho, e desde este dia até o fim do mundo a festa de São Crispim e Crispiano nunca chegará sem que venha associada a nossa recordação, à lembrança do nosso pequeno exército, do nosso bando de irmãos; porque aquele que verter hoje seu sangue comigo, por muito vil que seja, será meu irmão, esta jornada enobrecerá sua condição e os cavaleiros que permanecem agora no leito da Inglaterra irão se considerar como malditos por não estarem aqui, e sentirão sua nobreza diminuída quando escutarem falar daqueles que combateram conosco no dia de São Crispim.
(*) No combate, os franceses, comandados pelo condestável Charles I d'Albret, foram totalmente batidos pelos arqueiros ingleses num dos maiores desastres militares da história da França, que perdeu, além do condestável, 12 outros membros da alta nobreza, 1.500 cavaleiros e mais 4.500 soldados.

CLIQUE E LEIA

RÁDIO CBN.
País.

Anistia condena abusos no setor canavieiro no país, violência policial e desrespeito aos direitos dos índios

ESTADÃO.COM.BR
Discurso no Brasil não condiz com a realidade interna, diz Anistia.
BBC Londres.
http://www.estadao.com.br/geral/not_ger179294,0.htm

FOLHA SP ONLINE.
Violência Policial deixou milhares de mortos no Brasil em 2007, diz Anistia.
da Efe, em Londres.
Nove morrem em ação do Bope; coronel diz que PM do Rio é "o melhor inseticida social"

GLOBO ON LINE
Relatório Anual.
Anistia: PAC pode ameaçar direitos humanos.
Soraya Aggege.
http://oglobo.globo.com/pais/mat/2008/05/27/anistia_pac_pode_ameacar_direitos_humanos-546536936.asp

GLOBO ONLINE.
PM registrou 748 confrontos com criminosos este ano, diz comandante.
Jailton de Carvalho.
http://oglobo.globo.com/rio/mat/2008/05/27/pm_registrou_748_confrontos_com_criminosos_neste_ano_diz_comandante-546535015.asp

BLOG REPÓRTER DE CRIME
Jorge Antonio Barros.
Rio de Paz pede que Corregedoria da PM investigue morte de jovem.
http://oglobo.globo.com/rio/ancelmo/reporterdecrime/post.asp?t=rio_de_paz_pede_que_corregedoria_da_pm_investigue_morte_de_jovem&cod_Post=104871&a=135

GLOBO ON LINE.
Advogado é assassinado em seu escritório ao tentar evitar assalto.
Ana Claudia Costa e Cristiane de Cássia.
http://oglobo.globo.com/rio/mat/2008/05/27/advogado_assassinado_em_seu_escritorio_no_centro_ao_tentar_evitar_assalto-546523139.asp

O DIA ONLINE.
Operação na Mangueira revela novas técnicas dos bandidos para esquentar veículos frios.
Leslie Leitão.
http://odia.terra.com.br/rio/htm/operacao_na_mangueira_revela_novas_tecnicas_dos_bandidos_para_esquentar_veiculos_frios_174001.asp

O DIA ONLINE.
Casal de jovens é atingido por tiros em pontos de ônibus em Sepetiba.
Marcelo Bastos.
http://odia.terra.com.br/rio/htm/casal_de_jovens_e_atingido_por_tiros_em_ponto_de_onibus_em_sepetiba_174016.asp

terça-feira, 27 de maio de 2008

FIM DO TRABALHO ESCRAVO, PARA ESSE ANO!

Email recebido:
Comemore!
À meia-noite de hoje você deixará de trabalhar para pagar impostos.
Não sei se você sabe, mas é isso que você tem feito desde 1º de janeiro: trabalhar única e exclusivamente para pagar tributos ao Estado. Pelo menos é isso que diz um estudo publicado recentemente pelo IBPT - Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário.
A partir de amanhã, porém, você estará liberado para pensar nos seus compromissos particulares: suas contas, sua alimentação, suas roupas, sua educação, sua saúde, sua segurança...
Em tudo, enfim, já que este Estado que lhe consome cinco meses de trabalho ao ano não consegue lhe oferecer nem o básico: a educação, a saúde e a segurança públicas (...)
E, quando você tiver completado 35 anos de trabalho, este Estado que confiscou 17 anos dos seus rendimentos vai lhe garantir uma aposentadoria que não cobrirá nem mesmo a conta da farmácia.
É ou não é trabalho escravo?
Pois então aproveite, como puder, os próximos meses.
(...)
E em janeiro começa tudo de novo.

DIAS E ANOS TRABALHADOS PARA PAGAR TRIBUTOS DURANTE A VIDA DO BRASILEIRO.

28/04/2008, Fonte:
IBPT

Em 2008 o brasileiro nasce condenado a trabalhar metade da sua vida para pagar tributos.
A carga tributária sobre renda, consumo e patrimônio já consome 148 dias de trabalho do brasileiro; neste ano, cada cidadão trabalhará até 27 de maio para pagar impostos, taxas e contribuições.
A expectativa de vida atual do brasileiro é de 72,3 anos.
Em 1900, a expectativa de vida era de 33,4 anos, enquanto que a expectativa de pagamento de tributos era de 3,92 anos;
Em 1950, a expectativa de vida era de 42,6 anos e a expectativa de pagamento de tributos era de 6,82 anos;
Em 2000, a expectativa de vida era de 70,5 anos e a expectativa de pagamento de tributos era de 23,31 anos;
Em 2008, a expectativa de vida é de 72,3 anos e a expectativa de pagamento de tributos é de 29,29 anos;
O brasileiro que nasce em 2008 trabalhará metade de sua vida para pagar tributos e em 108 anos a expectativa de vida do brasileiro cresceu 116%, enquanto que a expectativa de pagamento de tributos aumentou 245%.

CLIQUE E LEIA - VIOLÊNCIA NO RIO

DIA ONLINE.
Policial civil é morto durante assalto em fábrica na Avenida Brasil.
Marcelo Bastos.
http://odia.terra.com.br/rio/htm/policial_civil_e_morto_durante_assalto_em_fabrica_na_avenida_brasil_173743.asp

DIA ONLINE.
Cozinheiro do batalhão da PM em Caxias é assassinado a tiros.
Celso Oliveira.
http://odia.terra.com.br/rio/htm/cozinheiro_do_batalhao_da_pm_em_caxias_e_assassinado_a_tiros_173742.asp

DIA ON LINE.
Três traficantes são mortos pela PM no Morro da Pedreira.
Bartolomeu Brito.
http://odia.terra.com.br/rio/htm/tres_traficantes_sao_mortos_pela_pm_no_morro_da_pedreira_173747.asp

EXTRA ONLINE.
Execução na Palmeirinha pode ser volta da milícia.
Danielle Matos.
http://extra.globo.com/rio/materias/2008/05/26/execucao_na_palmeirinha_pode_ser_volta_da_milicia-546520798.asp

EXTRA ONLINE.
Polícia faz operação na Mangueira e quase prende pitbull.
Camilo Coelho.
http://extra.globo.com/rio/materias/2008/05/26/policia_faz_operacao_na_mangueira_quase_prende_pitbull-546521119.asp

GLOBO ONLINE.
Um vôo sobre a morte.
Helicóptero faz pouso forçado ao ser atingido por tiro de fuzil e bala se aloja a 3 cm de passageiro.
http://oglobo.globo.com/rio/mat/2008/05/26/helicoptero_faz_pouso_forcado_ao_ser_atingido_por_tiro_de_fuzil_bala_se_aloja_3cm_de_passageiro-546521371.asp

segunda-feira, 26 de maio de 2008

CORONEL ALEXANDRE CARVALHAES ROSETTE - ARTIGO






















CLIQUE E LEIA - VIOLÊNCIA NO RIO

1. BLOG REPÓRTER DE CRIME – 24/05/2008.
Jorge Antonio Barros.
Barbárie.
Um inocente é preso, julgado e condenado à morte por PMs.
http://oglobo.globo.com/rio/ancelmo/reporterdecrime/post.asp?t=um_inocente_preso_julgado_condenado_morte_por_pms&cod_Post=104331&a=135
ATO CÍVICO – RIO DE PAZ
http://www.riodepaz.org.br/principal.asp

2. BLOG REPÓRTER DE CRIME – 26/05/2008.
Jorge Antonio Barros.
Caso Willian.
Parentes de jovem executado dizem que testemunha recebeu ameaças.
http://oglobo.globo.com/rio/ancelmo/reporterdecrime/post.asp?t=parentes_de_jovem_executado_dizem_que_testemunha_recebeu_ameacas&cod_Post=104546&a=135

3. O DIA ONLINE – 26/05/2008.
Sargento da PM é assassinado ao sair de igreja em Campo Grande. Filho ficou ferido na perna.
Pedro Landim.
http://odia.terra.com.br/rio/htm/sargento_da_pm_e_assassinado_ao_sair_de_igreja_em_campo_grande_173474.asp
Rio - O sargento da PM Márcio Alex de Oliveira Santos foi morto no final da noite de domingo na porta da igreja evangélica Deus é Luz, em Campo Grande, na Zona Oeste. Ele estava acompanhado do filho, Douglas da Silva Santos, 17 anos, que ficou ferido na perna.
Segundo informações de familiares, o sargento esperava em seu carro, um Meriva preto, a filha e a cunhada que se despediam de fiéis, quando foi abordado por homens em uma Ecosport verde. Márcio foi atingido por pelo menos 15 tiros. O enterro deve ser nesta segunda-feira em Sulacap.

4. O DIA ONLINE – 26/05/2008.
Policial é baleado em igreja.
Andrade faria escolta de procissão no Santuário da Penha.
Tiana Ellwager.
http://odia.terra.com.br/rio/htm/policial_e_baleado_em_igreja_173468.asp
Rio - O cabo Cristiano Pinheiro de Andrade, de 31 anos, foi baleado ontem à tarde pouco antes da procissão que celebraria o fim dos festejos pelo mês de Maria, no Santuário da Penha. O policial militar estava de moto quando foi atingido por um tiro de fuzil na perna.
Segundo policiais, o disparo partiu da Vila Cruzeiro.
O PM lotado no Grupamento Tático de Motociclistas (GTM), do Batalhão de Choque, estava em frente ao Parque Shangai quando foi atingido. Ele foi levado para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha, e depois para o Hospital da Polícia Militar, no Estácio. Lá, ele foi operado e passa bem.
Logo depois de ser atingido, Andrade ligou para a namorada, a enfermeira Fernanda Lima, de 31 anos. “Ele dizia ter a sensação de que a perna estava pendurada. Ele estava nervoso e pediu que eu ligasse para o seu irmão. Fiquei desesperada na hora. Em nove anos de polícia nunca tinha acontecido nada. Mas ele está bem e fico feliz que ele não corra risco de morrer”, contou Fernanda.
Segundo policiais, o pedido de escolta teria sido feito pela Igreja ao comando da Polícia Militar. Ainda segundo alguns policiais que estavam no local, o grupo de policiais em que estava Andrade estava indo ao encontro do padre para que fossem definidas as ruas que seriam bloqueadas e o esquema de escolta. “Houve uma falha de comunicação com o padre. Não sabíamos onde ele estava e nos arriscamos naquela região, cercada de favelas”, disse um policial.
O Santuário da Penha informou apenas que um bispo — e não um padre — comandou a procissão.

5. BLOG REPÓRTER DE CRIME – 26/05/2008
Jorge Antonio Barros.
Política de Confronto.
Uma prática que ajuda a ocultar o crime de execução
http://oglobo.globo.com/rio/ancelmo/reporterdecrime/post.asp?t=uma_pratica_que_ajuda_ocultar_crime_de_execucao&cod_Post=104461&a=135

6. GLOBO ON LINE – 24/05/2008.
Violência.
Do total de baleados no Rio, 31% já chegaram sem vida aos hospitais.
Taís Mendes – O Globo.
http://oglobo.globo.com/rio/mat/2008/05/24/do_total_de_baleados_no_rio_31_ja_chegaram_sem_vida_aos_hospitais-509818185.asp
7. EXTRA ON LINE - 26/05/2008.
Padre da Igreja de São Judas Tadeu, em Campo Grande, é ameaçado de morte.
Clarissa Monteagudo - Extra.

quarta-feira, 21 de maio de 2008

II SEMINÁRIO INTERNACIONAL - JUSTIÇA, AÇÕES AFIRMATIVAS E IGUALDADE DE DIREITOS

CLIQUE E LEIA

JORNAL DO BRASIL ON LINE
Vingança motivou morte de delegado no Recreio dos Bandeirantes.
Duílo Victor e Marcello Victor.
http://jbonline.terra.com.br/extra/2008/05/20/e200520901.html

O DIA ONLINE
Reconhecido em vídeo como assassino de delegado, ex-PM morreu em cerco de policiais civis.
Christina Nascimento, Leslie Leitão, Márcia Brasil, Maria Inez Magalhães, Maria Mazzei, Paula Sarapu e Vania Cunha.
http://odia.terra.com.br/rio/htm/reconhecido_em_video_como_assassino_de_delegado_ex_pm_morreu_em_cerco_de_policiais_civis_172571.asp

EXTRA ON LINE e O GLOBO ON LINE
Polícia vai analisar procedência das armas encontradas na casa de ex-PM que matou o delegado Iantorno.
Ana Cláudia Costa - O Globo, Marcos Nunes e Camilo Coelho - Extra e O Globo Online.
http://extra.globo.com/rio/materias/2008/05/21/policia_vai_analisar_procedencia_das_armas_encontradas_na_casa_de_ex-pm_que_matou_delegado_iantorno-427485587.asp

segunda-feira, 19 de maio de 2008

CLIQUE E LEIA - ENTREVISTA - SECRETÁRIO DE SEGURANÇA DO RJ

BLOG REPÓRTER DE CRIME
JORGE ANTONIO BARROS
ENTREVISTA
Beltrame diz que não há crime organizado no Rio.
Em entrevista aos repórteres Ítalo Nogueira e Sérgio Costa, da "Folha de S. Paulo", o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, disse que não há crime organizado no Rio. Se desorganizado já faz esse estrago todo, imagine quando se organizar.

CLIQUE E LEIA - O RIO DE JANEIRO DE LUTO

O GLOBO ON LINE
A POLÍCIA COMO ALVO
Assassinato de delegado no Recreio é visto como afronta ao Estado.
Isabel Konschitz, Miguel Caballero, Vera Araújo, Ana Carolina Tosto e Zean Bravo.
Mais notícias:
O DIA ON LINE
DELEGADO MORTO A SANGUE FRIO DENTRO DE SUPERMERCADO.
Titular da 20ª DP foi executado com tiro à queima-roupa na nuca quando ia comprar pão no Recreio, onde morava. Policiais consideram o assassinato um crime contra a instituição e prometem reagir.
Vania Cunha, Daniela Dariano e Christina Nascimento
EXTRA ONLINE
POLÍCIA INVESTIGA MILÍCIAS E MÁFIA DOS CAÇA-NÍQUEIS PARA SOLUCIONAR EXECUÇÃO DO DELEGADO ALCIDES IANTORO.
Marco Antônio Martins e Marcos Nunes - Extra

domingo, 18 de maio de 2008

CLIQUE E LEIA - ENTREVISTA LUÍS FLÁVIO SAPORI

GLOBO ON LINE - 18/05/2008

REPÓRTER DE CRIME

JORGE ANTONIO BARROS

Ponto de vista criminal.
Sapori: discurso social da violência prejudica o combate ao crime.






Trechos:

A CORRUPÇÃO NA POLÍCIA
"É um dos grandes desafios hoje. Precisamos de ações mais contundentes para enfrentar a questão da corrupção policial porque grande parte do problema da violência, em qualquer grande cidade brasileira, envolve a corrupção policial. A corrupção policial degrada não apenas internamente a instituição, mas contamina a criminalidade. Gera um ciclo vicioso de fomento da criminalidade. Em crimes como tráfico de drogas, roubos e furtos de veículos. A presença desses policiais hoje nesse tipo de crime no Brasil é muito grande. Então não se combate o crime se não houver um ataque corajoso à corrupção policial. Há muito medo e receio de lidar com isso. Há policiais honestos, boas corregedorias. O que me parece é que político brasileiro tem medo de lidar com isso. Há uma descrença na capacidade de a polícia de investigar a própria polícia. O caminho é fortalecer as corregedorias, não podemos prescindir delas. precisamos dos bons policiais, com gratificações especiais, para participar desse trabalho nas corregedorias. Mas ao mesmo tempo precisamos do controle externo. Isso envolve mudanças de legislação. De códigos disciplinares para lidar com o policial corrupto. Não uma legislação de exceção. mas será preciso leis mais duras para demitir o policial corrupto. Criar mecanismos para a participação da sociedade no monitoramento das corregedorias, por meio da OAB, ONGs."


A POLÍCIA QUE MATA

"Vejo com preocupação. Não me parece um bom modelo de segurança pública a tática do confronto. Não me parece que é característica apenas desse governo. Mas a história recente da segurança pública no Rio é pautada pelo privilégio da tática em detrimento da estratégia. É privilegiar as ações pontuais, imediatas, de combate ao crime, especialmente o tráfico de drogas. O desafio da segurança pública no Brasil envolve pensar estrategicamente. Tudo bem que o confronto em alguma medida é invevitável, principalmente numa realidade do Rio. Ninguém pode acreditar que a retomada dessas áreas dominadas pelos criminosos - verdadeiros estados paralelos - será feita sem lidar com algum nível de confronto. É fundamental você capacitar a polícia para lidar com esse tipo de realidade. E o depois? O problema é a estratégia de retomada dessas áreas. Ocupar essas áreas amanhã e fazer com que o estado de direito passe a ser a grande referência institucional dessas áreas, provendo a segurança. O tráfico oferece segurança para as comunidades de maneira perversa, autoritária, que não são os valores que queremos para a sociedade brasileira. A consolidação de estados paralelos - micro ou macro - colocam um grande desafio para a segurança pública no Brasil. Taticamente tem que ocupar terrorialmente essas áreas. O desafio é pensar ao longo de quatro, cinco anos. É preciso um plano de ocupação permanente dessas áreas por parte da polícia. Alguns dizem que faltam o estado social. Mas a maior parte do problema nem é esse mais. Os equipamentos públicos nem estão podendo funcionar pela ausência de segurança, e do estado que garante a ordem. É esse estado que tem faltado no país no período democrático."


A APATIA DA SOCIEDADE DIANTE DOS HOMICÍDIOS

"Um dos adornos dessa apatia envolve certos segmentos da polícia, que toleram essa mortandade e esse verdadeiro genocídio porque muitas das vítimas são criminosas. Essa matança indiscriminada gera uma situação de anomia social completa, de banalização da violência, que extrapola território e classes sociais. Cria-se um ciclo vicioso de fortalecimento do crime. A tolerância com esse tipo de crime, supostamente contra o próprio criminoso, acaba criando uma cultura da violência para lidar com os conflitos sociais. Vai atingir o trânsito, brigas de vizinhança. O grande desafio envolve ações repressivas e preventivas. Em primeiro momento, mostrar a presença do crime, identificando os atores. O grande desafio envolve ações repressivas e preventivas. Num primeiro momento mostrar a presença do Estado por meio de uma repressão qualificada, ou seja, identificando o crime, investigando, indiciando, prendendo os criminosos. Criar estruturas de investigação mais sólidas. São Paulo fez isso muito bem no DHPP e explica em parte porque estão caindo os homicídios lá. Isso me parece um caminho promissor. Aumentar o índice de elucidação. Significa na prática reduzir a impunidade. Porque se os homicídios ficam impunes você vai criando homicidas contumazes. Seriais killers de uma forma tácita. Segundo. Criar mecanismos de inserção de jovens, de 15 a 24 anos, dessas comunidades pobres no mercado de trabalho. Aí vamos atacar um problema complicado. É esse público que está sendo cooptado pelo tráfico de drogas e isso acontece não propriamente porque o tráfico oferece o dinheiro para comprar a sobrevivência. Eles estão entrando no mundo do crime e do tráfico pra realizar outros sonhos e desejos e, por incrível que pareça, desejos de consumo. É interessante como boa parte desse fenômeno está relacionado à massificação de valores consumistas, à ampliação do mercado consumidor no Brasil. Ele valoriza menos o trabalho, o tipo de trabalho que os pais tinham. é permitido a ele sonhar mais. E ele sabe que as chances de ascensão social são muito restritas, Ele tem clareza das restrições de inclusão pela renda e pela cor da pele. Sabe muito bem como os negros e pobres sofrem na sociedade brasileira. Esse contexto perverso de anomia moral que acaba gerando um público jovem muito cioso, muito envolvido e seduzido pelo que o tráfico oferece, dinheiro, prazer, droga fácil, mulheres, arma, respeito, visibilidade. Esse mundo oferece auto-estima. Para enfrentar isso só com a parceria com ONGs como o AfroReggae, a Cufa, que conhecem a linguagem desses jovens. Cabe ao poder público fazer parceria com essas entidades. Dar uma alternativa moral que não seja o tráfico. Acredito na música, na arte, no hip hop, como uma cultura de periferia, tem um potencial de agregação muito grande. Teremos uma possibilidade de criar uma grande mobilização em torno do rap, do dj, do street ball, da dança de rua."

FOLHA DE SÃO PAULO - PM POR DENTRO - 18/05/2008

PM por dentro
Em busca de estabilidade e salário de r$ 909,49, policiais militares são obrigados a enfrentar o dia-a-dia violento do Estado do Rio, onde 151 deles foram assassinados em 2007; no mesmo ano, 1.330 civis foram mortos pela PM, recorde histórico.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mais/fs1805200805.htm


RAPHAEL GOMIDE
DA SUCURSAL DO RIO

Em 2007, 151 PMs foram assassinados no Estado, um a cada 2,5 dias. As polícias do Rio mataram 1.330 pessoas (recorde histórico), média de 3,64 por dia. Por que a PM do Rio é a que mais mata e mais morre no Brasil e tem altos índices de corrupção? Qual é o perfil de quem se aventura a enfrentar a morte diariamente, por R$ 909,49 mensais brutos e estabilidade no emprego?
Para tentar entender isso, a reportagem da Folha fez concurso público e ingressou como recruta, de 3 a 25 de janeiro, no Curso de Formação de Soldados da PM. Fui aprovado em 67º lugar no exame intelectual, em 3 de junho de 2007, no Maracanã de 25 mil candidatos.
Vinte questões de português, 20 de matemática e redação compõem a primeira etapa.
Após as outras etapas e o ingresso de 20 alunos de outros certames, fui o 36º do Primeiro Pelotão da 2ª Companhia. Meu pelotão reunia os 58 mais bem colocados. Só se preencheram 752 vagas (459 de minha turma e 293 de outra), menos da metade das 2.000 previstas. Mais 412 pessoas continuam em processo de seleção.
Só 2.643 fizeram 50% no exame intelectual. Dos 300 primeiros, o psicotécnico reprovou 44 (15%), o físico barrou 20%. Só 201 de 300 fizeram os testes médicos, que afastaram mais 90 antes da pesquisa social, quando saíram 17.
Todas as fotos que ilustram o texto foram feitas por mim ou por algum colega, com a minha câmera. Não havia determinação quanto a não poder tirar fotos, mas a maioria delas foi feita de maneira disfarçada.
A formatura dos recrutas será em 29 de agosto. A promessa do governador Sérgio Cabral (PMDB) e da PM, de ter 2.000 homens (a seleção não admitiu mulheres) nas ruas até o fim de 2007, não se realizou nem se realizará em 2008.

CLIQUE E LEIA

O Globo Online – 18/05/2008.
Pesquisa – Total de votos: 2378.
http://oglobo.globo.com/rio/
Qual o principal problema da polícia do Rio?
Salário baixo: 27.08%
Equipamentos obsoletos: 2.02%
Efetivo reduzido: 2.73%
Corrupção: 63.54%
Falta de treinamento: 4.63%

O Globo Online – 18/05/2008
Máquina Estatal
Rio gasta mais com burocracia do que com serviços essenciais

http://oglobo.globo.com/rio/mat/2008/05/17/rio_gasta_mais_com_burocracia_que_com_servicos_essenciais-427433961.asp

O Dia Online – 18/05/2008.
Delegado é assassinado no Recreio.
http://odia.terra.com.br/rio/htm/delegado_e_assassinado_no_recreio_171903.aspRádio CBN - 18/05/2008

O Dia Online – 18/05/2008.
A nova arma das polícias.
Mais leves e menos letais, carabinas .30 vão substituir fuzis em áreas menos conflagradas do Rio.
http://odia.terra.com.br/rio/htm/a_nova_arma_das_policias_171889.asp

O Dia Online – 18/05/2008.
Amigos e parentes fazem passeata por Justiça pela morte de estudante em blitz.
http://odia.terra.com.br/rio/htm/amigos_e_parentes_fazem_passeata_por_justica_pela_morte_de_estudante_em_blitz_171835.asp

Extra Online -18/05/2008.
Polícia Federal apreende 36 quilos de cocaína em Macaé e fita de vídeo com tortura.
http://extra.globo.com/rio/materias/2008/05/17/policia_federal_apreende_36_quilos_de_cocaina_em_macae_fita_de_video_com_tortura-427435850.asp

Veja Online – 18/05/2008.
SegurançaComo acabar com a violência?

sábado, 17 de maio de 2008

JORNAL EXTRA - 17/05/2008 - BERENICE SEARA

Capa (1a Página):


Página 4:


Oportunamente, postarei um artigo sobre a reportagem.

sexta-feira, 16 de maio de 2008

CLIQUE E LEIA

1) MOVIMENTO SEGURANÇA CIDADÃ

2) Globo Online - Rio
PESQUISA:
http://oglobo.globo.com/rio/
Qual o principal problema da polícia do Rio?
Resultado (16/05/2008 – 10:52 h)
Total de votos: 1419
Salário baixo - 25.93%
Equipamentos obsoletos - 1.90%
Efetivo reduzido - 2.82%
Corrupção - 64.34%
Falta de treinamento - 5.00%

3) Globo Online
Estatística da violência
Polícia do Rio matou mais 21% em fevereiro

http://oglobo.globo.com/rio/mat/2008/05/15/policia_do_rio_matou_mais_21_em_fevereiro-427409801.asp



5) Dia Online
PM faz operação nas favelas do chapéu mangueira e babilônia
http://odia.terra.com.br/rio/htm/pm_faz_operacao_nas_favelas_do_chapeu_mangueira_e_babilonia_171550.asp


6) Dia Online
Marinha sai na frente e paga os atrasados semana que vem
Força usa recursos próprios para antecipar valores retroativos a janeiro. Exército paga em 3 de junho
http://odia.terra.com.br/economia/htm/marinha_sai_na_frente_e_paga_atrasados_semana_que_vem_171491.asp


7) Folha Online
Criminalista mostra porque as prisões brasileiras falham; leia capítulo
http://www1.folha.uol.com.br/folha/publifolha/ult10037u351830.shtml


8) Estadão.com.br
E-mails mostram ligação estreita de Chávez com as Farc
Jornal espanhol 'El Pais' divulga cópia de mensagens em que guerrilheiros apresentam manobras do venezuelano
http://www.estadao.com.br/internacional/not_int173699,0.htm